As oito tragédias mais famosas da música sertaneja

do BOL

  • Divulgação/Columbia Pictures

Alguns dos assuntos preferidos nas músicas sertanejas são amor, traição e saudade da roça, mas as canções trágicas também estão na boca das duplas, principalmente das caipiras mais tradicionais. Pra quem gosta, aqui vai uma lista de modas com tiro, acidente, chifrada de boi, pisoteamento e até incêndio.

1

Cabocla Tereza

Composta por Raul Torres e João Pacífico, a toada foi gravada pela primeira vez em 1936 pela dupla Raul Torres e Florêncio. Uma das gravações mais famosas foi feita pela dupla Tonico e Tinoco. A música narra a desventura do homem que construiu uma casinha para morar com sua Tereza, mas ela preferiu ficar com outro. Como vingança, ele matou Tereza com um tiro. A tragédia é contada por um viajante que passa a cavalo, vê o corpo da moça e vai para a cidade chamar o "seu dotô"

2

Chico Mineiro

A partir de uma lenda contada no interior do Brasil, a música foi composta por Tonico e Francisco Ribeiro, porteiro de uma estação de rádio de São Paulo, e se tornou o primeiro sucesso da dupla Tonico e Tinoco, nos anos 1940. Na história, dois boiadeiros viajam pelo país comercializando gado até que, numa festa do Divino, o Chico Mineiro morre baleado. A tragédia ganha ainda mais peso quando o companheiro descobre que Chico era seu irmão

3

Ferreirinha

Moda de viola da autoria de Carreirinho, compositor de 1.650 músicas, que se tornou o grande sucesso da dupla Zé Carreiro e Carreirinho em 1950. Na música, dois boiadeiros saem para resgatar um boi bravo. Ferreirinha se afastou do companheiro montando um cavalo arredio e não tinha voltado até de tardezinha. O companheiro saiu em sua procura e o encontrou morto com sinais de que havia sido arrastado pelo cavalo. A descrição de como o companheiro levou o corpo de Ferreirinha para a cidade é o trecho mais emocionante da história. A versão original de "Ferreirinha" tinha 420 versos, que foram reduzidos a 40 para a gravação em disco. Devido ao sucesso da música, Carreirinho compôs as sequências "Irmão do Ferreirinha", "Companheiro do Ferreirinha" e "Alma do Ferreirinha". Outros compositores criaram versões para a família toda do Ferreirinha

4

Os Três Boiadeiros

Escrita por Anacleto Rosas Jr. e gravada inicialmente pelo Trio Turuna, em 1950, se tornou o grande sucesso da dupla Pedro Bento e Zé da Estrada. Na música, três boiadeiros viajam juntos até que um deles, Zé Rolha, morre pisoteado pelo gado. Mais tarde, Chiquinho fica bêbado e entra numa arena de rodeio, sendo morto por uma vaca. O terceiro boiadeiro ficou sozinho, "tocando a boiada". Em 1979 foi lançado o filme "Os Três Boiadeiros", com direção de Waldir Kopezsky. Em 1998, a dupla Lourenço e Lourival gravou uma paródia chamada "Os Três Boiadeiros Japoneses", em que Toshio, Okuda e Tanaka viviam "tocando vaca"

5

Menino da Porteira

A mais famosa das músicas caipiras foi composta por Teddy Vieira e Luís Raimundo e gravada pela primeira vez por Luizinho e Limeira em 1955. Já teve dezenas de regravações e inspirou dois filmes, um em 1976, com Sérgio Reis, e outro em 2009, com Daniel. A letra conta a história do boiadeiro que viajava para a cidade de Ouro Fino e, no caminho, passava por uma porteira que era aberta por um garoto em troca de uma moeda. Numa das viagens, o menino não estava lá, e sua mãe contou que ele havia sido morto por um boi "sem coração"

6

Coração de Luto

O cantor e compositor Teixeirinha contou sua história real nessa canção. Já órfão de pai, perdeu a mãe aos nove anos num incêndio na casa em que moravam e teve de se virar sozinho no mundo. A música foi lançada em 1961 e vendeu 25 milhões de cópias. Em 1967, deu origem a um filme com o mesmo título dirigido por Eduardo Llorente. Curiosidade: numa entrevista, a apresentadora Marília Gabriela cometeu uma gafe ao perguntar a Teixeirinha sobre o sucesso da música "Churrasquinho de Mãe", e o cantor desatou a chorar

7

Pretinho Aleijado

Música de Teddy Vieira e Luizinho inspirada numa lenda da igreja de Santo Antônio, em Três Lagoas (MS), que fez sucesso nas vozes de Tião Carreiro e Pardinho em 1973. O "pretinho" da história era um jovem que tinha apenas uma mão e era encarregado de tocar o sino da igreja. Durante um assalto, o jovem foi assassinado e, depois disso, o sino passou a tocar sozinho, sendo puxado pelo espírito do pretinho

8

Sonho de um Caminhoneiro

Composta por Neil Bernardes e Chico Valente, a música foi gravada por Milionário e José Rico em 1989. A letra fala das dificuldades de dois caminhoneiros que estão prestes a quitar as parcelas de seu caminhão. Um deles, recém casado, está prestes a ser pai, mas morre num acidente. Ainda agonizante, pede ao amigo que vá conhecer seu filho