Policial da Rota e família são mortos em chacina em São Paulo

Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://noticias.bol.uol.com.br/fotos/imagens-do-dia/2013/08/06/policial-da-rota-e-familia-sao-mortos-em-chacina-em-sao-paulo.htm
  • totalImagens: 41
  • fotoInicial: 33
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20130806001949
    • São Paulo [5106]; SP [5110];
    • Violência em São Paulo [64036]; homicídio [45519];
Fotos
5.ago.2013 - Em foto de rede social, o sargento da Rota Luís Marcelo Pesseghini, sua mulher, Andréia Regina Bovo Pesseghini, e o filho deles, Marcelo Eduardo Bovo Pesseghini, 13, mortos em chacina na Vila Brasilândia, zona norte de São Paulo, nesta segunda-feira (5). Além dos três, a mãe e a tia de Andréia também foram encontradas mortas em outra casa que fica no mesmo quintal. A hipótese é que o garoto tenha atirado nos familiares e depois se suicidado Reprodução/Facebook Mais
5.ago.2013 - Rua na zona norte de São Paulo, no bairro de Vila Brasilândia, onde morava o sargento da Rota Luís Marcelo Pesseghini, assassinado com a família, é tomada de peritos, familiares, curiosos e cerca de 200 policiais. O sargento e a mulher, que era cabo da PM, e o filho de 13 anos foram encontrados mortos nesta segunda-feira (5). Além dos três, a mãe e a tia da cabo foram encontradas mortas em outra casa que fica no mesmo quintal. A polícia trabalha com a hipótese de que o garoto tenha atirado nos membros da família e depois se matado Vinicius Pereira/Folhapress Mais
5.ago.2013 - Policiais guardam rua na zona norte de São Paulo, no bairro de Vila Brasilândia, onde morava o sargento da Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar) Luís Marcelo Pesseghini, assassinado com a família. Cerca de 200 policiais comparecem ao local. O sargento e a mulher, que era cabo da PM, e o filho de 13 anos foram encontrados mortos nesta segunda-feira (5). Além dos três, a mãe e a tia da cabo foram encontradas mortas em outra casa que fica no mesmo quintal. A polícia trabalha com a hipótese de que o garoto tenha atirado nos membros da família e depois se matado Vinicius Pereira/Folhapress Mais
5.ago.2013 - Rua na zona norte de São Paulo, no bairro de Vila Brasilândia, onde morava o sargento da Rota Luís Marcelo Pesseghini, assassinado com a família, é tomada de peritos, familiares, curiosos e cerca de 200 policiais. O sargento e a mulher, que era cabo da PM, e o filho de 13 anos foram encontrados mortos nesta segunda-feira (5). Além dos três, a mãe e a tia da cabo foram encontradas mortas em outra casa que fica no mesmo quintal. A polícia trabalha com a hipótese de que o garoto tenha atirado nos membros da família e depois se matado Vinicius Pereira/Folhapress Mais
5.ago.2013 - Pessoas se emocionam diante de veículo do IML que comparece ao local onde o sargento da Rota Luís Marcelo Pesseghini foi assassinado junto de sua família, na Vila Brasilândia, zona norte de São Paulo. O sargento e a mulher, que era cabo da PM, e o filho de 13 anos foram encontrados mortos nesta segunda-feira (5). Além dos três, a mãe e a tia da cabo foram encontradas mortas em outra casa que fica no mesmo quintal. A polícia trabalha com a hipótese de que o garoto tenha atirado nos membros da família e depois se matado Vinicius Pereira/Folhapress Mais
5.ago.2013 - Policiais acompanham trabalho do IML (Instituto Médico Legal) no local onde o sargento da Rota Luís Marcelo Pesseghini foi assassinado junto de sua família, na Vila Brasilândia, zona norte de São Paulo. O sargento, a mulher, que era cabo da PM, e o filho de 13 anos foram encontrados mortos nesta segunda-feira (5). Além dos três, a mãe e a tia da cabo foram encontradas mortas em outra casa que fica no mesmo quintal. A polícia trabalha com a hipótese de que o garoto tenha atirado nos membros da família e depois se matado Vinicius Pereira/Folhapress Mais
6.ago.2013 - Casa (portão branco) da família do sargento da Rota Luís Marcelo Pesseghini, que foi assassinada no bairro de Vila Brasilândia, zona norte de São Paulo, amanhece lacrada nesta terça-feira (6). O sargento, a mulher, que era cabo da PM, e o filho de 13 anos foram encontrados mortos nesta segunda-feira (5). Além dos três, a mãe e a tia da cabo foram encontradas mortas em outra casa que fica no mesmo quintal. A polícia trabalha com a hipótese de que o garoto tenha atirado nos membros da família e depois se matado Marcos Bezerra/Futura Press Mais
5.ago.2013 - Em foto de rede social, o sargento da Rota (tropa de elite da PM paulista) Luís Marcelo Pesseghini e sua mulher, Andreia Regina Bovo Pesseghini, que foram assassinados dentro de casa no bairro da Vila Brasilândia, na zona norte de São Paulo. O sargento, a mulher, que era cabo da PM, e o filho de 13 anos foram encontrados mortos nesta segunda-feira (5). Além dos três, a mãe e a tia da cabo foram encontradas mortas em outra casa que fica no mesmo quintal. A polícia trabalha com a hipótese de que o garoto tenha atirado nos membros da família e depois se matado Reprodução/Facebook Mais
5.ago.2013 - Em foto de rede social, Marcelo Eduardo Bovo Pesseghini, 13, brinca com medalha no uniforme do pai, o sargento da Rota (tropa de elite da PM paulista) Luís Marcelo Pesseghini, que foram encontrados mortos com a mulher do sargento, que era cabo da PM, Andréia Regina Bovo Pesseghini, dentro de casa no bairro da Vila Brasilândia, na zona norte de São Paulo, nesta segunda-feira (5). Além dos três, a mãe e a tia da cabo foram encontradas mortas em outra casa que fica no mesmo quintal. A polícia trabalha com a hipótese de que o garoto tenha atirado nos membros da família e depois se matado Reprodução/Facebook Mais
6.ago.2013 - Os corpos do casal de policiais militares Luís Marcelo e Andréia, do filho deles de 13 anos, Marcelo, da avó e da tia são velados no cemitério Gethsêmani Anhanguera, em São Paulo, na tarde desta terça-feira (6). Eles foram encontrados mortos em suas casas no bairro de Vila Brasilândia, zona norte da cidade. O adolescente é suspeito de ter cometido os crimes e se suicidado em seguida Marcos Bezerra/Futura Press Mais
6.ago.2013 - Familiares e amigos choram sobre caixão de Bernadete Oliveira da Silva, de 55 anos, tia-avó de Marcelo Pesseghini, garoto de 13 anos que é suspeito de ter atirado nela, nos pais e na avó e depois se suicidado, na Vila Brasilândia, zona norte de São Paulo, na segunda-feira (5). O velório de Bernadete acontece no Cemitério Gethsêmani Anhanguera,em São Paulo, na tarde desta terça-feira (6) Marcos Alves/Agência O Globo Mais
6.jul.2013 - O delegado do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Itagiba Franco, deu detalhes, nesta terça-feira (6), sobre a linha de investigação que aponta Marcelo Eduardo Bovo Pesseghini, de 13 anos, como autor dos disparos que vitimaram o sargento da Rota Luís Marcelo Pesseghini e a cabo da PM, Andréia Regina Bovo Pesseghini, pais do garoto, além da mãe e da tia de Andreia, em chacina ocorrida nessa segunda-feira (5), na Vila Brasilândia, zona norte de São Paulo Eduardo Ferreira/Futura Press Mais
6.jul.2013 - Vídeo feito por um colega de sala de aula de Marcelo Eduardo Bovo Pesseghini, de 13 anos, suspeito de ter matado a família e se suicidado na segunda-feira (5), na Vila Brasilândia, zona norte de São Paulo, mostra o garoto dentro da escola no primeiro dia de aula após o fim das férias. Nesse momento, ele já teria cometido os homicídios Reprodução Mais
6.jul.2013 - Carro do casal de policiais militares mortos na segunda-feira (5) em chacina no bairro de Vila Brasilândia, zona norte de São Paulo. O filho dos PMs, Marcelo Eduardo Bovo Pesseghini, de 13 anos, é o principal suspeito de ter efetuado os disparos que vitimaram o sargento da Rota Luís Marcelo Pesseghini e a cabo da PM, Andréia Regina Bovo Pesseghini, além da mãe e tia de Andréia Nivaldo Lima/Futura Press Mais
6.jul.2013 - O corpo do casal de PMs, do filho e da tia da cabo assassinados em chacina na Vila Brasilândia, na zona norte de São Paulo, são enterrados nesta terça-feira (6) no Cemitério Parque das Palmeiras, em Rio Claro, no interior de São Paulo. Eles foram encontrados mortos dentro da residência da família nessa segunda-feira (5). O principal suspeito de ter praticado o crime é o filho do casal, Marcelo Eduardo Bovo Pesseghini, de 13 anos Adriano Lima/Brazil Photo Press/Estadão Conteúdo Mais
6.ago.2013 - Vídeo de câmera de segurança mostra Marcelo Eduardo Bovo Pesseghini, de 13 anos, chegando a sua escola, na Freguesia do Ó, na manhã dessa segunda-feira (5).Segundo a polícia, o menino teria ido à escola depois de matar os pais, a avó e a tia, na Vila Brasilândia, zona norte de São Paulo. Após praticar o crime, ele teria pego o carro da mãe e ido à escola Reprodução Mais
6.ago.2013 - Policiais realizam perícia complementar nas casas em que foram encontrados mortos o casal de policiais Luís Marcelo e Andréia Pesseghini, o estudante filho do casal, Marcelo Eduardo Bovo Pesseghini, a avó e uma tia-avó do menino, na Vila Brasilândia, zona norte de São Paulo. A polícia encontrou mais três armas de fogo num armário na sala da casa do casal e um par de luvas sintéticas no carro da policial morta Edison Temoteo/Futura Press Mais
6.ago.2013 - Policiais realizam perícia complementar nas casas em que foram encontrados mortos o casal de policiais Luís Marcelo e Andréia Pesseghini, o estudante filho do casal, Marcelo Eduardo Bovo Pesseghini, a avó e uma tia-avó do menino, na Vila Brasilândia, zona norte de São Paulo. A polícia encontrou mais três armas de fogo num armário na sala da casa do casal e um par de luvas sintéticas no carro da policial morta Jorge Araujo/Folhapress Mais
6.ago.2013 - Policiais fazem guarda em frente à casa onde ocorreu a chacina, na Vila Brasilândia, zona norte de São Paulo. A polícia encontrou mais três armas de fogo num armário na sala da casa do casal e um par de luvas sintéticas no carro da policial morta Jorge Araujo/Folhapress Mais
6.ago.2013 - Notificação no portão da casa onde ocorreu chacina de família em Vila Brasilândia, na zona norte de São Paulo, avisa que o local está lacrado Jorge Araujo/Folhapress Mais
9.ago.2013 - Portão e muro da casa da família de policiais militares encontrados mortos na segunda-feira (5), no bairro de Vila Brasilândia, zona norte de São Paulo, amanhecem pichados nesta sexta-feira (9). A principal linha de investigação da polícia é a de homicídio seguido de suicídio Renato Ribeiro Silva/Futura Press Mais
10.ago.2013 - Missa de 7° dia em memória da família do sargento da Rota Luís Marcelo Pesseghini, morta em casa na Vila Brasilândia. A missa foi realizada na igreja Santa Cruz de Itaberaba, na zona norte de São Paulo (SP), neste sábado Nivaldo Lima/Futura Press Mais
10.ago.2013 - Missa de sétimo dia em memória da família do sargento da Rota Luís Marcelo Pesseghini, morta em casa na Vila Brasilândia. A missa foi realizada na igreja Santa Cruz de Itaberaba, na zona norte de São Paulo (SP), neste sábado Nivaldo Lima/Futura Press Mais
11.ago.2013 - O médico legista e professor da Ufal (Universidade Federal de Alagoas) George Sanguinetti, conhecido por refazer o laudo das mortes do casal PC Farias e Suzana Marcolino e apontar que eles foram assassinados em 1996, afirma que o filho do casal de PMs paulistas, Marcelo Eduardo Bovo Pesseghini, 13, também foi assassinado com os pais Aliny Gama/UOL Mais
11.ago.2013 - Ao analisar as fotos da sala em que Marcelo Pesseghini e os pais foram encontrados mortos, o médico legista e professor da Ufal (Universidade Federal de Alagoas) George Sanguinetti foi categórico ao afirmar que a posição do corpo do adolescente não é compatível com a de um suicídio, e sim, com a de um assassinato Aliny Gama/UOL Mais
11.ago.2013 - Para o médico legista e professor da Ufal (Universidade Federal de Alagoas) George Sanguinetti, a equipe da perícia precisa refazer os cálculos do trajeto dos corpos ao serem atingidos pelos projéteis porque a conclusão está equivocada ao afirmar que o menino assassinou os pais e depois se matou. Ele explicou que não é impossível refazer os cálculos mesmo com o cenário desfeito Aliny Gama/UOL Mais
12.ago.2013 - Aulas voltam no colégio Stella Rodrigues, no bairro da Freguesia do Ó, em São Paulo, nesta segunda-feira (12), onde estudava o jovem de 13 anos suspeito de ter assassinado pai, mãe, avó e tia-avó e em seguida cometer suicídio no dia 5 de agosto Renato Ribeiro Silva/Futura Press Mais
12.ago.2013 - Sebastião, tio-avô de Marcelo Pesseghini, suspeito de assassinar a família em chacina na Vila Brasilândia, em São Paulo, chega ao DHPP (Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa) para prestar depoimento na manhã desta segunda-feira (12) Gabriela Biló/Futura Press Mais
13.ago.2013 - Flores são colocadas em frente à residência do casal de policiais militares Luís Marcelo Pesseghini e Andréia Pesseghini, na Vila Brasilândia, zona norte de São Paulo. Para a polícia, o principal suspeito da morte da família é o filho do casal, Marcelo Pesseghini, de 13 anos Futura Press Mais
13.ago.2013 - Muro da casa da família de policiais militares foram encontrados mortos em 5 de agosto, no bairro de Vila Brasilândia, zona norte de São Paulo, apresenta pichações nesta terça-feira (13). Após a frase "que a verdade seja dita" ter sido escrita do portão da casa, outras incrições foram pichadas, como "Paz e Justiça" e símbolos de gangues. Na foto, em cima do salão de cabeleireiro, fica a casa onde morava a mãe e a tia da cabo Andréia Regina Bovo Pesseghini, que também morreram na chacina Janaina Garcia/UOL Mais
13.ago.2013 - Flores são colocadas em frente à residência do casal de policiais militares Luís Marcelo Pesseghini e Andréia Pesseghini, na Vila Brasilândia, zona norte de São Paulo. Para a polícia, o principal suspeito da morte da família é o filho do casal, Marcelo Pesseghini, de 13 anos Janaina Garcia/UOL Mais
13.ago.2013 - Notificação no portão da casa da família de policiais militares encontrados mortos em 5 de agosto, no bairro de Vila Brasilândia, zona norte de São Paulo, avisa que o local está lacrado. A principal linha de investigação da polícia do crime é a de homicídio seguido de suicídio Janaina Garcia/UOL Mais
13.ago.2013 - Muro da casa da família de policiais militares encontrados mortos em 5 de agosto, no bairro de Vila Brasilândia, zona norte de São Paulo, apresenta pichações nesta terça-feira (13). Após a frase "que a verdade seja dita" ter sido escrita do portão da casa, outras incrições foram pichadas, como "Paz e Justiça" e símbolos de gangues. A principal linha de investigação da polícia do crime é a de homicídio seguido de suicídio Janaina Garcia/UOL Mais
13.ago.2013 - Casa da família de policiais militares encontrados mortos em 5 de agosto, no bairro de Vila Brasilândia, zona norte de São Paulo, apresenta pichações nesta terça-feira (13). Após a frase "que a verdade seja dita" ter sido escrita do portão da casa, outras incrições foram pichadas, como "Paz e Justiça" e símbolos de gangues. A principal linha de investigação da polícia do crime é a de homicídio seguido de suicídio Janaina Garcia/UOL Mais
15.ago.2013 - Pichação no muro em frente ao colégio Stella Rodrigues, no bairro da Freguesia do Ó (zona norte de SP), onde estudava Marcelo Pesseghini, 13. A pichação contesta a tese da Polícia Civil paulista, que aponta o menino como principal e único suspeito de matar quatro pessoas da família --os pais, policiais militares, a avó e a tia-avó. Em seguida, segundo as investigações, Marcelo teria se matado Marcos Bezerra/Futura Press Mais
19.ago.2013 - Perícia Científica e equipes do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa) fazem reconstituição na noite deste domingo (18) na casa da família de PMs assassinados na rua Dom Sebastião, na Brasilândia, zona norte de São Paulo (SP). Os peritos realizaram dez disparos para checar se vizinhos podem ter ouvido os sons. O principal suspeito da morte da família é o filho do casal, Marcelo Pesseghini, 13 Edison Temoteo/Futura Press Mais
21.ago.2013 - Novas imagens de Marcelo Pesseghini, 13, foram divulgadas nesta quarta-feira (21), horas antes de ele aparecer morto junto com a família, no início do mês, em chacina na Vila Brasilândia, na zona norte de São Paulo. O menino, acusado de matar a família, aparece ajeitando um volume sob as calças. Existe a hipótese de que se trata de uma arma Reprodução Mais
22.ago.13 - A pneumologista Neiva Damaceno deixa o DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa), em São Paulo, no começo da tarde desta quinta-feira (22), após prestar depoimento. A médica do adolescente Marcelo Bovo Pesseghini acompanhava o tratamento de fibrose cística, uma doença degenerativa, desde que ele tinha um ano Gabriela Biló/Futura Press Mais
5.set.2013 - O tio de Marcelo Pesseghini, 13, Sebastião Oliveira da Costa, falou com jornalistas nesta quinta-feira na frente da sede do DHPP (Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa), em São Paulo. Os familiares do menino acusado de matar os pais, a avó e a tia, no mês passado, na Vila Brasilândia, pediram acesso aos laudos que foram entregues esta semana pelo IC (Instituto de Criminalística) à direção do DHPP Gabriela Biló/Futura Press/Estadão Conteúdo Mais
Homenagem marca um mês da chacina que vitimou cinco pessoas da mesma família na Brasilândia, zona norte de São Paulo. O estudante Marcelo Pesseghini é apontado pela Polícia Civil como principal e único suspeito de matar pai, mãe, avó e a tia-avó Marcos Bezerra/Futura Press Mais
7.set.2013 - Polícia Civil disponibilizou neste sábado (7) para a imprensa parte dos nove laudos e 25 relatórios dos Institutos de Criminalística e Médico Legal relativos ao inquérito sobre o caso Pesseghini Reprodução Mais