Tunísia deporta três ativistas europeias do grupo feminista Femen

Em Túnis

Veja os protestos das ativistas do Femen pelo mundo
Veja os protestos das ativistas do Femen pelo mundo

O Ministério do Interior tunisiano informou nesta quarta-feira sobre a deportação nas últimas 24 horas de três supostas ativistas europeias de grupo feminista radical Femen que, aparentemente, pretendiam participar de um protesto hoje em Túnis.

De acordo com um breve comunicado, as três mulheres, duas de nacionalidade ucraniana e outra bielorrussa, foram expulsas entre ontem e hoje.

"A medida foi tomada quando se confirmou sua intenção de protestar contra o Palacio de Justiça de Túnis tirando a roupa durante o julgamento de três estrangeiras" da organização Femen.

A nota se referia às duas ativistas francesas e outra alemã detidas em Túnis após mostrar os seios nus em solidariedade à tunisiana Amina Tyler e que compareceram hoje perante um juiz acusadas de "atentar contra o pudor, os bons costumes e a moral pública".

Após a audiência de hoje, o juiz convocou a segunda sessão para o próximo dia 19.

As três integrantes do Femen foram detidas no último dia 29 após protagonizar um protesto o véspera do primeiro julgamento aberto contra a tunisiana Amina, julgada na cidade de Kairouan, 160 quilômetros ao sul de Túnis, por atentado contra o pudor e profanação de espaço sagrado.

As três ativistas europeias poderiam ser sentenciadas a um ano de prisão com cumprimento de pena.

Amina, que em 30 de maio foi condenada a pagar de uma multa de 300 dinares (R$ 390) por portar um spray defensivo, comparece hoje novamente em tribunal em Kairouan.

A jovem de 19 anos é acusada de "profanação do espaço sagrado de um cemitério" e de "atentado contra os bons costumes" por ter pintado sobre o muro de um cemitério o nome da organização Femen. EFE

ma-jfu/tr


Últimas notícias Ver mais notícias