Busca BOL

Quinta-feira, 23 de outubro de 2014

BOL Notícias

No Brasil, galã de "Grey's Anatomy" fala da série, de sua vaidade e da vida em família

Marcos Issa/Argosfoto

O ator Patrick Dempsey lança seu perfume "Patrick Dempsey 2" em hotel em São Paulo (2/5/2010)

CAROLINA HIGA
Da Redação

Patrick Dempsey é exatamente o que aparenta ser nos filmes ou na série de TV “Grey’s Anatomy”: simpático e gente boa. Em sua primeira visita ao Brasil, para divulgar o lançamento de seu segundo perfume, “Patrick Dempsey 2”, da Avon, o ator americano de 44 anos nem parecia que havia acabado de chegar de viagem.

Dempsey interpreta o médico Derek Sheperd, conhecido também como Dr. McDreamy, na série norte-americana “Grey’s Anatomy”, par romântico da protagonista Meredith Grey. Na vida real, o ator é casado desde 1999 com a maquiadora Jillian Dempsey , com quem tem três filhos: Tallula, Darby e Sullivan.

Para a entrevista de divulgação em um hotel em São Paulo, era necessário aos jornalistas enviar uma foto e um pequeno currículo. A exigência pareceu exagerada, mas foi graças à foto, que o Dr. McDreamy veio em minha direção no lobby do hotel, onde conversava com outras pessoas, e se apresentou: “Oi, é com você que eu vou conversar daqui a pouco, não é? Prazer, Patrick”, disse com um largo sorriso, para em seguida me oferecer champanhe. Após uma negativa, ele insistiu com um sorriso: “Mas hoje é domingo.”

Diferentemente de outras celebridades, internacionais e nacionais, o ator hollywoodiano não poderia ser mais “normal”. E apesar da recomendação da assessoria em não fazer nenhuma pergunta relacionada à sensualidade, após os vinte minutos de conversa, posso dizer com convicção, que ele respondeu às perguntas sem estrelismo e é ainda mais agradável do que seus personagens.

UOL - Esta é sua primeira vez no Brasil?
Patrick Dempsey - Cheguei de manhã, e só vi o hotel, o tráfego.. Mas as pessoas são muito gentis. Espero poder ter tempo para passear um pouco.

UOL - Seu personagem em "Grey's Anatomy", o Dr. Derek Shepherd, é um dos favoritos da série no Brasil. Por que você acha que ele é tão querido?
Patrick Dempsey - Acho que o Dr. Shepperd ama muito a Meredith [papel de Ellen Pompeo], passa por muita coisa por ela e a aceita, não a julga tanto, e acho que é por isso que as pessoas gostam tanto dele. Não imaginava que ele seria esse sucesso. Tem sido uma experiência incrível.

UOL - O que você acha que mudou no Dr. Shepherd após ele se tornar chefe?
Patrick Dempsey - Ele ficou mais responsável. E ele está um pouco frustrado por não ficar tanto tempo na sala de operações quanto gostaria.

UOL - Você trabalha em televisão há muitos anos, seu último filme foi "Idas e Vindas do Amor". Você prefere fazer TV ou filmes?
Patrick Dempsey - Eu prefiro estar trabalhando, não me importa onde. Eu acho a televisão incrível. O programa está lá toda semana, é algo poderoso. O filme você grava e ele demora um ano ou dois para ser lançado. São experiências diferentes.

UOL - Você sempre faz papéis de caras bonzinhos. A sua família chega a te influenciar na hora de escolher seus papéis?
Patrick Dempsey - Sim, eu acho que sim. Mas isso está mudando, vou fazer dois filmes bem diferentes. Claro que você quer fazer papéis que entretenham seus filhos, mas às vezes prefere fazer algo que o desafie, interpretar personagens não tão queridos, que tenham defeitos e que as pessoas não se identifiquem. E é importante tentar algo novo.

UOL - E quais são esses novos filmes?
Patrick Dempsey - “Flypaper”, que começo a filmar no fim do mês, e “Transformers 3”, onde interpreto um personagem que é bem mais “dark” do que os outros.

UOL - Como é ser considerado um símbolo sexual aos 44 anos?
Patrick Dempsey - Eu me sinto muito lisonjeado e eu gosto, certamente, me divirto com isso.

UOL - Você leva uma vida discreta, dificilmente o vemos em eventos e em fotos de paparazzi. É difícil manter a discrição em Hollywood?
Patrick Dempsey - Eu gosto de ficar em casa, não saio muito. Eu trabalho tanto, que quando não estou trabalhando, gosto de ficar com a minha família, e nem saio.

UOL - Os papparazi não seguem você e sua família?
Patrick Dempsey - Eles não estão aqui, estou um pouco desapontado (risos)

UOL - De que maneira um ator se envolve no projeto de lançar um perfume que leva seu nome?
Patrick Dempsey - Este é meu segundo perfume. Realmente gostei muito. Participei de todo o projeto, da escolha dos ingredientes, dos aromas, do design do pacote, da campanha. Adorei tudo isso. E aprendi todo o vocabulário que se usa na criação de um perfume. E no fim, o que você quer é que as pessoas fiquem satisfeitas, que gostem.

UOL - E que tipo de homem você quer que use o perfume?
Patrick Dempsey - Um homem legal . Um homem sexy (risos).

UOL - Até onde chega sua vaidade?
Patrick Dempsey - Todo mundo é vaidoso, você não acha? Não sou mais vaidoso do que qualquer um. Demoro uns vinte minutos só para sair da frente do espelho. Não, é brincadeira (risos).

UOL - O que é a fundação Patrick Dempsey Center for Cancer Hope and Healing?
Patrick Dempsey - É uma comunidade de bem-estar. Eu não sou médico, apesar de interpretar um na TV (risos). Minha preocupação é mais com as pessoas que são diagnosticadas com câncer e que precisam lidar com todas as informações que recebem dos médicos e do seguro. Minha mãe teve câncer de mama, ela é uma sobrevivente. E os familiares não sabem o que fazer ao saber que o parente tem câncer. Minha mãe foi diagnosticada há 11 anos, e eu estava nessa posição, não sabia o que fazer. A minha irmã trabalhava num hospital e nos ajudou com informações importantes. Hoje há tantas opções sobre o tratamento, medicamentos, hospitais... As pessoas estão sendo diagnosticadas mais cedo e estão sendo tratadas, fazendo o que precisa ser feito. A fundação está crescendo. O website é exatamente para que todos possam ter acesso à fundação, para que pessoas do Brasil possam enviar suas perguntas e receber ajuda. Queremos que seja algo global.

 

Enquete

Carregando enquete...
Computando seu voto...
Carregando resultado
  • 5779
  • simples
  • false
Publicidade

Emprego Certo

Procurar por emprego