Brasil Online

Busca
Quarta-feira, 26 de NOVEMBRO de 2014

Imprimir

20/08/2008 - 13h18

Sudeste continuará o maior mercado consumidor do Brasil em 2030

SÃO PAULO - É no Sudeste onde se concentra a maior parte do consumo do Brasil e este cenário não deve mudar até 2030. No entanto, de acordo com pesquisa realizada pela Ernst & Young e pela FGV Projetos, a região perderá participação em 23 anos.

Segundo os dados, divulgados na terça-feira (19), a região Sudeste representou 53,3% do mercado consumidor no ano passado e passará a 52,5% em 2030. Os gastos da população desta região estão entre os que menos crescerão nos próximos anos, com taxa média de 3,7% ao ano. O Sudeste passará de R$ 751,5 bilhões em consumo para R$ 1,733 trilhão.

A pesquisa detectou que a evolução da distribuição de renda e a dinâmica demográfica nos próximos 23 anos também trarão mudanças na composição regional do mercado consumidor. As despesas com consumo do Sul e Sudeste, que representavam a maioria, crescerão a taxas menores que a média nacional.

Como conseqüência, cresce a participação das demais regiões. O crescimento da renda e do consumo nestas partes do País deverá se refletir em âmbito nacional.

Destaque em crescimento

A região Norte, com menor representatividade no mercado consumidor nacional, tanto em 2007 quanto na expectativa para 2030, será a com maior crescimento no período, com uma taxa de 4,3% ao ano. No ano passado, o mercado consumidor desta região era de R$ 81,7 bilhões, pulando para R$ 216 bilhões em 23 anos.

O Nordeste também registrará crescimento no consumo, passando de R$ 231,5 bilhões em 2007, com participação de 16,4% sobre o total, para R$ 576,8 bilhões em 2030, respondendo por 17,5% do total. A taxa de crescimento estimada para cada ano, neste caso, é de 4%.

O Sul, tido como mercado consumidor pródigo, assim como o Sudeste, deve ter uma taxa de crescimento anual até 2030 de 3,5%. Isso porque o consumo passará de R$ 231,7 bilhões para R$ 507,4 bilhões, com representatividade de 16,4% e 15,4% do total, respectivamente. Nota-se que esta região perde espaço para o Nordeste.

Por último, o Centro-Oeste registra crescimento de 3,8% ao ano até 2030, passando de R$ 114,3 bilhões para R$ 270,3 bilhões. Esta região, que correspondia a 8,1% do consumo total em 2007, passará a 8,2% em 2030. Os dados são baseados em um mercado consumidor de R$ 1,410 trilhão em 2007 e de R$ 3,304 trilhões em 2030, com taxa média de crescimento de 3,8% ao ano.

Enquete

Computando seu voto...
Carregando resultado

Total de votos: