Por que os jovens estão perdendo interesse no Facebook?

Idoia Larrañaga
Da BBC Mundo

O Facebook admitiu recentemente uma queda no acesso diário ao seu site, em especial entre usuários adolescentes.

O anúncio confirmou o que já havia sido sugerido por um estudo da organização americana Pew Center: a rede social está perdendo popularidade entre os jovens e adolescentes.

"Agora o Facebook me cansa. Só uso para ver vídeos", disse à BBC Maria Luque, uma adolescente de 14 anos.

Apesar da maioria dos jovens ainda manter o perfil ativo, agora eles passam menos tempo na rede social mais famosa do mundo. E a razão é que a diversão foi para outros lugares.

Os adolescentes agora estão concentrando suas atividades em outras redes, como Twitter e Instagram, e em aplicativos de mensagens via telefone celular, como o WhatsApp.

Twitter
Os dados mais recentes da consultoria Piper Jaffray sugerem que o Twitter se transformou na rede social mais importante para os adolescentes, tirando o Facebook do topo.

Os números coincidem com dados do Pew Center que dizem que o uso do Twitter entre jovens cresceu 50% em um ano. "Há um ano, apenas 16% dos usuários jovens usavam o Twitter. Agora, um quarto deste grupo usa [o Twitter]."

Segundo os números de 2012 do portal Pingdom, que acompanha tendências na internet, a idade média do usuário do Facebook é de 40,5 anos, enquanto que a do usuário do Twitter é de 37,3 anos.

Em termos percentuais, o grupo mais importante do Facebook são as pessoas entre 45 e 54 anos de idade (pouco mais de 30% em comparação aos menos de 10% de pessoas entre 18 e 24 anos). O Twitter, por sua vez, tem uma distribuição mais uniforme: cada um destes grupos representa cerca de 20% do total.

Em um prazo de dois anos e meio, o usuário médio da rede criada por Mark Zuckerberg "envelheceu" dois anos, enquanto o da rede concorrente ficou dois anos mais jovem.

WhatsApp
Mas, se o Twitter está destronando o Facebook como mídia social preferida entre os jovens, vale lembrar que o aplicativo WhatsApp tem mais usuários que a rede social dos 140 caracteres.

Segundo a revista "Mobile Marketing", o WhatsApp tem mais de 350 milhões de usuários em todo o mundo, enquanto que o Twitter tem 218 milhões.

E os usuários que mais usam o aplicativo têm menos de 25 anos.

Parte da razão da crescente popularidade do WhatsApp está justamente na busca por mais independência; os jovens se sentem mais à vontade longe da geração de seus pais.

"É normal que os adolescentes tentem se separar dos adultos. Se eles sentem que estão sendo observados pelos adultos, é natural que se afastem [do Facebook e do Twitter]", disse à BBC Mundo a psicóloga Esther Ana Krieger.

Muitos pais têm perfis no Facebook, o que significa que a rede não é tão privada assim. Neste sentido, deixou de ser uma plataforma que os adolescentes sentem como algo exclusivo e absolutamente deles.

Os aplicativos de mensagem para celulares oferecem, entre outras coisas, esta privacidade que muitos jovens sentem que perderam ao serem observados por seus pais.

Além disso, ao contrário do Facebook, onde os jovens estão abertos a centenas de "amigos" que muitas vezes são pessoas que mal conhecem, estes aplicativos promovem conversas dinâmicas com diferentes grupos de amigos próximos.

E a disponibilidade é outra vantagem. Nas palavras da adolescente Maria, "é muito fácil usar os aplicativos para celular, pois você leva o telefone sempre com você".

Selfie
Outro fator que faz com que jovens prefiram usar as redes sociais nos celulares é o aumento dos selfies, as fotos que as pessoas tiram delas mesmas com os celulares ou com uma webcam.

Quase a metade das fotos carregadas no Instagram tiradas por pessoas entre 14 e 21 anos são selfies, segundo a empresa especializada Mobile Youth.

E enviar estas imagens pelo celular é mais seguro do que publicá-las no Facebook.

Os selfies também são os mais populares em um aplicativo chamado Snapchat, que elimina as fotos e mensagens segundos depois de serem vistas.
Outra grande razão de os jovens usarem cada vez mais os aplicativos de mensagens é que eles também permitem o envio de imagens e vídeos, e, aos poucos, estão se convertendo em redes sociais.

Os melhores exemplo podem ser encontrados na Ásia com o Kakao Talk (da Coreia do Sul), WeChat (China) e o Line (do Japão).

Todos estes têm dezenas de milhões de usuários adolescentes e também oferecem jogos e a possibilidade de compartilhar música.

A tendência é que cada vez mais adolescentes utilizem este tipo de aplicativo e, se admitimos que os jovens são os que marcam as tendências em tecnologia, não passará muito tempo até que estes aplicativos tenham mais usuários adultos também.
 


Últimas notícias Ver mais notícias