Suspeito de assassinato é solto por superlotação em presídio no interior de GO

Lourdes Souza
Do UOL, em Goiânia

Um homem suspeito de assassinato e estupro, detido há um mês no presídio de Planaltina de Goiás (a 273 quilômetros de Goiânia), foi liberado, segundo a Justiça, porque o local está superlotado.

Fernando Barbosa de Brito --preso em flagrante suspeito pelo estupro e morte de uma mulher de 53 anos, em agosto-- foi solto por decisão do juiz Carlos Fernandes de Morais, sob a alegação de que o presídio atingiu a capacidade máxima, de 136 detentos.

Ainda de acordo com o juiz, o inquérito policial que apura o assassinato de Lourdete Xavier não foi concluído no prazo.

Detenta publica fotos de rotina na cadeia em rede social

  • Uma detenta publicou diversas fotos em uma rede social mostrando a rotina dentro de um presídio no centro de Manaus. Algumas das fotos mostram mulheres tomando banho de sol e jogando dominó.

Segundo a polícia, a mulher foi morta durante uma tentativa de assalto à casa em que morava com a família. A polícia suspeita, ainda, de que ela foi estuprada.

OAB diz que soltura é "grave"

Para a OAB-GO (Ordem dos Advogados do Brasil - Seccional Goiás), a liberação do suspeito por causa da superlotação do presídio mostra a situação caótica do sistema prisional de Planaltina de Goiás.

Em nota, o presidente da entidade, Henrique Tibúrcio, afirma que a soltura de um suspeito de cometer crimes bárbaros é "grave", assim como a superlotação e condições subumanas a que são submetidos indivíduos que futuramente serão reintegrados à sociedade.

Ainda de acordo com o presidente da OAB-GO, é preciso cobrar do Estado a construção de novos presídios na região do entorno de Brasília.


Últimas notícias Ver mais notícias