Salas de estar: sugestões para quem tem muito ou pouco espaço

Informações sobre o álbums
  • editoria:Geral
  • galeria: Enquete
  • link: http://noticias.bol.uol.com.br/fotos/entretenimento/2013/05/08/salas-de-estar-sugestoes-de-decoracao-para-quem-tem-muito-ou-pouco-espaco.htm
  • totalImagens: 1000
  • fotoInicial: 0
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20110610213816
  • link:
    • decoração [18997];
Fotos
Deste ângulo é possível observar a beleza do volume dos dormitórios, no piso superior, revestido com ripas de madeira. O bloco contrasta com a parede de concreto e aquece o 'living' sob si. A Casa Braga tem projeto do arquiteto Gustavo Penna Leonardo Finotti/ UOL

Mais
A franca comunicação das salas com o exterior e seus jardins é feita através dos fechamentos envidraçados, que dotam a Casa Braga de grande transparência e luz. O estar conta com sofás de couro e bancada ampla de madeira, onde está a TV (à dir.). O projeto é do arquiteto Gustavo Penna Leonardo Finotti/ UOL

Mais
Neste apê com 120 m² e espaços muitos segmentados, a varanda foi integrada à sala pela retirada de uma porta de vidro. O projeto de reforma do escritório Iná Arquitetura nivelou os pisos com porcelanato 90 cm x 90 cm (Portobello), que imita cimento. O cinza também predomina nos móveis, como no sofá (Seu Sofá), à esquerda Maíra Acayaba/ Divulgação

Mais
A estante da sala leva MDF laqueado e folha de pau-ferro e é formada por nichos que abrigam os 'souvenires' de viagens da família. A porta para a cozinha é de correr e, quando aberta, é 'engolida' pela parede divisória de gesso acartonado. A luminária de teto (Reka) oferece luz rebatida pelo forro rebaixado Maíra Acayaba/ Divulgação

Mais
O imóvel que fica em São Paulo tinha, originalmente, uma grande varanda (ao fundo). Para atender ao pedido da proprietária, que queria um apê com cara de 'loft', o espaço foi integrado à sala para criar uma ampla área social. Para dispor o mobiliário, o projeto assinado pelo arquiteto Marcelo Rosset levou em conta os espaços para a circulação e priorizou a acessibilidade da moradora cadeirante Marco Antonio/ Divulgação

Mais
A varanda, original do imóvel, foi integrada à sala do apê com 270 m² em São Paulo (SP). No espaço, além da área de estar, o arquiteto Marcelo Rosset compôs um canto para leitura (à esq.). O preto e cinza predominam nos móveis, porém, há detalhes coloridos a exemplo do quadro (Zipper Galeria), à direita Marco Antonio/ Divulgação

Mais
Igor Rickli e Aline Wirley só não fizeram as partes hidráulica e elétrica da reforma da casa no Rio de Janeiro. A residência modernista ganhou decoração com inspiração clássica: na entrada, uma parede propositadamente "detonada" contrasta com o sofá do tipo "settee" e a poltrona, ambos com estampas florais Marco Antonio Teixeira/ UOL

Mais
Pisos, forros e paredes internas da cabana Moonlight, na Austrália, são revestidas com um tipo de eucalipto australiano clareado. Na sala de estar, o recorte do piso na base da lareira suspensa foi feito com ardósia polida e o sofá foi contornado pela marcenaria em laminado melamínico preto. O projeto de arquitetura e interiores é do escritório Jackson Clements Burrows Jeremy Weihrauch - Gollings Studio/ Divulgação

Mais
A inspiração para compor o projeto veio dos lofts nova-iorquinos. Definida por trilhos aparentes e luminárias com uma pegada industrial, a iluminação do apê 'conversa' bem com esse conceito. A parede de tijolinhos é outro recurso que mantém o ar cosmopolita, além de dar privacidade ao quarto. A reforma é do escritório Samaia Arquitetura + Design Edson Ferreira/ Divulgação

Mais
A bancada de madeira é acompanhada de duas banquetas que são usadas para as refeições. O sofá de dois lugares compõe a área de estar e, à direita, uma 'meia' parede resguarda parte da cozinha de quem chega à residência. A reforma capitaneada pelo escritório IBD pintou as paredes e portas de branco, o que proporcionou ar leve ao apê na Cantareira, em São Paulo Sidney Doll/ Divulgação

Mais
Esse ângulo mostra o interior da Casa Arca, projetada pelo arquiteto Marko Brajovic: a partir do topo, é possível ver a estrutura de madeira (à dir.) que veda os quartos e garante privacidade. Avista-se ainda o terraço estreito próximo à copa das palmeiras Divulgação

Mais
Voltado para a rua, o estar principal tem ambientação singela, com móveis em cores neutras e sóbrias: à esquerda, o destaque é uma poltrona desenhada por Charles e Ray Eames. Os pilares em concreto aparente emolduram o espaço, com reforma capitaneada pelo escritório Vapor 324 Leonardo Finotti/ UOL

Mais
A Sala de Troféus, com 45,9 m², de Luiz Mangué, exibe um tapete tricolor com listras e zigue-zagues combinado com móveis escuros. Um exemplo é o sofá ricamente trabalhado em couro, com detalhes em tachas douradas e acabamento capitonê Marcelo Stammer/ Divulgação

Mais
No estar da Villa Planchart chamam a atenção a janela-vitrine (sobre o sofá), o piso de mármore colorido e o teto com listras brancas e amarelas. A casa foi projetada pelo arquiteto italiano Gio Ponti, na Venezuela, e se propõe a conciliar arquitetura, mobiliário e os objetos pessoais dos antigos moradores Leonardo Finotti/ UOL

Mais
Amantes de arte, Armando e Anala Planchart queriam que sua casa, mais do que monumental, transbordasse cor e cultura. O arquiteto italiano Gio Ponti conseguiu atendê-los com espaços amplos, fluídos e coloridos. Em uma das salas, planos geométricos decoram o teto e os conjuntos de mesas de apoio Leonardo Finotti/ UOL

Mais
O pé-direito duplo dá monumentalidade à Villa Planchart que, embora tenha sido projetada para ser a morada de um casal, lembra muito uma galeria de arte. A casa, erguida nos anos 1950, é uma das joias arquitetônicas da capital venezuelana e foi projetada pelo italiano Gio Ponti Leonardo Finotti/ UOL

Mais
Móveis compactos e marcenaria planejada criam um estar gostoso para receber amigos. Madeira, base clara e os estofados azuis, escolhidos pelo arquiteto Marcos Biarari e pelo designer Marcio Rodrigues, dão personalidade à sala decorada com o tapete de pele de vaca J. Vilhora/ Divulgação

Mais
Sobre os tacos de peroba, o arquiteto Marcos Biarari e o designer Marcio Rodrigues posicionaram um belo tapete de couro de vaca, que dá mais aconchego ao ambiente. A reforma que recuperou o piso também instalou forro de gesso, a fim de instalar o ar-condicionado e o cortineiro J. Vilhora/ Divulgação

Mais
A reforma idealizada pelo escritório Biarari & Rodrigues valorizou o piso de taquinhos, que foi recuperado e tratado com resina fosca. Na decoração, algumas peças reforçam o clima retrô, sem tornar o ambiente caricato J. Vilhora/ Divulgação

Mais
As grandes aberturas em madeira e vidro permitem a entrada de luz e ventilação naturais na casa Areia, em Trancoso (BA). O amplo living tem pé-direito generoso e revestimento cimentício (Bricolagem) aplicado ao piso, teto e paredes. O projeto de arquitetura e interiores é assinado pela arquiteta Debora Aguiar Marco Antonio/ Divulgação

Mais
O living com área 'gourmet' se abre para a varanda da casa de praia projetada pela arquiteta Debora Aguiar. No alto de uma falésia, a morada de um casal de empresários tem vista para o mar de Trancoso, na Bahia Marco Antonio/ Divulgação

Mais
A luz natural inunda os interiores da casa graças às portas corrediças envidraçadas nas laterais da sala de estar, que também promovem a ventilação cruzada. De um lado do living está a piscina com spa, do outro, os jardins. O condomínio Bauhaus é um projeto da arquiteta Monica Drucker Divulgação

Mais
Nas casas do condomínio Bauhaus, projetado pela arquiteta Monica Drucker, os ambientes se integram horizontal e verticalmente, como em um loft. O pé-direito com 5,6 m no estar permite a visualização de diversos espaços da casa. A decoração contemporânea tem detalhes azuis, como a escultura e a poltrona (Brentwood) Divulgação

Mais
O armário da cozinha, em MDF, leva pintura microtexturizada turquesa (Florense). O pendente (Marché Art de Vie) tem pintura eletrostática amarela ? as cores integram o lounge à cozinha do Apartamento Higienópolis, em São Paulo, projeto da D2N Arquitetura e Interiores. Um acessório Empório Santa Luzia é utilizado para pendurar panelas Celia Marie Weiss/UOL

Mais
No ambiente quase 100% rosa desenhado por Leo Romano, parte da iluminação é feita indiretamente: os focos de luz estão por trás das placas metálicas que revestem a Casa Braile, na edição 2016 da Casa Cor SP. No cantinho, ao lado do sofá, bonecas-luminárias fisgam o visitante Katia Kuwabara/UOL

Mais
Para criar contraste com o piso de tacões (tauari) verdes e suavizar a composição, os arquitetos Túlio Xenofonte e Fábio Basanie escolheram usar madeiras claras. Um bom exemplo é o banco circular, instalado em volta de um dos pilares do espaço, e o sofá coberto com uma "manta" de coquinhos, desenhado pela dupla. O ambiente faz parte da Casa Cor SP - 2016 Divulgação

Mais
No Living da Família, na Casa Cor SP - 2016, junto aos dois espelhos instalados em uma das laterais estão as esculturas do artista natalense Demétrius Coelho. As peças foram feitas a partir de dormentes, usados no assentamento de trilhos ferroviários. O ambiente é assinado pelo Urbano Studio Divulgação

Mais
O Living da Família, na edição 2016 da Casa Cor São Paulo, é inspirado em amantes do velejar. Na composição do espaço, poltronas de fibra e o sofá com "manta" de coquinhos, também desenhados pelos arquitetos Túlio Xenofonte e Fábio Basanie, do Urbano Studio Divulgação

Mais
A luz e a ventilação para o ambiente social integrado com jantar, estar e cozinha vem da fachada dos fundos, inteiramente composta de elementos vazados de concreto (cobogós). Não há janelas laterais, a fim de manter a privacidade da casa Gabriela, desenhada pelo Taco Taller de Arquitectura Contextual Leo Espinosa/ Divulgação

Mais
Na área do estar, as gravuras na parede sobre o sofá são do artista Rubem Pondé. Os quadros completam a decoração com toques de cor no tapete (Oppa) e nas almofadas. Os tons de azul e as pitadas de amarelo combinam com a parede da cozinha (ao fundo), revestida com azulejo Kit Triangulo, da Lurca. O apê com 29 m² fica em São Paulo e tem interiores assinados pelo escritório Notar Design Jhonatan Chicaroni/UOL

Mais
Categoria: Casas Urbanas - Beto Galvez e Nórea de Vitto. A casa da década de 1960 passou por uma reforma, que preservou a parede de pedras atrás da lareira. A paleta de cores sóbrias e versáteis, como o bege e o preto, destaca as obras de arte Divulgação

Mais
Categoria: Decoração no Campo - René Fernandes. A decoração desta casa de fazenda no interior do Rio Grande do Sul dialoga com a cultura local. Com peças de personalidade forte, o mobiliário é composto de móveis e objetos garimpados em antiquários de Pelotas (RS) Fernandes Bage/ Divulgação

Mais
Categoria: Decoração na Praia - Beto Galvez e Nórea de Vitto. Nesta casa de praia no litoral paulista, sala e cozinha (foto) foram integradas pela reforma e a construção original ganhou mais quatro suítes. Os acabamentos seguiram o estilo rústico e a decoração foi composta de peças herdadas e garimpadas em feirinhas Tuca Reinés/ Divulgação

Mais
Um dos espaços do Loft 9, assinado por Ana Paula de Castro e Sanderson Porto, tem paredes revestidas com palha natural. A decoração se baseia em tons terrosos na madeira e no tapete em zigue-zague. As poltronas e pufes são estruturados com redes e têm almofadões com acabamento em couro. A criação computa uma área de 85 m² Jomar Bragança/Divulgação

Mais
A sala do Wine Bar, que leva a assinatura de Ana Paula Melo, não foge dos tons terrosos: os sofás e poltronas Mole, criados por Sergio Rodrigues, combinam com a cadeira de couro e convidam ao relaxamento. Tijolos aparentes e a estante ampla em madeira e vidro, lembram uma casa de fazenda Jomar Bragança/Divulgação

Mais
Roberto Migotto levou duas peças de Salvador Dalí (1904-1989), criadas em parceria com o designer francês Jean Michel Frank (1895-1941), para seu espaço na Casa Cor SP 2016. Com o tema "Tributo aos 30", o living-biblioteca comemora os 30 anos da mostra e os 30 de profissão do arquiteto. As referências de decoração partem da década de 1930. Divulgação

Mais
Casa Cor 2008 - No Loft da casa, nenhum sinal de tevê de plasma... André Porto/UOL

Mais
Casa Cor SP 2009 - As cabeças de bichos de pelúcia no espaço criado para a Casa Cor Kids por Thales Drummond Fabiano Cerchiari/UOL

Mais
Casa Cor SP 2011 - O arquiteto Jorge Elias criou o Living da Casa Cor 2011. O ambiente foi inspirado nos anos 40 e na própria arquitetura do Jockey Club e ocupa 90m². A exposição fica em cartaz no Jockey Club de São Paulo de 24 de maio a 12 de julho de 2011 (24/05/2011) Marco Pinto/UOL

Mais
Casa Cor 2016: Arquitetura: Urbano Studio A inspiração para o living dessa família jovem é o hobby que eles têm em comum: velejar. Pai, mãe e um casal de filhos encontraram na vela uma paixão que os une e fez a família voltar-se ainda mais para si, com uma mudança importante na vida dos pais, que buscaram compor um living onde pudessem estar sempre juntos, curtindo as lembranças das viagens passadas e programando as futuras. Com destaque para o piso de madeira tonalizado em verde-esmeralda, remetendo ao mar, o ambiente foi composto como um grande galpão urbano, com um perfume náutico, porém sem cair no temático. Peças de design exclusivo, assinadas pelo escritório de arquitetura, conferem sofisticação e conforto ao life style apresentado no ambiente. Divulgação

Mais
Casa Cor 2016: Autêntica e autoral, a Casa Braile, de Leo Romano, é uma celebração aos sentidos. O destaque são os painéis de alumínio microperfurados que envelopam teto e paredes, com o dizer ?Lembre-se de esquecer?, colocando o visitante no universo do braile. Compõem o ambiente texturas diversas e muitas gradações da cor rosa, tanto na decoração quanto nos móveis ? muitos deles pertencentes à nova coleção desenhada por Romano e batizada de Bailarina. Como recurso cênico, a superfície é retroiluminada e a paleta de cores definida por gradações de rosa passeia por móveis, tapetes, objetos, paredes e teto. Divulgação

Mais
Casa Cor 2016 - O living glamouroso e elegante com ares de biblioteca é assinado por Roberto Migotto, que comemora, assim como a CASA COR, 30 anos de carreira. Por isso, o nome do espaço também remete à década de 1930, tempo do designer francês Jean- Michel Frank. Junto do sócio Ricardo Minelli, Migotto desenvolveu um ambiente contemporâneo e relaxante, com a maioria dos móveis sendo composta por peças da sua nova coleção, lançada nesta edição da mostra. Divulgação

Mais
Casa Cor SP 2016 - ambiente Shoji 04: O projeto do escritório Yamagata Arquitetura, com 84 m², é um retângulo dividido em um amplo salão e outros três espaços menores, limitados por divisórias de madeira inspiradas nos biombos japoneses, conhecidos como "shoji". O ambiente de estar (foto) e jantar é baseado nas cores claras, com predomínio do branco Denilson Machado/ Divulgação

Mais
Casa Cor SP 2016 - ambiente Shoji 04: Junto à janela, na sala de estar, o móvel estruturado com caixotes estilizados dá apoio à coleção de louças brancas, escolhida pelos profissionais do escritório Yamagata Arquitetura. O espaço faz parte da edição 2016 da Casa Cor São Paulo, que fica em cartaz até dia 10 de julho Denilson Machado/ Divulgação

Mais
Casa Cor SP 2016 - ambiente Shoji 04: Para a iluminação do living, os focos foram distribuídos linearmente e seguem o desenho da laje de concreto com ares industriais. O ambiente é quase monocromático, mas no piso, os ladrilhos hidráulicos têm desenhos geométricos sutis em verde claro Denilson Machado/ Divulgação

Mais
O Studio Nando, assinado pelo designer de interiores Nando Nunes, conta com diferentes padrões acinzentados. Na parede à esquerda foi usado um tom mais claro, que cria contraste com o sofá e com o espelho (à direita). Com formas limpas e lineares, o espaço de 63 m² também conta com uma parede (ao fundo) revestida pelo painel de MDF com pintura em microtextura. A maioria dos móveis do estar é de madeira clara, mas há uma mesa lateral dourada ao lado do estofado. Espaço da Casa Cor Goiás 2016. Jomar Bragança/ Divulgação

Mais
A cor preta cria o pano de fundo para o Lounge 9, assinado por Ana Paula de Castro e Sanderson Porto: o quartzo Pietra Grey reveste a parede com plantas especialmente pensadas para ambientes fechados. Nos 85 m² desta construção na Casa Cor Goiás 2016, o tom escuro ainda figura na base da mesa de centro e no aparador entre os sofás de verdes. Jomar Bragança/ Divulgação

Mais
Uma das salas de estar da mansão que Britney Spears colocou à venda por US$ 8,9 milhões (o equivalente a R$ 32 milhões, segundo cotação do dia 13.maio.2016) conta com janelões, lustres e arandelas, que deixam o espaço bem iluminado. A cartela de cores contrasta a base escura e os móveis claros e é pontuada por tons de cinza prateado Beach City Brokers/ Reprodução

Mais
O piano é um dos destaques do segundo ambiente de estar da mansão que Britney Spears está vendendo, por R$ 32 milhões, na Califórnia, Estados Unidos. O espaço conta com móveis claros e blocados: em frente à lareira estão dois sofás em capitonê, duas poltronas e quatro luminária Beach City Brokers/ Reprodução

Mais
No apartamento nas Astúrias, um simples deslocamento dos módulos faz com que os quartos desapareçam para dar lugar a uma ampla sala com muita luz natural e vista para a praia. O projeto de interiores audacioso foi realizado pelos arquitetos do escritório PKMN e faz parte da série "Pequeñas Grande Casas" Javier de Paz García/ Divulgação

Mais
No apê MJE, nas Astúrias, atrás das superfícies brancas escondem-se armários, nichos, mesas e camas. A instalação de módulos móveis deu flexibilidade ao programa do imóvel, que pode ser adaptado às diferentes necessidades de seus moradores. O projeto é assinado pelos arquitetos do escritório PKMN Javier de Paz García/ Divulgação

Mais
A manutenção do "layout" original da construção com quase 300 anos, reformada pelo Atelier Bugio, vai na contramão da ideia contemporânea dos espaços de convivência integrados. Na Casa Maria Borges, a ala social é toda compartimentada, com espaços divididos pelas paredes originais de madeira Leonardo Finotti/ UOL

Mais
O arquiteto português João Favila Menezes, do Atelier Bugio, reformou o último andar e o sótão de uma antiga construção da época do Marquês de Pombal (1699-1782) em Lisboa, capital portuguesa. O edifício, original do século 18, recebeu o nome de Casa Maria Borges e hoje se configura como um apartamento dúplex com 200 m² Leonardo Finotti/ UOL

Mais
O projeto para a reforma da Casa Maria Borges é de 2006 e a ideia era transformar a construção com quase 300 anos em uma moradia contemporânea, adaptada às necessidades atuais. Todavia, não se pretendia que a carga histórica do passado ou suas características arquitetônicas se perdessem. Assim, o projeto do Atelier Bugio, em Lisboa, buscou manter traços originais, como o piso de madeira e os vãos com alturas generosas Leonardo Finotti/ UOL

Mais
O piso inferior da Casa Maria Borges define o espaço social da habitação (que atualmente é um apartamento dúplex). Nas salas, materiais e estrutura pré-existentes foram recuperados e a luz é absorvida através de janelas de mansarda: pequenas aberturas típicas de telhados e sótãos, dispostas nos últimos andares dos edifícios antigos. Os ladrilhos cerâmicos, na altura dos rodapés, remetem à tradição portuguesa da azulejaria. O projeto de reforma é assinado pelo Atelier Bugio Leonardo Finotti/ UOL

Mais
Na área do estar, uma estante ocupa a parede com pé-direito duplo, acomodando obras de arte e o home theater. Para permitir o acesso às partes mais altas, uma escada tubular faz parte da estrutura do móvel. O sofá em L também ganhou nichos para guardar livros. O projeto de reforma e interiores do apê Duo, em São Paulo, é do arquiteto Giancarlo Rocco Evelyn Müller/ Divulgação

Mais
A sala de estar foi revestida com assoalho de cumaru, o que dá aconchego ao ambiente com pé-direito duplo. A estante é destacada pela iluminação pontual e a persiana (do tipo romana) protege o ambiente do excesso de sol, quando preciso. A reforma e o design de interiores foram idealizados pelo arquiteto Giancarlo Rocco para o apê Duo, em São Paulo Evelyn Müller/ Divulgação

Mais
O living conecta-se à varanda por amplas esquadrias, que possibilitam a entrada de luz e ventilação naturais. No estar, a estante que toma toda a extensão de uma parede acomoda obras de arte, objetos e o home theater. Apesar do móvel oferecer bastante espaço para a armazenagem, o sofá também ganhou nichos e guarda livros. O projeto de reforma do apê Duo, em São Paulo, é do arquiteto Giancarlo Rocco Evelyn Müller/ Divulgação

Mais
Graças à ausência de vigamento, o conjunto das esquadrias vai do piso a teto, propiciando melhor aproveitamento da paisagem. O estar tem piso e vedações feitos com madeira e sofás cinzentos, como o concreto aparente que domina teto e paredes. A Casa do Bomba foi projetada pelo escritório Sotero Arquitetos Leonardo Finotti/ UOL

Mais
Desse ângulo vê-se a integração dos ambientes sociais com cozinha/bar e jantar em primeiro plano, seguidos por home theater, sala de estar e a generosa varanda de onde se vislumbra a bela paisagem. A Casa do Bomba, projetada pelo escritório Sotero Arquitetos, fica na Bahia Leonardo Finotti/ UOL

Mais
A cobertura dúplex de Uma Thurman, em Nova York, está à venda por cerca de R$ 22 milhões. A residência conta com sistema de ar-condicionado central e amplas janelas em todos os cômodos. Na sala de estar, a decoração é elegante e contrapõe alguma peças escuras à uma base clara. A paleta que rege o ambiente se baseia em dourado, "off-white" e marrom "café" Corcoran.com/ Divulgação

Mais
Uma sala reservada, destinada ao lazer e ao descanso faz parte da cobertura de Uma Thurman, colocada à venda por R$ 22 milhões, em Nova York Corcoran.com/ Divulgação

Mais
No apê Alvorada são os detalhes em azul, do claro ao escuro, que criam a identidade do projeto assinado pelo escritório Suite Arquitetos. Como os ambientes são integrados, a paleta tem o cinza como base. O espelho, que reveste a parede lateral (à dir.), amplia os espaços Ricardo Bassetti/ Divulgação

Mais
O living deveria ter poucos móveis, mas presença marcante. A cabeça de unicórnio (Casa de Valentina) e os quadros azuis são o carro-chefe do projeto desenvolvido pelo escritório Suite Arquitetos. Como azul e cinza são cores frias, o ambiente foi aquecido com peças estratégicas de madeira, como as cadeiras LCW, com design de Charles e Ray Eames Ricardo Bassetti/ Divulgação

Mais
O acesso principal da casa Ibiray se faz pela garagem (ao fundo e à esquerda), que fica separada do living por esquadrias de alumínio envidraçadas. O estar é o único ambiente interno do térreo não recuado em relação à fachada, no projeto de Lucho Oreggioni e Sonia Prieto Leonardo Finotti/ UOL

Mais
Com lareira e TV, o estar é superiluminado pelas generosas janelas e pelas portas de correr laterais, que dão acesso a um pátio e à garagem. A casa Ibiray é um projeto dos arquitetos uruguaios Lucho Oreggioni e Sonia Prieto Leonardo Finotti/ UOL

Mais
A sala da Casa Tropicália, criada por Daniele Guardini e Adriano Stancati e exibida na Casa Cor Campinas 2016, conta com escada com desenho limpo e geométrico, revestida com madeira, e protegida por guarda corpo de vidro. O ambiente exibe ainda peças de decoração com linhas neutras e atuais, a exemplo das mesas de centro João Ribeiro/ Divulgação

Mais
Aldomar Caprini assina a Sala da Família, na Casa Tropicália da Casa Cor Campinas 2016. As paredes ganharam revestimento em tecido, criando uma atmosfera intimista. As telas são abstratas e o tapete, que ocupa todo o piso, conta com padrão geométrico João Ribeiro/ Divulgação

Mais
A Casa Bossa Nova, na edição 2016 da Casa Cor Campinas, conta com um dormitório com sala integrada, assinado por Renata Selmi Herrmann. Nesta Suíte Master, os tons marrom, off-white e cobre são combinados à madeira a fim de estabelecer uma ambientação elegante. As peças do mobiliário com linhas retas e os tecidos claros criam contraste com as parede viva em tom coral João Ribeiro/ Divulgação

Mais
O paisagista Márcio Carmona e os arquitetos Cíntia Teixeira e Henrique Veiga Júnior são os responsáveis pela Praça Casa Cor e Lounge, dentro da Casa Bossa Nova, na Casa Cor Campinas 2016. O lounge a alia funcionalidade de um escritório e o aconchego de uma sala de estar (foto). O cenário despojado, conta com iluminação com focos direcionados, câmeras de segurança e som ambiente. A decoração é feita com plantas rústicas e peças de arte, mas o destaque vai para o sofá com trama sobre a estrutura aramada João Ribeiro/ Divulgação

Mais
Aberta para o jardim pelas portas de correr com caixilhos de chapa dobrada e tubos de aço carbono, a sala da casa LP, tem parede estrutural e laje deixadas no concreto e piso assoalhado. Na foto, o destaque vai para a única coluna que sustenta a cobertura Leonardo Finotti/ UOL

Mais
O living da casa LP, idealizada pelo escritório Metro Arquiteto, integra estar e jantar compostos com móveis despojados e dotados de pontos de cor. Ao fundo (e à dir.), o hall de entrada é delimitado pelo piso de concreto Leonardo Finotti/ UOL

Mais
As paredes divisórias da casa LP, projetada pelo escritório Metro Arquitetos na capital paulista, foram pintadas de branco, diferenciando-se das partes estruturais mantidas "no concreto". A decoração é leve, baseia-se em sofás amplos e bastante espaço livre Leonardo Finotti/ UOL

Mais
Instalar uma porta camarão no lugar da parede ampliou a área social deu forma a um espaço multiuso no apartamento reformado pelo escritório Vitrô Arquitetura. O assoalho, em réguas de cumaru, também foi planejado para integrar os ambientes. Ao fundo, a marcenaria sob medida cria o nicho para o home theater Ana Mello/ UOL

Mais
No apartamento paulistano, a escolha dos revestimentos buscou a neutralidade como estratégia para valorizar a arquitetura existente. As paredes brancas evidenciam as esquadrias azuis com formato incomum e o piso de madeira. A reforma no imóvel foi projetada pelo arquiteto Takuji Nakashima Ana Mello/ UOL

Mais
A planta do apê no edifício Gemini ganhou fluidez com a demolição parcial da parede que separava a sala (foto) e o escritório. A solução garantiu melhora na circulação sem comprometer a privacidade dos ambientes. A reforma foi projetada pelo arquiteto Takuji Nakashima, que vive ali Ana Mello/ UOL

Mais
Para dar dinamismo ao living, a arquiteta Marcela Madureira - que assina a reforma do apê Caravelas - diversificou o revestimento das duas paredes: a do fundo recebeu tijolos de demolição e a da entrada ganhou pintura azul. A cor, aliás, é pontuada nas faixas de um dos tapete e a totalidade do outro Ana Mello/ UOL

Mais
O living ganhou leveza e aconchego com a reforma projetada pela arquiteta Marcela Madureira para o apê Caravelas. No estar, o sofá cinza contrasta com a parede de tijolos de demolição. O móvel baixo de madeira com detalhe vermelho (à dir.) foi executado pela marcenaria Ricav. Para apoiar coisas diversas, como o notebook ou um balde de pipoca durante a sessão de cinema, mesinhas versáreis e pequeninas Ana Mello/ UOL

Mais
A integração da cozinha com o living é o ponto alto da reforma projetada pela arquiteta Marcela Madureira para o apê Caravelas. O espaço de jantar é composto de mesa retrátil, da Oppa, com espaço para para seis comensais e luminárias (régua sobre a bancada e pendente) da Reka Ana Mello/ UOL

Mais
A sala de estar da casa Alphaville tem lareira (à dir.) revestida com mosaico de mármore branco, que difere do tom usado no piso de mármore piguês. "Esse volume faz a divisão do living com a churrasqueira e o estúdio de música, que estão separados da sala principal por portas de correr embutidas", explica a arquiteta Carla Kiss, que assina o projeto Marcelo Stammer/ Divulgação

Mais
O ambiente que integra as salas de almoço e TV tem tom descontraído e cores vivas. A marcenaria Omni só trabalhou com madeira de origem certificada e, muito embora a casa seja bem isolada do calor, o espaço recebeu equipamento de ar-condicionado (Daikin). Arquitetura e os interiores foram planejados pela arquiteta Teresa d'Ávila Mariana Orsi/ Divulgação

Mais
Toda a iluminação da casa Campinas, inclusive nos abajures do estar, é feita com LEDs, mais duráveis e mais econômicos em longo prazo. O algodão para estofar o sofá foi reciclado e as poltronas levam lona de caminhão reutilizada. A arquitetura foi assinada por Teresa d'Ávila Mariana Orsi/ Divulgação

Mais
Para conseguir certificações sustentáveis, qualquer revestimento é pontuado na atribuição de nota. Nada pode ter origem tóxica: assim, o painel cinza Castelatto (fundo, à dir.) é cimentício e 90% reciclado. O piso é revestido com porcelanato (Portobello) 70% reciclado e as madeiras - painel (à esq.) e mesa de centro - foram adquiridas com documentação de origem florestal. A casa Campinas tem projeto de arquitetura de Teresa d'Ávila Mariana Orsi/ Divulgação

Mais
A casa Alto da Boa Vista, na zona sul de São Paulo, tem arquitetura dos anos de 1950. Sessenta anos depois, o escritório D2N Arquitetura e Interiores deu nova cara ao estar com 35 m², onde um casal jovem, apreciador de vinhos e viagens, adora receber amigos. O resultado é moderno e acolhedor! No living em L a paleta é serena e delicada, com base nas cores neutras. O "layout" foi estudado para obter espaço em estilo contemporâneo com toques retrô Celia Weiss/ Divulgação

Mais
A proposta para o living era integrar os ambientes e, para isso, jantar, home theater e um lounge de relaxamento estão voltados para a área externa. Esse cuidado deixa os ambientes mais aconchegantes e convidativos para encontros e jantares. Quando necessário, as cortinas podem ser fechadas, oferecendo menor intensidade de luz e mais privacidade. O projeto de interiores é do escritório DN2 Arquitetura Celia Weiss/ Divulgação

Mais
A mesa de jantar oval (Brentwood) tem pintura branca laqueada e seu formato amplia a circulação na área de refeições integrada. Em primeiro plano, o sofá azul marinho (Lider Interiores), sobre o tapete cinzento, marca a área dedicada à saleta de estar. O projeto de interiores é do escritório DN2 Arquitetura Celia Weiss/ Divulgação

Mais
O espaço de TV tem lareira Construflama e adega climatizada, além da marcenaria em tons claros, executada pela Lanzili. A iluminação focal, intimista, fica inserida no rebaixo de gesso, o que aumenta o aconchego. O projeto de interiores é do escritório DN2 Arquitetura Celia Weiss/ Divulgação

Mais
Nas prateleiras do home theater estão dispostas peças decorativas e lembranças de viagem da coleção do casal, com livros, louças e cores que preenchem com vivacidade o espaço ampliado pela cor neutra de base. Destaque para a baleia em madeira, com carinha retrô, da Loja Mod. O projeto de interiores é do escritório DN2 Arquitetura Celia Weiss/ Divulgação

Mais
No home theater estão peças decorativas, livros antigos e lembranças de viagem da coleção do casal. Sobre alguns volumes, uma forma de sapateiro. O projeto de interiores é do escritório DN2 Arquitetura Celia Weiss/ Divulgação

Mais
Na maior parede do living estão encostados os bancos de apoio (Estar Móveis), que acomodam os convidados de última hora. À direita, o buffet Fernando Jaeger foi decorado com vasos da L'oeil. Junto à mesa de jantar, as cadeiras de madeira clara também são assinadas pelo designer. O projeto de interiores é do escritório DN2 Arquitetura Celia Weiss/ Divulgação

Mais
Sobre a mesinha de centro, o destaque são os pássaros assinados pelo designer dinamarquês Kay Bojesen. O projeto de interiores para esta sala paulistana é do escritório DN2 Arquitetura Celia Weiss/ Divulgação

Mais
A cristaleira já pertencia aos moradores e reúne memórias afetivas. A peça dá um ar nostálgico ao living, servindo ainda de apoio às festas por guardar taças, copos e acessórios para bar. O projeto de interiores é do escritório DN2 Arquitetura Celia Weiss/ Divulgação

Mais
A estrutura metálica (vigas, escada com degraus de madeira e esquadrias) dá leveza à casa Samambaia. Os elementos entram em sintonia com o concreto aparente do teto e do piso. O projeto de arquitetura e interiores é assinado pelo arquiteto Rodrigo Simão André Nazareth/ Divulgação

Mais
A área de estar do apê 62, em São Paulo, ganhou um sofá (Carbono Design) grande e confortável, repleto de almofadas. No piso, o tapete (by Kamy) com estampa hexagonal é combinado à cadeira Paulistano e à mesa de madeira. Próximo à janela generosa que vai do piso ao teto, o banco Bertoia é usado como mesinha. O projeto de reforma é assinado por Nathália Favaro, do escritório Vitrô Arquitetura Ana Mello/ UOL

Mais
Sem parte da parede e com piso de granilite, sala e cozinha agora se comunicam pela circulação fluida e sem hierarquização, como propunha o projeto de reforma assinado por Nathália Favaro, do escritório Vitrô Arquitetura. A setorização do espaço, no apê 62 em São Paulo, se dá pelo tapete em tons de azul e cinza Ana Mello/ UOL

Mais
No hall de entrada da Casa Acapulco, com projeto de interiores de Bianka Mugnatto, o piso de Marmoglass branco (liso) tem detalhe central em mármore Thassos. Este ponto divide o ambiente em dois espaços espelhados, porém assimétricos, de estar. A porta de madeira recebeu sete camadas de laca, para resistir à maresia, e mede seis metros de altura, porém, só os três metros inferiores podem ser abertos. Para iluminar naturalmente o ambiente, as janelas generosas são fixas. A casa fica no litoral Eduardo Euksuzian/ Divulgação

Mais
O lustre composto de cristais Swarovski tem estrutura de metal galvanizado e é resistente à maresia. Para complementar o estilo clássico, cortinas sintéticas se assemelham ao linho, mas são mais duráveis. O panejamento ressalta o pé-direito (6,5 m). No estar, os sofás, da Breton, foram revestidos com tecido náutico (Regatta), enquanto as poltronas em tecido-palha reforçam o aspecto clássico dos interiores desenhados por Bianka Mugnatto Eduardo Euksuzian/ Divulgação

Mais
Sob o mezanino, que se comunica com as salas do hall de entrada, está a sala-bar: o ambiente circular conta com quatro poltronas duplas e uma mesa de centro em mármore, assinada pela designer Bianka Mugnatto, que também responde pelos interiores. "A mesa dá destaque aos objetos e sua parte mais baixa é usada como apoio", pontua Bianka. A parede atrás do sofá, assim como todo o mezanino, é composta de mosaicos de cacos de mármore (Mosarte) Eduardo Euksuzian/ Divulgação

Mais
O estar com TV é para 'esperar' o churrasco, o almoço ou relaxar na saída da sauna ou da piscina. Com poltronas de vime (Beach Country) revestidas de linho sintético (Regatta), o ambiente conta com um mosaico de pedra ouro verde (TV, ao fundo) e mobiliário laqueado (oito camadas, para resistir à maresia). O projeto é da arquiteta de interiores Bianka Mugnatto, para esta casa no litoral paulista Eduardo Euksuzian/ Divulgação

Mais
O estar com TV integra piscina, sauna e churrasqueira, além da sala de hidromassagem. O piso é feito de pedra mineira, a mesma que pavimenta outras áreas molhadas. Nas paredes, o revestimento é o Originale, da TerraCor, um tipo de pintura texturizada. A casa Acapulco tem projeto de interiores assinado por Bianka Mugnatto Eduardo Euksuzian/ Divulgação

Mais
Uma parte do mobiliário do apartamento de 160 m2 no bairro do Paraíso, em São Paulo, nasceu no próprio escritório, como o rack da TV. O arquiteto Renato Dalla Marta, do AUM Arquitetos, trocou o piso por assoalho de cumaru, instalou luminárias pendentes na sala de estar e revelou a estrutura de concreto Maira Acayaba/ Divulgação

Mais
O pilar de concreto descascado ficou aparente e antecede as salas de estar e jantar do apartamento com 160 m², em São Paulo. Reformado pelo arquiteto Renato Dalla Marta, do escritório AUM, o projeto revestiu todo o piso com tacões de cumaru e pontuou a decoração com mobiliário desenvolvido no próprio escritório, como a mesa de centro Maira Acayaba/ Divulgação

Mais
O living do apartamento do piloto de Stock Car, reformado pelo designer de interiores Augusto Perez, recebeu tinta em tom de cinza nas paredes. A escolha destaca o forro de gesso e os estofados brancos, além dos batentes pretos. No piso, o revestimento é de tábuas maciças de sucupira. Veja ao fundo, abaixo de um dos vãos, como o desnível do living foi driblado com a pintura do espelho no mesmo matiz da parede Sérgio Israel/ Divulgação

Mais
Deste ângulo do living do apê do piloto de Stock Car, na capital paulista, vê-se a nova disposição dos móveis que posicionou os estofados em V virando-os para o lado da sala onde, agora, fica o home theater. A solução visa a intimidade a quem está no ambiente. A reforma foi idealizada pelo designer de interiores Augusto Perez Sérgio Israel/ Divulgação

Mais
Com muito conforto, o pavilhão de lazer oferece um pouco de tudo: mesa de bilhar (à dir.), sofás acolhedores, espaço gourmet com bancada ampla e um quadro negro para desenhos e recados, além de uma banheira com hidromassagem (à esq.). As janelas no alto favorecem a ventilação natural. O sítio Marigold tem projeto do arquiteto André Luque André Nazareth/ Divulgação

Mais
No pavilhão dos filhos, o arquiteto André Luque, responsável pelo projeto do sitio Marigold, precisou criar novas aberturas para as janelas, a fim de ventilar e iluminar os ambientes internos. As suítes ficam nas extremidades e, ao centro (foto), está a sala de estar com TV, que acolhe as visitas André Nazareth/ Divulgação

Mais
Do ângulo oposto da sala de estar do pavilhão dos filhos, vê-se o espaço para sessões de carteado e um armário em peroba do campo, que ocupa toda a parede. O sítio Marigold tem projeto do arquiteto André Luque André Nazareth/ Divulgação

Mais
Na outra extremidade do galpão que abriga o espaço de convívio do sítio Marigold, com projeto do arquiteto André Luque, está uma sala. O ambiente está interligado com a cozinha gourmet. No estar, lareira e home theater acolhem os visitantes, assim como a grande mesa para 12 convivas (em primeiro plano) André Nazareth/ Divulgação

Mais
Você pode aplicar em um mesmo cômodo o rosa "Rose Quartz" e o azul "Serenity", as duas cores da Pantone para 2016. Os matizes podem estar presentes nas paredes, em tecidos e objetos de decoração, mas para realçar a dualidade e parentesco entre os dois tons, incorpore texturas à composição Reprodução/ Pinterest - Betty Gaeta

Mais
A tendência para 2016 "Estrutura e Liberdade", da Coral, reúne cores vivas e lúdicas. Uma dica para empregar esses matizes de forma equilibrada é combiná-los com o branco, como nesta parede (cor "Cinabre") decorada com desenhos geométricos Divulgação/ Coral

Mais
Os tons pastel da tendência "Palavras e Imagens", da Coral para 2016, podem ser usados em um mesmo ambiente, como nesta sala de estar. As cores clarinhas das paredes ("Montanha Distante", à esquerda, e "Vento Suave", à direita) e parte do teto ("Folha Cinzenta") dão um ar de tranquilidade ao cômodo Divulgação/ Coral

Mais
A sala, decorada por Marília Veiga, mistura peças com aspecto atemporal a outras com a cara dos anos 1950, a exemplo das poltronas com estofamento azul. Entre as poltronas, as mesas de apoio são pequenas e geométricas e a de centro é ampla, feita de madeira e vidro, servindo de apoio para peças decorativas como o vaso de Murano azul. Daniel Veiga/ UOL

Mais
As paredes do Apartamento FT foram descascadas para que a estrutura de concreto ficasse aparente. Projetada nos anos 50, a construção tem elementos peculiares: as vigas e os pilares são bastante largos, os vãos das janelas são estreitos e compridos e todos eles foram preservados durante a reforma projetada pelo escritório Pascali Semerdjian Arquitetos Leonardo Finotti/ UOL

Mais
Completamente reformado, o Apartamento FT fica em um edifício construído nos anos 50 e teve o piso renovado com madeira sucupira (ParquetSP). Na parede ao fundo, a chapa de aço-carbono crua, delgada e leve serve de base para a TV e outros equipamentos, dobrando-se à esquerda, onde emoldura o aparador. A ideia dos projetistas do escritório Pascali Semerdjian era encaixar a marcenaria (Marvelar) nos módulos metálicos com acabamento mais leve Leonardo Finotti/ UOL

Mais
Se tenho uma parede onde se encosta uma poltrona e cinco quadros à mão, é preciso pensar em como distribuí-los de forma harmoniosa. A designer de interiores Daniela Cianciaruso, da Díptico, encontrou, primeiro, as duas obras que melhor se alinhavam na vertical (à dir.), para depois definir o eixo horizontal inferior mais próximo possível do móvel. "Ainda fica espaço para colocar novas peças que a cliente venha a adquirir", explica Evelyn Muller/ Divulgação

Mais
As pinturas disponíveis e sua importância definem como serão distribuídas no ambiente e não é necessário que o número de obras seja o mesmo em todas as paredes a exemplo da sala de estar do apartamento no bairro de Higienópolis, em São Paulo (SP). Sobre o sofá, as almofadas dispostas lateralmente acompanham as poltronas, que se alinham aos móveis junto às paredes Evelyn Muller/ Divulgação

Mais
A pintura a óleo sobre tela, de Alex Orsetti, retrata edifícios de São Paulo. Com o quadro centralizado na parede de fundo do sofá, a composição do ambiente não ofusca a obra, já que predominam os tons claros e terrosos. Por outro lado, no projeto de reforma da Díptico Design de Interiores, as cores das estampas nas almofadas "flertam" com a obra de arte Evelyn Muller/ Divulgação

Mais
Além das coleções de suvenires nas paredes (como o exemplo à esquerda), a sala de estar é decorada com poltronas Flute, da Saccaro, assinadas pelo designer Emerson Borges. A mesa de centro redonda Sequoia, também da Saccaro, tem estrutura em jequitibá e tampo com microtextura. A decoração é assinada pela arquiteta Ana Yoshida Divulgação

Mais
A sala de estar guarda em uma estante afixada à parede os suvenires de viagens da família pelo mundo. Eles ficam dispostos em nichos estruturados com laminado melamínico (Madeirart Interiores) e com fundo espelhado. A ideia da arquiteta Ana Yoshida era criar espaços separados para distribuir os objetos por temas: Egito, Inglaterra, Índia, entre outros, deixando a sala mais leve, apesar da densa quantidade de itens e informações Divulgação

Mais
A reforma idealizada pelo escritório Ravaglia & Philot Arquitetura recorreu à marcenaria e à iluminação para atualizar os ambientes do apê com 55 m² em Botafogo, no Rio de Janeiro. Agora, o acesso à cozinha é feito através da porta de correr escamoteada pelo painel na parede, em MDF revestido com laminado no padrão freijó lavado. Para acomodar equipamentos e objetos, o rack suspenso tem gavetões e nicho onde fica encaixado o pufe Divulgação

Mais
O projeto do apê em Botafogo, no Rio, tem rebaixo em "drywall" com várias funções: embutir o cortineiro e a iluminação, organizar as iluminações geral e direta e dar aconchego ao living. A cortina rendada leva textura e protege o espaço da luz externa quando preciso. Para quebrar a monotonia dos tons sóbrios, almofadas coloridas foram dispostas sobre o sofá revestido de linho. A reforma tem assinatura do escritório Ravaglia & Philot Arquitetura Divulgação

Mais
O trio Daniele Pasa, Silvio Paré e Thiago Gibo exemplifica, no projeto Charutaria, como misturar diferentes materiais e criar um ambiente acolhedor. Nas paredes, a madeira foi combinada com azulejos portugueses e nos móveis e acessórios há couro e veludo. A Morar Mais por Menos Campo Grande (www.morarmais.com.br) fica em cartaz até 20 de dezembro de 2015, na Av. Afonso Pena, 4.179, na capital sul-mato-grossense Gilson Barbosa/ Divulgação

Mais
Na Sala de Boas Vindas, Daiane Porfirio não economizou nas misturas de elementos. Nesse mix de estilos clássico, rústico e sofisticado, o destaque fica por conta dos tapetes persas, da composição de molduras e do trio de quadros espelhados (à dir.). A Morar Mais por Menos Campo Grande (www.morarmais.com.br) fica em cartaz até 20 de dezembro de 2015, na Av. Afonso Pena, 4.179, na capital sul-mato-grossense Gilson Barbosa/ Divulgação

Mais
Luis Pedro Scalise inspirou-se nos pátios portugueses para compor seu projeto para a mostra. O ambiente traz um mix de cores e estampas e uma abundância de plantas, a exemplo do arranjo exuberante acima do chafariz, no centro do espaço. A Morar Mais por Menos Campo Grande (www.morarmais.com.br) fica em cartaz até 20 de dezembro de 2015, na Av. Afonso Pena, 4.179, na capital sul-mato-grossense Gilson Barbosa/ Divulgação

Mais
Nessa configuração, o living serve para receber clientes e realizar reuniões de trabalho mais informais. De um lado, o módulo móvel abriga prateleiras que acomodam arquivos e material de escritório. Do outro lado, uma lousa circular permite à moradora fazer anotações diversas. O projeto faz parte da série Pequeñas Grandes Casas desenvolvida pelos arquitetos do escritório PKMN, em Madri Javier de Paz García/ Divulgação

Mais
A sala de estar do apê Perdizes, com projeto de interiores do SuperLimão Studio, forma um L espaçoso e com decoração composta de poucos objetos, que permitem livre circulação e a recepção de muitos amigos. O piso é acabado com resina autonivelante e de paginação única, que dá continuidade ao ambiente Maira Acayaba/ Divulgação

Mais
A marcenaria laqueada da sala de estar do apartamento Perdizes é simples, original e inteligente: prateleiras e nichos são encaixados no sistema de cremalheiras, que permite a movimentação vertical dos módulos, flexibilizando o "layout" de acordo com a exigência de uso do momento. O projeto de interiores do apê paulistano é do SuperLimão Studio Maira Acayaba/ Divulgação

Mais
O sofá creme da Carbono Design antecede a sala de TV e o canto-escritório (à esq.). À direita, um grande banco de concreto percorre uma das paredes do apê Perdizes e pode ser usado como assento ou como apoio para objetos de decoração. A marcenaria que sustenta a TV é formada por um sanduíche de placas de fibrocimento e folhas de madeira. Os interiores são do SuperLimão Studio Maira Acayaba/ Divulgação

Mais
Na sala de estar, duas cadeiras de palha e madeira, da Dpot, criam um contraponto para a decoração "crua". No teto, perfilados para instalações elétricas criam trilhos onde foram instalados os spots dimerizáveis e direcionáveis, cuja flexibilidade permite criar ambientações diversas. O projeto de interiores do apê paulistano é do SuperLimão Studio Maira Acayaba/ Divulgação

Mais
Na Casa de Praia criada por Vanessa Martins para a Casa Cor Pará, as referências ao cenário praiano estão nos detalhes, a exemplo dos quadros na sala de estar | O projeto está exposto na mostra (www.casacor.com.br) até 29 de novembro de 2015 Marcus Mendonça/ Divulgação

Mais
As paredes do estar da Casa de Praia foram revestidas com porcelanato que imita madeira. Para combinar com o revestimento neutro, a arquiteta Vanessa Martins escolheu um par de poltronas "off-white" e fotografias em preto e branco | O projeto está exposto na Casa Cor Pará (www.casacor.com.br) até 29 de novembro de 2015 Marcus Mendonça/ Divulgação

Mais
Na Casa de Praia, projetada por Vanessa Martins para a Casa Cor Pará, a antessala tem acabamento com volumetria e padronagem hexagonal. No ambiente, plantas em vasos cerâmicos dão frescor ao espaço | O projeto está exposto na mostra (www.casacor.com.br) até 29 de novembro de 2015, na rua João Balbi, nº 167, em Belém Marcus Mendonça/ Divulgação

Mais
A arquiteta Vanessa Martins desenhou para o estar um painel que recobre as paredes e é feito com porcelanato que imita madeira. Entre as prateleiras que abrigam os objetos decorativos, o destaque fica por conta dos quadros que remetem ao mar e o nicho fabricado com pedra ônix | O projeto está exposto na Casa Cor Pará (www.casacor.com.br) até 29 de novembro de 2015 Marcus Mendonça/ Divulgação

Mais
Com 70 m², o apartamento dúplex projetado pelo arquiteto Diogo Viana é uma morada confortável e estilosa. O living é composto com peças de design, com destaque para o sofá Swan, assinado por Arne Jacobsen (1902-71) | O projeto está exposto na Casa Cor Pernambuco (www.casacor.com.br) até 8 de dezembro de 2015 Felipe Araújo/Divulgação Max Plural

Mais
No apê dúplex, pensado para um jovem casal, o arquiteto Diogo Viana criou a decoração com pegada urbana e moderna. O uso do preto aliado às peças refinadas (como a poltrona desenhada pelo arquiteto francês Jean Prouvé (1901-1984), ao fundo) deixa o estar com um visual chique e marcante | O projeto está exposto na Casa Cor Pernambuco (www.casacor.com.br) até 8 de dezembro de 2015 Felipe Araújo/Divulgação Max Plural

Mais
[VENCEDOR] O Melhor da Arquitetura 2015 - categoria "Casa de Cidade": Casa no Jardim Paulistano, em São Paulo - Grupo SP Arquitetos. Para contemplar todas as necessidades dos moradores, a casa construída em um terreno de 370 m² ganhou três pavimentos, além de subsolo, totalizando 585 m² construídos Nelson Kon/ Divulgação

Mais
[VENCEDOR] O Melhor da Arquitetura 2015 - categoria "Reforma de Apartamento": Apartamento Cobogó, em São Paulo - Alan Chu. Na reforma do apartamento com 98 m², as paredes descascadas revelam a textura dos tijolos, pintados de branco. No projeto, destaque para o painel de cobogós que separa a área social da cozinha Divulgação

Mais
[VENCEDOR] O Melhor da Arquitetura 2015 - categoria "Reforma de Apartamento": Apartamento Cobogó, em São Paulo - Alan Chu. Na reforma do apartamento com 98 m², as paredes descascadas revelam a textura dos tijolos, pintados de branco. No projeto, destaque para o painel de cobogós que separa a área social da cozinha Divulgação

Mais
O living da casa idealizada por Sidney Quintela, em Salvador (BA), ganhou porta de entrada em folha dupla de madeira, permitindo que um dos 90 automóveis do acervo do proprietário integre-se à decoração. No piso, o arquiteto empregou o porcelanato Cemento Grigio Biancogres. Parte desse revestimento foi recoberto pelo tapete estampado, delimitando a área de estar Xico Diniz/ Divulgação

Mais
O canto do estar da residência projetada por Sidney Quintela, em Salvador (BA), tem móveis de design assinado como o jogo de poltronas giratórias Pucci. Ao fundo, o espelho e bufê com portas refletivas replicam a área externa. A parede recoberta de canjiquinha (à esq.) foi dividida pela passarela em estrutura metálica, criando um ambiente mais reservado Xico Diniz/ Divulgação

Mais
Você não precisa investir muito para adicionar verde dentro de casa. No loft criado por Leonardo Maia, por exemplo, um simples duo de vasos com suculentas dá vida à decoração masculina em tons de cobre e chumbo | A Casa Cor Rio Grande do Norte (www.casacor.com.br) fica em cartaz até 29 de novembro de 2015 Ricardo Junqueira/ Divulgação

Mais
Copie a ideia de Samara Gosson para sua sala de estar, qualquer que seja a dimensão. Monte uma parede verde (à dir.) com vasinhos de cerâmica e acrescente ao espaço uma superfície revestida em pastilhas metálicas. O resultado é frescor e elegância | A Casa Cor Rio Grande do Norte (www.casacor.com.br) fica em cartaz até 29 de novembro de 2015 Ricardo Junqueira/ Divulgação

Mais
O estar, inteiramente sob a concha de concreto que cobre a Casa Milan, é fechado lateralmente em vidro e possui uma caixa de concreto armado que abriga sofá, lareira e prateleira de livros. O terreno é aproveitado integralmente em sua largura, criando amplo espaço social, muito arejado e repleto de luz natural. O projeto é assinado por Marcos Acayaba Nelson Kon/ UOL

Mais
No projeto de reforma assinado pelo Grupo Garoa Arquitetos, a parede que separava a cozinha da sala foi eliminada, ficando à mostra a viga em concreto. A marcenaria aproveitou o canto deixado pela demolição com uma estante para livros. Repare que a mesma madeira estrutura também o frontão que encaixa a porta de correr da lavanderia (à esq.). No estar, a cadeira Paulistano, de Paulo Mendes da Rocha, é o grande destaque do apartamento em São Paulo (SP) Rafaella Netto/ Divulgação

Mais
Com a reforma idealizada pelo Grupo Garoa Arquitetos, o apartamento em São Paulo (SP) dos anos 80 ganhou uma grande área social conectada à cozinha, dividida apenas por um balcão de concreto, material que também molda no estar a prateleira e o rack para TV. A iluminação é indireta graças a luz rebatida, oras no teto pela régua, oras na parede por arandelas. Em cima da mesa de jantar, o escritório previu luz direta em uma luminária (Reka) com aparência industrial Rafaella Netto/ Divulgação

Mais
No estar, o banco de concreto armado e moldado in loco funciona também como rack para a TV e para a exposição de objetos. Sob essa plataforma ficam acomodados caixas em marcenaria que servem como área de armazenamento e podem ser adotados como mesa de centro (foto) ou assento extra. Uma estante também em concreto otimiza o espaço, ganhando mais espaço para livros e coleções. O projeto de reforma do apartamento em São Paulo (SP) é assinado pelo Grupo Garoa Arquitetos Rafaella Netto/ Divulgação

Mais
Na sala de estar do apartamento em São Paulo (SP), as duas poltronas PB, com desenho de Francisco Fanucci e produzidas pela Marcenaria Baraúna, têm estofado em futon. Perceba que para delimitar o estar do jantar, o Grupo Garoa Arquitetos recobriu o piso de madeira com um tapete em tom claro. A mesa Bolo de Rolo e as cadeiras Filó (peças do mesmo autor e marcenaria) compõem a área de refeições Rafaella Netto/ Divulgação

Mais
Com a reforma projetada pelo Grupo Garoa Arquitetos no apartamento em São Paulo (SP), a área de estar e a cozinha integram-se pelo balcão desenhado em madeira após a demolição da parede divisória original Rafaella Netto/ Divulgação

Mais
Jorge Draxl e Maria Teresa Paredes apostaram em uma mistura ousada de estampas no projeto Loft Espaço Helsinki. O painel fotográfico (ao fundo) e as cortinas em seda e veludo reforçam a atmosfera cênica do ambiente | A Casa Cor Peru (www.casacor.com.br) fica em cartaz até 8 de novembro de 2015 Divulgação/ Casa Cor

Mais
O rigor empregado na modulação do vigamento e dos caixilhos é marcante no projeto da casa Butantã, projetada por Paulo Mendes da Rocha. A superfície envidraçada permite a visualização da paisagem urbana. No teto, a claraboia possibilita a entrada de luz natural no estar com decoração comedida Leonardo Finotti/ UOL

Mais
No escritório, as estantes de concreto (à dir.) com prateleiras de madeira dão o tom do ambiente, onde está a lareira central também em concreto, a mesa de trabalho (ao fundo) e o estar em primeiro plano. A iluminação natural entra através da sequência contínua de janelas basculantes nos ambientes sociais da casa Butantã, assinada pelo arquiteto Paulo Mendes da Rocha Leonardo Finotti/ UOL

Mais
Na sala de estar, a parede que antes era ocupada pela bancada da cozinha, hoje abriga um armário-curinga, que reúne guarda-roupa, rouparia, estante e espaço para o armazenamento de produtos de limpeza, aspirador de pó e, ainda, home theater e apoio para a cafeteira e adega. O móvel foi executado pela Marcenaria Simão e o projeto de reforma é da arquiteta Marcela Madureira Ana Mello/ UOL

Mais
Com todos os ambientes integrados fica mais gostoso e prático viver o dia-a-dia: estar e cozinha se complementam e criam um espaço ideal para reunir amigos e preparar uma comidinha saborosa. O sofá é assinado pelo designer Fernando Jaeger e as mesinhas auxiliares são das italianas Moroso e Capellini. O projeto de reforma do apê com 38 m² é da arquiteta Marcela Madureira Ana Mello/ UOL

Mais
No painel da TV - Na Sala de Espera, exposta na Casa Cor ES, Liane Destefani mostra um jeito diferente de estruturar a peça que recebe a televisão: dê continuidade ao painel, seguindo com a madeira pelo teto e crie uma espécie de pérgola, decorada com luminárias e plantas suspensas | A mostra (www.casacor.com.br) fica em cartaz até 10 de novembro de 2015 Felipe Araújo/ Divulgação

Mais
Nos móveis da sala e na bancada da cozinha - Victor Sarcinelli mostra no Flat Cosmopolita, da Casa Cor ES, como empregar a madeira em diversos pontos, sem "carregar" a decoração. No projeto, as peças em madeira (freijó) foram combinadas aos acabamentos e objetos terrosos, "off-white" e dourados | A mostra (www.casacor.com.br) fica em cartaz até 10 de novembro de 2015 Felipe Araújo/ Divulgação

Mais
Nas paredes da sala - Uma maneira de proporcionar aconchego ao ambiente é utilizar a madeira nos acabamentos como fez Tamara Raizer, na Casa de Vidro. No projeto, as superfícies trazem nichos embutidos e prateleiras iluminadas que abrigam objetos | A Casa Cor Espírito Santo (www.casacor.com.br) fica em cartaz até 10 de novembro de 2015 Felipe Araújo/ Divulgação

Mais
Deste ângulo observa-se três espaços no térreo do Palácio da Alvorada, projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer. O Salão Nobre, em primeiro plano, a Sala de Música (à esq.) e a Sala de Estar (ao fundo). Aqui também é possível visualizar parte do mezanino, onde está a ala íntima ocupada, atualmente, pela presidenta Dilma Rousseff e seus familiares Leonardo Finotti/ UOL

Mais
Na área interna de convivência (estar e jantar), o piso é o mesmo da área externa: um cimentício atérmico (Solarium). O elemento aponta a continuidade entre áreas interna e externa e combina com os elementos estruturais (laje e pilares), mantidos em concreto aparente e finalizados com verniz. Da mobília destacam-se a mesa de centro Noguchi, o par de cadeiras Vladimir Kagan (à esq.) e o sofá da Tapeçaria Juca. A casa Botucatu tem projeto do escritório paulistano FGMF Arquitetos Rafaela Netto/ Divulgação

Mais
Na área interna de convivência (estar e jantar), o piso é o mesmo da área externa: um cimentício atérmico (Solarium). O elemento aponta a continuidade entre áreas interna e externa e combina com os elementos estruturais (laje e pilares), mantidos em concreto aparente e finalizados com verniz. Da mobília destacam-se a mesa de centro Noguchi, o par de cadeiras Vladimir Kagan (à esq.) e o sofá da Tapeçaria Juca. A casa Botucatu tem projeto do escritório paulistano FGMF Arquitetos Rafaela Netto/ Divulgação

Mais
Nada de isolar a sala de TV do restante da casa! No projeto Luxo Urbano, do Studio Denise Zuba, apresentado na Casa Cor Brasília, a parede deu lugar aos painéis pivotantes em marcenaria laqueada (à esq., ao fundo), que delimitam o home theater da área de estar | A mostra (www.casacor.com.br) fica em cartaz até 10 de novembro de 2015 Edgard César/ Divulgação

Mais
Tem um apê com todos os ambientes divivindo um único espaço? Que tal criar um cubo para separar o quarto dos demais cômodos, a exemplo do Someone's Loft? A dupla Flávia Amorim e Renata Melendez, que assina o projeto, explica que a divisória ajuda a controlar a iluminação e dá mais privacidade ao morador | A Casa Cor Brasília (www.casacor.com.br) fica em cartaz até 10 de novembro de 2015 Jomar Bragança/ Divulgação

Mais
Como todos os ambientes são integrados em um loft, a alternativa para demarcar os espaços e criar um fluxo de circulação é utilizar divisórias vazadas, como essas de metal empregadas no Someone's Loft, assinado por Flávia Amorim e Renata Melendez para a Casa Cor Brasília | A mostra (www.casacor.com.br) fica em cartaz até 10 de novembro de 2015 Jomar Bragança/ Divulgação

Mais
A arquiteta Larissa Dias dá uma ideia bonita e barata de divisória para casa: um painel vazado composto por blocos de cimento. No Refúgio do Design Brasileiro, na Casa Cor Brasília, a estrutura separa o hall de entrada do living | A mostra (www.casacor.com.br) fica em cartaz até 10 de novembro de 2015 Clausem Bonifácio/ Divugalção

Mais
Em uma casa com ambientes integrados, o uso de divisórias ajuda a manter a privacidade dos moradores. Você pode utilizar, por exemplo, uma cortina de metal para separar o dormitório da sala de estar (foto), como fez Ney Lima no projeto Cubo de Ouro, na Casa Cor Brasília | A mostra (www.casacor.com.br) fica em cartaz até 10 de novembro de 2015 Jomar Bragança/ Divulgação

Mais
O primeiro andar da cobertura do Dr. Pet concentra ambientes sociais integrados e amplos. Na cozinha (à dir.), a ilha de cocção é composta por uma bancada (com cooktop e pia), que também é usada como mesa de jantar. Ao lado, a sala de estar é adaptada ao bem-estar dos cães. Um exemplo é a rampa de espuma que auxilia a cachorra Estopinha a subir no sofá Junior Lago/ UOL

Mais
O projeto de reforma e decoração do apartamento do Dr. Pet, criado pelas designers de interiores Daniella Stecconi e Simone Fogassa (foto), adapta os espaços para os cachorros. "Nossa proposta é ajudar os donos a criarem ambientes confortáveis e agradáveis para eles, mas que também garantam o bem-estar dos bichos", conta Daniella Junior Lago/ UOL

Mais
No apartamento do Dr. Pet (foto), Estopinha (à esq.) e Barthô podem circular por todos os ambientes inclusive os do segundo andar onde estão a saleta de estar (foto), a suíte do casal, o escritório e o banheiro. O projeto de decoração assinado pelas designers de interiores Daniella Stecconi e Simone Fogassa, do escritório Decor In, levou em conta o bem-estar dos cachorros, por isso, uma das soluções foi dispor nos espaços vasos com espécies comestíveis que não acarretam riscos aos bichos Junior Lago/ UOL

Mais
A mesa de centro de madeira é da Marcenaria Baraúna, comandada por Francisco Fanucci e Marcelo Ferraz (Brasil Arquitetura). O sofá Pedras (à dir.) é um sistema composto de pufes laterais, assento, encosto e braços modulares assinado pelos designers Luciana Martins e Gerso de Oliveira, do estúdio Ovo. O tecido escolhido é da dinamarquesa Kvadrat. O projeto de reforma e decoração do apê Itaim é de Marcos Bertoldi Romulo Fialdini/ Divulgação

Mais
Junto à mesa (em primeiro plano), está uma cadeira Girafa, em madeira, assinada pela modernista Lina Bo Bardi (1914-92) e fabricada pela Marcenaria Baraúna. A poltrona em couro com estrutura de aço é do arquiteto Paulo Mendes da Rocha. Inusitada é a mesinha lateral (à esq.), do Estudio Manus: a peça em madeira tem pernas feitas com liga flexível que imitam um flamingo. Sobre ela está um vaso dos anos 50, em murano. A decoração foi desenvolvida pelo arquiteto Marcos Bertoldi, para o apê Itaim Romulo Fialdini/ Divulgação

Mais
No estar, cadeira de balanço (primeiro plano) e as mesinhas de canto são criações do Atelier Fernando Mendes, enquanto o castiçal em ferro retorcido (à esq.) é dos irmãos Campana. O sofá do designer Bernardo Figueiredo (reediçao) foi desenhado nos anos 60, para o Palácio do Itamaraty, em Brasília, e a banqueta, em couro preto, é original e assinada por Jorge Zalszupin. Para finalizar a decoração do canto do apê Itaim, Marcos Bertoldi escolheu quadros de André Rigatti e luminária da Fabbian Romulo Fialdini/ Divulgação

Mais
A Casa Corallo, idealizada pelo escritório Paz Arquitectura, está localizada em um bosque montanhoso na Cidade da Guatemala, no país homônimo, e incorpora uma árvore. A distribuição dos espaços foi feita de forma a respeitar o exemplar, para que ele crescesse livremente. Veja que a estrutura de concreto da sala foi pensada para acoplar o tronco como se fosse um dos pilares (mas sem a função de sustentação) Reprodução/ Pinterest (pitchforkharry)

Mais
Foi o flamboyant adulto existente no terreno o fator decisivo para a escolha do lote em Alto de Pinheiros, na cidade de São Paulo. Com o intuito de integrá-lo ao imóvel, os arquitetos Eliana Corsini e Rogerio Shinagawa eliminaram a edícula, inseriram um jardim em torno da árvore e retiraram a laje de cobertura, duplicando o pé-direito. Agora, a sala fechada por portas de correr envidraçadas volta-se para uma verdejante paisagem Flaviz Guerra/ Divulgação

Mais
Além dos acessórios decorativos conhecidos (como os quadros) e da tinta tradicional, você pode dar vida nova à casa se usar a criatividade ao decorar a parede. Ampla e com pé direito duplo, esta sala, por exemplo, ganhou personalidade com a pintura executada por Giuliano Martinuzzo, que invade o teto J. Vilhora/ Divulgação

Mais
O canto da sala também fica bonito e diferente se você recobrir a parede com recortes de revista e fotos como os desta proposta, que fazem fundo para o sofá retrô. O painel humanizou e trouze um ar contemporâneo ao espaço Reprodução/ Pinterest (kleinla16)

Mais
Na sala de estar - Tem apenas um ponto de luz no teto, mas quer ou pode renovar a iluminação do ambiente? Invista em luminárias modernas (de chão ou parede) e posicione-as junto ao sofá e às poltronas como fez Pedro Lázaro em seu espaço para a Casa Cor Minas | A mostra (www.casacor.com.br) fica em cartaz até 6 de outubro de 2015 Jomar Bragança/ Divulgação

Mais
Na sala de estar - Além de uma iluminação difusa e íntima, você pode utilizar luzes de destaque na sua sala como no projeto de Fernanda Villefort e Júnia Braz para a Casa Cor Minas. Uma boa estratégia é planejar pontos de luz embutidos no teto e direcioná-los a obras de arte e belos objetos | A mostra (www.casacor.com.br) fica em cartaz até 6 de outubro de 2015 Jomar Bragança/ Divulgação

Mais
Na sala de estar - Não pode investir em uma mudança geral na iluminação da sala, mas está cansado da decoração e da falta de opção além da luz no teto? Adquira uma luminária de piso linda como essa peça escultural usada na antessala projetada por Bruno Vianna na Casa Cor Minas | A mostra (www.casacor.com.br) fica em cartaz até 6 de outubro de 2015 Jomar Bragança/ Divulgação

Mais
A Casa no Penhasco mede 240 m² e seu salão social fica integrado à cozinha e à varanda com vista para o mar Mediterrâneo. Esta última (à dir.) se separa do ambiente interno por folhas de vidro corrediças. Ao fundo, a mesa de jantar Neta e as cadeiras Trazo são da Dynamobel e o sofá Definy é da marca Grassoler. A Casa do Penhasco, na Espanha, tem interiores desenvolvidos pelo designer Alfaro Hofmann e arquitetura assinada pelo escritório Fran Silvestre Arquitectos Diego Opazo/ Divulgação

Mais
Neste projeto do escritório Díptico Design de Interiores, o charme fica por conta da parede de tijolos à vista que se mistura com o espelho para ampliar o ambiente. O painel escuro de marcenaria acopla a TV e os equipamentos e as prateleiras de madeira suportam livros, objetos e quadros, racionalizando o espaço da área social Divulgação

Mais
Elegante, a marcenaria laqueada emoldura a TV, serve de apoio para objetos decorativos e ainda tem prateleiras e armários para organizar equipamentos e objetos pessoais. Os quadros coloridos quebram a monocromia e não atrapalham visualmente as sessões de cinema, na sala com projeto de Cibele Petrangelo Divulgação

Mais
Neste projeto do escritório In House Designers de Interiores, o uso do cinza uniformizou o ambiente e criou uma boa base para o aparelho de TV. Na lateral, há um móvel embutido com nichos e um compartimento para adega, fechado com porta vasada Giovanna Nucci/ Divulgação

Mais
O frontão de mármore funciona de painel de TV e deixa o canto da lareira sofisticado. Dois aparadores laterais arrematam a proposta com elegância e simetria graças ao par de vasos de vidro situados na lateral. Ideia do arquiteto Aquiles Nícolas Kílaris Leandro Farchi/ Divulgação

Mais
A arquiteta Roberta Banqueri instalou um home theater (10 m²) em uma das pontas da varanda. A parede de fundo ganhou uma composição em madeira e cerâmica. Embaixo, uma bancada serve de apoio para objetos e acopla o rack com equipamentos. Duas cadeiras amplas, de madeira com almofadas estofadas, completam a mobília do espaço. O forro embute um telão, o projetor e algumas caixas de som Gabriel Arantes/ Divulgação

Mais
O ambiente com 13 m², idealizado pela arquiteta Paloma Cardoso, se diferencia pelo painel da TV em madeira (freijó), que leva iluminação embutida. O recurso aquece o ambiente e destaca o aparador branco que contém os equipamentos e acopla o "subwoofer" na lateral. As demais caixas de som estão embutidas no forro, que também tem nicho para os spots Rogerio Cajui/ Divulgação

Mais
A composição com branco, creme, marrom e preto dá o tom atual ao espaço com 14 m² planejado pela arquiteta Cilene Lupi. A marcenaria laqueada foi usada para organizar os equipamentos do home theater: um painel embute a TV e o rack acomoda os aparelhos. O sofá em L, com chaise, comporta os espectadores com conforto Martin Szmick/ Divulgação

Mais
Deste ângulo, é possível ver o living ao qual está integrado o home theater. Em dias festivos, do forro descem um telão e o projetor. Além de cortinas, as persianas de fibra ajudam a filtrar a luz, levando conforto durante as sessões de cinema diurnas. Todo o sistema eletrônico usado no espaço, idealizado pela arquiteta Marta Sá de Oliveira, é do Studio Rivera Alain Brugier/ Divulgação

Mais
Com 15,5 m², este projeto de Karina Korn propicia conforto aos usuários: a parede, que foi revestida com papel, acomoda a TV LED 42". Acima do aparelho, a prateleira de vidro instalada no painel de madeira apoia objetos e plantas. Abaixo, o grande móvel com portas ripadas armazena os equipamentos eletrônicos, além de livros. Amplo, o sofá retrátil combina com o tapete e a cortina e o forro embute luzes pontuas e caixas de som Nicola Labate/ Divulgação

Mais
Com 16 m², este home theater foi planejado pela arquiteta Raquel Kabbani para propiciar confortáveis sessões de cinema aos moradores. De um lado, o painel de madeira sustenta a TV 50", a prateleira espelhada e nichos de vidro, fazendo fundo para o rack suspenso, que armazena equipamentos e apetrechos de áudio e vídeo. Entre a tela e sofá com chaise, dois pufes servem de mesinha Simone Corsi/ Divulgação

Mais
Com 20 m², o espaço foi criado pela designer de interiores Noura van Dijk para ver filmes e acolher a família e os amigos dos moradores desse apê em momentos de convivência. Por estar integrado à varanda gourmet, a TV foi instalada em um tubo de inox que a permite a visualização nos dois ambientes. A persiana de fibra dá um toque rústico e protege da luz diurna. Por fim, a estante em madeira (carvalho) acopla na parte inferior um móvel baixo e laqueado para armazenar os equipamentos de áudio e vídeo Gabriel Arantes/ Divulgação

Mais
Ao projetar o loft Zoku em parceria com escritório de arquitetura holandês Concrete, os empresários de Amsterdã Hans Meyer e Marc Jongerius propõem uma ideia que se distancia de um quarto de hotel tradicional. O desenho do microapê aproveita de forma inteligente os 24 m², numa disposição funcional e confortável, ideal para quem procura por estadias de longa duração, como os nômades digitais Ewout Huibers/ Divulgação Zoku/ Concrete

Mais
No loft Zoku, de 24 m², o living multifuncional é composto por uma mesa com quatro lugares e um sofá. O morador temporário pode utilizar o local como quiser: por exemplo, atender aos compromissos de trabalho, desfrutar uma refeição ou curtir uma noite de diversão e jogos. Todo mobiliário do microapê é da marca dinamarquesa Muuto Ewout Huibers/ Divulgação Zoku/ Concrete

Mais
Todo mobiliário do Loft Zoku é da marca dinamarquesa Muuto, mas caso queira, o locatário pode adicionar um toque pessoal à ambientação, escolhendo os quadros para decorar as paredes Ewout Huibers/ Divulgação Zoku/ Concrete

Mais
Do hall de entrada do loft Zoku é possível visualizar parte do living decorado com peças da marca dinamarquesa Muuto. O projeto de interiores é uma criação do escritório de arquitetura holandês Concrete Ewout Huibers/ Divulgação Zoku/ Concrete

Mais
Pensado para atender as necessidades de pessoas que trabalham à distância, viajando pelo mundo, o loft Zoku combina as funções 'dormir' e 'trabalhar' em apenas 24 m². Porém, no ambiente compacto, é possível também receber os amigos, se divertir, relaxar e até se exercitar nas duas argolas suspensas no teto do living Ewout Huibers/ Divulgação Zoku/ Concrete

Mais
Na ampla sala de estar, a lareira instalada durante a reforma assinada por Arthur Casas aquece o ambiente junto às obras de arte. No espaço, os revestimentos foram trocados, mas a estrutura permanece tal como no projeto original do arquiteto João Batista Vilanova Artigas Leonardo Finotti/ UOL

Mais
Sala de hóspedes da Slice House, em Porto Alegre (RS), revela a complexidade da arquitetura assimétrica com paredes inclinadas a 70°, que deslocam a visão para os planos mais distantes. O ambiente afirma, também, a simplicidade dos revestimentos escolhidos: o concreto aparente (caixa atrás do sofá) e sua versão polida (piso e forros) Leonardo Finotti/ UOL

Mais
A fim de aproveitar melhor os espaços, Leandro Matsuda resolveu integrar a varanda com os ambientes internos, removendo as portas de vidro que separavam as áreas (à esq.). Ao fundo, as paredes pintadas com tinta lavável roxa substituem os azulejos. A cor cria um visual descontraído para o apartamento com 35 m² Leandro Matsuda/ Divulgação

Mais
Depois de apenas 30 dias, o jovem casal de moradores recebeu um apartamento totalmente reformulado e com ambientes integrados, previstos pelo projeto de interiores desenhado pelo arquiteto Leandro Matsuda. Na sala, o balcão (Mauricio planejados) acomoda a TV e duas banquetas brancas criadas pelo designer alemão Konstantin Grcic. O móvel preto serve também para delimitar o estar e a cozinha Leandro Matsuda/ Divulgação

Mais
A cortina cinza (Wall Decor), quando fechada, separa o quarto da sala (foto) no apê em São Paulo (SP), reformado pelo arquiteto Leandro Matsuda. O recurso garante a privacidade dos moradores, quando necessário. Na área de estar decorada com um sofá (Tok&Stok) também em tom cinzento, a sanca com luz difusa melhora a luminosidade do ambiente Leandro Matsuda/ Divulgação

Mais
Na sala, o balcão (Mauricio planejados) acomoda a TV e dá lugar para as refeições rápidas. Ao fundo, a bancada de granito (Marmoraria Mogi) acopla a máquina de lavar roupas entre os armários (Mauricio planejados). Combinada a tons neutros como o branco e cinza, a cor roxa das paredes não pesa e dá um ar moderno ao projeto assinado por Leandro Matsuda Leandro Matsuda/ Divulgação

Mais
O ponto alto do apartamento em Copacabana, idealizado pelo arquiteto Fabiano Ravaglia do escritório Ravaglia & Philot, é a marcenaria (Hipólito Marcenaria) executada sob projeto. O móvel linear valoriza o caráter longilíneo da sala. Multiuso, tem estrutura em freijó com portas e frentes de gavetas laqueadas. Um cantinho foi reservado para a galeria que reúne quadros e fotos (à dir.). Destaque para o varal de cabo de aço e para as molduras desmontáveis, que permitem a mudança das obras sempre que desejado Fabiano Ravaglia/ Divulgação

Mais
O destaque da sala de estar na casa Sumaré, em São Paulo, é a parede atrás do sofá, com revestimento plástico da Forrorama (em placas de 40 cm x 40 cm, com volumetria). O piso de madeira é original da construção, de peroba rosa restaurada com aplicação de resina Bona. A reforma foi projetada pela arquiteta Renata Popolo Mariana Orsi/ Divulgação

Mais
Para derrubar as paredes divisórias e integrar cozinha, jantar e estar, sem perder a sustentação do pavimento superior, íntimo, a arquiteta Renata Popolo reforçou a estrutura da casa Sumaré com a introdução de uma viga metálica, embutida no forro rebaixado de gesso. Na decoração, destaque para a poltrona Bubble (ao fundo), de balanço, criada em 1968, por Eero Aarnio Mariana Orsi/ Divulgação

Mais
A arquiteta Renata Popolo, sem mexer na estrutura original da casa Sumaré, modificou os caixilhos, instalando versões em alumínio com acabamento em pintura preta eletrostática. A sala está integrada ao jardim interno por uma porta de correr. O tecido para poltronas Swan (Arne Jacobsen) são da designer Adriana Barra. Os quadros, da Urban Arts, e as almofadas, da Tantum, se destacam junto à poltrona Bubble, de balanço, criada em 1968, por Eero Aarnio Mariana Orsi/ Divulgação

Mais
Os ambientes sociais bem segmentados do apê Jardim Marajoara se transformaram em um só. No estar, sofás em couro branco e linho cinza ganharam almofadas coloridas e a luz indireta ilumina as obras de arte de Isabelle Tuchband. O apartamento paulistano foi reformado por Ana Yoshida Sidney Doll/ Divulgação

Mais
A marcenaria da sala (Deneto) do apê Jardim Marajoara tem acabamento em gofratto branco fosco (pintura com tinta poliuretânica resistente a riscos) e, atrás de parte dos nichos vazados para livros, há uma parede com tijolos cerâmicos aparentes. A ampla estante contorna o ambiente e se junta à "bay window" onde está o canto de leitura (à dir.). A reforma da residência foi projetada por Ana Yoshida Sidney Doll/ Divulgação

Mais
Área social integrada tem como ponto central a TV, que serve estar e jantar. O projeto de interiores para o apê Jardim Marajoara é assinado por Ana Yoshida Sidney Doll/ Divulgação

Mais
Nada melhor que uma lareira para aquecer os ambientes nos dias frios. Esta (da Construflama) de vidro e chapa de ferro é a lenha e faz parte da sala de estar de uma casa de campo.O projeto com interiores aconchegantes é do arquiteto Ricardo Caminada e da designer de interiores Daniela Berland Cianciaruso, do escritório Díptico Design de Interiores Divulgação

Mais
A poltrona revestida com pele sintética e o tapete dão uma sensação agradável nos dias frios. Aquecido pela lareira elétrica, este lounge foi idealizado para a mostra Polo Design Show, pelo escritório Dsgnduo, que adotou a iluminação intimista para aumentar o aconchego dos usuários J. Vilhora/ Divulgação

Mais
Para aquecer o living, as arquitetas Fernanda e Mariana Mattos recorreram ao tapete no piso, a muitas almofadas no sofá e à lareira movida a etanol, da Bella Telha. Ela é embutida na base com pedras vulcânicas e tem frontão que simula a chaminé. Para completar, a pintura na parede em tons mais fechados aumenta o conforto Hamilton Penna/ Divulgação

Mais
O Chalé Urbano da Casa Cor 2015, assinado pelo Studio GPPA, é um ótimo exemplo de como esquentar os ambientes: além da lareira posicionada bem em frente ao sofá (coberto de almofadas aconchegantes), há o tapete (by Kamy) que recobre todo o piso. A janela foi protegida pela persiana e a cortina leva um tecido mais grosso, próprio para o inverno Rafael Renzo/ Divulgação

Mais
No projeto de Cris Schiavoni para este living, além da lareira, o tapete felpudo deixa o piso de madeira e o ambiente ainda mais quentinhos. As poltronas revestidas em jacquard também propiciam aconchego. Repare no papel aplicado na parede sobre a chaise, que arremata a sensação de conforto do ambiente Divulgação

Mais
No projeto da designer de interiores Dinna Albuquerque, a sala de TV está adequada ao inverno: os estofados são revestidos com veludo, o tapete é felpudo e há uma lareira. O painel em madeira também aquece o ambiente, que foi revestido por um tipo de papel de parede que, promete a fabricante, isola termicamente o espaço Ricardo Carvalho/ Divulgação

Mais
No projeto do escritório RK Arquitetura & Design, o revestimento em couro do estofado e o tapete felpudo contribuem para manter o home theater aquecido. Outros fatores outros fatores que elevam a temperatura são a cor e a cortina encorpada, que retém o ar frio proveniente da janela Rogério Neves/ Divulgação

Mais
As mantas são sempre bem vindas quando o frio chega: neste projeto do escritório In House Designers de Interiores, além das almofadas, o exemplar de lã aquece o ambiente e complementa a decoração Evelyn Müller/ Divulgação

Mais
Nesta sala, o conforto também é enfatizado pela escolha dos materiais: o escritório In House Designers de Interiores propôs um estofado com pufe revestido de suede, que, nos dias frescos, fica mais quentinho com a gostosa manta. O tapete sobre o piso de madeira dá ainda mais conforto Evelyn Müller/ Divulgação

Mais
No Refúgio do Worklover, a arquiteta Máira Ritter exibe a combinação de tons de cinza, branco e magenta aplicados a diferentes texturas. Com cortinas de linho e piso em mármore claro, o resultado é um ambiente 'clean' com toque de sofisticação. A Casa Cor Rio Grande do Sul fica em cartaz até dia 9 de agosto de 2015, na Rua Comendador Reighantz, 903, em Porto Alegre. Outras informações: www.casacor.com.br Eduardo Liotti/ Divulgação

Mais
Para criar o projeto Town House NY, a arquiteta Caroline Kreling combinou o piso de madeira com mobiliário na cor branca, em especial, a estante com nichos irregulares (à dir.). Para quebrar a regularidade, a parede da TV (à esq.) foi composta com painéis de camurça e espelhos. A Casa Cor Rio Grande do Sul fica em cartaz até dia 9 de agosto de 2015, na Rua Comendador Reighantz, 903, em Porto Alegre. Outras informações: www.casacor.com.br Eduardo Liotti/ Divulgação

Mais
A arquiteta Paula Lino empregou os tons de cinza, preto e branco para compor o estar do Gabinete. Listras e texturas no mobiliário e outras cores nas obras de arte dão 'movimento' ao espaço. A Casa Cor Rio Grande do Sul fica em cartaz até dia 9 de agosto de 2015, na Rua Comendador Reighantz, 903, em Porto Alegre. Outras informações: www.casacor.com.br Eduardo Liotti/ Divulgação

Mais
O contraste claro-escuro e as referências clássicas compõem o Estar assinado por Fernanda Werner. No espaço, o mix de estampas quebra a monotonia do P&B. A Casa Cor Rio Grande do Sul fica em cartaz até dia 9 de agosto de 2015, na Rua Comendador Reighantz, 903, em Porto Alegre. Outras informações: www.casacor.com.br Eduardo Liotti/ Divulgação

Mais
O piso de madeira e os cinzas unificam estar e cozinha no Living Gourmet, de Ana Hnszel e Marcelo Polido. Entre as peças que decoram a sala, destaque para o tapete afegão (Jasmin Tapetes), avermelhado, e a poltrona Serfa, desenhada por Zanini de Zanine. A Casa Cor Rio Grande do Sul fica em cartaz até dia 9 de agosto de 2015, na Rua Comendador Reighantz, 903, em Porto Alegre. Outras informações: www.casacor.com.br Eduardo Liotti/ Divulgação

Mais
O duo preto-cinza marca a sala de estar do projeto Work Hard Play Hard, de Wagner Costa e Dany Bittencourt. No ambiente, o painel espelhado que acomoda a TV amplia o espaço e o letreiro luminoso garante o ar de despojamento. A Casa Cor Rio Grande do Sul fica em cartaz até dia 9 de agosto de 2015, na Rua Comendador Reighantz, 903, em Porto Alegre. Outras informações: www.casacor.com.br Eduardo Liotti/ Divulgação

Mais
O arquiteto Rafael Kroth faz uso do contraste entre preto e branco para criar um Living funcional e elegante. Destaque para os painéis pivotantes escuros que delimita estar e cozinha. A Casa Cor Rio Grande do Sul fica em cartaz até dia 9 de agosto de 2015, na Rua Comendador Reighantz, 903, em Porto Alegre. Outras informações: www.casacor.com.br Eduardo Liotti/ Divulgação

Mais
Painéis de madeira inspirados no aço corten cobrem as paredes da Garagem Social, criada por Luiz Sentinger. O acabamento marmorizado, onde está a TV e a lareira, combina com os tons 'off-white' e azuis do mobiliário. A Casa Cor Rio Grande do Sul fica em cartaz até dia 9 de agosto de 2015, na Rua Comendador Reighantz, 903, em Porto Alegre. Outras informações: www.casacor.com.br Eduardo Liotti/ Divulgação

Mais
A ampla sala de estar foi palco, no passado, de reuniões de intelectuais e integrantes do Partido Comunista e abrigo para o movimento estudantil. A privacidade dos encontros foi garantida pelas paredes altas laterais e a integração com o exterior fica por conta das portas de vidro. A Casa do Arquiteto (1949) foi projetada por João Batista Vilanova Artigas, que completaria 100 anos em 23 de junho de 2015 Leonardo Finotti/ UOL

Mais
A lareira com tijolos aparentes, pintados de branco, dá aconchego às salas de jantar e estar. A face oposta foi aproveitada para a instalação de um armário. A Casa do Arquiteto foi projetada por João Batista Vilanova Artigas (1915-1985), em 1949 Leonardo Finotti/ UOL

Mais
Para quem quer total integração - A cozinha é completamente aberta para os demais ambientes (quarto e salas de estar e jantar) no Soul Loft, dos arquitetos Carolina Lopes e Richard Gohr. No projeto, a dupla conseguiu empregar matizes diversos e manter o equilíbrio cromático. O espaço está em exposição até 12 de julho de 2015, na Casa Cor Santa Catarina em Itajaí, na Av. Osvaldo Reis, 3.385. Outras informações: www.casacor.com.br Lio Simas/ Divulgação

Mais
O apê em Tel Aviv pertenceu ao primeiro ministro de Israel, David Ben Gurion, que teve seu mandato entre 1955 e 1963. A estrutura original do edifício, em concreto armado, foi prevista para outros dois pavimentos superiores, que exibem arcos neoclássicos na fachada. O imóvel teve reforma projetada pelo escritório Pitsou Kedem Architects e por estar no nível da rua ganhou um pavimento a mais, enterrado como se fosse um porão Amit Geron/ Divulgação

Mais
Osvaldo Tenório desenvolve um estar (foto) e uma sala de jantar onde o design se destaca. Um exemplo são as cadeiras Transat (à dir.), da irlandesa Eileen Gray. Nas paredes, fotografias da atriz Fernanda Montenegro e esculturas assinadas por Rodrigo Bueno, em jacarandá. A Mostra Black fica em cartaz até dia 21 de junho de 2015, na Oca - pavilhão Lucas Nogueira Garcez, no Parque Ibirapuera, em São Paulo (SP) Bruno Conti/ Divulgação

Mais
Branco, preto e tons de cinza definem a sala de estar assinada por Ricardo Bello Dias. O espaço é inspirado em um filme mudo, dirigido por Buster Keaton em 1920, intitulado "One week" (em português, Uma Semana). Entre as poucas peças, destaque para poltrona Donna, do italiano Gaetano Pesce, feita com espuma de poliuretano. A Mostra Black fica em cartaz até dia 21 de junho de 2015, na Oca - pavilhão Lucas Nogueira Garcez, no Parque Ibirapuera, em São Paulo (SP) Bruno Conti/ Divulgação

Mais
A sala de estar criada por Ricardo Bello Dias tem teto e paredes em cimento queimado. Para combinar com o acabamento neutro, poucas peças em branco e preto. O conceito é inspirado em um filme mudo, dirigido por Buster Keaton em 1920, intitulado "One week" (em português, Uma Semana). A Mostra Black fica em cartaz até dia 21 de junho de 2015, na Oca - pavilhão Lucas Nogueira Garcez, no Parque Ibirapuera, em São Paulo (SP) Bruno Conti/ Divulgação

Mais
O arquiteto Roberto Migotto explora formas sinuosas e geométricas ao compor o projeto com áreas de estar (foto) e jantar. Os espelhos quadrados com face côncava (Érea) e o tapete (Botteh), em náilon com desenhos orgânicos, são exemplares dessa proposta "orgânica". A Mostra Black fica em cartaz até dia 21 de junho de 2015, na Oca - pavilhão Lucas Nogueira Garcez, no Parque Ibirapuera, em São Paulo (SP) Bruno Conti/ Divulgação

Mais
No Apartamento Black, com 60 m², desenhado pelo escritório Suite Arquitetos, estruturas formadas por finos canos delimitam a sala de estar em relação ao quarto e ao banheiro. A parede em mármore branco dá o toque de sofisticação ao projeto. A Mostra Black fica em cartaz até dia 21 de junho de 2015, na Oca - pavilhão Lucas Nogueira Garcez, no Parque Ibirapuera, em São Paulo (SP) Ricardo Bassetti/ Divulgação

Mais
O projeto com 60 m², do escritório Suite Arquitetos, é o único da mostra com sala, quarto e banheiro. O compacto Apartamento Black destaca os designs brasileiro e minimalista escandinavo. Na sala de estar, estão a cadeira Bololó, assinada pelo designer Leo Capote (à esq.), e a poltrona Circle, de Hans J. Wegner, à venda na Scandinavia Designs (à dir.). A Mostra Black fica em cartaz até dia 21 de junho de 2015, na Oca - pavilhão Lucas Nogueira Garcez, no Parque Ibirapuera, em São Paulo (SP) Ricardo Bassetti/ Divulgação

Mais
Marcelo Borges e Arthur Athayde empregaram um "mix" de estilos no projeto do living. Quadros, esculturas e o lustre de cristal Baccarat, do século 18, estão entre as peças Art Déco e com motivos neoclássicos. A Mostra Black fica em cartaz até dia 21 de junho de 2015, na Oca - pavilhão Lucas Nogueira Garcez, no Parque Ibirapuera, em São Paulo (SP) Bruno Conti/ Divulgação

Mais
Na Sala do Colecionador, uma criação de Marcelo Salum, a lareira parece ser mimetizada com a obra do artista plástico Juliano Aguiar. Na ambientação, o estilo Art Déco está presente nas formas geométricas do revestimento da parede, dos móveis e dos objetos garimpados em antiquários paulistas. A Mostra Black fica em cartaz até dia 21 de junho de 2015, na Oca - pavilhão Lucas Nogueira Garcez, no Parque Ibirapuera, em São Paulo (SP) Mariana Boro/ Divulgação

Mais
Os 60 m² da Sala do Colecionador, projetada por Marcelo Salum, abrigam obras e livros de arte, peças de design e móveis de época garimpados em antiquários paulistas. A Mostra Black fica em cartaz até dia 21 de junho de 2015, na Oca - pavilhão Lucas Nogueira Garcez, no Parque Ibirapuera, em São Paulo (SP) Mariana Boro/ Divulgação

Mais
Na Sala do Pavão, de Maximiliano Crovato, os tons de rosa no teto, no pilar e nos estofados Soriana, do casal de italianos Afra e Tobia Scarpa, se unem ao "café com leite" do piso e paredes. A Mostra Black fica em cartaz até dia 21 de junho de 2015, na Oca - pavilhão Lucas Nogueira Garcez, no Parque Ibirapuera, em São Paulo (SP) Romulo Fialdini/ Divulgação

Mais
O pavão azul empalhado dá nome à sala de estar assinada pelo arquiteto Maximiliano Crovato. As cores vivas da peça exótica sobressaem em relação aos tons neutros como o rosa pastel. A Mostra Black fica em cartaz até dia 21 de junho de 2015, na Oca - pavilhão Lucas Nogueira Garcez, no Parque Ibirapuera, em São Paulo (SP) Romulo Fialdini/ Divulgação

Mais
A proposta do arquiteto Erick Figueira de Mello foi criar um espaço onde as sensações de bem-estar e aconchego prevalecessem. No ambiente, o teto e parte da parede se assemelham a uma dobradura de papel, leves como os origamis japoneses. A Mostra Black fica em cartaz até dia 21 de junho de 2015, na Oca - pavilhão Lucas Nogueira Garcez, no Parque Ibirapuera, em São Paulo (SP) Bruno Conti/ Divulgação

Mais
O arquiteto Guilherme Torres se inspirou na Oca e na época em que o edifício foi construído (1954) para compor o seu ambiente. A paleta de cores foi definida a partir das tonalidades da tapeçaria assinada pelo designer Jean Gillon, que cobre um das paredes (à dir.). A Mostra Black fica em cartaz até dia 21 de junho de 2015, na Oca - pavilhão Lucas Nogueira Garcez, no Parque Ibirapuera, em São Paulo (SP) Bruno Conti/ Divulgação

Mais
As paredes ovais, revestidas pela madeira em tom escuro, assinalam o espaço intimista e acolhedor de João Armentano. No ambiente há uma combinação de peças de diferentes épocas com móveis contemporâneos. A mesa de centro em aço inox (Mekal) e o sofá em veludo (Empório Beraldin) exemplificam esse arranjo. A Mostra Black fica em cartaz até dia 21 de junho de 2015, na Oca - pavilhão Lucas Nogueira Garcez, no Parque Ibirapuera, em São Paulo (SP) Bruno Conti/ Divulgação

Mais
João Armentano combina peças de diferentes épocas com móveis contemporâneos para criar sua sala de estar. A mesa de centro em aço inox (Mekal) e as poltronas em couro exemplificam esse arranjo. Nas paredes, as obras de arte em tons claros criam contraste com o acabamento escuro. A Mostra Black fica em cartaz até dia 21 de junho de 2015, na Oca - pavilhão Lucas Nogueira Garcez, no Parque Ibirapuera, em São Paulo (SP) Bruno Conti/ Divulgação

Mais
Com leve inspiração nos anos 70, o ambiente de Juliana Vasconcellos tem base neutra e curvas sinuosas e orgânicas para os acabamentos e o mobiliário. A arquiteta e seu sócio, Matheus Barreto, desenvolveram móveis especialmente para a mostra. A mesa de centro em aço inox (Mekal), a luminária pendente (Scatto) e o sofá (São Romão) são alguns exemplos. A Mostra Black fica em cartaz até dia 21 de junho de 2015, na Oca - pavilhão Lucas Nogueira Garcez, no Parque Ibirapuera, em São Paulo (SP) Bruno Conti/ Divulgação

Mais
Em homenagem ao arquiteto Ruy Ohtake, o ambiente com 58 m², criado por Camila Klein, integra salas de estar e jantar. O painel de madeira (Dell Anno) é formado por recortes assimétricos, iluminados por fitas LED e serve como elemento unificador entre os dois espaços sociais. A Mostra Black fica em cartaz até dia 21 de junho de 2015, na Oca - pavilhão Lucas Nogueira Garcez, no Parque Ibirapuera, em São Paulo (SP) Bruno Conti/ Divulgação

Mais
No Refúgio Urbano, com estar e jantar integrados, Débora Aguiar mistura metais nobres e texturas aconchegantes. Os revestimentos em couro e camurça (Empório Beraldin) decoram as paredes do espaço. A Mostra Black fica em cartaz até dia 21 de junho de 2015, na Oca - pavilhão Lucas Nogueira Garcez, no Parque Ibirapuera, em São Paulo (SP) Bruno Conti/ Divulgação

Mais
A lareira pendente no estar se alinha às paredes e ao teto revestidos com espuma endurecida de uretano expandido (60 mm), resina sintética e acabamento com spray de vermiculita, mineral eficiente para o isolamento térmico. A ideia do arquiteto Kotaro Ide era que a casa Concha pudesse se manter aquecida, frente às baixíssimas temperaturas e intensa umidade da floresta japonesa Nacasa & Partners Inc./ Divulgação

Mais
Como os interiores seriam aquecidos pela lareira, as paredes do estar receberam pintura com material isolante, com textura que remete a uma argamassa chapiscada. O mobiliário exclusivo foi desenhado para acompanhar os contornos da casa Concha: o sofá tem iluminação indireta embutida e os detalhes da marcenaria são em madeira teca. Aberturas no teto de concreto armado foram abertas claraboias, que banham com luz natural os interiores desenvolvidos por Kotaro Ide, no Japão Nacasa & Partners Inc./ Divulgação

Mais
Arquitetura e os interiores apresentam uma continuidade que está expressa na perfeição dos acabamentos e nos encaixes e interfaces entre os diferentes materiais no projeto do escritório ARTechnic Architects, para residência de veraneio e lazer nas redondezas de Tóquio, Japão Nacasa & Partners Inc./ Divulgação

Mais
Casa Cor SP 2015 - Tons neutros, contrastes de materiais e mobiliário distribuído de maneira informal marcam os espaços integrados do Apartamento Brasil, de Osvaldo Tenório Katia Kuwabara/ UOL

Mais
Casa Cor SP 2015 - O concreto de viadutos e calçadas inspira o inacabado reboco que cobre parte das paredes do Apartamento Brasil, uma criação de Osvaldo Tenório Katia Kuwabara/ UOL

Mais
Casa Cor SP 2015 - O Clube Leo, assinado por Leo Romano, é um espaço longitudinal com total fluidez entre os elementos decorativos. No mobiliário ícones do design nacional e um sofá com 12 metros Katia Kuwabara/ UOL

Mais
Casa Cor SP 2015 - O Clube Leo, assinado por Leo Romano, é um espaço longitudinal com total fluidez entre os elementos decorativos. No mobiliário ícones do design nacional e um sofá com 12 metros Katia Kuwabara/ UOL

Mais
Casa Cor SP 2015 - O tom azul esverdeado norteia todo o projeto Acqua que Te Quero Água, de Brunete Fraccaroli. No living, o tapete (By Kamy) na tonalidade Acqua cobre quase todo o espaço Katia Kuwabara/ UOL

Mais
Casa Cor SP 2015 - No living do projeto Acqua que Te Quero Água, de Brunete Fraccaroli, a luminária Pen (La Lampe) - com estrutura de latão - tem design minimalista (e antigo) assinado por Jader Almeida Katia Kuwabara/ UOL

Mais
Casa Cor SP 2015 - Inspirado pelos trabalhos da decoradora norte-americana Dorothy Draper (1889-1969), Guilherme Torres criou o Today Skin, espaço com contrastes em preto e branco e proporções ousadas Katia Kuwabara/ UOL

Mais
Casa Cor SP 2015 - Guilherme Torres se ateve aos contrastes em preto e branco e a uma pitada de amarelo para compor o espaço cosmopolita (e nada monótono) Today Skin Katia Kuwabara/ UOL

Mais
Casa Cor SP 2015 - A brasilidade (tema da mostra) está no uso do design nacional, das obras de arte de artistas brasileiros e dos tons terrosos no espaço Brasil de Pau a Pique, de Roberto Migotto Katia Kuwabara/ UOL

Mais
Casa Cor SP 2015 - O living do Brasil de Pau a Pique, de Roberto Migotto, tem tons neutros nos móveis e nas paredes, as cores vivas ficam concentradas nas obras de Vik Muniz (à esq.) e de Rodrigo Petrella (à dir.) Katia Kuwabara/ UOL

Mais
Casa Cor SP 2015 - No living do espaço Brasil de Pau a Pique, o tapete com oito metros de comprimento, confeccionado por artesãos do Nepal, estampa elementos da fauna e flora brasileiras Katia Kuwabara/ UOL

Mais
Casa Cor SP 2015 - No Refúgio na Montanha, Fabio Morozini mesclou texturas como a do linho, do veludo e da lã em tons neutros e suaves. O resultado é um espaço aconchegante, ideal para relaxar Katia Kuwabara/ UOL

Mais
Casa Cor SP 2015 - No Refúgio na Montanha, de Fabio Morozini, focos de iluminação destacam as tesouras de madeira do teto, originais da casa dos anos 30, no Jockey Club de São Paulo Katia Kuwabara/ UOL

Mais
Casa Cor SP 2015 - Projetado por Francisco Calio, o Espaço da Família, com 160 m², integra o living com a área gourmet. No estar, os móveis estão dispostos de maneira simétrica Katia Kuwabara/ UOL

Mais
Casa Cor SP 2015 - Os móveis na sala de estar do Espaço da Família, assinado por Francisco Calio, são marcados por matizes e tons claros e neutros. As obras de arte seguem a mesma paleta Katia Kuwabara/ UOL

Mais
Casa Cor SP 2015 - Em uma das paredes da sala de estar do Espaço da Família, Francisco Calio criou uma composição com obras de arte (Gabinete D) que combinam perfeitamente com o mobiliário "clean" Katia Kuwabara/ UOL

Mais
Casa Cor SP 2015 - Na Casa do Bosque, do arquiteto David Bastos, o mobiliário composto de peças neutras dispostas sob a luz natural valoriza a arquitetura e a integra ao entorno com belo paisagismo Katia Kuwabara/ UOL

Mais
Casa Cor SP 2015 - A moderna mesa de centro da Casa do Bosque, de David Bastos, é uma composição e pertence à coleção Rabbit and the Tortoise, do Studio Juju (de Singapura), para a italiana Living Divani Katia Kuwabara/ UOL

Mais
A grande porta de vidro, de correr, ao lado da porta de madeira (Cedrão Madeiras), dá acesso à casa Madrid, em Marília (SP). No living, destaque para o quadro sobre o sofá (à esq.), uma tapeçaria do artista romeno Jean Gillon (1919-2007). no ambiente, o sofá padrão está cercado pela marcenaria desenhada pela arquiteta Monica Drucker (que também assina a arquitetura), com nichos e apoios para livros e objetos de decoração Ruben Otero/ Divulgação

Mais
As lajes de concreto da casa Madrid, em Marília (SP), são nervuradas, protendidas (armadas) e duplas, recheadas por uma camada de EPS (isopor) de alta densidade, capaz de isolar termicamente os interiores. A climatização conta ainda com a ventilação cruzada e dispensou o ar-condicionado, uma "ousadia" frente ao calor do centro-oeste paulista. O projeto é do escritório Drucker Arquitetos Associados Ruben Otero/ Divulgação

Mais
O estar da casa Madrid reflete a ideia de desenvolver uma arquitetura que usa de forma plena a ventilação natural e ocupa toda a largura do terreno, "transpassando-o" por grandes vãos abertos tanto para a rua, quanto para o pátio interno. Esta foi a solução "fresca" dada pelo escritório Drucker Arquitetos Associados para amenizar o calor intenso de Marília, no interior de São Paulo Ruben Otero/ Divulgação

Mais
Seguindo a linha natural, sementes brasileiras são elevadas ao conceito de obra de arte e adornam uma das paredes do ambiente Confraria de Vinho, dos designers de interiores Fátima Mesquita e Márcia Albiéri. Sob iluminação cênica, as caixinhas de acrílico ganham ênfase e a parede, "movimento". À direita, o óleo sobre tela rebate a contemporaneidade do ambiente com toque clássico. A Casa Cor Goiás fica em cartaz até dia 24 de junho de 2015 Jomar Bragança/ Divulgação

Mais
O painel feito de madeira de demolição, com detalhes esculpidos, cria um ponto de interesse, enquanto o jardim vertical confere a sensação de frescor ao lounge 'Licença, seu Poteiro!'. O projeto de Regina Amaral é uma homenagem ao pintor, escultor e ceramista Antônio Batista de Souza, conhecido por Antônio Poteiro. A Casa Cor Goiás fica em cartaz até dia 24 de junho de 2015 Jomar Bragança/ Divulgação

Mais
Em uma parede com fundo branco, o artista goiano Marcus Camargo assina o desenho abstrato inspirado nos trabalhos do escultor e pintor americano Alexander Calder. As demais superfícies do ambiente 'Family Room', dos arquitetos Adriana Mundim e Fernando Rocha Galvão, foram revestidas pelo papel de parede com aspecto de couro estonado marrom. A Casa Cor Goiás fica em cartaz até dia 24 de junho de 2015 Jomar Bragança/ Divulgação

Mais
Diferentes tipos de iluminação destacam os materiais naturais que recobrem as paredes do Studio Mariotto, uma criação da designer de interiores Doriselma Mariotto. Arandelas emitem luz direta sobre o revestimento de pedra, decorado com uma obra de arte. O acabamento em madeira recebe luminosidade indireta emitida por plafons próximos ao teto e pelas fitas LED instaladas nas prateleiras da estante (ao fundo). A Casa Cor Goiás fica em cartaz até dia 24 de junho de 2015 Jomar Bragança/ Divulgação

Mais
O acabamento de madeira reveste paredes, teto e piso na Sala Leo criada pelo arquiteto, designer e artista plástico Leo Romano. Os painéis espelhados que cobrem uma das paredes (ao fundo), os dois espelhos redondos (à dir.) e os pendentes em forma de bonecos (de autoria do profissional) criam uma atmosfera cênica. A Casa Cor Goiás fica em cartaz até dia 24 de junho de 2015 Jomar Bragança/ Divulgação

Mais
No Loft 01, dos arquitetos Ana Paula de Castro e Sanderson Portoos, os materiais de acabamento aumentam a sensação de aconchego. Além de ser aplicada no teto e no piso, a madeira é empregada na estante (à esq.) desenhada especialmente para o ambiente. Em outra parede (ao fundo), entre os tijolos aparentes, o nicho em aço corten abriga vasos de vidro com alturas e tamanhos variados. A Casa Cor Goiás fica em cartaz até dia 24 de junho de 2015 Jomar Bragança/ Divulgação

Mais
A sala de estar está voltada para a varanda (norte) e se abre à paisagem através de portas de vidro. A sala é o eixo interno de recepção e de condução para os demais ambientes (área íntima, jantar, cozinha e home theater) da casa RP, desenhada por João Filgueiras Lima, o Lelé. A forma radial (ou de leque) predomina na composição arquitetônica, limitada por empenas laterais, em um ângulo total de 135° Leonardo Finotti/ UOL

Mais
O estar central com lareira Ecofireplace e detalhe de acabamento em mármore teve o piso substituído pelo assoalho de madeira em palitos de cumaru (Parquet SP). A disposição dos móveis ficou mais arejada e, ao fundo, próximo das janelas, um canto de leitura com luminária Twiggy (Lumini) e poltrona Sergio Fahrer foi criado. A reforma é do escritório KTA Divulgação

Mais
O apartamento do ator Nico Puig ocupa a cobertura do edifício, sobre a qual foi construída uma estrutura metálica executada a partir de contêineres reaproveitados. No segundo andar dessa estrutura estão uma sala de estar e um escritório (ao fundo). Entre os ambientes, uma faixa do telhado ganhou respiros em policarbonato, que auxilia na manutenção do conforto térmico e proporciona luz natural ao espaço. À direita, a poltrona e o pufe de couro foram comprados em um brechó por R$ 220 Reinaldo Canato/ UOL

Mais
Na sala de estar do apartamento de Nico Puig, algumas peças reaproveitadas, como o velho baú, usado como apoio para o sofá. O revestimento foi feito com tecido de cortina velha. Sobre a cristaleira, o suporte de acrílico com borboletas foi comprado no lixo, por R$ 6 Reinaldo Canato/ UOL

Mais
As cadeiras "butterfly", da sala de TV, também foram reavivadas pelo tecido jeans azul-escuro, enquanto o móvel metálico, para livros, que fora de um hospital, recebeu pintura-esmaltada preta. A ideia de Nico Puig é dar reuso a móveis e objetos com poucas intervenções, incentivando o olhar criativo de seus visitantes Reinaldo Canato/ UOL

Mais
Graças à instalação da porta de correr, na entrada, foi possível criar o corredor que percorre todo o living. A combinação do mármore Navona Bruto, que cobre o piso, com o carvalho americano dos móveis e portas concedeu suave elegância ao espaço. O apê Panamby tem projeto de reforma assinado pelo arquiteto Diego Revollo Alain Brugier/ Divulgação

Mais
Jantar, estar e terraço integrados formam a ala social do apê Panamby, com projeto de reforma do arquiteto Diego Revollo. As delimitações dos espaços é feita de forma sutil, como pelo uso das mesinhas hexagonais brancas (à dir.), da Érea, que também funcionam como bancos. No centro do estar, a mesa Varetas, da Ovo, é combinada ao sofá da Decameron Alain Brugier/ Divulgação

Mais
Deste ângulo vê-se a sala de estar ladeada por dois terraços em balanço e, em primeiro plano, o vazio da escada helicoidal (caracol). A casa Tijucopava foi projetada pelo arquiteto Marcos Acayaba Leonardo Finotti/ UOL

Mais
Nessa casa reformada pelo escritório House Design, em Pingtung, na China, as claraboias iluminam cômodos centrais que sofriam com a falta de janelas. O projeto, aliás, foi batizado de Adventure of Light Joey Liu/ Divulgação

Mais
A área social da casa LM/RM, assinada pela arquiteta Cecilia Vicente de Azevedo, tem dois ambientes de estar integrados ao jantar e à cozinha gourmet, além da varanda (à dir.). A coluna de concreto ficou aparente apenas no estar, um pouco recuada em relação à fachada - aqui, os módulos estruturais medem nove metros de comprimento, enquanto na área íntima, a estrutura pede suportes com 4,5 m. As poltronas e o pufe central de couro foram feitos na medida da planta Alain Brugier/ Divulgação

Mais
Área social da casa LM/RM, assinada pela arquiteta Cecilia Vicente de Azevedo, tem pé-direito duplo, que promove a iluminação natural, e dois ambientes de estar integrados ao jantar, à cozinha gourmet à varanda. As poltronas de couro e os sofás em linho são neutros e feitos sob medida: o desenho dos móveis é do escritório responsável pela arquitetura da residência de campo Alain Brugier/ Divulgação

Mais
Na sala de estar, o sofá em L da Artzzi, revestido de linho, ficou mais confortável com as almofadas em seda rústica, couro e linho. A mesinha lateral de alumínio é do designer Jader Almeida e a poltrona em couro assinada por Fernando Mendes completa o espaço. No centro, as mesas contrastam: uma é laqueada e a outra é de nogueira. Atrás do espelho está o sistema de home theater. O rodateto e o forro brancos enfatizam as paredes cinza d os interiores projetados por Elaine Carvalho G. Oliveira/ Divulgação

Mais
Neste ponto da sala de estar da casa com interiores idealizados pela arquiteta Elaine Carvalho, em Campinas (SP), fica a lareira. Veja que o volume da chaminé recebeu frontão em mármore de Carrara, que é valorizado pela iluminação. As quatro poltronas de couro, em volta da mesa redonda de madeira e vidro, dão suporte às boas conversas. Para finalizar, o forro de gesso embute as persianas e, na área externa, está a piscina G. Oliveira/ Divulgação

Mais
[VENCEDOR] Prêmio Casa Claudia Design de Interiores 2015 - categoria "Mostras de Decoração": Paloma Yamagata e Bruno Rangel. No projeto do Loft 212, exposto na Casa Cor Rio 2014, o quarto em frente à sala de estar fica delimitado por uma "caixa" de madeira (à dir.) Divulgação

Mais
[FINALISTA] Prêmio Casa Claudia Design de Interiores 2015 - categoria "Mostras de Decoração": Guilherme Torres. Integrada à sala de jantar, o estar em tons claros é composto por um extenso sofá branco e uma composição de centro com tampos espelhados. O projeto esteve em exposição na Casa Cor SP 2014 Divulgação

Mais
[VENCEDOR] Prêmio Casa Claudia Design de Interiores 2015 - categoria "Mostras de Decoração": Gisele Taranto. Na sala de estar, a parede em cimento queimado conversa com as peças em tons neutros e linhas retas. No teto, a estrutura entrelaçada de bambu distribui a luz que penetra pelas telhas translúcidas. O projeto fez parte da Casa Cor Rio 2014 Divulgação

Mais
[FINALISTA E PREFERIDO DO PÚBLICO] Prêmio Casa Claudia Design de Interiores 2015 - categoria "Mostras de Decoração": David Guerra Arquitetura e Interiores. No Apartamento do Executivo, apresentado na Casa Cor MG 2014, a mesa de jantar "separa" as áreas do quarto e do estar. Os tons amadeirados nos revestimentos e no mobiliário dão um ar elegante à composição Divulgação

Mais
[FINALISTA] Prêmio Casa Claudia Design de Interiores 2015 - categoria "Decoração no Campo": Dado Castello Branco. Neste projeto de casa de campo, o mix de texturas é suavizado pelos tons neutros. O resultado é uma decoração bem equilibrada Divulgação

Mais
[FINALISTA] Prêmio Casa Claudia Design de Interiores 2015 - categoria "Decoração no Campo": In House - Designers de Interiores. Os tecidos florais, as peças com ares "da Provença" e os elementos naturais como madeira e pedra combinam com o ar campestre Divulgação

Mais
[FINALISTA] Prêmio Casa Claudia Design de Interiores 2015 - categoria "Decoração no Campo": In House - Designers de Interiores. Os móveis com um ar retrô "de fazenda" ampliam a sensação de conforto nesta casa de campo Divulgação

Mais
[FINALISTA] Prêmio Casa Claudia Design de Interiores 2015 - categoria "Decoração no Campo": Triplex Arquitetura. Integrado à paisagem, o living da casa de campo tem decoração com uma pegada mais moderna e industrial Divulgação

Mais
[VENCEDOR E PREFERIDO DO PÚBLICO] Prêmio Casa Claudia Design de Interiores 2015 - categoria "Casas Urbanas": Alessandro Sartore. A conexão entre natureza e arquitetura é evidente no living, onde está uma mangueira. Os espaços de descanso junto à lareira e no estar são contemplados pela frondosa árvore Divulgação

Mais
[VENCEDOR E PREFERIDO DO PÚBLICO] Prêmio Casa Claudia Design de Interiores 2015 - categoria "Casas Urbanas": Alessandro Sartore. A exuberante mangueira com muitas décadas tem lugar de destaque no projeto do living. "A proposta foi criar a casa em torno dela, dando a sensação de que ambas estiveram juntas desde sempre", diz o arquiteto Divulgação

Mais
[FINALISTA] Prêmio Casa Claudia Design de Interiores 2015 - categoria "Casas Urbanas": Fernanda Marques Arquitetos Associados. Os panos de vidro delimitam e integram os ambientes internos e a área externa. Na decoração, o mobiliário "clean" dita o estilo contemporâneo Divulgação

Mais
[FINALISTA] Prêmio Casa Claudia Design de Interiores 2015 - categoria "Casas Urbanas": Fernanda Marques Arquitetos Associados. Com pé-direito duplo, a casa tem suas amplas áreas sociais conectadas à paisagem externa através dos panos de vidro. O verde complementa a decoração baseada em tons neutros e um tanto terrosos Divulgação

Mais
[FINALISTA] Prêmio Casa Claudia Design de Interiores 2015 - categoria "Casas Urbanas": Gisele Taranto Divulgação

Mais
[FINALISTA] Prêmio Casa Claudia Design de Interiores 2015 - categoria "Casas Urbanas": R.A.P. Arquitetura e Interiores. Integrada à área da piscina, a sala de estar tem, além do sofá, uma mesa de sinuca para os momentos de lazer Divulgação

Mais
[FINALISTA] Prêmio Casa Claudia Design de Interiores 2015 - categoria "Casas Urbanas": Studio Arthur Casas. O living desta casa tem decoração pautada nos tons da madeira e em tecidos claros. Entre as peças, destaque para a luminária de piso Arco, dos irmãos Castiglione Divulgação

Mais
[FINALISTA] V Prêmio Casa Claudia Design de Interiores - categoria "Casas Urbanas": Studio Arthur Casas. No pavimento térreo ficam os ambientes sociais decorados com peças de design contemporâneo e peças modernas, a exemplo da chaise de balanço criada por Oscar Niemeyer (à esq.) Divulgação

Mais
[VENCEDOR] Prêmio Casa Claudia Design de Interiores 2015 - categoria "Decoração na Praia": Pedro Motta Arquitetos e Sandra Brandão. A estrutura de eucalipto reflorestado, as esquadrias de jatobá e os amplos vidros deslizantes inserem a casa de praia na paisagem. Na decoração, o predomínio de cores claras dá ênfase ao "quadro natural" exterior Divulgação

Mais
[FINALISTA E PREFERIDO DO PÚBLICO] Prêmio Casa Claudia Design de Interiores 2015 - categoria "Decoração na Praia": Fernanda Pessoa de Queiroz. Em frente ao mar, a sala de estar da casa de praia é um convite ao relaxamento. O ambiente está ligado a um deck externo com ampla vista Divulgação

Mais
[FINALISTA E PREFERIDO DO PÚBLICO] Prêmio Casa Claudia Design de Interiores 2015 - categoria "Decoração na Praia": Fernanda Pessoa de Queiroz. Sobre uma base bem clara, a robusta mesa de jantar foi combinada às cadeiras de madeira vergada. Sobre o conjunto, as luminárias em fibra natural e os pufes ripados em frente ao sofá dão um toque rústico ao living Divulgação

Mais
[FINALISTA] Prêmio Casa Claudia Design de Interiores 2015 - categoria "Decoração na Praia": DB Arquitetura. Na casa de praia, a ampla sala de estar é decorada em tons terrosos que conversam com as madeiras que revestem o piso e também estruturam o teto. No projeto, os panos de vidro - protegidos por cortinas rústicas - integram a paisagem ao espaço Divulgação

Mais
[FINALISTA] Prêmio Casa Claudia Design de Interiores 2015 - categoria "Decoração na Praia": Debora Aguiar. No projeto da casa de praia, os ambientes sociais são completamente integrados à área de lazer externa. Na cobertura, painéis de fibra natural quebram a incidência de sol Divulgação

Mais
[VENCEDOR E PREFERIDO DO PÚBLICO] Prêmio Casa Claudia Design de Interiores 2015 - categoria "Apartamentos": SAO Arquitetura. No projeto da dupla Alexandre Skaff e Simone Carneiro, o piso de madeira ameniza a frieza dos pilares, vigas e paredes de concreto aparente Divulgação

Mais
[FINALISTA] Prêmio Casa Claudia Design de Interiores 2015 - categoria "Apartamentos": João Armentano. Em uma das salas do apartamento, os tons claros e sóbrios garantem elegância e conforto ao estar. Destaque ainda para alguns elementos com acabamento metalizado e para os móveis de linhas retas Divulgação

Mais
[FINALISTA] Prêmio Casa Claudia Design de Interiores 2015 - categoria "Apartamentos": João Armentano. Na parede que forma o pé-direito duplo estão duas janelas altíssimas, decoradas com cortinas escuras. Entre elas, um extenso painel espelhado amplia ainda mais o estar Divulgação

Mais
[FINALISTA] Prêmio Casa Claudia Design de Interiores 2015 - categoria "Apartamentos": Leo Romano. No projeto, os ambientes sociais são integrados e decorados em tons claros e amadeirados. Com a predominância de móveis em linhas retas, a decoração ganha leveza pelo uso das cadeiras com pés delgados em arco Divulgação

Mais
[FINALISTA] Prêmio Casa Claudia Design de Interiores 2015 - categoria "Apartamentos": Leo Romano. Na sala de TV, o revestimento em madeira do piso se estende por parte das paredes e do teto "aquecendo" o espaço. No mobiliário, destaque para o estofado laranja que se ajusta ao degrau Divulgação

Mais
[FINALISTA] Prêmio Casa Claudia Design de Interiores 2015 - categoria "Apartamentos": Sandra Picciotto Divulgação

Mais
[FINALISTA] Prêmio Casa Claudia Design de Interiores 2015 - categoria "Apartamentos": Storrer Tamburus Arquitetura. No lugar de paredes de alvenaria convencionais, divisórias formadas por ripas de madeira (madeirite) dividem os ambientes sociais dos demais cômodos do apê Divulgação

Mais
Na Casa Buceo, o estar está integrado ao corredor lateral externo, na altura da garagem. Com uma lareira à lenha, paredes revestidas por OSB (painel de tiras de madeira orientadas) e piso de madeira, o cômodo é sombreado, pois está protegido pela laje da varanda suspensa. A luz natural entra pela frente da casa, através de uma janela alta e delgada na fachada. A morada fica em Montevidéu, no Uruguai, e tem projeto de Marcelo e Martín Gualano Leonardo Finotti/ UOL

Mais
A cozinha da Casa do Zé fica integrada às salas de jantar e estar, ocupando o terceiro pavimento do monolito residencial, estruturado em concreto armado. Todos os revestimentos interiores, além dos armários são de madeira reciclada, reaproveitada das fôrmas de concretagem da fachada. No final da tarde, a janela (à esq.) traz para o interior da residência, a paisagem das vinhas do Vale Barris, banhadas pela luz do sol. A construção fica em Portugal e tem projeto do escritório Paratelier Leonardo Finotti/ UOL

Mais
O living é destaque na casa de campo em Itu: poltronas Sergio Rodrigues (Dpot), sofá de linho (Saccaro) e mesa de centro de aço corten com madeira (Vermeil) são combinados aos revestimentos e cores que dão tom rústico à decoração. O projeto de interiores é do escritório Díptico Lufe/ Divulgação

Mais
A pintura Terracal das paredes (que se baseia nas antigas caiações) tem cor próxima a da palha e combina com a madeira de demolição do painel para TV (Monica Cintra Madeiras). A atmosfera íntima é reforçada pelo tapete (Botteh) é em lã natural. O projeto de decoração da Díptico Design de Interiores Lufe/ Divulgação

Mais
O destaque da sala de estar é o fechamento total em vidros, com máxima integração do interior à paisagem. A entrada massiva de luz natural elimina a necessidade de muitos pontos de luz direta no forro com rebaixo de gesso. No chão, o piso de mármore Crema Marfil polido se destaca pelo brilho. A Residência Península dos Pássaros tem projeto arquitetônico de Eduardo França e Letícia de Azevedo e fica em Nova Lima, nos arredores de Belo Horizonte (MG) Jomar Bragança/ Divulgação

Mais
O apartamento com 29 m² na Polônia, era mais alto do que amplo: com pé-direito de 3,7 m, o jeito foi elevar o dormitório para um semi-mezanino, 1,85 m acima de um corredor com banheiro e guarda-roupas. Nesse "quarto", a altura é de apenas 1,35 m. Ao descascar a parede que dá base às escadas, os arquitetos do escritório 3XA descobriram tijolos muito antigos e danificados, que tiveram de ser pintados de branco. O edifício foi construído há mais de um século S. Zajaczkowski/ Divulgação

Mais
Os arquitetos do escritório polonês 3XA estudaram com precisão o tamanho e o encaixe dos móveis para a área integrada - com estar, jantar e cozinha - no apê com 29 m². A marcenaria (mesa de trabalho, prateleira de apoio ao sofá e cubo (mesa de centro)) é de MDF laqueado branco, assim como os armários embutidos de cozinha. A porta antiga que aparece na sala de estar (à esq.) é "cega", pois apenas cobre a parede, é um elemento decorativo S. Zajaczkowski/ Divulgação

Mais
A continuidade do piso de ardósia assegura uma maior integração entre interior e exterior, pretendida para a Casa Xan, projetada pelo escritório MAPA. O muro de concreto aparente delimita o espaço privativo da casa em relação ao abrigo de carros, na fachada frontal. Pilares metálicos se repetem a cada 3,5 m e os caixilhos de correr intensificam a interligação Leonardo Finotti/ UOL

Mais
No living do apartamento em São Paulo (SP), o revestimento no padrão cimentício (Bricolagem Brasil) cobre a parede que divide o ambiente social do lavabo (mais ao fundo) e da cozinha americana. A porta do lavatório recebeu o mesmo acabamento, unificando-a com o restante da superfície. Na composição bem resolvida, as cadeiras de jantar Charles Eames Wood dialogam com a luminária pendente e com a poltrona vermelha Womb, Eero Saarinen. O projeto de reforma é assinado por Duda Senna Mariana Orsi/ Divulgação

Mais
Além do tapete felpudo (Sol & Art), o conjunto de almofadas e a manta sobre o sofá (Dpot) ampliam a sensação de conforto no living do apartamento em São Paulo (SP). Ainda para o ambiente social, a arquiteta Duda Senna optou por mesas de centro e lateral (Oppa) com um mesmo desenho, mas em tons e alturas diferentes Mariana Orsi/ Divulgação

Mais
Por ter compartimento pivotante (rotatório) para TV, o eletrodoméstico pode ser utilizado tanto na sala, quanto no quarto. A prateleira suspensa (à dir. bem acima), em MDF laqueado branco, para disposição de livros se estende desde o dormitório (atrás da estante divisória). O sofá, na verdade, é uma namoradeira de veludo azul (Artefato), de tamanho menor e encaixe ideal no espaço reduzido. O projeto de interiores é de Adriana Fontana Divulgação

Mais
A namoradeira para dois lugares é em veludo azul (Artefato). Para completar a separação entre living e cozinha, a arquiteta de interiores Adriana Fontana encaixou uma peça de marcenaria, com nichos para objetos de decoração, aumentando a extensão da parede, sem limitar a vista. Os painéis de MDF (Masisa) são da linha Virgínia, que imita os veios naturais da madeira e acompanha a tonalidade do piso laminado Durafloor Divulgação

Mais
A área de convivência, no pavimento inferior da residência TCJ - com projeto de André Becker -, tem pé-direito com três metros e está organizada em função dos dois volumes de concreto vistos a partir da fachada voltada para rua e de um terceiro bloco robusto, onde está a lareira central. Fechamentos laterais em vidro protegem do frio de montanha e, à noite, as portas de correr podem ser fechadas facilitando o aquecimento pela lareira, mas mantendo o contato com a mata de preservação Leonardo Finotti/ UOL

Mais
No hall de entrada, os pendentes Falkland, da italiana Danese, ajudam a preencher a altura do pé-direito duplo. A cômoda Bianca desenhada por Sergio Rodrigues organiza correspondências e documentos. A poltrona, o tapete em couro de vaca e os objetos decorativos são da Villa Sierra. O projeto de interiores é assinado pelo arquiteto Jorge Elmor Daniel Katz/ Divulgação

Mais
No living e na área da lareira estão peças de design assinado como a poltrona Mole (à esq.), desenhada por Sergio Rodrigues. A madeira tem presença marcante no piso, executado com réguas maciças de cumaru, e nas persianas horizontais fornecidas pela Jô Martins. A casa em Curitiba (PR) teve arquitetura e interiores projetados por Jorge Elmor Daniel Katz/ Divulgação

Mais
No living e na área da lareira peças de design assinado, como a poltrona Mole em couro, desenhada pelo designer brasileiro Sergio Rodrigues, fazem parte da ambientação. Adicionando um 'quê' de modernidade ao espaço, a lareira foi revestida com chapa de aço patinável. A casa em Curitiba (PR) foi desenhada e decorada pelo arquiteto Jorge Elmor Daniel Katz/ Divulgação

Mais
A ambientação do home theater oferece o aconchego e o conforto necessários para o desfrute de um bom filme. A varanda concedeu a luz natural necessária aos espaços do living, que, à noite, ganham o auxílio da iluminação artificial da Reka. O apê Barão do Tietê foi reformado pelos arquitetos Marcelo Barbosa e Ana Mello Ana Mello/ UOL

Mais
O aparador e o banco pretos são de marcenaria laqueada (Clami Design). As peças são combinadas com o sofá com "chaise" e acabamento em chenille (Breton) e o tapete da Vitrine, assim como as cortinas de linho. As mesas de centro e canto, em vidro, são da Ovo e as poltronas amarelas têm design de Jader Almeida. Os projetos de reforma e interiores para o Apartamento Maranhão são assinados por Flavio Castro Divulgação

Mais
O conceito dos interiores do Apê Maranhão foi pensado a partir da conjunção de três materiais e suas cores características: o aço corten (galeria com prateleiras para quadros; à esquerda), o concreto (vigas e pilares) e o vidro (mesas para as salas). Todavia, a austeridade de tais elementos foi diluída em detalhes pontuais: objetos de design, decoração e amplas peças do mobiliário. A reforma e a decoração das áreas sociais da morada têm assinatura de Flavio Castro Divulgação

Mais
A parede que separava a atual sala de TV do estar foi suprimida, deixando expostos pilares e vigas estruturais e originais do Apartamento Maranhão. Na decoração, destaque para o rack e o aparador de marcenaria laqueada (Clami), combinados aos sofás com acabamento em chenille (Clami) e às mesas de centro em vidro, Ovo. A reforma tem assinatura do arquiteto Flavio Castro Divulgação

Mais
O pé-direito de 5,8 m favoreceu a entrada de ventilação e luz naturais na área do estar e do home theater. A cortina tipo painel solar, da Uniflex, controla a insolação e protege o móvel multifunção que embute a TV e pode ser usado como aparador, além de estante e armário para objetos. O elemento é da HDS Marcenaria e recebeu acabamento em laca com portas em freijó. O Apê Cobre Blue tem projeto de reforma do escritório Casa 100 Arquitetura Quadra 2 Fotografia/ Divulgação

Mais
A sala de estar é "escurecida" e tem maior conforto térmico pelo revestimento das paredes em lambris de madeira, no mesmo tom da marcenaria (aparador embutido). As janelas são contínuas, chegam até o teto e, por se abrirem na altura da vegetação densa e tropical externa, colaboram para a criação de um ambiente de relaxamento fresco e com boa ventilação cruzada. A Casa Schulthess foi projetada pelo arquiteto austríaco Richard Neutra, em 1956, para uma família com três filhos de Havana, Cuba Leonardo Finotti/ UOL

Mais
Na sala de estar da Casa Schulthess desenhada por Richard Neutra, em Havana, a lareira é de pedra. O mesmo material é usado para revestir uma jardineira (à esq.) que rasga o plano vertical (fechamento lateral) de vidro, se estendendo sala adentro. A pedra, bem como o piso, faz papel de componente de integração entre exterior e interiores. Ao fundo, a escada tem degraus fixos à parede por uma extremidade e atirantados (sustentados pela) à viga, pela outra face Leonardo Finotti/ UOL

Mais
As cores de Mondrian inspiram projeto de João Batista Vilanova Artigas para a Casa Olga Baeta (1956) e a reforma dirigida por Angelo Bucci (1996) reproduz com fidelidade as cores primárias utilizadas originalmente: o vermelho das esquadrias metálicas e parede dos fundos, além do azul, do amarelo. A parede similar a um concreto aparente é, na verdade, um revestimento de argamassa armada, moldado em fôrmas que fazem a textura - detalhe dado pela reforma, para as área de cozinha e serviços Leonardo Finotti/ UOL

Mais
O que seria o terceiro pórtico central de sustentação estrutural da Casa Olga Baeta foi pensado pelo arquiteto João Batista Vilanova Artigas como uma escora de concreto, que ao longo dos anos não resistiu, e foi substituída por um pilarete externo que já não existe mais, desde que em 1996 foi projetada a reforma capitaneada por Angelo Bucci. Bucci providenciou uma nova escora, desta vez metálica Leonardo Finotti/ UOL

Mais
Um entrepiso separa o térreo (social e serviços) do primeiro pavimento (íntimo), com sala de TV e trabalho. As cores das obras de Piet Mondrian são a inspiração do projeto de João Batista Vilanova Artigas para a Casa Olga Baeta (1956). Em 1996, a reforma trazida por Angelo Bucci reproduziu com fidelidade as cores primárias, além do preto. Panos de piso, em ladrilhos hidráulicos, acompanham o mesmo jogo de cores característico da obra do artista holandês Leonardo Finotti/ UOL

Mais
Além do estar, com sua parede solteira decorada por adesivos dos "Space Invaders", famosos "personagens" do jogo homônimo para o console Atari dos anos 1980, desse ângulo, vê-se a sala de jantar e a cozinha ao fundo e, acima, a parede que delimita os dormitórios. Em primeiro plano, o sofá MiCasa foi combinado ao pufe Miniloft. A LA House foi projetada pelo Studio Guilherme Torres e fica em Londrina (PR) Denilson Machado (MCA Estúdio)/ Divulgação

Mais
Pisos, portas e janelas foram recuperados no Sobrado 505, com reforma assinada pelo Studio UM. Já o reboco velho das paredes, onde estava intacto e sem umidades, foi mantido e apenas pintado com tinta acrílica comum. A área social é integrada por dois vãos de antigas portas, que permitem a passagem completa da luz natural desde a janela frontal da casa (fundo do escritório) até os fundos da sala de TV (em primeiro plano). A residência fica em Florianópolis (SC) Mauri Cherobin/ Divulgação

Mais
Estar, jantar e escritório formam o "segundo bloco" da Casa das Pérgolas e se abrem para o exterior, onde estão as coberturas deslizantes. A ambientação é composta pelo mobiliário escandinavo, com exceção do painel da TV (à dir.), desenhado pelos arquitetos do escritório FGMF que assinam o projeto arquitetônico da residência Rafaela Netto/ UOL

Mais
Catiúcia Fernandes propõe para a composição da Sala de Estar do Casal de Artistas linhas retas e formas limpas. No ambiente, o painel da TV (à dir.) feito com madeira de obra reaproveitada chama a atenção diante do branco e do off-white das paredes, piso e de parte dos móveis. A mostra Morar Mais por Menos Brasília fica em cartaz até 14 de dezembro de 2014, na Casa do Candango, na SGAS quadra 603, na capital federal. Outras informações: www.morarmais.com.br Haruo Mikami/ Divulgação

Mais
Na Sala de Estar Pirenópolis, de Fran Lima, Marcelo Lourenço e Welson Rollins, o revestimento cerâmico acinzentado da parede remete aos trabalhos do artista Athos Bulcão (1918-2008). À frente do painel está a cadeira Athos, desenvolvida pelo trio. Destaque também para mesa de centro estruturada por pallets e finalizada com tampo polido. A mostra Morar Mais por Menos Brasília fica em cartaz até 14 de dezembro de 2014, na capital federal. Outras informações: www.morarmais.com.br Haruo Mikami/ Divulgação

Mais
No Espaço do Colecionador - Circulação dos Quartos, Priscila Gabini, Tomas Zeymer e Elisângela Palmeira optaram por um papel de parede em estilo "medalhão", combinado ao espelho com moldura dourada, toda trabalhada. A poltrona Mole desenhada por Sergio Rodrigues e estofada em couro se destaca entre as obras de arte. A mostra Morar Mais por Menos Brasília fica em cartaz até 14 de dezembro de 2014, na Casa do Candango, na SGAS quadra 603, na capital federal. Outras informações: www.morarmais.com.br Haruo Mikami/ Divulgação

Mais
Feito em MDF, o painel (à dir.) no Hall da Sala de Jantar, criado por Sabrina Najar, tem inspiração nas paletas cromáticas desenvolvidas pelo arquiteto franco-suíço Le Corbusier (Charles-Edouard Jeanneret-Gris). O revestimento das demais paredes em concreto e o piso em cimento queimado proporcionam um ar rústico e moderno ao espaço. A mostra Morar Mais por Menos Brasília fica em cartaz até 14 de dezembro de 2014, na capital federal. Outras informações: www.morarmais.com.br Haruo Mikami/ Divulgação

Mais
As tonalidades suaves de cinza definem o Apartamento do Jovem Casal, de Lucivania Castro. Próxima à bancada estruturada por cobogós (à dir.), a parede tem revestimento cerâmico ornamentado. A mostra Morar Mais por Menos Brasília fica em cartaz até 14 de dezembro de 2014, na Casa do Candango, na SGAS quadra 603, na capital federal. Outras informações: www.morarmais.com.br Haruo Mikami/ Divulgação

Mais
O Apartamento do Executivo é uma criação do arquiteto David Guerra. No projeto, a ausência de paredes une o quarto às áreas de jantar e estar. O perfil mais refinado do morador dita o emprego de peças de design contemporâneo e o predomínio de matizes sóbrios como marrom e bege. A Casa Cor Minas Gerais fica em cartaz até dia 16 de dezembro de 2014, na Estrada para São Sebastião das Águas Claras, 1.289, em Nova Lima. Outras informações: www.casacor.com.br/minasgerais Jomar Bragança/ Divulgação

Mais
Danilo de Pina e Fernando César assinam o Single Loft, onde o quarto e a sala são separados apenas por uma estante. A iluminação intimista realça o revestimento cimentício e o mobiliário em tons escuros (com exceção das cadeiras em madeira clara). A Casa Cor Minas Gerais fica em cartaz até dia 16 de dezembro de 2014, na Estrada para São Sebastião das Águas Claras, 1.289, em Nova Lima. Outras informações: www.casacor.com.br/minasgerais Jonas Grebler/ Divulgação

Mais
Portas de correr integram ao passo que podem oferecer privacidade ao Loft do Pianista, projetado por Flávia Soares. Os tons escuros associados às diferentes texturas criam um ambiente elegante. A Casa Cor Minas Gerais fica em cartaz até dia 16 de dezembro de 2014, na Estrada para São Sebastião das Águas Claras, 1.289, em Nova Lima. Outras informações: www.casacor.com.br/minasgerais Flávia Soares/ Divulgação

Mais
Em uma das salas do Loft do Pianista, de Flávia Soares, os tons sóbrios são associados a diferentes texturas, o que afasta a monotonia da composição. Os pontos de luz embutidos no teto destacam o volume e o efeito oxidado do revestimento na parede. A Casa Cor Minas Gerais fica em cartaz até dia 16 de dezembro de 2014, na Estrada para São Sebastião das Águas Claras, 1.289, em Nova Lima. Outras informações: www.casacor.com.br/minasgerais Flávia Soares/ Divulgação

Mais
No Studio do Solteiro, da designer de interiores Cícera Gontijo, os tons amadeirados e as cores sóbrias tanto dos acabamentos quanto em boa parte das peças resultam numa atmosfera masculina e contemporânea. Na ambientação, a estante embutida possui finas prateleiras. A Casa Cor Minas Gerais fica em cartaz até dia 16 de dezembro de 2014, na Estrada para São Sebastião das Águas Claras, 1.289, em Nova Lima. Outras informações: www.casacor.com.br/minasgerais Jomar Bragança/ Divulgação

Mais
Sheila Mundim, Mira Mundim e Renata Paranhos desenvolveram o Studio do Jogador de Futebol, inspiradas nos desportistas mineiros. Detalhes como nichos para exposição dos troféus e da coleção de camisas de time dão o clima futebolístico ao ambiente masculino, em tons acinzentados. A Casa Cor Minas Gerais fica em cartaz até dia 16 de dezembro de 2014, na Estrada para São Sebastião das Águas Claras, 1.289, em Nova Lima. Outras informações: www.casacor.com.br/minasgerais Jomar Bragança/ Divulgação

Mais
Cristina Morethson e Angelo Coelho assinam o Refúgio do Escritor, um projeto com espaços integrados em homenagem ao mineiro Fernando Sabino. Em tons de cinza, a composição tem piso em placas de concreto rústico que se contrapõe ao mobiliário contemporâneo e aos acessórios com ar sofisticado. A Casa Cor Minas Gerais fica em cartaz até dia 16 de dezembro de 2014, na Estrada para São Sebastião das Águas Claras, 1.289, em Nova Lima. Outras informações: www.casacor.com.br/minasgerais Daniel Mansur/ Divulgação

Mais
Cristina Morethson e Angelo Coelho assinam o Refúgio do Escritor, projeto em homenagem ao mineiro Fernando Sabino. Na sala de estar marcada por tons de cinza, a lareira em mármore italiano Nero Portoro (à esq.), na cor preta com veios amarelo ouro e branco, arremata a composição. A Casa Cor Minas Gerais fica em cartaz até dia 16 de dezembro de 2014, na Estrada para São Sebastião das Águas Claras, 1.289, em Nova Lima. Outras informações: www.casacor.com.br/minasgerais Daniel Mansur/ Divulgação

Mais
O Studio do Solteiro, da designer de interiores Cícera Gontijo, tem espaços sociais e íntimo (ao fundo) integrados. As cores sóbrias e os tons do cobre e da madeira, tanto dos acabamentos quanto em boa parte dos móveis e objetos, resultam numa atmosfera masculina e contemporânea. A Casa Cor Minas Gerais fica em cartaz até dia 16 de dezembro de 2014, na Estrada para São Sebastião das Águas Claras, 1.289, em Nova Lima. Outras informações: www.casacor.com.br/minasgerais Jomar Bragança/ Divulgação

Mais
André Monte assina o Espaço Gourmet que tem salas de estar (foto), jantar e cozinha. A predominância da marcenaria e das cores neutras proporcionam uma atmosfera aconchegante. A grande estante vazada delimita e ao mesmo integra o estar aos demais ambientes. A Casa Cor Ceará fica em cartaz até dia 10 de dezembro de 2014, na Av. Barão de Studart, 598, em Fortaleza. Outras informações: www.casacor.com.br/ceara Esdras Guimarães/ Divulgação

Mais
Inspirada na Bossa Nova e no clima tropical, a Sala da Família, criada por Rodrigo Maia, tem decoração leve, baseada em tons claros. O extenso tapete, sobre o piso de madeira, colabora para a sensação de aconchego. A Casa Cor Ceará fica em cartaz até dia 10 de dezembro de 2014, na Av. Barão de Studart, 598, em Fortaleza. Outras informações: www.casacor.com.br/ceara Esdras Guimarães/ Divulgação

Mais
A Sala da Família, criada por Rodrigo Maia, tem decoração leve, baseada em tons claros. As cortinas da marca inglesa Designers Guild e o paisagismo assinado pela empresa Jardim da Cidade criam um clima tropical e despojado. Ainda no ambiente, a espreguiçadeira de balanço (à esq.) é um convite ao relaxamento. A Casa Cor Ceará fica em cartaz até dia 10 de dezembro de 2014, na Av. Barão de Studart, 598, em Fortaleza. Outras informações: www.casacor.com.br/ceara Esdras Guimarães/ Divulgação

Mais
Pensado para um homem de negócios que tem como hobby pedalar, o Estúdio do Ciclista, de Ramiro Mendes, tem uma sala de estar definida pelo mobiliário e pelos revestimentos urbanos e descolados. Destaque para a luminária Potence (presa à parede), do designer francês Jean Prouvé. A Casa Cor Ceará fica em cartaz até dia 10 de dezembro de 2014, na Av. Barão de Studart, 598, em Fortaleza. Outras informações: www.casacor.com.br/ceara Esdras Guimarães/ Divulgação

Mais
Pensado para um homem de negócios que tem como hobby pedalar, o Estúdio do Ciclista, de Ramiro Mendes, tem uma sala de estar definida por mobiliário e revestimentos que refletem um estilo mais urbano e industrial. Destaque para a luminária Potence do designer francês Jean Prouvé (à dir.) e o grande tapete formado por ladrilhos hidráulicos. A Casa Cor Ceará fica em cartaz até dia 10 de dezembro de 2014, na Av. Barão de Studart, 598, em Fortaleza. Outras informações: www.casacor.com.br/ceara Esdras Guimarães/ Divulgação

Mais
Marcelus Caracas e Odete Aragão assinam a Sala de Estar, onde há uma mistura de materiais e texturas. O ambiente é composto por sofás recobertos por veludo verde, poltronas de inspiração clássica e mesa de centro estruturada em madeira. Repare também no painel com desenhos circulares, disposto na parede próxima ao pilar rústico. A Casa Cor Ceará fica em cartaz até dia 10 de dezembro de 2014, na Av. Barão de Studart, 598, em Fortaleza. Outras informações: www.casacor.com.br/ceara Esdras Guimarães/ Divulgação

Mais
Pensado como um "salão palaciano", o Living é uma criação de Dora São Bernardo. No ambiente foram empregados móveis contemporâneos, como as mesas de centro de linhas futuristas. Ainda na composição, o revestimento em MDF recria elementos arquitetônicos como molduras (boiseries) e frontões. A Casa Cor Ceará fica em cartaz até dia 10 de dezembro de 2014, na Av. Barão de Studart, 598, em Fortaleza. Outras informações: www.casacor.com.br/ceara Esdras Guimarães/ Divulgação

Mais
A sala de leitura no pavimento superior é o canto mais charmoso da residência na Liberdade, Sos anos 1950. O ambiente tem vitrô em esquadria de ferro: "Com a luz do dia, os losangos amarelos criam uma iluminação ímpar e, à noite, reluzem quando vistos de fora" diz o arquiteto responsável pela reforma, Flavio Cunha. A moldura ao redor da esquadria não é de gesso, mas um detalhe original em cimento. No chão, os ladrilhos hidráulicos também são originais e foram recuperados e limpos durante a obra Levi Mendes Jr./ Divulgação

Mais
A sala de TV foi decorada com móveis clássicos, como o bar (à dir.) e a mesa de centro, do antiquário A Bisavó. O ambiente é privilegiado pela luz natural proveniente da fachada frontal do sobrado construído na Liberdade, em São Paulo, nos anos 1950. A recuperação e adaptação da edificação foi desenvolvida pelo arquiteto Flavio Cunha, da SET Arquitetura Levi Mendes Jr./ Divulgação

Mais
O piso em peroba é original e foi tratado com resina acetinada (Bona). As molduras do forro (gesso) foram refeitas, porque as originais estavam deterioradas. Nas áreas sociais, o pé direito ultrapassa os três metros de altura e o "retrofit" executado pela equipe do arquiteto Flavio Cunha, da SET Arquitetura, manteve essa qualidade construtiva. O sobrado fica no bairro da Liberdade, região central de São Paulo Levi Mendes Jr./ Divulgação

Mais
A abertura que liga a sala de TV ao living (na foto, ao fundo) foi ampliada. A porta-balcão (Cantabrico), com aspecto rústico, se abre totalmente criando um ambiente único. A saleta é privilegiada pela luz natural proveniente da fachada frontal da casa no bairro da Liberdade, região central de São Paulo, e datada dos anos 1950. A construção foi reformada pelo escritório SET Arquitetura Levi Mendes Jr./ Divulgação

Mais
A abertura que liga o living à sala de TV (na foto, ao fundo) também foi ampliada. A porta-balcão (Cantabrico) foi deixada com aspecto rústico: ela se abre totalmente proporcionando a integração dos ambientes. Os acabamentos são, porém, contrastantes: Branco Antigo de um lado, Vermelho França de outro - ambas cores da Coral. Os móveis clássicos, como a luminária lateral e a cristaleira, são do antiquário A Bisavó. O projeto de reforma e decoração é da SET Arquitetura Levi Mendes Jr./ Divulgação

Mais
No estar, a luminária lateral e a cristaleira são do antiquário A Bisavó e o lustre de teto foi adquirido na Feira de Antiguidades do Bixiga (no bairro da Bela Vista, em São Paulo). O sobrado na Liberdade foi construído nos anos 1950 e tem projeto de reforma do escritório SET Arquitetura Levi Mendes Jr./ Divulgação

Mais
O hall de entrada se integra ao estar por um vão com dois metros de largura aberto durante a reforma promovida pelo arquiteto Flavio Cunha, no sobradinho da Liberdade, em São Paulo. Foi necessário aplicar reforço com pórtico de vigas e pilares metálicos - os maiores calçados em blocos de fundação e os menores com transpasse de 50 cm para cada lado, apoiados na alvenaria original (como uma verga). A parede (ao fundo) foi descascada e expõe os tijolinhos maiores do que os fabricados atualmente Levi Mendes Jr./ Divulgação

Mais
Depois da onda do bege, a bola da vez é o cinza, que, assim como o branco, é uma cor neutra, bastante adotada em projetos de interiores e fácil de ser combinada. O cinza vem sendo usado como pano de fundo para o emprego de outros matizes, como neste projeto assinado pelo arquiteto Maurício Karam: urbana, a proposta harmoniza a textura e o tom do concreto à pintura parede, ao revestimento do sofá e ao tecido da cortina, em tons cinzentos mais quentes, puxando para o marrom Marcelo Magnani/ Divulgação

Mais
No living, projetado por Renata Popolo, um evidente contraste entre o frio e o quente: repare que os detalhes laranjas e a madeira ganham destaque sobre os tons de cinza. "Acabei escolhendo essa tonalidade mais escura para deixar o ambiente com uma cara mais masculina", diz a arquiteta Mariana Orsi/ Divulgação

Mais
O arquiteto André Piva recorreu ao cinza no living claro, para que a obra assinada por Carlito Carvalhosa - onde o azul predomina - e a natureza revelada pela ampla janela ficassem em destaque. Também sobressaíram à base cinzenta a madeira e as cores das almofadas Denilson Machado - MCA/ Divulgação

Mais
Predominantemente cinza, o living idealizado pela arquiteta Cristiane Schiavoni ganhou singelas pinceladas de cor no azul do tapete e nos tons de marrom das almofadas. O matiz base foi escolhido com o intuito de criar uma atmosfera neutra, moderna e sofisticada. "Paredes e móveis em cinza transmitem a sensação de equilíbrio e, assim, é possível brincar com acessórios e outros detalhes coloridos, pois o matiz aceita diversas composições", diz Carlos Piratininga/ Divulgação

Mais
Como a moradora desejava um lar bem colorido para estimular a sua rotina, o escritório Lovisaro Arquitetura propôs uma base cinza aliada às cores fortes dos quadros, almofadas, tapete e objetos. A decoração em tons cinzentos consegue ser um misto de clássico e contemporâneo. Porém, é preciso moderação para não carregar o espaço visualmente, recomendam os profissionais do estúdio Victor Affaro / Divulgação

Mais
Cinza claro na parede e um cinza quase prateado no sofá e no tapete compõem o projeto pensado pela decoradora Iris Filomena e o arquiteto Marcos Vaz. Tal escolha destaca as nuanças de turquesa das banquetas e das almofadas Marcelo Scandaroli/ Divulgação

Mais
Neste home theater, a designer Silvia Romanholi adotou variantes do cinza como base: as paredes mais clarinhas sofrem o efeito "tom sobre tom" em relação aos estofados e contrastam com o painel de mármore e a esquadria escuras, deixando o ambiente mais elegante e sofisticado Divulgação

Mais
Em tons que variam entre frios e neutros, o living foi projetado pela arquiteta Denise Monteiro para um jovem executivo. Em uma das paredes foi aplicado papel de parede cinza, que cria uma atmosfera sóbria, deixando o espaço mais masculino. Essas tonalidades também ajudaram a criar um espaço atemporal e que possibilita o uso de cores mais intensas de forma pontual, no tapete e nos objetos Divulgação

Mais
Os elementos e materiais utilizados no Studio do Diplomata, de Rebecca de Gonzaga, seguem a linha contemporânea. No entanto, a arquiteta não deixa de lado o estilo clássico representado pelo sofá Chesterfield (à dir.), "modernizado" pela cor coral. A Casa Cor Bahia fica em cartaz até dia 7 de dezembro de 2014, na Chácara Baluarte, 18, no Santo Antônio Além do Carmo, em Salvador. Outras informações: www.casacor.com.br/bahia Xico Diniz/Divulgação

Mais
A arquiteta Rebecca de Gonzaga misturou elementos clássicos e contemporâneos para criar o Studio do Diplomata. No detalhe do estar, o sofá Chesterfield na cor coral e as fotografias de Joaquim Nery na parede. A Casa Cor Bahia fica em cartaz até dia 7 de dezembro de 2014, na Chácara Baluarte, 18, no Santo Antônio Além do Carmo, em Salvador. Outras informações: www.casacor.com.br/bahia Xico Diniz/Divulgação

Mais
No detalhe da Sala de Jantar, uma criação de Wesley Lemos, a madeira e o cimento queimado revestem o piso e a parede, respectivamente. Destaque também para o mix de móveis e objetos de variadas épocas e estilos. A Casa Cor Bahia fica em cartaz até dia 7 de dezembro de 2014, na Chácara Baluarte, 18, no Santo Antônio Além do Carmo, em Salvador. Outras informações: www.casacor.com.br/bahia Xico Diniz/Divulgação

Mais
Daniela Lopes desenvolveu o Mirante da Mangueira em tons de bege e madeira, além do duo preto e branco. No ambiente, obras de arte foram dispostas entre e dentro das boiseries (molduras) nas paredes. A Casa Cor Bahia fica em cartaz até dia 7 de dezembro de 2014, na Chácara Baluarte, 18, no Santo Antônio Além do Carmo, em Salvador. Outras informações: www.casacor.com.br/bahia Xico Diniz/Divulgação

Mais
O arquiteto Flávio Moura escolheu uma versão ampla do clássico sofá Chesterfield para compor o aconchegante living do Lounge Gourmet. No espaço, os acabamentos vão do couro envelhecido à madeira, e do mármore marrom imperial à laca tom chocolate. A Casa Cor Bahia fica em cartaz até dia 7 de dezembro de 2014, na Chácara Baluarte, 18, no Santo Antônio Além do Carmo, em Salvador. Outras informações: www.casacor.com.br/bahia Xico Diniz/Divulgação

Mais
No Lounge da Praça, de Marcus e Ivane Barbosa, o ambiente de estar tem duas poltronas com inspiração clássica, com listras brancas no estofado. O tapete (também listrado) alegra o espaço de cores neutras através de vívidos tons de verde. A Casa Cor Bahia fica em cartaz até dia 7 de dezembro de 2014, na Chácara Baluarte, 18, no Santo Antônio Além do Carmo, em Salvador. Outras informações: www.casacor.com.br/bahia Xico Diniz/Divulgação

Mais
Catia Bacellar assina o Studio da Jornalista, com sala de estar e home office. No projeto, a designer de interiores combinou uma contemporânea estante branca com detalhes em laca amarela brilhante e cadeiras de inspiração clássica. A Casa Cor Bahia fica em cartaz até dia 7 de dezembro de 2014, na Chácara Baluarte, 18, no Santo Antônio Além do Carmo, em Salvador. Outras informações: www.casacor.com.br/bahia Xico Diniz/Divulgação

Mais
Móveis de estilos neoclássico e contemporâneo decoram o Studio da Escritora, de Cristiane Pepe. No estar, a parede (à dir.) ganhou boiseries (molduras), papel de parede estampado e quadros. A Casa Cor Bahia fica em cartaz até dia 7 de dezembro de 2014, na Chácara Baluarte, 18, no Santo Antônio Além do Carmo, em Salvador. Outras informações: www.casacor.com.br/bahia Xico Diniz/Divulgação

Mais
Daniela Lopes desenvolveu o Mirante da Mangueira com destaque para a madeira e os tons de bege, além do duo preto e branco. A iluminação dirigida disposta em trilhos no teto focam as obras de arte e objetos entre as boiseries (molduras). A Casa Cor Bahia fica em cartaz até dia 7 de dezembro de 2014, na Chácara Baluarte, 18, no Santo Antônio Além do Carmo, em Salvador. Outras informações: www.casacor.com.br/bahia Xico Diniz/Divulgação

Mais
Definido por tons claros, o Home Theater 2 é uma criação da designer de interiores Adélia Estevez. Vasos de cristal tipo murano, tapete com estampa clássica e predomínio de materiais como madeira, couro e linho garantem uma atmosfera refinada. A Casa Cor Bahia fica em cartaz até dia 7 de dezembro de 2014, na Chácara Baluarte, 18, no Santo Antônio Além do Carmo, em Salvador. Outras informações: www.casacor.com.br/bahia Xico Diniz/Divulgação

Mais
O ambiente Mirante do Abacateiro, de Aline Cangussú, reúne confortáveis salas de estar e jantar. Móveis contemporâneos como o sofá Basic, do designer catarinense Jader Almeida, e peças com toque clássico como as poltronas com acabamento capitonado (à dir.) compõem os espaços sociais. A Casa Cor Bahia fica em cartaz até dia 7 de dezembro de 2014, na Chácara Baluarte, 18, no Santo Antônio Além do Carmo, em Salvador. Outras informações: www.casacor.com.br/bahia Xico Diniz/Divulgação

Mais
Detalhe de uma das salas do ambiente Mirante do Abacateiro, de Aline Cangussú. Em tons neutros, o espaço conta com poltronas com encosto capitonado combinadas ao aparador revestido por espelhos (à dir.). A Casa Cor Bahia fica em cartaz até dia 7 de dezembro de 2014, na Chácara Baluarte, 18, no Santo Antônio Além do Carmo, em Salvador. Outras informações: www.casacor.com.br/bahia Xico Diniz/Divulgação

Mais
No nível inferior e contígua à suíte, a saleta íntima tem piso de madeira e funciona como home theater. O sofá e o pufe são assinados pelo designer Fernando Jaeger,enquanto a bancada para TV é da Ornare e a luminária, da Reka. A Casa Ithayê foi projetada pelo escritório Apiacás Arquitetos Leonardo Finotti/ UOL

Mais
A sala de estar exibe uma decoração espartana, com piso em cimento queimado em sintonia com o concreto aparente das paredes e do forro. O mobiliário é composto pelo sofá cinza do Estúdio Bola, pela mesa criada por Fernando Jaeger e pelas luminárias Reka. A lareira da Vent Art aquece o espaço Leonardo Finotti/ UOL

Mais
Criado por Paula Neder, o Estúdio PN para Lina Bo Bardi é multiuso, com áreas para trabalhar, dormir e receber os amigos. Para o projeto, a arquiteta desenhou o pufe que vira cama, mas está integrado ao estar. Obras de arte e peças do mobiliário trazem cores vibrantes ao ambiente com acabamentos neutros. A Casa Cor Rio fica em cartaz até dia 7 de dezembro de 2014, no CasaShopping, na Av. Ayrton Senna, 2150, blocos O/P, na Barra da Tijuca. Outras informações: www.casacor.com.br/riodejaneiro André Nazareth/Divulgação

Mais
Criado por Paula Neder, o Estúdio PN para Lina Bo Bardi é multiuso, com áreas para trabalhar, dormir e receber os amigos. Em outro ângulo do estar, a poltrona Shadoway, de Tord Boontje (LZ Studio), e a obra de arte na parede cinzenta dão um ar alegre à ambientação. A Casa Cor Rio fica em cartaz até dia 7 de dezembro de 2014, no CasaShopping, na Av. Ayrton Senna, 2150, blocos O/P, na Barra da Tijuca. Outras informações: www.casacor.com.br/riodejaneiro André Nazareth/Divulgação

Mais
Sobre o piso de taco espinha de peixe, peças que mesclam o antigo e o novo compõem o Estúdio A, de Roberta Moura, Paula Faria e Luciana Mambrini. A enorme estante, com fundo espelhado e prateleiras em lâminas finíssimas de ferro, tem desenho assinado por Jader Almeida. As 17 lâmpadas pendentes sobre a mesa de jantar também foram projetadas pelo designer. A Casa Cor Rio fica em cartaz até dia 7 de dezembro de 2014, no CasaShopping. Outras informações: www.casacor.com.br/riodejaneiro André Nazareth/Divulgação

Mais
Na Sala do Primeiro Apê, de Tiana Meggiolaro e Bia Mayrinck, a base é neutra (concreto e tijolos nas paredes e madeira no piso), enquanto as cores fortes estão em pôsteres, nos azulejos, nos acessórios e em móveis (Oppa). Os 40 m² estão distribuídos em sala de TV, canto de trabalho e sala de jantar com cozinha gourmet. A Casa Cor Rio fica em cartaz até dia 7 de dezembro de 2014, no CasaShopping, na Barra da Tijuca. Outras informações: www.casacor.com.br/riodejaneiro André Nazareth/Divulgação

Mais
Paloma Yamagata e Bruno Rangel assinam o Loft 212, onde um container (à dir.) abriga o quarto e o banheiro. No estar, os tons de cinza são vistos no papel de parede, no tapete e nos estofados dos móveis. A Casa Cor Rio fica em cartaz até dia 7 de dezembro de 2014, no CasaShopping, na Av. Ayrton Senna, 2150, blocos O/P,