Inspire-se em projetos de arquitetura e decoração para casas

Informações sobre o álbums
  • editoria:Geral
  • galeria: Enquete
  • link: http://noticias.bol.uol.com.br/fotos/entretenimento/2012/05/02/inspire-se-em-projetos-de-arquitetura-e-decoracao-para-casas.htm
  • totalImagens: 1000
  • fotoInicial: 0
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20110610213816
  • link: http://noticias.bol.uol.com.br/ultimas-noticias/economia/2013/11/07/uma-vida-simples-e-mais-feliz-diz-arquiteto-de-apartamento-de-19m.htm
  • todas
    • decoração [18997];
Fotos
Em um terreno de 3.923 m², a Casa TB, assinada pelo escritório Aguirre Arquitetura, tem 880 m² de área construída. No desenho, é possível constatar generosos espaços como a varanda gourmet e o living, integrados a área verde e de lazer com piscina de 21 m de extensão Arte UOLMais
A atmosfera suave e intimista invade o dormitório do casal que tem cabeceira ocupando toda a extensão da parede, assim como a bancada em frente à cama Leonardo Finotti/UOLMais
Como todo bom cinéfilo, o proprietário da Casa TB, projetada pelo escritório Aguirre Arquitetura, almejava uma sala de cinema em sua casa Leonardo Finotti/UOLMais
A fachada principal é marcada pela garagem com vão livre de 15 m, capaz de abrigar cinco automóveis. Um pórtico em concreto aparente destaca o hall de entrada e se estende até o corpo principal da residência Leonardo Finotti/UOLMais
A volumetria do projeto arquitetônico se destaca pelas linhas contemporâneas e pelos materiais de revestimento: alvenaria pintada de branco nos blocos da varanda e dos dormitórios e pedra no living com pé-direito de cinco metros Leonardo Finotti/UOLMais
A linearidade do desenho pode ser observada nesse ângulo que mostra a varanda de 17 m alinhada ao bloco do living, com cinco metros de pé-direito e revestimento em pedra Leonardo Finotti/UOLMais
Junto ao bloco dos dormitórios, esse volume abriga a biblioteca e o escritório. Como uma caixa elevada 80 cm do solo, o espaço possui gostosa varanda e seu acesso se dá através da escada sobre espelho d?água Leonardo Finotti/UOLMais
A suíte do casal possui uma ampla sala de banho, com hidromassagem ao centro e bucólicos jardins nas laterais, separados apenas por vidros. A TV na parede permite horas de relaxamento e entretenimento Leonardo Finotti/UOLMais
O banheiro da suíte do casal tem amplo espaço e conforto absoluto, com bancada extensa que embute duas cubas e generosa área para chuveiro. Destaque para as duas portas de acesso ao dormitório Leonardo Finotti/UOLMais
O mármore travertino reveste o piso e também uma das paredes do lavabo, além da cuba e da bancada, dando um ar sofisticado ao ambiente. As janelas altas deixam entrar luz natural e ventilação Leonardo Finotti/UOLMais
Aberto para o exterior nas duas laterais, o living recebe intensa luz natural e ventilação. Com ambientes integrados, jantar e estar, o espaço tem pé-direito duplo e móveis contemporâneos assinados, como as cadeiras do designer Sergio Rodrigues e a mesa da Dpot Leonardo Finotti/UOLMais
Com cores neutras e suaves, como o cinza, o estar possui atmosfera elegante e tranquila. Aberto para o exterior, o espaço tem vista para a piscina, o jardim com gramado e o pomar com árvores frutíferas Leonardo Finotti/UOLMais
A área de convívio da TB House, desenhada pelo escritório Aguirre Arquitetura, privilegia a integração total dos espaços. Assim, a varanda com espaço gourmet, o living e a piscina se unem proporcionando conforto e bem viver aos moradores Leonardo Finotti/UOLMais
Com cinco metros de pé-direito, o living se abre para um jardim de inverno, onde uma árvore sibipiruna antiga foi preservada. O revestimento em pedra concede um visual rústico em harmonia com a discreta elegância da decoração Leonardo Finotti/UOLMais
Aproveitando o suave desnível do terreno, criou-se um jardim e um espelho d?água que reflete o volume dos dormitórios, este elevado a 80 cm. O acesso aos quartos se dá por degraus apoiados em pilares centrais que dão a sensação visual de estarem flutuando Leonardo Finotti/UOLMais
A fachada principal é marcada pela garagem com vão livre de 15 m, capaz de abrigar cinco automóveis. Um pórtico em concreto aparente destaca o hall de entrada e se estende até o corpo principal da residência Leonardo Finotti/UOLMais
A cozinha gourmet, usada pela dona da casa que adora aprimorar seus dotes culinários, foi instalada na grande varanda da TB House, cujo projeto arquitetônico é do escritório Aguirre Arquitetura Leonardo Finotti/UOLMais
A varanda voltada para os jardins abriga um agradável espaço gourmet, onde estão dispostas a bancada com mesa acoplada, além de outra mesa para refeições Leonardo Finotti/UOLMais
Com piso em mármore travertino, o corredor de acesso ao lavabo tem uma das laterais voltadas para o exterior. O fechamento em vidro permite a entrada de luz natural. O projeto da TB House é do escritório Aguirre Arquitetura Leonardo Finotti/UOLMais
Na área de churrasqueira há uma parede de concreto, moldada em loco, em formas de pinus e ripas de espessuras e larguras variadas que produziram textura Nelson Kon/DivulgaçãoMais
O corredor de acesso principal à Casa Planalto se estende até a parede estrutural de concreto, no fundo dos ambientes de estar Nelson Kon/DivulgaçãoMais
Na sala de estar e jantar, a parede à direita é de alvenaria simples, completamente livre de elementos estruturais, porque toda a extensão do bloco superior encontra balanço (apoio) na parede dos fundos, de concreto moldado em loco Nelson Kon/DivulgaçãoMais
Para não ofuscar a proposta arquitetônica, os objetos de decoração exibem formas retas e limpas. À esquerda, o armário (Antico Ofício), sem puxadores, se une a um bufê de 13 m de comprimento Nelson Kon/DivulgaçãoMais
Do jardim, é possível visualizar a área da churrasqueira e as salas de jantar e estar. No espaço da churrasqueira, a escada de concreto, cujos degraus são fixados a uma parede lateral, estrutural, também em concreto, faz circulação entre os pavimentos Nelson Kon/DivulgaçãoMais
O jardim, a churrasqueira e a área social interna ? salas de TV, estar e jantar - estão completamente integrados por portas de vidro de correr ou por portas pivotantes de aço corten, em um grande espaço térreo livre de pilares Nelson Kon/DivulgaçãoMais
No pavimento superior, protegendo a área íntima da Casa Planalto, trecho de alvenaria, arredondado, separa as brises de aço corten das janelas e venezianas piso-teto (Esquadralum), em alumínio preto Nelson Kon/DivulgaçãoMais
A Casa Planalto compõe harmônico diálogo entre materiais como o concreto, da parede estrutural ao fundo, o aço corten dos brises que protegem as aberturas laterais do pavimento superior, e a madeira nogueira da marcenaria nas salas Nelson Kon/DivulgaçãoMais
O jardim seco, sobre a área da churrasqueira, possui três aberturas cônicas, de posição e direção estratégicas, que funcionam, durante o dia, como claraboias. À noite, também iluminam: cada cone contém uma luminária ?Finlândia?, desenhada por Flavio Castro e estruturada em 'L" Nelson Kon/DivulgaçãoMais
Na fachada da rua, o portão da Casa Planalto também é desenhado por Flavio Castro. Inspirado em um código de barras, o elemento é composto por uma fita metálica contínua ligada a um motor que, de fora, não deixa perceber onde acontecem as aberturas para veículos e para pedestres Nelson Kon/DivulgaçãoMais
Na suíte do casal, a poltrona de leitura para escritório (Dpot) é separada do dormitório por um biombo de cumaru (Madesan) ripado, com design do arquiteto Flavio Castro. A Casa Planalto fica na capital paulista Nelson Kon/DivulgaçãoMais
O corredor de circulação entre os dormitórios da área íntima é, na verdade, estruturado como um mezanino para o pé-direito duplo que recebeu fechamento de segurança em vidro Nelson Kon/DivulgaçãoMais
A largura da ofurô e a distância entre os pilares metálicos que formam o módulo do fechamento lateral (portas de vidro) estão marcados pela distância entre as duas árvores que já existiam no terreno, antes mesmo do início das obras, e que foram preservadas Nelson Kon/DivulgaçãoMais
A mesa e o apoio para jantar são fabricados em madeira nogueira. O tom da marcenaria acompanha as variações do bege ao marrom das poltronas e sofás Nelson Kon/DivulgaçãoMais
No jardim seco suspenso, guarda-corpo é executado em aço (Metaaços). Em madeira cumaru, o deck (Madesan) cerca uma grande claraboia de vidro laminado 10 mm, que permite a entrada de luz natural na garagem para veículos (no pavimento abaixo) Nelson Kon/DivulgaçãoMais
O cliente de Flavio Castro coleciona obras de arte do Oriente, a exemplo da escultura de guerreiro chinês de Xian Nelson Kon/DivulgaçãoMais
Um passa pratos em perfis metálicos, que comunica a cozinha à sala de jantar está, pelos dois lados, abaixo dos conjuntos de armários (Antico Ofício). O projeto da Casa Planalto é assinado pelo arquiteto Flavio Castro Nelson Kon/DivulgaçãoMais
Os armários de cozinha foram desenhados pelo arquiteto Flavio Castro e executados sob medida pela Antico Ofício em marcenaria, com acabamento nude Nelson Kon/DivulgaçãoMais
Churrasqueira e garagem são separadas por uma parede simples de alvenaria. Tanto de um lado quanto do outro, a entrada de luz natural pelo forro de concreto se dá através de claraboias Nelson Kon/DivulgaçãoMais
A parede estrutural em concreto que se estende nos fundos da residência e se projeta em direção ao jardim com ofurô contém um recorte para tampo de uma mesa a céu aberto, também em concreto. Com arquitetura de Flavio Castro, a Casa Planalto fica em São Paulo Nelson Kon/DivulgaçãoMais
Da área coberta da churrasqueira, é possível visualizar o jardim com o ofurô e a parede estrutural em concreto no fundos da Casa Planalto Nelson Kon/DivulgaçãoMais
A fachada frontal da Casa Planalto tem janela recuada para maior proteção contra o sol e contra a chuva. Esse recuo também joga sombras sobre o volume branco do pavimento superior, à medida que o sol se movimenta sobre a residência projetada por Flavio Castro Nelson Kon/DivulgaçãoMais
O jardim seco foi um pedido especial do cliente do arquiteto Flavio Castro para a Casa Planalto. Deveria ser seco ? ou sem vegetação ? para diminuir o trabalho de manutenção Nelson Kon/DivulgaçãoMais
Na face norte da Casa Planalto, desenhada pelo arquiteto Flavio Castro, a janela do quarto do casal teve tratamento diferente: tinha que ser menor, para evitar o excesso de luz e calor; também havia grande preocupação com segurança Nelson Kon/DivulgaçãoMais
O ambiente de estar é face norte, aberto para área de ofurô e jardim, e tem um pé-direito duplo. Para driblar a forte incidência do sol, foram desenvolvidos brises de aço corten (Coppermax) para proteger os fechamentos superiores. A Casa Planalto é projeto do arquiteto Flavio Castro Nelson Kon/DivulgaçãoMais
A parede de concreto aparente (InterCement) é peça-chave da Casa Planalto ? eixo de integração do estar com área externa de piscina Nelson Kon/DivulgaçãoMais
O ambiente de estar integra-se à área externa (jardim) por quatro grandes folhas de vidro (Jacpsa) em portas de correr sobre trilhos e perfis metálicos. Na parede de fundo da sala de estar (à direita), de alvenaria simples, foi feita uma abertura para entrada de luz natural no espaço Nelson Kon/DivulgaçãoMais
Uma porta pivotante em aço corten (Coppermax) comunica a área social interna da Casa Planalto com a churrasqueira. Os puxadores das portas também são desenhados pelo arquiteto Flavio Castro Nelson Kon/DivulgaçãoMais
Elemento estrutural, a parede de concreto executada no local sustenta o bloco elevado (pavimento superior da área íntima) e dá apoio à parte dos fundos da Casa Planalto Nelson Kon/DivulgaçãoMais
Ao anoitecer, as luzes da casa são acesas e sua arquitetura brutalista se destaca sobre terreno íngreme, ao lado da estrada Sunset Boulevard, em Los Angeles. Conforme o projetista e morador da residência, Robert Bridges, o projeto atrai turismos e estudantes de arquitetura Trevor Tondro/The New York TimesMais
Da cozinha, através da fachada de vidro, é possível avistar a via movimentada da estrada Sunset Boulevard, em Los Angeles. No interior da casa, a estrutura de concreto se "aquece" com pisos e movéis de madeira Trevor Tondro/The New York TimesMais
Assim como a estrutura da casa em Los Angeles, a lareira que fica na sala de estar também é fabricada em concreto Trevor Tondro/The New York TimesMais
No andar principal da casa em Los Angeles, projetada em concreto maciço, está o banheiro decorado com cores sóbrias Trevor Tondro/The New York TimesMais
Além de projetar a casa onde mora, em Los Angeles, o arquiteto Robert Bridges, nativo do sul da Califórnia, desenhou e construiu sua própria prancha de surfe Trevor Tondro/The New York TimesMais
Quando Robert Bridges planejou os ambientes internos de sua casa em Los Angeles, o desejo era de um espaço aberto, como um loft em Nova York. Na cozinha, a ilha de cocção e a grande bancada, que serve de mesa para as refeições rápidas, favorecem o convívio familiar Trevor Tondro/The New York TimesMais
No interior da casa, a estrutura de concreto se mistura aos acabamentos e móveis feitos de madeira. Ao lado da cozinha, uma varanda se estende sobre a via movimentada da Sunset Boulevard, em Los Angeles Trevor Tondro/The New York TimesMais
No interior da casa, a escada de madeira "preenche" a estrutura de concreto maciço. Há 30 anos atrás, Robert Bridges projetou diversas casas no sul da Califórnia, incluindo esta instalada em terreno inclinado, em Los Angeles, onde mora até hoje Trevor Tondro/The New York TimesMais
Além de projetar a casa onde mora, Robert Bridges desenhou quase todos os móveis da residência como a mesa Bubinga e as cadeiras, fabricadas em madeira Trevor Tondro/The New York TimesMais
Vista da estrada Sunset Boulevard, em Los Angeles, a casa parece estar equilibrada de maneira instável sobre o terreno inclinado. ?Pode parecer precário, mas não é. Do ponto de vista da engenharia, isto é absolutamente racional?, diz o projetista e morador da residência, Robert Bridges Trevor Tondro/The New York TimesMais
Enquanto a vista da casa para quem passa pela estrada Sunset Boulevard, em Los Angeles, evidencia a ousadia do projeto, sua entrada, no nível de uma rua residencial, é quase modesta Trevor Tondro/The New York TimesMais
Localizada em terreno íngreme, próximo à estrada Sunset Boulevard, em Los Angeles, a casa de arquitetura brutalista é sustentada sobre vigas de concreto maciço. Segundo o projetista e morador da residência, Robert Bridges, o projeto atrai turismos e estudantes de arquitetura Trevor Tondro/The New York TimesMais
Robert Bridges é professor de finanças imobiliárias na Universidade do Sul da Califórnia. No entanto, há 30 anos atrás, projetou diversas casas no sul da Califórnia, incluindo esta instalada em terreno inclinado, em Los Angeles Trevor Tondro/The New York TimesMais
ESTRUTURA - Segundo a norma técnica NBR 16.280:2014, qualquer intervenção nos elementos estruturais da construção deve ser realizada por empresa especializada, com um responsável técnico devidamente identificado. Exemplos de serviços que se encaixam nessa categoria: alteração da função ou uso da edificação, remoção ou acréscimo de paredes, alteração da área construída Getty ImagesMais
PEQUENOS REPAROS - Pela nova norma, quem quiser reformar deve apresentar o "Plano de Reforma", elaborado por um arquiteto ou engenheiro e no caso dos apartamentos, deve apresentar o documento ao síndico. No entanto, entenda-se por reforma as obras que contém quebra-quebra. Os pequenos reparos, serviços considerados de manutenção como pintura de paredes, não se encaixariam nas novas regras Getty ImagesMais
TROCA DE REVESTIMENTOS - Caso a mudança de revestimentos exija o uso de marteletes (máquinas perfuradoras) ou ferramentas de alto impacto para retirada do acabamento anterior, uma empresa especializada deve ser contratada. Nos demais casos, basta empregar mão de obra capacitada Getty ImagesMais
REFORMANDO INSTALAÇÕES - Para reformas que façam alterações ou adequações no sistema elétrico e/ou hidráulico por conta da instalação de novos equipamentos com demanda diferente daquela projetada originalmente, esse serviço deverá ser realizado por uma empresa especializada Getty ImagesMais
PODER DE VETO - Síndicos e administradores, com base em um parecer de especialista, podem autorizar, autorizar com ressalvas ou proibir a reforma, caso entendam que ela irá colocar em risco a edificação Getty ImagesMais
REFORMAR VAI FICAR MAIS CARO? Para o engenheiro e conselheiro do Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia (Ibape-SP), Flávio Figueiredo, as reformas podem aparentemente ficar mais caras, em comparação com o serviço feito por um amador Getty ImagesMais
LAUDO TÉCNICO - Qualquer modificação prevista na reforma que possa comprometer a segurança da edificação ou do seu entorno deverá ser submetida à análise da incorporadora/construtora e do projetista ou de um responsável técnico designado pelo responsável pela obra Getty ImagesMais
NOVAS REGRAS PARA REFORMA - Criada para ordenar a gestão de reformas nas construções, a norma técnica NBR 16.280:2014, da ABNT, que entra em vigor no dia 18 de abril de 2014, tem validade em todo o território nacional e abrange todos os tipos de casas e edifícios - novos, antigos, comerciais, públicos, residenciais e institucionais Getty ImagesMais
CARÁTER ORIENTATIVO - A norma não tem força de lei e nem prevê multas. Mas o seu descumprimento pode ser considerado um agravante no caso de uma ação judicial. A obediência à norma também pode ser exigida pelo poder público como requisito para obtenção de licenças de obra, habite-se e alvarás de funcionamento, se houver previsão legal. A expectativa é a de que o texto em vigor subsidie projetos de lei sobre o assunto Getty ImagesMais
FOCO NOS CONDOMÍNIOS - Embora também se aplique a reformas de casas, o foco da norma está nos condomínios. O morador que quiser reformar deverá enviar ao síndico um planejamento do que será feito, detalhando no documento a empresa contratada e a duração da obra Getty ImagesMais
Salão do Móvel de Milão Divulgação/ Montagem UOLMais
O sol se põe atrás dos morros onde se apoia a casa Flotanta. De frente para a área social integrada, com estar, jantar e cozinha, fica o Oceano Pacífico. As varandas foram dispostas em continuidade e pensadas para permitir que os espaços internos dos dormitórios e do estar fluíssem para o meio externo, ganhando, assim, maiores dimensões. A casa tem arquitetura assinada por Benjamin Garcia Saxe Andres Garcia Lachner/ DivulgaçãoMais
A casa Flotanta foi construída em três módulos: dois deles abrigam os dormitórios e o terceiro, as áreas sociais e de convívio, integradas e abertas à mata. Tal separação permite que a ventilação flua por entre os ambientes. Para ligar os blocos, foram instaladas passarelas que também dão continuidade ao sistema de varandas cobertas. A residência fica em Puntarenas, na Costa Rica, e tem arquitetura do escritório Benjamin Garcia Saxe Andres Garcia Lachner/ DivulgaçãoMais
O desafio da equipe do arquiteto Benjamin Garcia Saxe era vencer um terreno muito inclinado e de mata densa, voltado para o Oceano Pacífico, na Costa Rica. A ideia era oferecer vistas para o mar a partir de qualquer um dos cômodos da casa, com dois dormitórios e vasta área social integrada. A casa Flotanta fica em Puntarenas Andres Garcia Lachner/ DivulgaçãoMais
Além de estar em um terreno muito inclinado, em meio à mata densa da costa do Pacífico, só seria possível oferecer vistas do horizonte à casa Flotanta, se ela "flutuasse" na altura da copa das árvores. Esta foi partida arquitetônica para o trabalho da equipe de Benjamin Garcia Saxe, no desenvolvimento do projeto da residência em Puntarenas, Costa Rica Andres Garcia Lachner/ DivulgaçãoMais
Ao invés de desmatar, escavar e executar muros de arrimo, a suspensão da residência em colunas metálicas foi adotada como solução estrutural. O apoio elevado aproveitou a inclinação íngreme do terreno para buscar, a partir de qualquer ponto da casa Flotanta, a vista do Oceano Pacífico. O projeto de arquitetura é de Benjamin Garcia Saxe, em Puntarenas, Costa Rica Andres Garcia Lachner/ DivulgaçãoMais
O sistema de circulação para a casa Flotanta merece um capítulo à parte: a definição do bambu como material de fechamento lateral fundou-se no estudo da insolação (desenho), por um lado, e na necessidade de manter, de qualquer ponto da residência, as vistas para o oceano e para a mata tropical. Em Puntarenas, na Costa Rica, com design da equipe do arquiteto Benjamin Garcia Saxe Benjamin Garcia Saxe/ DivulgaçãoMais
Suspender a casa Flotanta por entre as árvores não só era a melhor solução para alcançar a vista do Pacífico, como também se revelou a opção estrutural mais barata - apesar de fundada e edificada em colunas metálicas. O desmatamento do terreno, sua escavação, a construção de muros de arrimo e os custos com impermeabilização de pisos e paredes em contato com a terra teriam feito a residência custar três vezes mais Benjamin Garcia Saxe/ DivulgaçãoMais
O sistema de circulação para a casa Flotanta merece um capítulo à parte: a definição do bambu como material de fechamento lateral fundou-se no estudo da insolação (desenho), por um lado, e na necessidade de manter, de qualquer ponto da residência, as vistas para o oceano e para a mata tropical. Em Puntarenas, na Costa Rica, com design da equipe do arquiteto Benjamin Garcia Saxe Benjamin Garcia Saxe/ DivulgaçãoMais
A casa Flotanta se mistura às copas das árvores, completamente revestida por madeira e bambu e integrada ao ambiente que a cerca. Sua elevação otimiza a entrada de luz natural e o fato de ser completamente aberta à paisagem favorece a ventilação cruzada. A residência fica em Puntarenas, na Costa Rica, e tem projeto da equipe do arquiteto Benjamin Garcia Saxe Benjamin Garcia Saxe/ DivulgaçãoMais
A distribuição e separação dos blocos social (à esquerda) e íntimos (ao meio e à direita) garantiram maior reserva e conforto térmico aos dormitórios. A casa Flotanta fica em Puntarenas, na Costa Rica, e tem design pela equipe do arquiteto Benjamin Garcia Saxe. A vegetação entre seus módulos causa a impressão de que o edifício flutua sobre as copas da árvores Benjamin Garcia Saxe/ DivulgaçãoMais
Varandas foram dispostas em continuidade e pensadas para permitir que os espaços internos dos dormitórios e do estar fluíssem para o meio externo, ganhando, assim, maiores dimensões. Os toldos de madeira, estruturados em metal, protegem a casa Flotanta do sol mais intenso, ao meio-dia, e tornam os avarandados aproveitáveis até mesmo em dias de chuva. De frente para o Oceano Pacífico, na Costa Rica, a casa tem arquitetura de Benjamin Garcia Saxe Andres Garcia Lachner/ DivulgaçãoMais
A área de convivência une varanda, estar, cozinha e jantar à paisagem da mata tropical costa-riquenha, à beira do Pacífico. Portas-camarão e venezianas flexíveis fazem a integração e, até mesmo onde os fechamentos em madeira são fixos, tanto a ventilação livre quanto a entrada de luz natural são favorecidas. A casa Flotanta foi projetada pelo arquiteto Benjamin Garcia Saxe, para um terreno inclinado em meio à floresta Andres Garcia Lachner/ DivulgaçãoMais
A arquitetura de Benjamin Garcia Saxe para a casa Flotanta, na Costa Rica, se comunica com a mata tropical a partir do emprego extensivo da madeira: o material reveste pilares estruturais, pisos, tampos de balcão, gabinetes de cozinha, forros e venezianas. A uniformidade dos tons também é responsável pela amplitude dos espaços, que se estendem em direção à floresta e ao Oceano Pacífico, em Puntarenas Andres Garcia Lachner/ DivulgaçãoMais
A casa Flotanta foi construída de frente para o Pacífico e na altura das copas das árvores. Para aumentar a ligação entre a natureza e os interiores, os arquitetos do escritório Benjamin Garcia Saxe utilizaram portas-camarão e venezianas flexíveis. Da área de jantar e da varanda, por exemplo, é possível admirar a paisagem tropical costa-riquenha Andres Garcia Lachner/ DivulgaçãoMais
Na casa Flotanta, a mesa de jantar, os sofás, as cadeiras e os bancos seguem a linguagem de tons uniformes e amadeirados que se aplica também à estruturação dos espaços e os ampliam. A aplicação de cores fica por conta da natureza do entorno, do pôr-do-sol, e de detalhes da decoração como as almofadas e as flores regionais. A residência está em Puntarenas, na Costa Rica, e tem desenho do arquiteto Benjamin Garcia Saxe Andres Garcia Lachner/ DivulgaçãoMais
A área de convivência une varanda, estar, cozinha e jantar à paisagem da mata tropical costa-riquenha, à beira do Pacífico. Portas-camarão e venezianas flexíveis fazem a integração e, até mesmo onde os fechamentos em madeira são fixos, tanto a ventilação livre quanto a entrada de luz natural são favorecidas. A casa Flotanta foi projetada pelo arquiteto Benjamin Garcia Saxe, para um terreno inclinado em meio à floresta Andres Garcia Lachner/ DivulgaçãoMais
Um corredor semiaberto com paredes de bambu faz a circulação entre os cômodos da casa Flotanta, em Puntarenas, na Costa Rica. Por entre os bambus avista-se, à direita, o Oceano Pacífico e, à esquerda, a vegetação densa tropical das montanhas. No espaço, forro e piso são em madeira, no projeto arquitetônico de Benjamin Garcia Saxe Andres Garcia Lachner/ DivulgaçãoMais
As paredes do corredor são semiabertas pela estruturação em bambu. O recurso dá vazão ao sol, de forma que a parte posterior da casa Flotanta, junto à encosta verde de um morro, receba luz natural. A residência está em Puntarenas, na Costa Rica, e tem design da equipe do arquiteto Benjamin Garcia Saxe Andres Garcia Lachner/ DivulgaçãoMais
O sistema de circulação para a casa Flotanta merece um capítulo à parte: a definição do bambu como material de fechamento lateral fundou-se no estudo da insolação, por um lado, e na necessidade de manter, de qualquer ponto da residência, as vistas para o oceano e para a mata tropical. Em Puntarenas, na Costa Rica, com design da equipe do arquiteto Benjamin Garcia Saxe Andres Garcia Lachner/ DivulgaçãoMais
O corredor semiaberto, com paredes de bambu, é usado para a ligação entre os cômodos da casa Flotanta, em Puntarenas, na Costa Rica. O projeto arquitetônico é do escritório Benjamin Garcia Saxe Andres Garcia Lachner/ DivulgaçãoMais
O sistema de circulação entre os três módulos que compõem a arquitetura da casa Flotanta - dois dormitórios e uma área social de convívio - foi estruturado em chapas, vigas e pilares metálicos, fortes o suficiente para suspender corredores de tábuas corridas com fechamentos laterais em bambu. Com design de Benjamin Garcia Saxe, a residência avista o Oceano Pacífico em Puntarenas, Costa Rica Andres Garcia Lachner/ DivulgaçãoMais
O banheiro é o cômodo mais privativo da casa Flotanta. Sua orientação é para a encosta verde, nos fundos da residência. Internamente, a cor da mata tropical é reproduzida nas paredes rústicas, em cimento. A madeira, matéria-prima protagonista no projeto de Benjamin Garcia Saxe, aparece na bancada e na veneziana, enquanto o porta-toalhas é confeccionado com bambus Andres Garcia Lachner/ DivulgaçãoMais
Apesar de ser o cômodo mais privativo da casa Flotanta, o banheiro se abre para a varanda coberta e para a encosta verde do morro, que tange os fundos da residência. O projeto está em Puntarenas, na Costa Rica, e é assinado pelo arquiteto Benjamin Garcia Saxe Andres Garcia Lachner/ DivulgaçãoMais
Apesar de ser o cômodo mais privativo da casa Flotanta, o banheiro da suíte máster tem um boxe que se abre para a varanda coberta e para a encosta verde do morro, que tange a residência aos fundos. A única divisão entre banho e pias está em uma folha simples de vidro temperado. O projeto de Benjamin Garcia Saxe fica na Costa Rica Andres Garcia Lachner/ DivulgaçãoMais
O dormitório principal repete o padrão arquitetônico da ala social da casa Flotanta. Sua característica principal são aberturas frontais totais mediadas por portas-camarão (venezianas) que integram o ambiente à varanda e ao entorno. Na Costa Rica, o projeto é de Benjamin Garcia Saxe Andres Garcia Lachner/ DivulgaçãoMais
A suíte menor está no terceiro módulo que compõe a casa Flotanta (fundo), em bloco um pouco mais recuado e sombreado. A varanda faz conexão com o dormitório principal, que repete o padrão arquitetônico da ala social. Sua característica principal são aberturas frontais totais, com portas-camarão (venezianas) para a varanda (em primeiro plano). A residência tem projeto de Benjamin Garcia Saxe, em Puntarenas, Costa Rica Andres Garcia Lachner/ DivulgaçãoMais
Na suíte menor, portas de bambu separam o banheiro do dormitório. A luz natural é intensificada por aberturas zenitais. De frente para o Pacífico da Costa Rica, a arquitetura da casa Flotanta é assinada por Benjamin Garcia Saxe Andres Garcia Lachner/ DivulgaçãoMais
Shigeru Ban (Salão do Móvel de Milão - 2014 - Imagens cedidas pela Cosmit, usar apenas no respectivo material) DivulgaçãoMais
Shigeru Ban - casa (Salão do Móvel de Milão - 2014 - Imagens cedidas pela Cosmit, usar apenas no respectivo material) Hiroyuki Hirai/ DivulgaçãoMais
Mario Bellini (Salão do Móvel de Milão - 2014 - Imagens cedidas pela Cosmit, usar apenas no respectivo material) Davide Pizzigoni/ DivulgaçãoMais
Mario Bellini - casa (Salão do Móvel de Milão - 2014 - Imagens cedidas pela Cosmit, usar apenas no respectivo material) Davide Pizzigoni/ DivulgaçãoMais
David Chipperfield (Salão do Móvel de Milão - 2014 - Imagens cedidas pela Cosmit, usar apenas no respectivo material) Ingrid von Kruse/ DivulgaçãoMais
David Chipperfield - casa (Salão do Móvel de Milão - 2014 - Imagens cedidas pela Cosmit, usar apenas no respectivo material) Ute Zscharnt/ DivulgaçãoMais
Massimiliano e Doriana Fuksas (Salão do Móvel de Milão - 2014 - Imagens cedidas pela Cosmit, usar apenas no respectivo material) Maurizio Marcato/ DivulgaçãoMais
Daniel Libeskind (Salão do Móvel de Milão - 2014 - Imagens cedidas pela Cosmit, usar apenas no respectivo material) Davide Pizzigoni/ DivulgaçãoMais
Masssimiliano e Doriana Fuksas - casa (Salão do Móvel de Milão - 2014 - Imagens cedidas pela Cosmit, usar apenas no respectivo material) Aki Furudate/ DivulgaçãoMais
Zaha Hadid (Salão do Móvel de Milão - 2014 - Imagens cedidas pela Cosmit, usar apenas no respectivo material) Brigitte Lacombe/ DivulgaçãoMais
Zaha Hadid - casa (Salão do Móvel de Milão - 2014 - Imagens cedidas pela Cosmit, usar apenas no respectivo material) Davide Pizzigoni/ DivulgaçãoMais
Bijoy Jain (Salão do Móvel de Milão - 2014 - Imagens cedidas pela Cosmit, usar apenas no respectivo material) Francesca Molteni/ DivulgaçãoMais
Bijoy Jain - casa (Salão do Móvel de Milão - 2014 - Imagens cedidas pela Cosmit, usar apenas no respectivo material) Francesca Molteni/ DivulgaçãoMais
Márcio Kogan (Salão do Móvel de Milão - 2014 - Imagens cedidas pela Cosmit, usar apenas no respectivo material) Romulo Fialdini/ DivulgaçãoMais
Márcio Kogan - casa (Salão do Móvel de Milão - 2014 - Imagens cedidas pela Cosmit, usar apenas no respectivo material) Romulo Fialdini/ DivulgaçãoMais
Márcio Kogan - casa (Salão do Móvel de Milão - 2014 - Imagens cedidas pela Cosmit, usar apenas no respectivo material) Romulo Fialdini/ DivulgaçãoMais
Daniel Libeskind (Salão do Móvel de Milão - 2014 - Imagens cedidas pela Cosmit, usar apenas no respectivo material) Davide Pizzigoni/ DivulgaçãoMais
O apartamento de Daniel Libeskind em Manhattan é um refúgio ao frenesi da cidade. Com janelões amplos, os interiores são bem iluminados e compostos de maneira leve. Destaque para alguns ícones do design mundial, como as poltronas assinadas por Le Corbusier Nicola Tranquillino/ DivulgaçãoMais
Com vista para o lago, a varanda é o principal cômodo da casa de campo "Escape". No ambiente, que conta com uma espreguiçadeira, é possível relaxar e apreciar a paisagem. A versão original da construção móvel fica situada no resort Canoe Bay, próximo à cidade de Chetek, no estado de Wisconsin (EUA) Canoe Bay/DivulgaçãoMais
O living da casa de campo "Escape" conta com um teto abobadado que melhora a ventilação no espaço. A lareira embutida na parede (à dir.), onde está colocada a TV de tela plana, ajuda a dar um clima aconchegante ao ambiente. Desse ângulo é possível verificar a integração dos cômodos do motorhome com 37 m² internos, localizado próximo à cidade de Chetek, no estado de Wisconsin (EUA) Canoe Bay/DivulgaçãoMais
Conectada ao living, a pequena cozinha da casa de campo "Escape" tem armários de madeira e eletrodomésticos com acabamento em aço inoxidável, todos embutidos, para um melhor aproveitamento do espaço. A versão original da construção móvel de 52 m² (totais) está situada no resort Canoe Bay, próximo à cidade de Chetek, no estado de Wisconsin (EUA) Canoe Bay/DivulgaçãoMais
Conectada ao living, a pequena cozinha da casa de campo "Escape" tem armários de madeira e eletrodomésticos com acabamento em aço inoxidável, todos embutidos, para um melhor aproveitamento do espaço. A versão original da construção móvel de 52 m² (totais) está situada no resort Canoe Bay, próximo à cidade de Chetek, no estado de Wisconsin (EUA). Quem assina o projeto é Dan George, proprietário do hotel, em parceria com o escritório de arquitetura SALA Architects Canoe Bay/DivulgaçãoMais
A estrutura do telhado da casa de campo "Escape" recebeu um beiral maior que o comumente aplicado a projetos desse tipo de construção móvel. Essa mudança faz com que a edificação não tenha uma aparência de caixa e se assemelhe às residências comuns. O pmotorhome com 52 m² (se contada a varanda) é assinado Dan George, proprietário da casinha, em parceria com o escritório de arquitetura SALA Architects Canoe Bay/DivulgaçãoMais
O living (à esq.) da casa de campo "Escape" é separado da varanda por portas francesas de madeira. Desenhada por Dan George, proprietário da casinha, em conjunto com o escritório de arquitetura SALA Architects, a construção é definida como trailer ou motorhome "para recreação", podendo ser transportada sobre um chassi de caminhão e "estacionada" no local onde o dono desejar Canoe Bay/DivulgaçãoMais
O quarto e banheiro (à dir.) são integrados na casa de campo "Escape", com 37 m² (internos), situada próximo à cidade de Chetek, Wisconsin (EUA). A cama, os criados-mudos, as arandelas e os armários da bancada da pia são fabricados em madeira, assim como a própria estrutura da construção móvel Canoe Bay/DivulgaçãoMais
Com 52 m², o projeto "Escape" foi pensado como uma casa de campo, ideal para um solteiro ou um casal sem filhos. No quarto cabe somente uma cama, dois criados-mudos e as arandelas dispostas nas laterais da cabeceira. A versão original da construção móvel fica em Wisconsin (EUA) Canoe Bay/DivulgaçãoMais
O banheiro da casa de campo "Escape" tem piso aquecido e armários em madeira em sintonia com a estrutura principal da residência. Quem adquire a edificação não pode aumentar sua dimensão (limitada em 37 m² para os espaços internos), porque a desqualificaria como uma casa móvel, porém o projeto dá liberdade para que elementos sejam personalizados, como o revestimento do box Canoe Bay/DivulgaçãoMais
Localizada no resort Canoe Bay, próximo à cidade de Chetek, no estado de Wisconsin (EUA), a casa de campo "Escape" é definida como trailer ou motorhome "para recreação". Desenhada por Dan George, proprietário da construção, em parceria com o escritório de arquitetura SALA Architects, a edificação móvel de 52 m² totais e 37m² internos pode ser adquirida, nos EUA, a partir de US$ 79 mil Canoe Bay/DivulgaçãoMais
Edificada basicamente em madeira, a casa de campo "Escape" é, na verdade, um motorhome que pode ser transportado sobre um chassi de caminhão e "estacionado" no local onde o dono desejar. Com uma varanda guarnecida por vidraças, a versão original da construção móvel está localizada no resort Canoe Bay, próximo à cidade de Chetek, no estado de Wisconsin (EUA) Canoe Bay/DivulgaçãoMais
Situada em Chetek, Wisconsin (EUA), a casa de campo "Escape" possui uma varanda envidraçada que oferece o ambiente ideal para relaxar e contemplar a paisagem. Quem assina o projeto do motorhome de 52 m² é Dan George, proprietário da casinha móvel, em parceria com o escritório de arquitetura SALA Architects Canoe Bay/DivulgaçãoMais
Construída basicamente de madeira, a casa de campo "Escape" é na verdade um motorhome que pode ser "estacionado" no local onde o dono desejar. Localizada na cidade de Chetek, no estado de Wisconsin (EUA), a versão original da construção está colocada sobre uma base de blocos de concreto Canoe Bay/DivulgaçãoMais
A casa de campo "Escape", em Wisconsin (EUA), é definida como trailer ou motorhome "para recreação". Assinada por seu proprietário, Dan George, em conjunto com o escritório de arquitetura SALA Architects, a edificação de 52 m² totais - e 37 m² internos - é construída em madeira na sua quase totalidade Canoe Bay/DivulgaçãoMais
Centro Ray e Maria Stata, do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts), nos Estados Unidos - Inaugurado em 2004, é um complexo acadêmico de 40 mil m² desenhado por Frank Gehry, arquiteto vencedor do Prêmio Pritzker. Acima do quarto andar, o edifício divide-se em duas estruturas distintas: a torre Gates e a torre Dreyfoos. Dentro desse impressionante edifício funcionam o Laboratório de Ciência da Computação do MIT, Laboratório de Inteligência Artificial, o Laboratório de Sistemas de Informação e Decisão e o Departamento de Linguística e Filosofia Wikimedia CommonsMais
Planta mostra a reforma idealizada pelo SuperLimão Studio para o apê antigo em São Paulo. No imóvel, a área social foi privilegiada, com integração de cozinha (abaixo, à esq.) e home theater (ambiente com sofá em "L", no canto superior direito) ao espaço dedicado às salas de jantar e estar. Os dois espaços inicialmente citados podem, porém, ser limitados por portas de correr Arte UOLMais
Na entrada do apartamento, destaque para o contraste de cores nas portas com almofadas (detalhes em madeira que fazem o desenho da superfície): a principal, em roxo, e a da adega, em verde. À direita está a porta de correr que delimita o living e a cozinha. Os pisos originais do apartamento RO foram mantidos: mármore, na entrada, e parquê na sala. A iluminação é da LDArti, no projeto de reforma assinado pelo SuperLimão Studio Maira Acayaba/ DivulgaçãoMais
Com a demolição das paredes, prevista no projeto de reforma assinado pelo SuperLimão Studio, os ambientes do apartamento RO, em São Paulo, foram integrados e a nova proposta facilitou a circulação. A cozinha (à dir.) tem acesso direto ao corredor de entrada, à adega (porta verde) e à sala de jantar (à esq.). Na foto, o hall de entrada combina cores fortes ao piso original de mármore Maira Acayaba/ DivulgaçãoMais
O cartaz do filme "O Fabuloso Destino de Amelie Poulain" (2001) anuncia que a ambientação do lavabo (atrás da porta vermelha) foi inspirada no longa. Neste pequeno espaço do hall, as paredes roxas e a porta em cor viva são neutralizadas pelo carrinho de metal com ar retrô que apoia o telefone, também antigo. O apartamento RO tem projeto de reforma assinado pelo SuperLimão Studio Maira Acayaba/ DivulgaçãoMais
No filme "O Fabuloso Destino de Amelie Poulain" (2001) , a personagem título aparece lendo cartas no banheiro. Aqui, o décor do lavabo se assemelha ao da tela, com papel de parede trazido da Europa pela moradora, num padrão capitonê vermelho. No piso, ladrilho hidráulico combinando com o azul claro das louças antigas. O apartamento RO tem projeto de reforma assinado pelo SuperLimão Studio Maira Acayaba/ DivulgaçãoMais
A integração dos ambientes do living proporcionou a agradável sensação de amplitude ao apartamento RO, em São Paulo. O estar e o jantar se comunicam com a cozinha e com o home theater, através das portas de correr coloridas. Tons de bordô, lilás e rosa dão vida aos espaços e a unidade fica por conta do piso parquê original, preservado, e da iluminação com spots instalados em perfilados metálicos presos ao forro. O projeto de reforma é assinado pelo SuperLimão Studio Maira Acayaba/ DivulgaçãoMais
Com as portas abertas, revela-se o home theater, espaço que, a pedido da moradora, foi feito "para as pessoas se jogarem". Para isso, há gostosos sofás, da Carbono, posicionados em frente à TV. Na parede, a estante é apoiada por cremalheiras e possui prateleiras de madeira. A varanda (à dir.) percorre toda a extensão do living do apartamento RO, com projeto de reforma assinado pelo SuperLimão Studio Maira Acayaba/ DivulgaçãoMais
A estante apoiada por cremalheiras e formada por prateleiras de madeira concedeu leveza visual à sala de jantar, apesar de sua dimensão generosa. A parte inferior do móvel, que ocupa duas paredes, possui gavetões em toda a extensão. O apartamento RO tem projeto de reforma assinado pelo SuperLimão Studio Maira Acayaba/ DivulgaçãoMais
A estante apoiada por cremalheiras e formada por prateleiras de madeira concedeu leveza visual à sala de jantar, apesar de sua dimensão generosa. A parte inferior do móvel, que ocupa duas paredes, possui gavetões em toda a extensão. O apartamento RO tem projeto de reforma assinado pelo SuperLimão Studio Maira Acayaba/ DivulgaçãoMais
O verde, em várias tonalidades, foi a cor escolhida pela moradora para o revestimento das portas dos armários da cozinha, o que deu um clima alto astral ao espaço. A execução da marcenaria é da Securit. No ambientes, o piso em porcelanato se assemelha ao cimento queimado. O projeto de reforma do apartamento RO, em São Paulo, leva a assinatura do SuperLimão Studio. O projeto venceu o prêmio "O Melhor da Arquitetura", em 2013, na categoria "Reforma de Apartamento" Maira Acayaba/ DivulgaçãoMais
Deste ângulo, avista-se a porta de vidro que separa a cozinha da lavanderia, além da mesa com cadeiras coloridas para pequenas refeições. O apartamento RO tem projeto de reforma do SuperLimão Studio Maira Acayaba/ DivulgaçãoMais
Deste ângulo, avista-se a porta de vidro que separa a cozinha da lavanderia, além da mesa com cadeiras coloridas para pequenas refeições. O apartamento RO tem projeto de reforma do SuperLimão Studio Maira Acayaba/ DivulgaçãoMais
Para a varanda dos quartos, a proprietária escolheu ladrilho hidráulico em preto e branco em diversos padrões para o piso e um painel colorido que ocupa duas paredes, com grafite delicado criado pelo Nove (João Paulo Cobra). O projeto de reforma do apartamento RO, em São Paulo, ficou a cargo do SuperLimão Studio Maira Acayaba/ DivulgaçãoMais
Um simpático recanto da cozinha foi destinado às pequenas refeições. Nele, a mesa com rodízios foi combinada às cadeiras em verde e "off-white". O detalhe contrastante está na parede arroxeada, onde um painel de vidro serve como mural para cardápios, receitas e recados. O projeto de reforma do apartamento RO leva a assinatura do SuperLimão Studio Maira Acayaba/ DivulgaçãoMais
A porta vermelha e "desenhada" com almofadas dá para o quarto onde está o closet do proprietário. Como ele gosta muito de temas náuticos, a janela do armário é redonda, como a dos navios. O projeto de reforma do apartamento RO, em São Paulo, leva a assinatura do SuperLimão Studio Maira Acayaba/ DivulgaçãoMais
O banheiro dos hóspedes é composto por cores intensas, na quase totalidades das paredes e na porta. Para amenizar o impacto das cores quentes, a bancada recebeu dois matizes: azul marinho e cinza. O projeto para o apê RO, que venceu o prêmio "O Melhor da Arquitetura", em 2013, na categoria "Reforma de Apartamento", leva a assinatura do SuperLimão Studio Maira Acayaba/ DivulgaçãoMais
O banheiro dos hóspedes é composto por cores intensas, na quase totalidades das paredes e na porta, o rosa está, inclusive, na moldura do forro com rebaixo em gesso. Para amenizar o impacto das cores quentes, a área molhada foi revestida por azulejos em um azul delicado. O projeto para o apê RO, que venceu o prêmio "O Melhor da Arquitetura", em 2013, na categoria "Reforma de Apartamento", leva a assinatura do SuperLimão Studio Maira Acayaba/ DivulgaçãoMais
O segundo banheiro de hóspedes do apartamento RO, reformado pelo SuperLimão Studio, possui revestimentos, louças e bancada em tons neutros, mas conta com uma porta amarela com almofadas (detalhes em madeira que fazem o desenho da superfície), maçaneta retrô e, como destaque, um armário antigo de farmácia (à dir.) Maira Acayaba/ DivulgaçãoMais
Em preto e branco, o banheiro do casal contrasta com os matizes vivos da maior parte dos ambientes ou a tenuidade dos espaços mais neutros, como um dos banheiros de hóspedes e a sala de jantar. Neste ponto do apartamento RO, uma parede poi pintada de preto e está associada a outra com azulejos brancos que seguem pelo piso. O destaque são as luminárias presas à parede como se "caminhassem pela superfície". O projeto de reforma da residência pauluistana é assinado pelo SuperLimão Studio Maira Acayaba/ DivulgaçãoMais
Em preto e branco, o banheiro do casal contrasta com os matizes vivos da maior parte dos ambientes ou a tenuidade dos espaços mais neutros, como um dos banheiros de hóspedes e a sala de jantar. Neste ponto do apartamento RO, uma parede poi pintada de preto e está associada a outra com azulejos brancos que seguem pelo piso. O destaque são as luminárias presas à parede como se "caminhassem pela superfície". O projeto de reforma da residência pauluistana é assinado pelo SuperLimão Studio Maira Acayaba/ DivulgaçãoMais
Universidade Nacional Autônoma do México - Muito colorido, o prédio da biblioteca central da universidade foi criado em 1953. Os estudantes podem consultar alguns dos 400 mil livros nesse lindo edifício projetado pelos arquitetos Juan O'Gorman, Gustavo Saavedra e Juan Martínez Wikimedia CommonsMais
Universidade Católica de Louvain, na Bélgica - Desenhado por Warren & Wetmore e construído no estilo neo-renascentista flamengo em 1928. Em 1940, o prédio foi danificado por um incêndio e, em 1944, também sofreu danos devido a bombardeios durante a Segunda Guerra Mundial Wikimedia CommonsMais
Torre Mode Gakuen Cocoon, no Japão - Construído em 2008, o prédio de 204 metros de altura reúne três instituições de ensino superior: a escola de moda Tokyo Mode Gakuen, a faculdade de tecnologia e design HAL Tokyo e a instituição de medicina Shuto Ik.O edifício foi desenhado pelo escritório de arquitetura Tange Associates, após vencer o concurso de projetos Wikimedia CommonsMais
RMIT (Instituto Real de Tecnologia de Melbourne), na Austrália - O prédio destaca-se da paisagem não apenas pelas cores, mas também pelo relevo da fachada. O desenho foi inspirado em pixels Wikimedia CommonsMais
RMIT (Instituto Real de Tecnologia de Melbourne), na Austrália - Este é o prédio da Faculdade de Administração, na Austrália. A construção, projetada pelo escritório Lyons Archicteture, integra o antigo edifício da instituição à nova sede. O edifício tem aberturas para as ruas que permitem os estudantes sentirem-se integrados à cidade Wikimedia CommonsMais
+ Wright Architects, chama a atenção pelas cores e por seu formato, parecendo uma mesa sobre os prédios antigos Wikimedia CommonsMais
(Imagem do NYT, usar apenas no respectivo material) - Restauro da Casa de Vidro, de Philip Johnson Randy Harris/ The New York TimesMais
(Imagem do NYT, usar apenas no respectivo material) - Restauro da Casa de Vidro, de Philip Johnson Randy Harris/ The New York TimesMais
(Imagem do NYT, usar apenas no respectivo material) - Restauro da Casa de Vidro, de Philip Johnson Randy Harris/ The New York TimesMais
(Imagem do NYT, usar apenas no respectivo material) - Restauro da Casa de Vidro, de Philip Johnson Randy Harris/ The New York TimesMais
(Imagem do NYT, usar apenas no respectivo material) - Restauro da Casa de Vidro, de Philip Johnson Randy Harris/ The New York TimesMais
(Imagem do NYT, usar apenas no respectivo material) - Restauro da Casa de Vidro, de Philip Johnson Randy Harris/ The New York TimesMais
(Imagem do NYT, usar apenas no respectivo material) - Restauro da Casa de Vidro, de Philip Johnson Randy Harris/ The New York TimesMais
(Imagem do NYT, usar apenas no respectivo material) - Restauro da Casa de Vidro, de Philip Johnson Randy Harris/ The New York TimesMais
(Imagem do NYT, usar apenas no respectivo material) - Restauro da Casa de Vidro, de Philip Johnson Randy Harris/ The New York TimesMais
(Imagem do NYT, usar apenas no respectivo material) - Restauro da Casa de Vidro, de Philip Johnson Randy Harris/ The New York TimesMais
(Imagem do NYT, usar apenas no respectivo material) - Restauro da Casa de Vidro, de Philip Johnson Randy Harris/ The New York TimesMais
(Imagem do NYT, usar apenas no respectivo material) - Restauro da Casa de Vidro, de Philip Johnson Randy Harris/ The New York TimesMais
(Imagem do NYT, usar apenas no respectivo material) - Restauro da Casa de Vidro, de Philip Johnson Randy Harris/ The New York TimesMais
A Osram (www.osram.com.br) lançou apenas luzes com tecnologia LED na 20ª edição da Feicon Batimat (Salão Internacional da Construção), em cartaz de 18 a 22 de março de 2014, em São Paulo. Um dos destaques para uso residencial é o pendente Arktika, com design leve e promessa de luz homogênea Reinaldo Canato/ UOLMais
De volta ao Brasil, a Velcro Company (www.velcro.com) trouxe seus produtos à 20ª edição da Feicon Batimat (Salão Internacional da Construção), em cartaz de 18 a 22 de março de 2014, em São Paulo. Um dos lançamentos da empresa é a fita com "elasticidade" para a orientação de plantas. O produto ajuda a sujeitar os galhos, sem danificar os vegetais Reinaldo Canato/ UOLMais
De volta ao Brasil, a Velcro Company (www.velcro.com) trouxe seus produtos à 20ª edição da Feicon Batimat (Salão Internacional da Construção), em cartaz de 18 a 22 de março de 2014, em São Paulo. Um dos lançamentos da empresa é a fita com "elasticidade" para a orientação de plantas. O produto ajuda a sujeitar os galhos, sem danificar os vegetais Reinaldo Canato/ UOLMais
Para organizar os fios de fones e outros equipamentos, a Velcro Company (www.velcro.com) apresenta as fitas com 13 ou 20 cm. Os organizadores prendem uma das pontas do fio em separado, o que facilita a armazenagem. Os produtos da empresa foram apresentados ao público da 20ª edição da Feicon Batimat (Salão Internacional da Construção), em cartaz de 18 a 22 de março de 2014, em São Paulo Reinaldo Canato/ UOLMais
A Velcro oferece uma solução à dificuldade de fechar botões de camisa: um jogo (disponível em três cores) de botões acoplados às fitas aderentes. As unidades são encaixadas na casa para botão e aplicadas ao tecido com o auxílio do ferro de passar. Os produtos da Velcro Company (www.velcro.com) foram apresentados ao público da 20ª edição da Feicon Batimat (Salão Internacional da Construção), em cartaz de 18 a 22 de março de 2014, em São Paulo Reinaldo Canato/ UOLMais
A Velcro disponibiliza vários tipos de fixadores para o suporte de utensílios e objetos de decoração para a casa. Os fixadores devem ser aplicados a superfícies não-porosas e a quantidade de peso deve ser respeitada. A vantagem? Você não precisa mais danificar as paredes para instalar quadros, por exemplo. Os produtos da Velcro Company (www.velcro.com) foram apresentados ao público da 20ª edição da Feicon Batimat, em cartaz de 18 a 22 de março de 2014, em São Paulo Reinaldo Canato/ UOLMais
A Incefra (www.incefra.com.br) apresentou na 20ª edição da Feicon Batimat (Salão Internacional da Construção), em cartaz de 18 a 22 de março de 2014, em São Paulo, a nova linha de revestimentos cerâmicos para piso e parede "Neymar Jr.". As peças que imitam composições com pedras e patchworks, além de oferecer opções mais básicas, entre outras, tem parte da renda revertida ao Instituto projeto Neymar Jr., complexo educacional e esportivo na Praia Grande deve atender inicialmente 2.300 crianças Reinaldo Canato/ UOLMais
A importadora de pisos vinílicos Papinil (www.papinil.com.br) apresentou na 20ª edição da Feicon Batimat (Salão Internacional da Construção), em cartaz de 18 a 22 de março de 2014, em São Paulo, a coleção de revestimentos residenciais, da LG Housys, que imita madeira. Os produtos da linha podem ser instalados sobre outros pisos, oferecem a possibilidade da composição por recorte, mas não são indicados para as áreas molhadas Reinaldo Canato/ UOLMais
O Fixa Tudo MS, da Amazonas (amazonas.com.br), é um adesivo híbrido que alia as propriedades dos selantes de PU e do silicone. O produto apresentado na 20ª edição da Feicon Batimat (Salão Internacional da Construção), em cartaz de 18 a 22 de março de 2014, em São Paulo, promete forte adesão... Reinaldo Canato/ UOLMais
... até debaixo d'água (foto) e promover a colagem, a selagem e a vedação de diversos materiais, como: espelhos, cubas, mármores, pedras, chapas metálicas, vidro, concreto e azulejos... Reinaldo Canato/ UOLMais
... o Fixa Tudo oferece resistência inicial em menos de cinco minutos e pode ser usado na formação de juntas de pisos e paredes, dilatação e folgas entre tijolos e, ainda, suporta tensões, além de absorver impactos Reinaldo Canato/ UOLMais
As telhas feitas de resina, betume e fibra de celulose (conseguida a partir da reciclagem de papel) da Onduline (www.onduline.com.br) podem ser utilizadas como subcobertura para o restauro de telhados de casas antigas. A vantagem do produto é sua extrema leveza. A opção de utilização foi divulgada pela empresa na 20ª edição da Feicon Batimat (Salão Internacional da Construção), em cartaz de 18 a 22 de março de 2014, em São Paulo Reinaldo Canato/ UOLMais
Resina, fibra de celulose (feita a partir da reciclagem de papel) e betume são os ingredientes para a fabricação das telhas Onduvilla, na Onduline (www.onduline.com.br). Com medidas unitárias (0,4 x 1,06 m) as peças são leves, indicadas para a cobertura de residências e estão disponíveis em duas versões: Terracota Fiorentino 3D e Vermelho Mesclado (foto). O produto foi lançado na 20ª edição da Feicon Batimat (Salão Internacional da Construção), em cartaz de 18 a 22 de março de 2014, em São Paulo Reinaldo Canato/ UOLMais
Resina, fibra de celulose (feita a partir da reciclagem de papel) e betume são os ingredientes para a fabricação das telhas Onduvilla, na Onduline (www.onduline.com.br). Com medidas unitárias (0,4 x 1,06 m) as peças são leves, indicadas para a cobertura de residências e estão disponíveis em duas versões Terracota Fiorentino 3D e Vermelho Mesclado (foto). O produto foi lançado na 20ª edição da Feicon Batimat (Salão Internacional da Construção), em cartaz de 18 a 22 de março de 2014 em São Paulo Reinaldo Canato/ UOLMais
A Jomoo (www.jomoogroup.com/worldweb/br/) apresenta na 20ª edição da Feicon Batimat (Salão Internacional da Construção), em cartaz de 18 a 22 de março de 2014 em São Paulo, o vaso sanitário desenvolvido pelo escritório italiano de design industrial Giugiaro. O produto conta com sensor de abertura, além de chuveiro e secador higiênicos acoplados Reinaldo Canato/ UOLMais
A Jomoo (www.jomoogroup.com/worldweb/br/) apresenta na 20ª edição da Feicon Batimat (Salão Internacional da Construção), em cartaz de 18 a 22 de março de 2014 em São Paulo, o vaso sanitário desenvolvido pelo escritório italiano de design industrial Giugiaro. O produto conta com sensor de abertura, além de chuveiro e secador higiênicos acoplados Reinaldo Canato/ UOLMais
A Lorenzetti (www.lorenzetti.com.br) lançou na 20ª edição da Feicon Batimat (Salão Internacional da Construção), em cartaz de 18 a 22 de março de 2014 em São Paulo, as duchas Lorenfall nas versões redonda (à dir.) e quadrada. Os equipamentos oferecem acabamento bicolor e duas opções de jato: cascata (à esq.) e radial Reinaldo Canato/ UOLMais
A Lorenzetti (www.lorenzetti.com.br) lançou na 20ª edição da Feicon Batimat (Salão Internacional da Construção), em cartaz de 18 a 22 de março de 2014 em São Paulo, as duchas Lorenfall nas versões redonda (à dir.) e quadrada. Os equipamentos oferecem acabamento bicolor e duas opções de jato: cascata (à esq.) e radial Reinaldo Canato/ UOLMais
Já tradicional na Feicon Batimat (Salão Internacional da Construção), em cartaz de 18 a 22 de março de 2014 em São Paulo, a apresentação de modelos sob chuveiros da marca Lorenzetti (www.lorenzetti.com.br) se repetiu na 20ª edição da feira. Este ano, a apresentação contou também com música ao vivo Reinaldo Canato/ UOLMais
Modelos dançam sob as duchas da marca Lorenzetti (www.lorenzetti.com.br) na 20ª edição da Feicon Batimat (Salão Internacional da Construção), em cartaz de 18 a 22 de março de 2014 em São Paulo Reinaldo Canato/ UOLMais
A Corona (www.corona.com.br) lançou na 20ª edição da Feicon Batimat (Salão Internacional da Construção), em cartaz de 18 a 22 de março de 2014 em São Paulo, a ducha Excellence Eletrônica... Reinaldo Canato/ UOLMais
... que conta com resistência blindada de cobre (foto), com garantia de cinco anos contra queima e promessa de que a corrente elétrica não entra em contato com a água... Reinaldo Canato/ UOLMais
... tal recurso, viabiliza o seletor multitemperaturas (foto), que segundo a Corona (www.corona.com.br), está ao alcance da mão e pode ser acionado sem que a água precise ser desligada. No estande da marca na Feicon, técnicos explicavam que a troca gradual não oferece risco de choque é é mais confortável para o usuário, que pode tomar banhos com abundância de água em qualquer temperatura Reinaldo Canato/ UOLMais
O sistema de aspiração central da marca canadense Hayden (www.hayden.com.br), foi um dos destaques da 20ª edição da Feicon Batimat (Salão Internacional da Construção), em cartaz de 18 a 22 de março de 2014 em São Paulo. Composto por um conjunto de dutos embutidos e uma central de aspiração (foto), o equipamento pode deter três tipos de saídas para sucção... Reinaldo Canato/ UOLMais
... como esta da foto, que consiste em um aspirador acionável por um interruptor e é indicado para cozinhas e salas, ou as que oferecem a conexão da mangueira de aspiração ou a junção das duas funções. A Hayden promete um poder de sucção até cinco vezes mais intenso que os equipamentos móveis, além de menor ruído e nula "devolução" de poeira ao ambiente, já que o produto não libera ar quente como os aspiradores portáteis Reinaldo Canato/ UOLMais
A Hayden (www.hayden.com.br), na 20ª edição da Feicon Batimat (Salão Internacional da Construção), em São Paulo, informava que a instalação do sistema de aspiração central tem sido barateado e que a utilização em casas cujos projetos não previram o equipamento é possível, mas demanda reforma Reinaldo Canato/ UOLMais
Você tem medo de limpar os vidros externos das janelas de sua casa? E se um robô fizesse esse serviço por você? O Winbot é um robozinho da Ecovacs (www.ecovacs.com.br) capaz de higienizar vidros planos, com ou sem moldura ou isolante térmico. O equipamento foi lançado na 20ª edição da Feicon Batimat (Salão Internacional da Construção), em cartaz de 18 a 22 de março de 2014, em São Paulo (...) Reinaldo Canato/ UOLMais
(...) O Winbot, da Ecovacs (www.ecovacs.com.br), funciona com bomba de vácuo e deve ser ligado à rede elétrica. O aparelho não pode ser programado, mas é capaz de identificar o quadrante de vidro a ser limpo... Reinaldo Canato/ UOLMais
... e é indicado para a faxina cotidiana, não sendo capaz de limpar sujeiras e poeira de obra. O robozinho ainda conta com uma corda elástica de segurança e uma bateria de apoio Reinaldo Canato/ UOLMais
A Ecovacs (www.ecovacs.com.br) lançou na 20ª edição da Feicon Batimat (Salão Internacional da Construção), em cartaz de 18 a 22 de março de 2014, em São Paulo, o robô Deebot, um aspirador automático para a limpeza de pisos e superfícies planas de móveis... Reinaldo Canato/ UOLMais
... que funciona com bateria e pode ser usado para a aspiração de qualquer tipo de piso, além de tapetes e carpetes com até dois centímetros de altura. O equipamento pode ser programado, percorre cerca de 150 m² e tem autonomia de trabalho por até uma hora e vinte. (...) Reinaldo Canato/ UOLMais
(...) O Deebot recolhe a poeira do dia a dia, migalhas, pelos de animais e sujeiras de pequeno porte, como folhas diminutas, mas não deve ser utilizado para a limpeza de líquidos... Reinaldo Canato/ UOLMais
... o conteúdo recolhido pelo robozinho é armazenado em um compartimento interno removível (foto). A alimentação do equipamento é feita por bateria recarregável e o Deebot volta para a base quando o trabalho programado termina ou quando a carga de energia acaba Reinaldo Canato/ UOLMais
A amplitude da área social de convivência só é interrompida pelas curvas do desenho arquitetônico da Casa Y, que procuram ampliar a proximidade entre interiores e paisagem (de campos e mar). Pisos e estuque (forro) são feitos de madeira laminada (pinho). O projeto de Jorge Sousa Santos fica em Arelho, próximo à Lagoa de Óbidos, Portugal Fernando Guerra/ DivulgaçãoMais
A Casa Y projeta-se sobre um declive do terreno que permitiu que a biblioteca ganhasse pé direito duplo, por ter um nível encaixado ao lote. No ambiente há um mezanino, que está no nível do resto da casa, e é acessível por escadas de madeira protegidas por vidros espessos para guarda-corpo. A sala, em projeto do arquiteto português Jorge Sousa Santos, é um verdadeiro reduto de contemplação, leitura e reflexão sobre a vida e a paisagem de Arelho, em Portugal Fernando Guerra/ DivulgaçãoMais
A luz natural abundante vista no corredor dos cômodos íntimos revela que, apesar de proteger a intimidade da família, o desenho das janelas em recuo nas paredes aparentemente espessas não impede a entrada dos raios do sol. Com todas as portas e janelas abertas, a ventilação cruzada dos cômodos também está garantida. A Casa Y fica em Arelho, próximo à Lagoa de Óbidos, Portugal e tem projeto do arquiteto Jorge Sousa Santos Fernando Guerra/ DivulgaçãoMais
A foto noturna da fachada norte da Casa Y mostra a distância entre o vidro que fecha o vão dos dormitórios e sua proteção em chapa de madeira (pinho), que corre sobre trilhos. Essa distância acentua a eficiência térmica do material isolante (madeira), deixando mais amena a temperatura nos cômodos, em detrimento da forte e intensa radiação solar durante todo o dia.O projeto para casa em Arelho, na costa portuguesa, é do arquiteto Jorge Sousa Santos Fernando Guerra/ DivulgaçãoMais
O perfil noturno da fachada oeste só realça o efeito da geometria recortada dos vãos das janelas. O resultado é um jogo de luzes e sombras sobre o perfil pálido da fachada. A Casa Y fica em Arelho, próximo à Lagoa de Óbidos, Portugal e tem projeto do arquiteto português Jorge Sousa Santos Fernando Guerra/ DivulgaçãoMais
A profundidade do recorte da parede nos vãos da Casa Y, do arquiteto Jorge Sousa Santos, permite que a luz artificial interna se espalhe de forma mais intensa e dramática sobre a fachada, iluminando-a. A residência está em Arelho, povoado de pescadores da costa portuguesa Fernando Guerra/ DivulgaçãoMais
De frente para a fachada sul, mais transparente e que integra a área social à paisagem de Arelho, em Portugal, está a piscina da Casa Y (à esq.) com projeto de Jorge Sousa Santos Fernando Guerra/ DivulgaçãoMais
Do pé direito duplo para biblioteca, com vista aberta ao sol poente, a Casa Y se transforma em verdadeiro reduto de contemplação, leitura e reflexão. A ponta ocidental da residência com projeto do arquiteto Jorge Sousa Santos, avança e se encaixa a um declive do terreno, recortado, que permitiu "enterrar" o nível inferior do ambiente Fernando Guerra/ DivulgaçãoMais
A Casa Y projeta-se sobre um declive do terreno, recortado, que permitiu a adição de um nível inferior para a biblioteca. Esse recurso produziu um pé direito duplo com mezanino, que está no mesmo patamar do resto da casa. Dali avista-se o pôr do sol. Na outra ponta do Y (à esq.), está a área íntima da residência, com dormitórios com vãos protegidos por portas de correr de madeira (pinho). O projeto é do arquiteto Jorge Sousa Santos, em Arelho, na costa portuguesa Fernando Guerra/ DivulgaçãoMais
A Casa Y foi projetada pelo português Jorge Sousa Santos para reproduzir com leveza, simplicidade e cuidado geométrico a linearidade do terreno onde está implantada. Estruturada em concreto armado, seus três eixos abrigam funções distintas do programa de uso - social, íntimo e serviços -, distribuídos de acordo com a maior ou menor necessidade de integração com o entorno. Em Arelho, próximo à Lagoa de Óbidos, Portugal Fernando Guerra/ DivulgaçãoMais
Cada uma das alças que forma a Casa Y acomoda uma função: os serviços, junto à garagem; a área social na continuação desse bloco e, disposto perpendicularmente, o setor íntimo. No espaço de intersecção entre as alças está o coração da Casa Y, com ampla sala de estar Arte UOLMais
O desenho mostra como a Casa Y está implantada no terreno. A construção foi pensada para possibilitar a vista da paisagem de todos os seus ambientes DivulgaçãoMais
A face oeste da Casa Y, projetada pelo arquiteto português Jorge Sousa Santos, se fecha para o povoado de Arelho, Portugal, a partir de um sistema de pequenas janelas com desenhos e tamanhos variados e posicionamento recuado em relação à superfície da fachada. Apesar das janelas criarem um obstáculo ao mundo exterior, quase que encravadas no volume arquitetônico, o jardim é ponto de aproximação da casa com a rua Fernando Guerra/ DivulgaçãoMais
Na face oeste, que se volta para o povoado de Arelho, em Portugal, vãos da fachada são recortados para inserção de pequenas janelas. Se por um lado a impressão é de que as paredes são espessas e as janelas, recuadas, por outro, um jogo de luz e sombras destaca a originalidade da arquitetura, embelezando suas linhas, na medida em que garante privacidade e protege a família residente. Arquitetura é assinada por Jorge Sousa Santos Fernando Guerra/ DivulgaçãoMais
O destaque é a geometria pura dos vãos, frente à simplicidade do acabamento em pintura acrílica branca e às esquadrias de alumínio. A ideia é dar privacidade, proteger, deixando que apenas a arquitetura da fachada se comunique com a população do vilarejo de Arelho, através do jardim da face oeste do terreno. A Casa Y fica em Portugal, próximo à Lagoa de Óbidos, e tem projeto de arquitetura de Jorge Sousa Santos Fernando Guerra/ DivulgaçãoMais
A face sul da Casa Y exibe, de forma estratégica, uma agradável varanda sombreada e fechada por grandes panos de vidro duplo laminado instalados em portas de correr. Esta ala antecede a área social com estar, jantar e cozinha. O conforto térmico é garantido pela não incidência direta do sol sobre os vidros. Em Portugal, próximo à Lagoa de Óbidos, com projeto de Jorge Sousa Santos Fernando Guerra/ DivulgaçãoMais
A face sul, social, da Casa Y define-se por um grande vão que permite total transparência em relação ao limite norte da casa, onde a vista é para o mar. O recuo do vão e o desvio (ângulo de inclinação) relativo à curvatura da fachada produzem uma área avarandada muito sombreada e que ajuda a evitar o superaquecimento dos interiores de convívio social - com salas de estar, jantar e cozinha. O projeto de Jorge Sousa Santos fica em Arelho, Portugal Fernando Guerra/ DivulgaçãoMais
A face norte, com vista para o mar, reserva-se à intimidade da família. Os dormitórios da Casa Y, projetada pelo arquiteto Jorge Sousa Santos, possuem grandes vãos protegidos por portas de correr de madeira, que isola termicamente e diminui o efeito da incidência direta dos raios solares nos horários mais quentes do dia. A residência dica em Arelho, Portugal, próximo à Lagoa de Óbidos Fernando Guerra/ DivulgaçãoMais
A face norte (foto) da Casa Y é mais retilínea e faz com que as portas-janelas dos dormitórios busquem o sol e a paisagem marinha. Para um maior conforto térmico nos quartos, a arquitetura previu portas de correr em madeira (pinho), material que bloqueia a incidência direta da luz do sol e do calor. A casa fica nas proximidades da Lagoa de Óbidos, em Portugal Fernando Guerra/ DivulgaçãoMais
A face norte da Casa Y, em Portugal, também possui trecho envidraçado, recuado em relação à linha curva da fachada. Este ponto, na junção do Y que abriga salas de estar e biblioteca, reproduz a busca pela privacidade vista no desenho arquitetônico adotado ao longo de toda a fachada sul. A ideia é criar total transparência no eixo norte-sul, de forma que a área social da casa também aproveite a vista aberta para o mar. O projeto é do arquiteto Jorge Sousa Santos Fernando Guerra/ DivulgaçãoMais
O projeto da Casa Y, do português Jorge Sousa Santos, não permitiu que excessos na escolha dos materiais ofuscassem a geometria. Assim, com muita simplicidade, pisos e estuques (forros) são feitos em madeira laminada (pinho); todas as portas de correr e janelas são acabadas em alumínio e os vidros dos fechamentos são laminados duplos. A pintura branca, acrílica, predomina tanto na fachada quanto nos espaços interiores. A casa fica nas proximidades da Lagoa de Óbidos, em Portugal Fernando Guerra/ DivulgaçãoMais
O sistema de fachada ventilada da Eliane Revestimentos Cerâmicos (www.eliane.com) apresenta uma câmara de ar entre o revestimento externo e a base suporte do edifício, o que proporciona uma ventilação e consequente melhoria do conforto térmico Rodrigo Capote/UOLMais
O porcelanato Giz PO (60 cm por 90cm), um dos lançamentos da Eliane Revestimentos Cerâmicos (www.eliane.com) na Expo Revestir, pertence à coleção Arq Elementos e tem um design monocolor, nas versões natural e polido Rodrigo Capote/UOLMais
Novidade da Palimanan Revestimentos Naturais (www.palimanan.com.br) para a feira Expo Revestir (11 a 14 de março de 2014) em São Paulo, a lâmina de pedra Skineer é uma folha composta por pedra naturais em fatias finas e fibra de vidro Rodrigo Capote/UOLMais
No estande da Lepri (www.lepri.com.br), na Expo Revestir, a parede foi ambientada com os revestimentos da linha Brick Mattone, que reproduz tijolos de demolição, e da linha Rocks Rodrigo Capote/UOLMais
Esse revestimento do Grupo Studio Marmo (www.studiomarmo.com.br), apresentado na feira Expo Revestir, de 11 a 14 de março de 2014, em São Paulo, é fabricado através de resíduos de pedras e do plástico reciclado de garrafas PET Rodrigo Capote/UOLMais
Na feira Expo Revestir, de 11 a 14 de março de 2014, em São Paulo, a Cerâmica Portinari (www.ceramicaportinari.com.br) lançou a coleção Grafismo vendida em kits com 25 peças sortidas, com nove estampas diferentes ou em caixas com quatro peças iguais (nesse caso, disponível para apenas três tipos de desenhos) Rodrigo Capote/UOLMais
Uma reinterpretação do mármore, o revestimento Calacata Cremo é um porcelanato polido, lançado pela Biancogres (www.biancogres.com.br) na 12ª Expo Revestir, de 11 a 14 de março de 2014, em São Paulo Rodrigo Capote/UOLMais
A série Tomie Ohtake foi um dos lançamentos da Cerâmica Atlas para a 12ª edição da Expo Revestir, de 11 a 14 de março de 2014, em São Paulo Rodrigo Capote/UOLMais
A série Tomie Ohtake foi um dos lançamentos da Cerâmica Atlas para a 12ª edição da Expo Revestir, de 11 a 14 de março de 2014, em São Paulo Rodrigo Capote/UOLMais
Os Kits Efeitos Areia Fosco e Areia Metalizado da linha Selfdecor, da Bricolagem (www.bricolagembrasil.com.br), podem ser aplicados pelo próprio morador da casa, seguindo a tendência do "faça você mesmo" Rodrigo Capote/UOLMais
Essa composição traz o cobogó com elementos cerâmicos do modelo Eclipse, da Manufatti (www.manufatti.com.br) e o sistema modular para jardins verticais da GreenWall Ceramic (www.greenwallceramic.com.br) Rodrigo Capote/UOLMais
A Perflex Metais (www.perflexmetais.com.br) expôs em seu estande na Expo Revestir três misturadores da linha Chef: Bistrô, Cook e Comic (na ordem da esquerda para a direita) Rodrigo Capote/UOLMais
A Docol (www.docol.com.br) apresentou a torneira da linha Oni, com seu desenho em curva inspirado em nomes da arquitetura contemporânea como Zaha Hadid e Santiago Calatrava Rodrigo Capote/UOLMais
O sistema de misturador para chuveiros DocolTech foi desenvolvido com tecnologia brasileira e permite controlar a temperatura e vazão da água, além de personalizar até quatro tipos de banhos Rodrigo Capote/UOLMais
Com espaço interno de 90 cm, a banheira Small Lev foi projetada para banheiros compactos, comuns em apartamentos do tipo Studio Rodrigo Capote/UOLMais
Para a Expo Revestir, de 11 a 14 de março de 2014, em São Paulo, a Pretty Jet (www.prettyjet.com.br) trouxe a opção bicolor para as banheiras Freestanding modelos Atrium (foto) e Ciana Rodrigo Capote/UOLMais
No estande da Portobello (www.portobello.com.br), os visitantes da Expo Revestir (11 a 14 de março de 2014), em São Paulo, puderam conferir a ambientação com o revestimento de parede Wall Mosaic Plissê Menthe Rodrigo Capote/UOLMais
O revestimento cerâmico Trésor Argent, novidade da Portobello (www.portobello.com.br) durante a Expo Revestir (11 a 14 de março de 2014), em São Paulo, é inspirado nos metais preciosos e pode ser usado em paredes internas e mobiliário Rodrigo Capote/UOLMais
A bacia sanitária Khroma da Roca (www.br.roca.com) compõe a coleção assinada pelo designer austríaco Erwin Leo Himmel DivulgaçãoMais
O desenho do misturador e da cuba de sobrepor Acquario combina traços retos com formas arredondadas, numa proposta minimalista. À direita na foto, está a lixeira embutida na bancada Rodrigo Capote/UOLMais
Na 12ª edição da Expo Revestir, de 11 a 14 de março de 2014, em São Paulo, a Palazzo (www.palazzo.ind.br) lançou o revestimento cimentício Calatrava que pode criar um jogo de luz e sombra no ambiente devido ao relevo de suas formas Rodrigo Capote/UOLMais
Com desenho minimalista, de toque feminino, o lavatório faz parte da série Puravida desenhada pelo estúdio alemão Phoenix Design para a marca Duravit (www.duravit.com.br) Rodrigo Capote/UOLMais
Os metais e as louças são produtos da série Starck 2, desenvolvida pelo francês Philippe Starck para a marca Duravit (www.duravit.com.br) Rodrigo Capote/UOLMais
Da marca inglesa Victoria+Albert, representada no Brasil pela Doka Bath Works (www.banheirasdoka.com.br), a banheira Mozzano é produzida de um composto com base de rocha vulcânica e possui um visual assimétrico Rodrigo Capote/UOLMais
Importada pela Doka Bath Works (www.banheirasdoka.com.br), a banheira Drayton têm desenho assinado pela marca inglesa Victoria+Albert, com inspiração nas peças do período vitoriano Rodrigo Capote/UOLMais
O lançamento para o público da coleção para salas de banho, Kartell by Laufen (www.br.laufen.com), assinada pelos designers italianos Ludovica e Roberto Palomba, aconteceu na Expo Revestir, de 11 a 14 de março de 2014, em São Paulo Rodrigo Capote/UOLMais
A torneira Self Power Bica H Séries, da marca japonesa de louças e metais sanitários, Toto (www.br.toto.com), possui a turbina Self Power alimentada pela força da água Rodrigo Capote/UOLMais
12ª edição da Expo Revestir, de 11 a 14 de março de 2014, em São Paulo, apresentou a exposição "Impressões by Laufen - O Brasil na intimidade" Rodrigo Capote/UOLMais
Na exposição "Impressões by Laufen - O Brasil na intimidade", durante a 12ª edição da Expo Revestir, de 11 a 14 de março de 2014, em São Paulo, a cuba Living City, da Laufen (www.br.laufen.com), ganhou um desenho assinado pelo arquiteto Guto Requena Rodrigo Capote/UOLMais
Na exposição "Impressões by Laufen - O Brasil na intimidade", durante a 12ª edição da Expo Revestir, de 11 a 14 de março de 2014, em São Paulo, a cuba Living City, da Laufen (www.br.laufen.com), recebeu um desenho assinado pelo designer Zanini de Zanine Rodrigo Capote/UOLMais
A italiana Ceramica Sant'agostino (www.ceramicasantagostino.it) levou para a 12ª edição da Expo Revestir a linha Flexible Architecture, assinada pelo designer francês Philippe Starck DivulgaçãoMais
O piso Legno Multiestruturado Guajuvira, da Indusparquet (www.indusparquet.com.br), é composto por lâminas de madeira dispostas numa aparência de mosaico Rodrigo Capote/UOLMais
As peças da linha Cuba, da italiana M.I.P.A (www.mipadesign.it), têm em sua composição mármores italianos, provenientes da moagem de subprodutos da indústria de rochas ornamentais Rodrigo Capote/UOLMais
A marca italiana Tagina Ceramiche D'arte (www.tagina.it) trouxe os revestimentos Deco Perlage para a Expo Revestir, de 11 a 14 de março de 2014, em São Paulo Rodrigo Capote/UOLMais
Na 12ª edição da Expo Revestir, de 11 a 14 de março de 2014, em São Paulo, a marca espanhola Dune apresentou seus revestimentos em vidro que reproduzem pedras preciosas como o lançamento Aura Amethyst Glass (foto) Rodrigo Capote/UOLMais
Uma das novidades em revestimentos da feira Expo Revestir, de 11 a 14 de março de 2014, em São Paulo, foi o acabamento Tiffany Black, da marca espanhola Dune (www.dune.es) Rodrigo Capote/UOLMais
Ainda no estande da marca espanhola Dune (www.dune.es), os visitantes da Expo Revestir conferiram o revestimento cerâmico Mandala, da coleção Emphasis Ceramic, de efeito texturizado e colorido Rodrigo Capote/UOLMais
O monocomando Deca Touch Digital para lavatório possui led luminoso e display digital que permite a visualização da temperatura da água Rodrigo Capote/UOLMais
Na 12ª edição da Expo Revestir, de 11 a 14 de março de 2014, em São Paulo, foram apresentados os novos acabamentos para metais Deca (www.deca.com.br): Gold, Red Gold (foto), Gold Matte, Black Matte, Black Noir e Inox Rodrigo Capote/UOLMais
O piso inferior do dúplex ainda abriga a entrada social do apartamento, mas de maneira incomum, reúne os espaços íntimos: três suítes e um home theater Arte UOLMais
No piso superior da cobertura dúplex estão os ambientes de uso compartilhado e social. Nesse andar, as paredes foram abolidas e o living com cozinha integrada se liga à varanda e ao terraço com piscina Arte UOLMais
Do terraço da cobertura Rio Design Leblon, reformada pelo escritório House in Rio, os moradores desfrutam de uma fascinante vista e ainda aproveitam as delícias da piscina revestida com pastilhas (Vidrotil), da Brasil Europa. Na parede, o espelho reflete a cidade maravilhosa Júlio César Guimarães/ UOLMais
Desse ângulo do terraço da cobertura Rio Design Leblon, com projeto de reforma assinado pelo escritório House in Rio, observa-se o jardim vertical com irrigação automática que ocupa uma parede inteira e foi executado pela Embya. Na outra parede, a imagem do espelho anuncia: sol, céu e mar cariocas Júlio César Guimarães/ UOLMais
Sem nenhuma barreira visual, o living com ambientes integrados é voltado para a paisagem formada pelo céu, pelo mar e pelas montanhas do Rio de Janeiro (RJ). As salas de estar, jantar e cozinha tiveram as paredes divisórias demolidas e, agora, compõem um único espaço de convivência, ideal para receber amigos. A cobertura Rio Design Leblon tem projeto de reforma assinado pelo escritório House in Rio Júlio César Guimarães/ UOLMais
Cozinha e estar integrados facilitam a circulação de amigos durante as festas e reuniões na cobertura Rio Design Leblon, que tem projeto de reforma assinado pelo escritório House in Rio. A decoração tem base branca, com detalhes em vermelho e poucos móveis, compondo um "layout" minimalista. Os materiais, por sua vez, foram pensados para oferecer resistência à maresia e à umidade e ter fácil limpeza Júlio César Guimarães/ UOLMais
A mesa de jantar, com desenho dos arquitetos do escritório House in Rio - que também assinam a reforma da cobertura Rio Design Leblon -, é a vedete do projeto. A peça tem duas bases em concreto fixas no piso e tampos de granito preto absoluto. Porém, o diferencial do móvel é a divisão no tampo, que permite o deslocamento da esquadria que limita varanda e cozinha/sala de jantar. Assim, quando a porta de correr está aberta, a mesa comporta oito pessoas e, quando está fechada, cinco Júlio César Guimarães/ UOLMais
Durante as refeições, os convivas podem sentar à mesa, na varanda, e admirar a beleza do Morro Dois Irmãos ou ficar à sombra da sala de jantar, pois o desenho original da peça, com base em concreto e tampo em granito, a dispõem nos dois ambientes e permite essas opções. O desenho é do escritório House in Rio, que também assina o projeto de reforma da cobertura Rio Design Leblon Júlio César Guimarães/ UOLMais
Desse ângulo, tem-se uma visão geral do living da cobertura Rio Design Leblon com os três ambientes integrados: estar, jantar e cozinha, abertos para o terraço e para o mar. A reforma do apê tem projeto assinado pelo escritório House in Rio Júlio César Guimarães/ UOLMais
Além de favorecer o convívio social, a integração possibilitou que todos os ambientes se voltassem para o exterior e, consequentemente, para a paisagem marítima carioca. O branco predomina na decoração, que tem piso revestido por porcelanato da Portobello e forro rebaixado em gesso com spots embutidos, da Pro Light. A cobertura Rio Design Leblon tem projeto de reforma do escritório House in Rio Júlio César Guimarães/ UOLMais
De todos os ângulos do living avista-se a paisagem do Rio. Até mesmo na quina do estar, onde as grandes portas envidraçadas de correr se encontram. A cobertura Rio Design Leblon tem projeto de reforma assinado pelo escritório House in Rio Júlio César Guimarães/ UOLMais
O momento das refeições será sempre uma celebração, pois da mesa avista-se a bela paisagem do mar carioca. A cobertura Rio Design Leblon que tem projeto de reforma assinado pelo escritório House in Rio. Com duas bases em concreto e tampo de granito preto, a peça possui divisão que permite o deslizar da esquadria Júlio César Guimarães/ UOLMais
Uma das suítes recebeu ambientação em cores neutras, como o cinza do cimento queimado da parede e o bege escuro da cortina. O toque de brilho fica por conta do dourado da luminária criada pelo designer Tom Dixon. No mais, é só olhar pela janela e relaxar. A cobertura Rio Design Leblon tem projeto de reforma assinado pelo escritório House in Rio Júlio César Guimarães/ UOLMais
O cimento queimado reveste as paredes do banheiro da suíte e é harmonizado com o granito preto da bancada e com as persianas prata, da Uniflex. A cobertura Rio Design Leblon tem projeto de reforma assinado pelo escritório House in Rio Júlio César Guimarães/ UOLMais
Com a persiana aberta é possível enxergar o dormitório através do vidro, único elemento a limitar os ambientes do quarto e do banheiro. A solução permitiu que a partir do banheiro fosse possível a visualização da paisagem do Rio, através janela do quarto. A cobertura Rio Design Leblon tem projeto de reforma assinado pelo escritório House in Rio Júlio César Guimarães/ UOLMais
A faixa de seixo telado, da Ekko Revestimentos, se destaca na parede e no piso do box para banho e, ainda, possui a função de massagear os pés. A cobertura Rio Design Leblon tem projeto de reforma assinado pelo escritório House in Rio Júlio César Guimarães/ UOLMais
Na suíte máster, destaca-se a total integração entre banheiro e dormitório, com a área do box inserida no espaço do quarto, ao lado da cama. Ali, o tapete de seixo telado, da Ekko Revestimentos, dá um toque original ao conjunto. A cobertura Rio Design Leblon tem projeto de reforma assinado pelo escritório House in Rio Júlio César Guimarães/ UOLMais
O home theater, situado no pavimento inferior da cobertura, possui pé-direito de 3,5 m que foi aproveitado com a colocação de prateleiras na parede de cimento queimado. No ambiente, o sofá de alvenaria em "L" acomoda um número grande de pessoas, que podem desfrutar da vista através do janelão que percorre toda a extensão do espaço. A cobertura Rio Design Leblon tem projeto de reforma assinado pelo escritório House in Rio Júlio César Guimarães/ UOLMais
O hall da escada que liga os pavimentos exibe uma coleção de lamparinas pertencentes ao morador. A escada em aço corten (liga de aço, nióbio e cromo, resistente à maresia) entra em sintonia com o cimento queimado aplicado à parede. A cobertura Rio Design Leblon tem projeto de reforma assinado pelo escritório House in Rio Júlio César Guimarães/ UOLMais
A Casa da Praia dos Lagos, desenhada pelo escritório Sotero Arquitetos, foi implantada em um terreno com desnível de três metros entre o mar e uma lagoa Arte UOLMais
No térreo estão os ambientes de uso social, com ênfase para a a área externa com duas piscinas e varanda gourmet Arte UOLMais
O subsolo abriga as áreas de serviço, as dependências de empregados e a garagem que é antecedida por um pergolado Arte UOLMais
No piso superior estão os ambientes íntimos (abaixo) e um dos apartamentos de hóspedes Arte UOLMais
No térreo de um dos blocos, a sala de estar e o "home theater" estão delimitados, mas não completamente separados por uma parede solteira (ao fundo). O teto rebaixado em gesso e o piso em porcelanato cinza (Portinari) formam a base para decoração com elementos regionais, como a escultura de elos de madeira do artista baiano Florival (à dir.). A Casa da Praia dos Lagos tem projeto arquitetônico assinado pelo escritório Sotero Arquitetos Leonardo Finotti/ UOLMais
Na fachada voltada para o mar, da Casa da Praia dos Lagos - projetada pelo escritório Sotero Arquitetos -, observa-se o bloco transparente de transição com fechamento em vidro temperado. A estrutura possibilita a visão tanto da praia, quanto da lagoa, aos fundos. O volume à esquerda abriga estar e "home theater", no térreo, e suítes no superior. O bloco da direita possui dois pavimentos ocupados pelas dependências de hóspedes Leonardo Finotti/ UOLMais
A sala de jantar está no volume intermediário da Casa da Praia dos Lagos, que promove a ligação dos dois blocos principais. Seu interior está totalmente integrado ao exterior, que reserva de um lado o mar e de outro uma lagoa. A residência de veraneio foi projetada pelo escritório Sotero Arquitetos Leonardo Finotti/ UOLMais
Deste ângulo é possível ver a laje suspensa e a viga invertida que fazem a união dos blocos da sala de jantar (intermediário) e do de hóspedes, que tem dois pavimentos. Destaque para a abertura vertical com brise de madeira (à dir.), no térreo, e veneziana no superior. A Casa da Praia dos Lagos foi projetada pelo escritório Sotero Arquitetos Leonardo Finotti/ UOLMais
Detalhe da escada de acesso ao pavimento superior do bloco dos hóspedes. A maderia cumaru contrasta com a alvenaria na Casa da Praia dos Lagos, projetada pelo escritório Sotero Arquitetos Leonardo Finotti/ UOLMais
A integração entre estar e "home theater" se dá pelas laterais da parede solteira que delimita os ambientes. A decoração com peças regionais personaliza os espaços, como a corrente em madeira na parede, escultura do artista baiano Florival (à dir.). A Casa da Praia dos Lagos foi projetada pelo escritório Sotero Arquitetos Leonardo Finotti/ UOLMais
O espaço gourmet, junto à varanda e à piscina, está voltado para a lagoa e configura o ambiente ideal para o relaxamento e o convívio com a família e os amigos. A Casa da Praia dos Lagos foi projetada pelo escritório Sotero Arquitetos Leonardo Finotti/ UOLMais
Nada pode ser melhor do que a delícia de contemplar as ondas do mar deitado relaxadamente em uma espreguiçadeira. E isso é possível na Casa da Praia dos Lagos, projetada pelo escritório Sotero Arquitetos Leonardo Finotti/ UOLMais
As linhas retas e contemporâneas sobressaem na arquitetura desenhada pelo escritório Sotero Arquitetos para a Casa da Praia dos Lagos. A laje suspensa do bloco intermediário se destaca na volumetria. Na residência, a piscina, a varanda e o espaço gourmet têm vista para o mar Leonardo Finotti/ UOLMais
O espaço gourmet integrado à varanda é dotado dos apetrechos necessários para as reuniões de amigos. Como forno de pizza, chapa e balcão com banquetas. A Casa da Praia dos Lagos foi projetada pelo escritório Sotero Arquitetos Leonardo Finotti/ UOLMais
Acompanhando o desnível de três metros do terreno, a escada de granito branco apicoado (rústico) faz o acesso principal à Casa da Praia dos Lagos, projetada pelo escritório Sotero Arquitetos. A volumetria em concreto se destaca na fachada que tem parede revestida por canjiquinha de pedra São Tomé e brise de madeira Leonardo Finotti/ UOLMais
As lajes de concreto formam um requadro na fachada, que tem parede revestida por canjiquinha de pedra São Tomé, além de brises de cumaru e abertura vertical para o espaço gourmet. A construção não faz uso dos telhados em estilo colonial, comuns na região. A Casa da Praia dos Lagos foi projetada pelo escritório Sotero Arquitetos Leonardo Finotti/ UOLMais
A varanda e o espaço gourmet têm cobertura e estão voltados para a piscina. De qualquer dos dois ambientes é possível avistar o mar ou uma lagoa. A Casa da Praia dos Lagos tem projeto do escritório Sotero Arquitetos Leonardo Finotti/ UOLMais
4.mar.2014 - O Mercado Sultangazi, em Istambul, Turquia, da Suyabatmaz Demirel Architects, foi o projeto vencedor na categoria comércio e lazer. O prêmio geral será anunciado no dia 12 de março Future Projects Awards 2014/BBCMais
4.mar.2014 - O vencedor na categoria de Regeneração e Plano Diretor foi para o escritório Baca Architects, com o projeto para Eiland Veur Lent em Nijmegen, Holanda. O projeto prevê a construção de um prédio residencial de 70 metros e uma nova passarela Future Projects Awards 2014/BBCMais
4.mar.2014 - Na categoria de Grandes Projetos Urbanos, o vencedor foi o projeto Lago Paojiang, em Shaoxing, na China, criado pelo escritório Paul Kukez Architecture com a CRJA Landscape Architects e a Green Design Union Future Projects Awards 2014/BBCMais
4.mar.2014 - Em sua 12ª edição, o Prêmio de Projetos Arquitetônicos do Futuro, ou MIPIM, é a única competição que se concentra exclusivamente em projetos futuros - ela premia projetos não construídos ou incompletos. Na categoria Sustentabilidade, o primeiro lugar foi para Osamu Morishita, para o Porto da Próxima Geração. Future Projects Awards 2014/BBCMais
4.mar.2014 - A categoria Regeneração Cultural foi vencida por Mossessian & Partners/Yassir Khalil Studio, pelo projeto da Place Lalla Yeddouna, em Fez, no Marrocos, criado para o governo do país Future Projects Awards 2014/BBCMais
4.mar.2014 - Vanke Jiugongo, vencedor na categoria Uso Misto, criou um projeto que forma o centro urbano de um complexo residencial nos subúrbios de Pequim, na China Future Projects Awards 2014/BBCMais
4.mar.2014 - O escritório Eller + Eller Architekten venceu na categoria escritórios com o projeto FGS Campus - Flick Gocke, em Schaumburg, Dusseldorf, na Alemanha Future Projects Awards 2014/BBCMais
4.mar.2014 - O primeiro lugar na categoria antigo e novo foi para o Luca Peralta Studio, pelo projeto 'Transformando Casas Populares em Casas Sociáveis', em Brescia, na Itália Future Projects Awards 2014/BBCMais
4.mar.2014 - O projeto Sky Courts, em Mumbai, Índia, criado por Sanjay Pury para o escritório Tanash Environments foi o vencedor na categoria prédios residenciais Future Projects Awards 2014/BBCMais
4.mar.2014 - A piscina Alfriston, criada pela Duggan Morris Architects para a Alfriston School de Beaconsfield, na Grã-Bretanha, venceu na categoria esportes e lazer. O projeto quer aumentar um departamento de esportes já existente na escola Future Projects Awards 2014/BBCMais
4.mar.2014 - O vencedor na categoria Prédios Altos foi o escritório Herzog e Meuron, para o projeto para o leste de Londres chamado de One Wood Wharf, um prédio residencial que pretende ser icônico sem perder a característica humana Future Projects Awards 2014/BBCMais
A casa N revela cuidado escultural no design da rampa de acesso ao pavimento térreo. Seus perfis e chapas metálicas, em aço, "brincam" com as linhas arquitetônicas retas, desenvolvidas nos anos 1990 e típicas de países europeus. Os apoios estruturais da passagem elevada dialogam com o desenho triangular das janelas, que se projetam como águas-furtadas sobre o telhado. A geometria regular foi estudada e desenvolvida pelo escritório alemão 4a Architekten. A casa N fica em Moscou, na Rússia Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
A casa N, em Moscou, foi construída na década de 1990. Com arquitetura original típica de países europeus de clima frio, a residência possuía fachadas e janelas em madeira e telhado recortado em várias águas. O escritório alemão 4a Architekten foi procurado para uma reforma que visava a modernização dos 350 m² de área construída. O intuito era deixar a residência mais aberta ao entorno, bem como melhorar a iluminação natural e a integração entre os espaços Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
Os acabamentos da área externa na casa N, reformada com projeto da 4a Architekten, revelam a mistura harmônica de materiais: deck de tábuas de carvalho, pedras, piso intertravado (concreto) e amplo gramado, além dos fechamentos em vidro com caixilharia de alumínio e aço para a composição das funções estruturais (rampa de entrada) Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
Os acabamentos da área externa na casa N, reformada com projeto da 4a Architekten, revelam a mistura harmônica de materiais: deck de tábuas de carvalho, pedras, piso intertravado (concreto) e amplo gramado, além dos fechamentos em vidro com caixilharia de alumínio e aço para a composição das funções estruturais (rampa de entrada) Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
As janelas dos dormitórios e dos banheiros voltam-se principalmente para as laterais do terreno, garantindo maior privacidade à área íntima da casa N. A caixilharia de madeira pré-existente no telhado foi reforçada por fora, com perfis de alumínio que acompanham o novo fechamento da fachada. A reforma para esta residência em Moscou, Rússia, foi projetada pelo escritório alemão 4a Architekten Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
A casa N revela cuidado escultural no design da rampa de acesso ao pavimento térreo. Seus perfis e chapas metálicas, em aço, "brincam" com as linhas arquitetônicas retas, desenvolvidas nos anos 1990 e típicas de países europeus. Os apoios estruturais da passagem elevada dialogam com o desenho triangular das janelas, que se projetam como águas-furtadas sobre o telhado. A geometria regular foi estudada e desenvolvida pelo escritório alemão 4a Architekten. A casa N fica em Moscou, na Rússia Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
A casa N revela cuidado escultural no design da rampa de acesso ao pavimento térreo. Seus perfis e chapas metálicas, em aço, "brincam" com as linhas arquitetônicas retas, desenvolvidas nos anos 1990 e típicas de países europeus. Os apoios estruturais da passagem elevada dialogam com o desenho triangular das janelas, que se projetam como águas-furtadas sobre o telhado. A geometria regular foi estudada e desenvolvida pelo escritório alemão 4a Architekten. A casa N fica em Moscou, na Rússia Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
A rampa em estrutura metálica dá acesso ao pavimento principal térreo da casa N, em Moscou, e oferece um ar moderno à residência dos anos 1990. Sua superfície está revestida com pedras de xisto, que compõem o leque de texturas de pisos do projeto: concreto, grama, madeira, pedras. A reforma desenvolvida pelo escritório alemão 4a Architekten manteve a ampla área verde do terreno que circunda a casa (ao fundo) Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
O deck de tábuas corridas de carvalho reveste a lateral externa da casa, se estendendo por três degraus que levam a uma sala semienterrada dedicada ao entretenimento com TV, home theater e jogos. O projeto é do escritório alemão 4a Architekten Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
A sala de entretenimento da casa N, em Moscou (Rússia), tem saída independente para o nível da rua, dada por apenas três degraus amplos. Seu caixilho acompanha a nova linguagem envidraçada e brilhante da fachada, integrando o ambiente interno semienterrado à área verde do terreno. O projeto de reforma é do escritório alemão 4a Architekten Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
A fachada de vidro, emoldurada pelas esquadrias de alumínio, e a rampa de entrada, em perfis e chapas de aço, são novos elementos da casa N, adicionados à arquitetura tradicional pelo projeto de reforma desenvolvido pelo escritório alemão 4a Architekten. A residência foi construída nos anos 1990 e abriga um casal com filhos Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
A reforma da casa N propôs a ampla integração dos espaços internos ao entorno e a melhora na iluminação natural. A mudança radical no visual da residência é assinada pelos arquitetos do escritório alemão 4a Architekten. Com a remoção de todas as paredes que dividiam o piso térreo em cômodos e a transformação da antiga fachada de madeira em extensa faixa de vidro, o imóvel ganhou espaços para a convivência da família e para a exibição de obras de arte e design da coleção dos proprietários Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
A rampa metálica de acesso da casa N dá uma nova atmosfera, modernizada, ao volume residencial. Com a troca de antigos fechamentos laterais em madeira por extensas faixas de vidro, a nova fachada transparente é acolhida pela arquitetura original, absorvendo com harmonia a transição suave entre o velho e o reformado. O projeto de reformulação da casa N, em Moscou (Rússia), é do escritório alemão 4a Architekten Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
A eliminação de paredes divisórias entre ambientes no andar térreo ampliou a entrada de luz natural e deu mais autonomia à decoração da casa N, em Moscou, Rússia. No projeto de reforma pensado pelo escritório alemão 4a Architekten, os delgados pilares metálicos dão apoio ao pé direito duplo e são combinado aos fechamentos laterais envidraçados Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
A cozinha também se integra ao resto da área social da casa N, em Moscou, especialmente pela continuidade do piso: suas tábuas corridas de carvalho se alinham à nogueira brilhante que dá forma à marcenaria dos armários (Valcucine). O projeto de reforma da residência russa é do escritório alemão 4a Architekten Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
A cozinha também se integra ao resto da área social da casa N, em Moscou, especialmente pela continuidade do piso: suas tábuas corridas de carvalho se alinham à nogueira brilhante que dá forma à marcenaria dos armários (Valcucine). O projeto de reforma da residência russa é do escritório alemão 4a Architekten Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
Junto à fachada de vidro e ao longo do corredor que é uma continuação da área de estar, em seu eixo de integração com a sala de jantar, pilares ínfimos e estruturais de aço receberam pintura azul e ajudam a compor a decoração. Dispostas em linha, as cadeiras Victoria Ghost, com desenho assinado por Philippe Starck (Kartell), servem para apreciar a vista do lindo gramado externo e frontal. A reforma da casa N foi projetada pelo escritório alemão 4a Architekten Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
O único elemento arquitetônico a demarcar o espaço de mesa de jantar com cadeiras Victoria Ghost (Kartell) é um pilar estrutural metálico pintado de branco. Outros pilares são feitos em azul, junto à fachada de vidro. Elementos estruturais aparentes, delgados e coloridos, inseridos no conceito proposto para interiores, são típicos em projetos que propõem a integração máxima de ambientes ? neste caso, da área social de convivência. A casa N tem projeto da 4a Architekten Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
Uma parede de drywall dá mais intimidade à área de jantar, em relação à cozinha. E, assim como os rebaixos de gesso nos forros, a parede dá suporte à iluminação embutida feita pelos discos de LED das linhas Scotty e Spock (à dir., nas extremidades superiores), da Modular. O projeto de arquitetura para a reforma da casa N foi desenvolvido pelo escritório alemão 4a Architekten Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
Estar na casa N, em Moscou, é uma experiência que alia a arte, a arquitetura e a natureza. Ao sentar-se em uma cadeira de balanço junto à fachada composta por amplos panos de vidro, tem-se um aperitivo do que o projeto de reforma desenvolvido pelo escritório alemão 4a Architekten pretende: integração Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
O pé direito duplo e envidraçado permite a integração entre o mezanino - no primeiro pavimento -, o térreo (que dá lugar à sala de estar, à lareira, à sala de jantar e à cozinha) e o jardim frontal da casa N. Construída nos anos 1990, a residência russa passou por uma reforma que manteve a estrutura, mas subtraiu as paredes que dividiam o piso térreo em vários ambientes, bem como a fachada de madeira. O projeto é do escritório alemão 4a Architekten Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
O mezanino do primeiro pavimento cria uma convivência aberta, dentro do que seria área íntima da casa N, em Moscou - todo este andar está ocupado pela suíte máster do casal. O espaço tira proveito da fachada frontal envidraçada para captar luz e "ampliar" a sensação de espaço. A reforma da residência russa é um projeto do escritório alemão 4a Architekten Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
A circulação vertical entre o térreo e os dois pisos superiores é um eixo único determinado pela escada caracol de feitio leve e metálico, que contribui para a composição de um átrio aberto e integrado, dedicado à convivência. Os degraus são feitos de carvalho tratado e dão continuidade ao piso que reveste toda a residência. A casa N, na Rússia, teve reforma projetada pelo escritório alemão 4a Architekten Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
A suíte do casal tem sala para a ducha e banheira integradas ao dormitório. O banheiro é limitado apenas por uma porta de correr de vidro jateado. A mobília do cômodo foi executada pela Smartwood e desenhada pelo escritório alemão 4a Architekten, que desenvolveu o projeto de reforma da casa N, que fica em Moscou, Rússia Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
A mobília do banheiro foi executada pela Smartwood, enquanto piso e paredes foram revestidos por porcelanato com aspecto de pedra natural. O projeto de reforma para a casa N, em Moscou, é do escritório alemão 4a Architekten Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
Na foto, detalhe da marcenaria em MDF para livros e objetos. O projeto de reforma da casa N foi desenvolvido pelo escritório alemão 4a Architekten Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
Da banheira é possível aproveitar da bela vista para o entorno da casa N, através de uma janela alta e pequena - um dos recortes laterais do telhado -, o que oferece privacidade ao banho. A mobília para o banheiro foi executada pela Smartwood e desenhada pelo escritório alemão 4a Architekten, responsável pelo projeto de reforma da residência, que fica em Moscou, Rússia Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
O banheiro é limitado apenas por uma porta de correr de vidro jateado. A mobília do cômodo foi executada pela Smartwood e desenhada pelo escritório alemão 4a Architekten, que desenvolveu o projeto de reforma da casa N, que fica em Moscou, Rússia. No espaço, piso e paredes levam porcelanato com "cara de pedra" Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
Há um único eixo de circulação vertical que parte da sala de estar, no térreo, passa pelo primeiro andar, onde está a suíte máster, e segue até o segundo andar, onde se localizam dois dormitórios infantis e um banheiro. A escada-caracol metálica liga a sala de estar ao hall da suíte (mezanino; foto). A estrutura conta com o guarda-corpo feito de metal e com corrimão de carvalho, assim como os degraus Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
A suíte do casal, no primeiro pavimento da casa N, é um espaço íntimo de privacidade e recolhimento. Completo, o dormitório é francamente aberto à banheira e conta com sala de ducha - esta separada por porta de correr de vidro jateado - e closet. O projeto integrador de reforma é do escritório alemão 4a Architekten Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
O pavimento mais alto da casa N, em Moscou (Rússia), acomoda dois quartos infantis e um banheiro. As paredes e o forro em drywall são "únicos", uma vez que acompanham o recorte do telhado e, portanto, favorecem a experiência de um pé direito alto. A pintura - inclusive da viga estrutural e aparente do telhado - é branca e o piso é de carvalho "esbranquiçado". O projeto de reforma é assinado pelo escritório alemão 4a Architekten Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
Nos quartos das crianças, paredes de drywall são preenchidas com isolante térmico e pintadas com tinta acrílica branca. As portas são de madeira, assim como o piso (carvalho), tratado para atingir um tom mais claro, esbranquiçado. E, assim como os rebaixos de gesso nos forros, a parede recebe iluminação embutida, com os discos de LED das linhas Scotty e Spock, da Modular. O projeto de arquitetura para a reforma da casa N foi desenvolvido pelo escritório alemão 4ª Architekten Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
Nos quartos das crianças, paredes de drywall são preenchidas com isolante térmico e pintadas com tinta acrílica branca. As portas são de madeira, assim como o piso (carvalho), tratado para atingir um tom mais claro, esbranquiçado. E, assim como os rebaixos de gesso nos forros, a parede recebe iluminação embutida, com os discos de LED das linhas Scotty e Spock, da Modular. O projeto de arquitetura para a reforma da casa N foi desenvolvido pelo escritório alemão 4ª Architekten Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
Na casa N, em Moscou (Rússia) há um eixo de circulação vertical que vai desde a sala de estar, no térreo, até os pavimentos superiores e ao subsolo. Para o acesso aos pisos mais altos, a escada-caracol metálica tem uma estrutura aberta que não interfere como divisória entre os ambientes da ampla sala (foto), que também possui um canto (à esq.) aquecido pela lareira (Brunner) Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
A escada-caracol liga a sala de estar ao hall da suíte, instalado no mezanino do primeiro andar. O guarda-corpo estruturado em metal tem acabamento em carvalho (corrimão), o que cria uma continuidade em relação ao piso e aos degraus. O mezanino serve como elemento de integração entre a área privativa do casal e o exterior da casa N, devassado pela enorme fachada de vidro. O projeto de reforma desta residência russa é do escritório alemão 4a Architekten Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
Quatro pilares metálicos pintados de branco se destacam como se fossem "objetos de design" na casa N, em Moscou, Rússia. O projeto de reforma para sala de estar integrada ao jantar, à cozinha e à lareira é assinado pelo escritório alemão 4a Architekten Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
A sala de entretenimento no piso inferior da casa N, em Moscou, é um ambiente semienterrado equipado com home theater e futebol de mesa (pebolim). No ambiente, o piso de carvalho se estende até o deck do quintal, meio pavimento acima. O projeto de reforma para a residência russa foi desenvolvido pelo escritório alemão 4a Architekten Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
Imagem 26/43: O "porão" da casa N é um ambiente semienterrado que conta com sauna e sala de TV equipada com um futebol de mesa (pebolim), além de diversas peças de design. A residência recebeu fechamentos laterais transparentes durante a reforma, que permitiu melhor abrigar e exibir a coleção de obras de arteda família. Na sala inferior, o piso de carvalho se estende até o deck do quintal, meio pavimento acima. O projeto arquitetônico de repaginação é do escritório alemão 4a Architekten Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
O "porão" abriga a sauna e uma sala dedicada ao lazer, com home theater e futebol de mesa (pebolim). A casa N, reformada pelo escritório alemão 4a Architekten, recebeu fechamentos laterais transparentes em substituição à antiga fachada de madeira e adaptações internas para melhor abrigar e exibir a coleção de obras de arte e objetos de decoração da família que a habita, na Rússia Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
O eixo vertical de circulação não se dá apenas entre salas de convivência - estar, jantar e cozinha integrados - e os dormitórios distribuídos nos dois pavimentos superiores. Ele persiste em direção ao sótão, através de uma abertura no piso que abriga um lance sinuoso e fechado de escadas. A abertura é protegida por um guarda-corpo transparente, feito de vidro, que não limita a visão para os que observam e utilizam as salas do térreo Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
O eixo vertical de circulação não se dá apenas entre salas de convivência - estar, jantar e cozinha integrados - e os dormitórios distribuídos nos dois pavimentos superiores. Ele persiste em direção ao sótão, através de uma abertura no piso que abriga um lance sinuoso e fechado de escadas. A abertura é protegida por um guarda-corpo transparente, feito de vidro, que não limita a visão para os que observam e utilizam as salas do térreo Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
O pavimento mais alto da casa N, em Moscou (Rússia), acomoda dois quartos infantis e um banheiro. As paredes e o forro em drywall são "únicos", uma vez que acompanham o recorte do telhado e, portanto, favorecem a experiência de um pé direito alto. A pintura - inclusive da viga estrutural e aparente do telhado - é branca e o piso é de carvalho "esbranquiçado". O projeto de reforma é assinado pelo escritório alemão 4a Architekten Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
Os interiores da casa N, reformada a partir do projeto do escritório alemão 4a Architekten, foram radicalmente alterados: na área social térrea, as paredes não estruturais foram eliminadas; os fechamentos laterais, antes de madeira, foram substituídos por extensos caixilhos envidraçados e grande parte da área social foi integrada sob o pé direito duplo. De quebra, os quatro pilares metálicos e delgados foram pintados de branco e destacados como "objetos de design" Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
Maquete da Casa no Jardim Botânico, Rio de Janeiro, com projeto do arquiteto Angelo Bucci. Com desenho de 2012, a obra está em fase de construção DivulgaçãoMais
Edifício de apartamentos (2009-10) em Lugano, Suíça, com projeto do arquiteto Angelo Bucci DivulgaçãoMais
Projeto: um novo MAM para São Paulo, desenhado pelo arquiteto Angelo Bucci em 2013 DivulgaçãoMais
Mostra MCB - Harry Seidler 2014 - Casa Rose Seidler, Wahroonga, Sydney, Australia, 1948-50 Marcell Seidler/ DivulgaçãoMais
Conheça um pouco da obra de Mies van der Rohe; arquiteto alemão faria 126 anos Marcell Seidler/ DivulgaçãoMais
Mostra MCB - Harry Seidler 2014 - Edifício Australia Square, Sydney, 1961-67 Max Dupain/ DivulgaçãoMais
Mostra MCB - Harry Seidler 2014 - Clube de Hong Kong, Hong Kong, 1980-84 John Gollings/ DivulgaçãoMais
Mostra MCB - Harry Seidler 2014 - Escritório Shell (One Spring Street), Melbourne, 1985-89 John Gollings/ DivulgaçãoMais
Mostra MCB - Harry Seidler 2014 - Escritório Shell (One Spring Street), Melbourne, 1985-89 John Gollings/ DivulgaçãoMais
Mostra MCB - Harry Seidler 2014 - Harry Seidler na Casa Rose Seidler, 1952 Marcell Seidler/ DivulgaçãoMais
Mostra MCB - Harry Seidler 2014 - Casa de Harry e Penelope Seidle, vista do norte, Killara, Sydney, 1966-67 Max Dupain/ DivulgaçãoMais
Mostra MCB - Harry Seidler 2014 - Edifício Edmund Barton, Canberra, 1970-74 Max Dupain/ DivulgaçãoMais
Mostra MCB - Harry Seidler 2014 - Embaixada da Austrália, Paris, França, 1973-77 Max Dupain/ DivulgaçãoMais
Mostra MCB - Harry Seidler 2014 - Wohnpark Neue Donau, Vienna, 1993-98 Eric Sierins/ DivulgaçãoMais
Mostra MCB - Harry Seidler 2014 - Clube de Hong Kon, Hong Kong, 1980-84 John Gollings/ DivulgaçãoMais
Mostra MCB - Harry Seidler 2014 - Casa de Harry e Penelope Seidle, vista do norte, Killara, Sydney, 1966-67 Max Dupain / DivulgaçãoMais
Mostra MCB - Harry Seidler 2014 - Wohnpark Neue Donau, Vienna, 1993-98 Eric Sierins/ DivulgaçãoMais
Mostra MCB - Harry Seidler 2014 - Casa Julian Rose, Wahroonga, Sydney, 1949-50 Max Dupain/ DivulgaçãoMais
Mostra MCB - Harry Seidler 2014 - Embaixada da Austrália, Paris, França, 1973-77 Max Dupain/ DivulgaçãoMais
Mostra MCB - Harry Seidler 2014 - Horizon Apartments, Sydney, 1990-98 Eric Sierins/ DivulgaçãoMais
Mostra MCB - Harry Seidler 2014 - Casa Berman, Joadja, New South Wales, 1996-99 Eric Sierins/ DivulgaçãoMais
Mostra MCB - Harry Seidler 2014 - Ian Thorpe Aquatic Centre, Sydney, 2001-07 Dirk Meinecke/ DivulgaçãoMais
No térreo da Casa FG, projetada pelo escritório Reinach Mendonça Arquitetos Associados, estão os espaços de lazer, convívio, serviços, além das dependências de hóspedes Arte UOLMais
Desenho mostra a disposição das dependências íntimas da Casa FG, projetada pelo escritório Reinach Mendonça Arquitetos Associados, localizadas no segundo pavimento Arte UOLMais
Utilizada para aquecer visualmente os espaços e quebrar a rigidez do concreto, a madeira reveste o forro sobre a rampa, o piso do corredor de acesso aos dormitórios, além de compor portas e armários. A Casa FG foi projetada pelo escritório Reinach Mendonça Arquitetos Associados Nelson Kon/ DivulgaçãoMais
No pavimento superior, uma saleta íntima precede o corredor de acesso aos dormitórios. Esse espaço possui atmosfera acolhedora e é muito usado pela família. Destaque para a mescla harmônica de materiais, como concreto, madeira, pedra e vidro. A Casa FG foi projetada pelo escritório Reinach Mendonça Arquitetos Associados Nelson Kon/ DivulgaçãoMais
Da circulação interna, esta é a vista da entrada principal da Casa FG, projetada pelo escritório Reinach Mendonça Arquitetos Associados. Com pé-direito duplo, a porta conduz à rampa de acesso para o andar superior. E, à esquerda, no patamar intermediário, está o escritório que aparece em balanço de 3,2 m quando visto da fachada Nelson Kon/ DivulgaçãoMais
Concreto e madeira em perfeito equilíbrio dão o clima agradável da Casa FG, projetada pelo escritório Reinach Mendonça Arquitetos Associados. A rampa que conduz ao segundo andar substitui a escada com conforto e possibilita uma visão integral dos espaços Nelson Kon/ DivulgaçãoMais
Espaços totalmente integrados e voltados para a área externa: essa é a proposta básica do projeto da Casa FG, criado pelo escritório Reinach Mendonça Arquitetos Associados. A ampla sala de jantar (ao fundo) possui mesa com 18 lugares para acomodar a família numerosa e se interliga com o estar que tem uma estante (à dir.) de madeira vazada substituindo a parede Nelson Kon/ DivulgaçãoMais
O vértice do "L" (formato da planta) pode ser observado na integração entre estar e jantar, ambos voltados para a área externa. O fechamento em vidro favorece a interligação dos espaços de convívio e lazer. A Casa FG foi projetada pelo escritório Reinach Mendonça Arquitetos Associados Nelson Kon/ DivulgaçãoMais
A planta em "L" permitiu que um dos braços tivesse dois pavimentos e o outro apenas um, onde está a ala social de grandes dimensões para reunir toda a família. Nela, os ambientes são integrados e abertos para o exterior com piscina e jardim. A Casa FG foi projetada pelo escritório Reinach Mendonça Arquitetos Associados Nelson Kon/ DivulgaçãoMais
A iluminação noturna reforça a marcação dos espaços da Casa FG, projetada pelo escritório Reinach Mendonça Arquitetos Associados. Há pontos instalados na rampa, na sanca em linhas curvas e embutidos na estante que delimita a ala social em relação ao corredor de entrada e à rampa Nelson Kon/ DivulgaçãoMais
Ao anoitecer, a Casa FG, projetada pelo escritório Reinach Mendonça Arquitetos Associados, se enche de luz tanto nos interiores quanto na fachada e nos jardins, incluindo a piscina Nelson Kon/ DivulgaçãoMais
A perfeita integração dos ambientes da ala social ao exterior é um convite ao "relax" e ao lazer junto à família e aos amigos. A Casa FG foi projetada pelo escritório Reinach Mendonça Arquitetos Associados Nelson Kon/ DivulgaçãoMais
A planta em "L" favoreceu a criação de um bloco com dois pavimentos onde estão as suítes (superior) e outro apenas com térreo. Sobre esse "braço", a cobertura recebeu um terraço com pergolado. A Casa FG foi projetada pelo escritório Reinach Mendonça Arquitetos Associados Nelson Kon/ DivulgaçãoMais
A Casa FG, projetada pelo escritório Reinach Mendonça Arquitetos Associados, recebeu farta iluminação nas fachadas, no terraço e, principalmente, na área externa com extensos jardins e piscina Nelson Kon/ DivulgaçãoMais
A sala de estar se volta totalmente para o exterior reservado, onde está o lazer. Com mobiliário confortável e contemporâneo ela apresenta muito conforto e é um dos poucos ambientes que receberam tapete sobre o piso em pedra São Tomé branca. A Casa FG foi projetada pelo escritório Reinach Mendonça Arquitetos Associados Nelson Kon/ DivulgaçãoMais
Um dos braços do "L", formado pelo traçado construtivo, tem dois pavimentos e é ocupado pelos dormitórios dos filhos e do casal. No vértice com fechamento em vidro observa-se o pé-direito de 5,6 m. A estrutura em concreto contrasta com as portas de correr, em freijó, criando um interessante efeito plástico na fachada. A Casa FG foi projetada pelo escritório Reinach Mendonça Arquitetos Associados Nelson Kon/ DivulgaçãoMais
O terraço instalado na laje de um dos blocos dá acesso aos dormitórios, em especial à suíte máster, à esquerda. A Casa FG foi projetada pelo escritório Reinach Mendonça Arquitetos Associados Nelson Kon/ DivulgaçãoMais
O concreto armado aparente foi moldado "in loco" e assegura a contemporaneidade da Casa FG, projetada pelo escritório Reinach Mendonça Arquitetos Associados. Destaque para o volume do escritório em balanço de 3,2 m, revestido por uma estrutura metálica Nelson Kon/ DivulgaçãoMais
O concreto armado aparente foi moldado "in loco" e assegura a contemporaneidade da Casa FG, projetada pelo escritório Reinach Mendonça Arquitetos Associados. Destaque para o volume do escritório em balanço de 3,2 m, revestido por uma estrutura metálica Nelson Kon/ DivulgaçãoMais
Além do conforto, a suíte máster apresenta o bucolismo esperado para o relax com o ofurô instalado na área externa, cercado pelas paredes revestidas em lambri de madeira, plantas e o céu. Internamente, o banheiro tem duas cubas para o casal e uma hidromassagem. A Casa FG tem projeto assinado pelo escritório Reinach Mendonça Arquitetos Associados Nelson Kon/ DivulgaçãoMais
Dois momentos importantes da arquitetura da Casa FG assinada pelo escritório Reinach Mendonça Arquitetos Associados: as rampas de acesso ao segundo pavimento que proporcionam um "passeio visual" pela residência e as linhas curvas do forro, revestido em madeira, que concedem dinamismo ao espaço Nelson Kon/ DivulgaçãoMais
Para integrar todos os espaços da Casa FG, os arquitetos do escritório Reinach Mendonça, optaram por uma rampa com 14% de inclinação, que faz o acesso ao pavimento superior. O mix de materiais predomina nos ambientes, criando interessante contraste entre pedra, madeira, concreto e vidro. À esquerda, a estante de madeira vazada substitui a parede e interliga os espaços, possibilitando também a passagem de luz Nelson Kon/ DivulgaçãoMais
O térreo da Casa FG, projetada pelo escritório Reinach Mendonça Arquitetos Associados, possui programa de lazer completo na área externa, que está totalmente integrada à ala social composta por varanda, estar, jantar com mesa para 18 pessoas, home theater, sala de brincar, academia e uma suíte de hóspedes. O fechamento em vidro com caixilharia metálica se destaca também no vértice entre os dois blocos construtivos Nelson Kon/ DivulgaçãoMais