Busca BOL

Quarta-feira, 23 de julho de 2014

BOL Notícias

Após muro pichado, torcida protesta na Toca da Raposa II, briga e PM é acionada

FREDERICO HAIKAL/HOJE EM DIA/AE

Um dia após pichação em muro, cruzeirerenses protestam em frente à Toca da Raposa II

Do UOL Esporte
Em Belo Horizonte

Na contramão do que defende o técnico Emerson Ávila, que pede apoio da torcida, alguns torcedores do Cruzeiro realizaram manifestação do lado de fora da Toca da Raposa II, neste sábado, quando o time fez a última atividade visando o jogo com o Vasco, domingo, às 16h, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas. Houve confronto entre alguns torcedores, que brigaram entre eles, gerando a intervenção da Polícia Militar, que chegou a usar de força para separar os manifestantes.

  • FREDERICO HAIKAL/HOJE EM DIA/AE

    O muro da Toca da Raposa II amanheceu pichado na sexta-feira, e o protesto aumentou no sábado

A manifestação em que os integrantes da Máfia Azul, principal organizada do clube, demonstraram preocupação com a ameaça de rebaixamento do Cruzeiro, pela campanha ruim no Brasileiro, saiu do controle. Houve brigas entre os torcedores e a Polícia Militar chegou a usar bombas de gás lacrimogênio.

O time ainda não venceu nenhuma das suas seis partidas disputadas no returno, com dois empates e quatro derrotas. Em 18 pontos disputados, obteve apenas dois (aproveitamento de 11,11%).

“Time pipoqueiro, tem que ter raça para jogar no meu Cruzeiro”, “Time sem raça, vamos vencer, o meu Cruzeiro nunca viu a Série B” e “respeita esse manto, tem jogador que está andando em campo”. Esses foram alguns dos slogans gritados pelos torcedores, que não tiveram acesso à Toca da Raposa II. De acordo com a assessoria de comunicação da Polícia MIlitar, não aconteceram prisões e nenhum torcedor ficou ferido no confronto entre a própria torcida.

O goleiro Fábio, que na última quinta-feira irritou-se com um torcedor, que o chamou de ‘mão de alface’, defendeu o direito do torcedor cobrar. “Lógico que com responsabilidade, respeitando o próximo, principalmente, acho que o mundo tem de se transformar em lugar melhor, o torcedor está apreensivo, mas dentro de campo ele pode ter certeza que nós jogadores vão lutar o máximo possível”, afirmou.

“Temos condições de conseguir a vitória para aí sim de degrau em degrau, colocar o Cruzeiro em lugares melhores, mas a gente precisa do apoio do torcedor, incentivando o tempo todo e dando tranquilidade para a gente fluir dentro da partida da melhor forma possível e conseguir os três pontos”, comentou o camisa 1 cruzeirense.

Na 15ª colocação do Brasileiro, com 29 pontos, a campanha do Cruzeiro tem revoltado seus torcedores. Além do incidente com Fábio no Aeroporto de Confins, na chegada da delegação de Curitiba, onde o time perdeu para o Coritiba, por 1 a 0, na quarta-feira, na manhã desta sexta-feira, o muro da Toca da Raposa II amanheceu pichado, provavelmente por torcedor revoltado com a má-fase do Cruzeiro no Campeonato Brasileiro.

Alvo do protesto, o presidente Zezé Perrella foi ameaçado pelo autor da frase pichada no centro de treinamentos. No retorno da delegação após o jogo com o Santos, há 15 dias, houve a primeira manifestação, no Aeroporto de Confins. Na ocasião, Gilberto, que já rescindiu seu contrato, discutiu com torcedores e disse que eles deveriam cobrar também de outros jogadores, citando Fábio e Roger.

Vídeos de Esporte

Carregando vídeos

Publicidade

Emprego Certo

Procurar por emprego