Volkswagen Gol Seleção é versão antecipada da Copa por R$ 35.890

André Deliberato
Do UOL, em São Paulo (SP)

Fotos exclusivas do Gol Seleção 2014
Veja Álbum de fotos

Todo ano de Copa a Volkswagen promove versões especiais relacionadas ao maior evento futebolístico do planeta. Apesar de alguns "intervalos", foi assim em 1982, 1994, 2002, 2006, 2010... E será assim em 2014.

Os modelos Gol, Fox e Voyage contam, desde o último mês de novembro, com a configuração "Seleção" em seus catálogos. Estes são os preços, todos referentes ao mês de janeiro (ou seja, já ajustados ao IPI atual):

+ Gol Seleção 1.0 -- R$ 35.890
+ Gol Seleção 1.6 -- R$ 40.790
+ Gol Seleção 1.6 I-Motion -- R$ 43.690
(Pacote Brasil -- R$ 2.293)

+ Fox Seleção 1.0 -- R$ 36.890
+ Fox Seleção 1.6 -- R$ 41.890

+ Voyage Seleção 1.0 -- R$ 37.890
+ Voyage Seleção 1.6 -- R$ 43.290
+ Voyage Seleção 1.6 I-Motion -- R$ 46.160

Até 2010 o modelo alusivo à Copa do Mundo era exclusivamente o Gol. Na maioria das vezes, seu sobrenome era "Copa" -- e não "Seleção" -- e sua cor, amarela. Desde 2009, porém, a Volks patrocina a CBF. Isso explica a troca de sobrenome.
 
A tradição de manter apenas o Gol como carro responsável por receber as versões especiais ligadas à Copa também acabou.

COMO É O GOL
UOL Carros
testou por mais de duas semanas o Gol 1.6 Seleção das fotos. A impressão é a mesma que rodar com uma versão 1.6 pintada de amarelo: tecnicamente falando, a dirigibilidade é idêntica, tanto na cidade quanto fora dela. O motor EA111 VHT de 1,6 litro, 104 cv e 15,6 kgfm de torque (com etanol) demonstrou bom fôlego, mesmo defasado perante a concorrência (o propulsor Sigma da Ford, por exemplo, tem a mesma cilindrada e consegue render). Os números de consumo alcançados foram aceitáveis e quase iguais aos de um Gol 1.6 "normal": 7,1 km/litro na cidade e 9,7 km/l na estrada.

Detalhes de acabamento interno também foram desenvolvidas exclusivamente à linha Seleção: há um novo tecido nos bancos (que remete ao desenho de bolas de futebol) e pequenas peculiaridades na cor da carroceria (como o contorno da manopla de câmbio e das saídas de ar). Fora isso, ele volta a ser um Gol comum.
 

RECHEADO
Já a quantidade de equipamentos oferecida é boa -- mas nada que justifique a cobrança de R$ 40.790 (o carro testado ainda incluía todos os opcionais, chegando a salgadíssimos R$ 46.932). Desde a versão 1.0 o Gol Seleção possui airbag duplo frontal e freios ABS (itens obrigatórios a partir deste ano), rádio com leitor de CD-Player e MP3, entradas SD e USB, trio elétrico, direção hidráulica, alarme, chave canivete, espelhos retrovisores elétricos, banco com ajuste de altura e computador de bordo como equipamentos de série. 
 
Opcionalmente o modelo oferece ar-condicionado (R$ 2.970), volante multifuncional (R$ 295), sensor de estacionamento (R$ 584), e um combo chamado "Pacote Brasil", que adiciona faróis e lanterna de neblina, rodas de liga leve aro 15 e pneus 195/55 R15, por R$ 2.293. Não tem como não pensar que adiante a marca poderá oferecer o "Pacote Argentina", "Pacote Espanha", "Pacote Alemanha"....

Conheça mais sobre o Gol

Divulgação
Principal produto da Volkswagen no Brasil, o Gol terminou 2013 celebrando 27 anos de liderança de mercado. "O Gol, certamente, é o 'artilheiro' da empresa nas últimas três décadas", afirma Thomas Schmall, atual presidente da Volkswagen do Brasil.

Lançado em 1980, o modelo soma mais de 7,5 milhões de unidades produzidas, sendo 1,2 milhão delas exportadas. Atualmente o Gol fabricado em São Bernardo do Campo vai para Chile, Peru, Paraguai, Uruguai, Bolívia, Colômbia, Equador, Argentina, Marrocos e México).

Além disso, o Gol é pioneiro: ele foi o primeiro carro brasileiro com injeção eletrônica (versão GTI, em 1989), o primeiro com motor bicombustível do Brasil (Gol TotalFlex, em 2003), o primeiro automóvel de entrada flex (Gol 1.0 TotalFlex, em 2005) e o primeiro veículo a ultrapassar 3,5 milhões de unidades produzidas no Brasil, superando outro mito: o Fusca.

VISUAL DE RALLYE
De longe um Gol Seleção parece um Gol Rallye. Faróis com máscara negra, grade dianteira pintada de preto e aerofólio traseiro, além de vários grafismos relacionados à CBF, são os elementos estéticos que o diferencia das outras versões. Há um escudo da CBF nos para-lamas (próximo às caixas de rodas dianteiras), a inscrição "Seleção" nas portas da frente e uma faixa preta na lateral com o número "10" (este último detalhe é exclusivo do hatch, indisponível para Fox e Voyage).
 
As cores disponíveis são preto e branco (sólidas), prata, azul (metálicas com cobrança de R$ 1.092) e este amarelo das imagens. O Fox Seleção não tem a cor amarela em seu catálogo, mas mantém a azul como opção; o Voyage só pode ser branco, preto e prata.
 
FUTURO NEBULOSO
Com a aposentadoria do Gol G4, uma das metas da Volkswagen este ano é manter ao máximo o líder de mercado entre as primeiras posições. Ao menos enquanto o compacto Up não decolar.
 
A consequência natural é que o próprio Up -- e possivelmente o Fiat Palio Fire, substituto do Mille -- finalmente desbanquem o eterno campeão de vendas do topo do ranking.
 
Em 2018, ano da próxima Copa do Mundo, o Gol ainda poderá existir, mas em outro patamar de mercado, longe da briga pelas primeiras posições. Dessa forma, a Volks deverá automaticamente escolher o Up para homenagear o evento. O Gol Seleção 2014, portanto, deve ser o último "Gol Copa" da história. É esperar e torcer.

Últimas notícias Ver mais notícias