Polícia diz que dez participaram de resgate de traficante de delegacia no Rio

Hanrrikson de Andrade
Do UOL, no Rio

  • Divulgação/Disque-Denúncia

    O acusado de tráfico de drogas Diego de Souza Feitoza foi resgatado por criminosos fortemente armados dentro da 25ª DP, no Engenho Novo, na zona norte do Rio. O suspeito é apontado como homem de confiança de Marcelo Piloto, o chefe do crime organizado na região do Complexo de Manguinhos.

    O acusado de tráfico de drogas Diego de Souza Feitoza foi resgatado por criminosos fortemente armados dentro da 25ª DP, no Engenho Novo, na zona norte do Rio. O suspeito é apontado como homem de confiança de Marcelo Piloto, o chefe do crime organizado na região do Complexo de Manguinhos.

A Polícia Civil do Rio de Janeiro divulgou, nesta quarta-feira (3), uma lista de dez homens vinculados ao tráfico de drogas no Complexo de Manguinhos e na favela do Jacarezinho, na zona norte do Rio de Janeiro, e que foram responsáveis pelo resgate de Diego de Souza Feitoza, o "DG", após invasão, ontem, ao distrito policial do Engenho Novo (25ª DP).

Policiais de diversas unidades especializadas realizam nesta tarde operações em três favelas (Manguinhos, Mandela e Jacarezinho) a fim de capturar os criminosos. Mais cedo, durante incursão dos agentes da Core (Coordenadoria de Recursos Especiais), uma mulher grávida, de 33 anos, foi atingida por uma bala perdida. Mãe e bebê passam bem, segundo informações do órgão municipal de saúde.

O resgate de DG foi coordenado pelo próprio chefe do tráfico de drogas na área que compreende as favelas de Manguinhos e Mandela, Marcelo Fernando Pinheiro Veiga, o "Marcelo Piloto", apontado como o grande chefe do tráfico de drogas na região. O Disque-Denúncia oferece recompensa de R$ 2 mil por informações que levem a captura do criminoso.

Davi Moraes de Sá, conhecido como Davi Paraíba, que ocupa o cargo de gerente na estrutura do crime organizado em Manguinhos, e Wallace Carlos da Conceição, o Churrasquinho, outro integrante da cúpula criminosa do Complexo de Manguinhos, são outros que encabeçam a lista dos homens que invadiram a 25ª DP.

  • Divulgação/Disque-Denúncia

    Churrasquinho é acusado de ser um dos líderes do tráfico de drogas no Complexo de Manguinhos, na zona norte do Rio.

Também estão na relação de procurados: Luiz Antônio Andrade, o Toinho, que atualmente é o gerente das bocas de fumo da favela do Mandela, Ilan Nogueira Sales, o Capoeira, Alan Mendonça da Silva, o Lourinho. Todos são comparsas diretos de DG na gestão do crime organizado na região que compreende as favelas de Manguinhos e Mandela.

Completam a lista Éber do Nascimento Cândido, o Ebinho, Luiz Augusto Roque de Melo Filho, o Leno, Clayton Bernardes dos Santos, conhecido como 2B ou Babão e Fabinho do Fundão, também chamado de "FB do Pontilhão", que são pertencentes à quadrilha da favela do Jacarezinho, na zona norte.

Para a polícia, a participação direta de homens do alto escalão do narcotráfico das comunidades do Complexo de Manguinhos e da favela do Jacarezinho --ambas controladas pela mesma facção, o Comando Vermelho (CV)-- no resgate de DG é uma prova da importância que o criminoso resgatado tem para a quadrilha.

Feitoza, que fora detido horas antes do resgate, ocupava uma das celas da delegacia do Engenho Novo. A Polícia Civil suspeita que mais de 15 homens fortemente armados participaram da ação de resgate, e está trabalhando para identificar os demais criminosos, de acordo com nota divulgada pela instituição.

Durante as diligências desta quarta-feira, pelo menos 12 suspeitos foram detidos e posteriormente encaminhados para a 25ª DP. Além disso, os agentes apreenderam carros supostamente utilizados na fuga de DG e motos em situação irregular. Uma central de TV por assinatura clandestina, o popular "gatonet", foi estourada em Manguinhos.

Ousadia

Espantada com a ousadia dos traficantes, a cúpula da Polícia Civil determinou que sejam feitas operações imediatas para recapturar o criminoso, e pediu ajuda da população. O Disque-Denúncia recebeu até a manhã desta quarta-feira (4) pelo menos 32 ligações com informações sobre o paradeiro de Feitoza.

Em nota, a instituição esclareceu que DG foi resgatado quando ocupava uma cela da 25ª DP (Engenho Novo), justamente no momento em que homens da Coinpol (Corregedoria Interna da Polícia Civil) realizavam uma diligência no distrito.

Diego de Souza Feitoza foi detido na manhã desta terça-feira (3) após sofrer um acidente de moto em um dos acessos à favela de Manguinhos. Ele tentou furar uma blitz policial em alta velocidade, na contramão, e acabou batendo contra um automóvel.

Ao ser socorrido por policiais do Bope (Batalhão de Operações Especiais) e do Batalhão de Choque, o acusado de tráfico de drogas foi reconhecido, preso e posteriormente encaminhado para a 25ª DP.

DG é considerado homem de confiança do traficante Marcelo Fernando Pinheiro Veiga, o Marcelo Piloto, acusado de gerenciar as bocas de fumo em todo o Complexo de Manguinhos.

Marcelo Piloto

Marcelo Fernando Pinheiro Veiga, vulgo "Marcelo Piloto" ou "Celo", é um dos criminosos que integram a cúpula da facção criminosa CV (Comando Vermelho), e atualmente é o responsável por comandar o tráfico de drogas nas comunidades Mandela 1, 2 e 3, no Complexo de Manguinhos, na zona norte do Rio.

Sempre armado com pistolas e fuzis, e cercado de seguranças, o traficante costuma promover bailes funk nas comunidades, impulsionados pela venda de drogas, e circular com veículos roubados, de acordo com informações do Disque-Denúncia. Ele também é considerado foragido do Instituto Penal Edgard Costa, em Niterói.

Piloto possui antecedentes criminais por tráfico de drogas e roubo, onde seus processos tramitam na 21ª e 30ª Varas Criminais da Capital. Além da acusação por tráfico de drogas, Veiga é suspeito de envolvimento em um esquema de venda de casas do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), e um grande comprador de armas e munições.

Após a prisão do presidente da Associação de Moradores da Favela do Mandela, a Polícia Civil descobriu que o esquema de venda de casas do PAC era comandado pelo traficante, e que 12 casas do PAC foram entregues aos familiares de Marcelo Piloto.

Em junho de 2010, o acusado de chefiar o narcotráfico em Manguinhos foi flagrado em uma escuta telefônica feita pela polícia enquanto comprava munição para fuzil. Exatamente um ano depois, Piloto participou e liderou os arrastões ocorridos na Avenida Pastor Martin Luther King Jr., e nas saídas cinco e oito da Linha Amarela, por volta das 7h20.

Em relatos na 21ª DP e na 44ª DP, vítimas o identificaram e contaram que os assaltos foram rápidos, não passando de dois minutos cada.
 


Últimas notícias Ver mais notícias