Voo da Malásia levava passageiros com passaporte falso

Do UOL, em São Paulo

A lista de passageiros do voo MH370 da Malaysia Airlines, que desapareceu neste sábado (8), quando seguia a rota Kuala Lumpur-Pequim, inclui um austríaco que nunca chegou a embarcar na aeronave. Segundo o Ministério das Relações Exteriores da Áustria informou à CNN, o homem teve seu passaporte roubado há dois anos –ou seja, quem quer que tenha embarcado adquiriu o documento no mercado negro.

Da mesma maneira, o Ministério das Relações Exteriores da Itália afirmou à emissora americana que não havia um italiano a bordo. Uma fonte do ministério teria dito anonimamente que o suposto passageiro, Luigi Maraldi, havia registrado o roubo de seu passaporte em agosto do ano passado. Autoridades malaias afirmaram ter conhecimento de que um passaporte italiano teria sido roubado, mas não chegaram a confirmar a informação.

O Departamento de Estado dos Estados Unidos confirmou que pelo menos três americanos estavam no voo da Malaysian Airlines, dois deles crianças com 2 e 4 anos. O avião carregava cinco crianças menores de cinco anos.

 

Onde fica a Malásia

 

A lista oficial traz passageiros da Índia, Austrália, Nova Zelândia, França, Ucrânia, Canadá, Rússia e Holanda. A maioria, porém, era de chineses: 154, incluindo Taiwan. Os 12 tripulantes do voo eram malaios.

Entre os 227 passageiros havia uma delegação de pintores e calígrafos e um grupo de budistas que retornava de um encontro em Kuala Lumpur, de acordo com informações de uma emissora estatal chinesa. Havia ainda três gerações de uma mesma família. 

Acidentes aéreos no Brasil e no mundo
Acidentes aéreos no Brasil e no mundo

Últimas notícias Ver mais notícias