Dois meses após acidente, peça que caiu no Itaquerão é retirada

Do UOL, em São Paulo

Dois meses após o acidente que matou dois operários que trabalhavam na construção da Arena Corinthians, em Itaquera, zona leste de São Paulo, a Odebrecht concluiu, nesta quinta-feira, 30, a retirada da peça metálica da cobertura, que ainda estava sobre o prédio leste do estádio. 

A operação começou de manhã e foi finalizada ao longo da tarde, segundo a construtora, "incluindo o içamento, a movimentação e a colocação da peça no solo, em área previamente demarcada".

O trabalho ficou impedido por cerca de um mês, período em que a região do acidente ficou interditada. No início de janeiro, os trabalhadores retiraram o guindaste, que foi deslocado para uma área vazia do terreno, caso ainda precisasse passar por alguma perícia.

Com a retirada da peça, os operários passarão a trabalhar na reparação e no acabamento da área atingida, O objetivo de Odebrecht e do Corinthians é entregar o estádio da abertura da Copa do Mundo em 15 de abril.

Durante a visita da Fifa, em 13 de janeiro, o Corinthians informou que havia atingido 97% da construção.

O resultado da investigação que apontará as causas do acidente, ocorrido em 27 de novembro, ainda não têm data para serem concluídas. Na terça-feira, 28, a empresa alemã Liebherr, fabricante do guindaste, informou que não encontrou nenhuma informação sobre o dia do acidente na caixa preta.

O equipamento levantava a última peça da cobertura do estádio que faltava ser instalada quando caiu sobre o prédio da arquibancada leste. Ao longo da semana, a Odebrecht cobrou publicamente esclarecimentos da empresa. 

O inquérito policial que está em curso no 65º DP (Artur Alvim) também segue sem solução. A Polícia Civil espera a conclusão do laudo pericial do IC (Instituto de Criminalística). O delegado responsável pelo caso pediu adiamento do prazo para o fim da investigação. Uma nova data limite ainda não foi definida.


Últimas notícias Ver mais notícias