Busca BOL

Sábado, 25 de outubro de 2014

BOL Notícias

Sumiço de quadro de Portinari em PE pode ser o quarto furto recente de obras no Brasil

Chico Porto/JC Imagem/AE

Célia Labanca, diretora do Museu de Arte Contemporânea (MAC) de Pernambuco, em Olinda (PE), fala sobre o furto do quadro "Enterro", do pintor Cândido Portinari. A ausência da peça foi percebida nesta quarta (14). veja a imagem no álbum do dia

Do UOL Notícias*
Em São Paulo

Uma obra do pintor paulista Cândido Portinari sumiu do Museu de Arte Contemporânea (MAC) de Olinda (PE). O quadro, que se chama “Enterro”, mede 0,23 m x 0,33 m e foi pintado em óleo sobre madeira. Se realmente for comprovado que a obra de Portinari foi furtada, será o quarto roubo de quadros valiosos no Brasil nos últimos cinco anos (veja a lista abaixo).

Funcionários do MAC-PE deram falta da obra de Portinari na quarta-feira (14). As policias Civil, Federal e também a Interpol já foram notificadas sobre o sumiço pela Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe).

O quadro, de 1959, faz parte da Série Azul do pintor e integrava coleção de Assis Chateaubriand, da qual se originou o MAC. Está avaliado em, no mínimo, R$ 2 milhões. A diretora do MAC, Célia Labanca, afirmou que o lugar tem vigilância 24h e monitora os visitantes. Uma réplica do quadro foi entregue à polícia para facilitar as buscas.

A delegada Cláudia Freitas, da Delegacia de Repressão ao Roubo e Furto da Polícia Civil, é a responsável pela investigação. Hoje, peritos do Instituto de Identificação Tavares Buril fizeram coletas de impressões digitais no local e a polícia começou a interrogar funcionários do museu. As gravações das imagens do circuito interno foram solicitadas pelos investigadores.

Mais casos
Em fevereiro de 2006, as obras "Os Dois Balcões", de Salvador Dalí; "A Dança", de Picasso; "Marine", de Monet, e "O Jardim de Luxemburgo", de Matisse foram levados do museu "Chácara do Céu", no Rio de Janeiro.

Em dezembro de 2007, ladrões levaram do Museu de Arte de São Paulo (Masp) duas das mais importantes obras do acervo: “Retrato de Suzanne Bloch”, de Picasso, com valor estimado em US$ 50 milhões, e “O lavrador de café”, de Cândido Portinari, com valor de US$ 5,5 milhões. As obras foram encontradss em 8 de janeiro de 2008 em uma casa na Grande São Paulo.

Já em junho de 2008, três assaltantes roubaram na Estação Pinacoteca de São Paulo as gravuras de Picasso "O Pintor e seu Modelo" (1963) e "Minotauro, Bebedor e Mulheres" (1933), além da obra "Mulheres na Janela" de Emiliano Di Cavalcanti, e a aquarela "Casal", de Lasar Segall. As obras foram recuperadas em agosto de 2008.

Veja abaixo a lista com os principais roubos de obras de arte ocorridos pelo mundo nas últimas décadas:

Setembro de 1972 - Ladrões levaram 18 quadros do Museu de Belas Artes de Montreal, incluindo um de Rembrandt, com valor estimado em US$ 1 milhão, segundo a BBC de Londres. As obras nunca foram recuperadas.

Maio de 1986 - Dezoito pinturas, entre elas “Senhora Escrevendo Cartas com Criada”, de Johannes Vermeer, foram furtadas da Russborough House, na Irlanda. O valor total das obras foi estimado em US$ 40 milhões, de acordo com a BBC. O quadro de Vermeer e várias obras foram recuperadas.

Dezembro de 1988 - Três quadros de Vincent Van Gogh, avaliados em até US$ 90 milhões, foram roubados do museu Kroeller-Mueller, na Holanda, e posteriormente recuperados.

Março de 1990 - Ladrões furtaram 13 obras do Museu Isabella Stewart Gardner, em Boston, nos Estados Unidos, avaliadas US$ 500 milhões na época. Entre as obras, que nunca foram recuperadas, estavam quadros de Vermeer, Rembrandt, Édouard Manet e Edgar Degas.

Abril de 1991 - Vinte quadros com um valor total estimado em US$ 500 milhões foram levados do Museu Van Gogh, em Amsterdã. As obras foram localizadas pouco tempo depois em um carro abandonado, de acordo com a BBC.

Novembro de 1993 - Oito quadros, entre eles pinturas de Pablo Picasso, avaliados em US$ 60 milhões, foram roubados do Museu de Arte Moderna de Estocolmo, na Suécia. Parte das obras foi recuperada.

Outubro de 1994 - Sete obras de Picasso foram roubadas de uma galeria em Zurique, na Suíça, e foram recuperadas seis anos depois. O valor total das obras foi estimado em US$ 44 milhões.

19 de setembro de 2000 - Roubam do Museu Nacional de Poznan (Polônia) "A Praia de Pourville", de Claude Monet, que foi recuperada em 13 de janeiro passado.

22 de dezembro de 2000 - Um autorretrato de Rembrandt e dois quadros de Renoir são roubados no Museu Nacional da Suécia, em Estocolmo. Foram recuperados.

7 de dezembro de 2002 - Roubo dos quadros de Van Gogh "The Old Church Tower at Nuenen" e "View Of The Sea at Scheveningen (Vista da praia de Scheveningen na Tempestade)" no museu Van Gogh de Amsterdã.

11 de maio de 2003 - O "Saleiro de Ouro", uma das obras mais significativas de Benvenuto Cellin, desaparece do Kunsthistorisches Museum de Viena (Áustria).

27 de agosto de 2003 - Roubam do castelo escocês de Drumlanrig (Reino Unido) o quadro "A Madonna do Fuso" do pintor italiano Leonardo da Vinci. Foi recuperado em 4 de outubro de 2007.

Maio de 2004 - Roubam do Centre Pompidou de Paris a obra de Picasso "Nature Morte a la Charlotte", que apareceu um ano depois entre papelões na periferia de Paris.

22 de agosto de 2004 - Os dois quadros mais famosos do pintor norueguês Edvard Munch, "O Grito" e "A Madonna", são roubados do museu Munch de Oslo. Foram recuperados em agosto de 2006.

24 de fevereiro de 2006 - "Os Dois Balcões", de Salvador Dalí; "A Dança", de Picasso; "Marine", de Monet, e "O Jardim de Luxemburgo", de Matisse são levados do museu "Chacará do Céu", no Rio de Janeiro.

14 de novembro de 2006 - Roubado o quadro de Goya "Los Niños Del Carretón", propriedade do Museu de Arte de Toledo (Ohio, EUA), quando era transferido para uma exposição em Nova York. Foi recuperado em Nova Jersey seis dias depois.

5 de agosto de 2007 - Cinco encapuzados roubam no Museu de Belas Artes "Jules Chéret" de Nice (França) os quadros "Falaises Près de Dieppe", de Claude Monet; e "Allée de Peupliers de Moret", de Alfred Sisley, que já tinham sido roubados em 1998.

20 de dezembro de 2007 - Ladrões levaram do Museu de Arte de São Paulo (Masp) duas das mais importantes obras do acervo: Retrato de Suzanne Bloch, de Picasso, com valor estimado em US$ 50 milhões, e O lavrador de café, de Cândido Portinari, com valor de US$ 5,5 milhões. Os quadros foram encontrados em 8 de janeiro de 2008 em uma casa na Grande São Paulo.

7 de fevereiro de 2008 - Roubam "Tête de Cheval" (1962) e "Verre et Pichet" (1944), dois quadros de Picasso avaliados em milhões de euros, no centro cultural de Pfaffikon, no cantão de Schwyz (Suíça).

10 de fevereiro de 2008 - Três encapuzados armados roubam no Museu de Zurique (Suíça) as pinturas impressionistas de Paul Cézanne (1888); "Comte Lepic et Ses Filles", de Edgar Degas (1871); "Branche de Marronnier en Fleurs" ( 1890), de Vincent Van Gogh; e "Les Coquelicots Près de Vétheuil" (1879) de Claude Monet.

12 de junho de 2008 - Três assaltantes roubam no espaço "Estação Pinacoteca de São Paulo as gravuras de Picasso "O Pintor e seu Modelo" (1963) e "Minotauro, Bebedor e Mulheres" (1933); além da obra "Mulheres na Janela" de Emiliano Di Cavalcanti, e a aquarela "Casal", de Lasar Segall. As obras, avaliadas em R$ 1 milhão, foram recuperadas em agosto de 2008.

8 de agosto de 2008 - Roubam do Museu de Gelsenkirchen (Alemanha) os quadros expressionistas "Retrato de Mulher", de Emil Nolde; "Kopf Dr. Pauli", de Ernst Ludwig Kirchner; e a litografia de Otto Müller.

1 de maio de 2009 - Roubam o quadro de Salvador Dalí, "Adolescência" e o da polonesa Tamara de Lempicka "La Musicienne", do museu Scheringa em Spanbroek (Holanda).

8 de junho de 2009 - Roubam um caderno com 33 desenhos de Pablo Picasso, do Museu Picasso de Paris.

24 de setembro de 2009 - Duas pessoas roubam "L'Olympia", de René Magritte, de um museu de Jette (Bruxelas).

31 de dezembro de 2009 - Desaparece "Les Choristes", de Edgar Degas, do Museu Cantini de Marselha.

*Com informações do JC Online e da agência EFE

Publicidade

Emprego Certo

Procurar por emprego