Estrelas de filmes pornô que mudaram radicalmente de carreira

do BOL

  • Reprodução/India times

Dinheiro é definitivamente um atrativo para aqueles que optam por atuar na indústria de filmes pornográficos. Afinal, quem não gostaria de ganhar a quantia de um milhão de reais por ano, não é mesmo? Porém, inúmeros fatores podem fazer com que uma guinada na carreira aconteça. É isso o que relatam os casos a seguir. Seja a afinidade com a religião, a realização profissional e até mesmo um problema de saúde, várias podem ser as causas que direcionam ex-atores pornôs para outras áreas profissionais.
 

Reprodução/Jornal de Ontem, Hoje e Sempre
Reprodução/Jornal de Ontem, Hoje e Sempre

1

Pastora

Ela trabalhou por dez anos como atriz pornô, mas deixou a trajetória para trás após um encontro com a própria fé. Crystal Bassette esteve em mais de cem filmes e chegou a faturar cerca de um milhão de reais por ano apenas com as gravações. Ela entrou para o ramo por dinheiro, para conseguir sustentar o filho, que criou sozinha depois de engravidar aos 16 anos. Juntamente com o dinheiro, no entanto, uma vida regada a drogas e consumismo tomou conta de Crystal, mas ela ouviu a história bíblica de Jezebel, princesa que sustentava profetas pagãos, após um acidente de carro e foi tocada, decidindo largar a carreira pornográfica. Em 2014, ela se casou com um pastor e juntos fundaram uma igreja, na qual ela atua como pastora. Sobre sua trajetória, a ex-atriz é clara: "Meu passado fez quem eu sou hoje, e Deus mudou a minha vida completamente", teria afirmado, segundo o jornal "O Globo"
Jardel Rodrigues/ M2 Divulgação
Jardel Rodrigues/ M2 Divulgação

2

Youtuber

Depois de atuar em filmes como "D,uelo de Boquete 2" e "Fight For Fuck", Bárbara Costa resolveu ser a estrela de um canal próprio chamado "Barbaridade Nerd", deixando para trás a trajetória de quatro anos no mundo pornográfico em 2016. "Tudo que eu queria fazer no pornô eu fiz. Já me realizei com esse trabalho, agora quero me realizar em outras coisas. Casar e ter filhos, além de investir em meu canal no YouTube", revelou Bárbara, que também cursa graduação em Marketing, ao BOL. "Alguns fãs se espantam quando descobrem que fui atriz pornô, porque no meu canal não fala nada adulto, e nem pretendo falar. Meu foco agora é outro. Quero interagir com a galera de uma forma leve", contou
Reprodução/Instagram
Reprodução/Instagram

3

Comentarista esportiva

Em 2016, uma grande estrela pornô largou a carreira e deixou muitos fãs tristes com a notícia. Mia Khalifa passou a ser comentarista esportiva nos Estados Unidos. Ela, que começou a trabalhar como atriz pornô aos 21 anos, tornou-se o nome mais procurado no Google em 2015, segundo o site PornHub, voltado para a indústria de filmes adultos. "Eu estava me rebelando. Aquilo não era para mim. Eu me toquei e me distanciei", declarou Mia sobre a carreira anterior
Reprodução/Mofopolitics
Reprodução/Mofopolitics

4

Escritora

Sasha Grey atuou na indústria pornográfica por três anos, até 2009, tendo gravado mais de 270 filmes. Ela, que começou na carreira aos 18 anos, resolveu anunciar a aposentadoria oficial do pornô em 2011, quando tentou abrir a própria empresa. "Conquistei tudo que queria ter conquistado como atriz", revelou ela, que não se deu tão bem na primeira empreitada após abandonar a pornografia. Porém, Sasha já esteve em "Confissões de uma Garota de Programa", filme dirigido por Steven Soderbergh, da série de TV "Entourage", dublou uma personagem em um game de aventura, teve a própria banda e veio ao Brasil, em 2013, com seu segundo o livro
Reprodução/YouTube/Mundo de Notícias e Espiritualidade
Reprodução/YouTube/Mundo de Notícias e Espiritualidade

5

Vendedora

Regininha Poltergeist fez sucesso com suas atuações em filmes pornográficos, mas, no ano passado, revelou em entrevista ao jornal "Extra", que mudou radicalmente de profissão ao tornar-se vendedora de planos de telefonia celular. "A necessidade me fez procurar o mercado formal", confessou a mãe do jovem Lucas, que até a data da matéria não contava com a ajuda financeira estável por parte do pai. "Os pagamentos estão bastante atrasados e tive que acioná-lo na Justiça novamente", afirmou ela, que em 2009 trabalhou nas Casas Bahia: "Fique seis meses lá. As pessoas achavam que era uma pegadinha quando ia atendê-las". Regininha garante que o pornô ficou no passado e que suas escolhas não mais a definem: "Sou eu que sustento meu filho e seguro as pontas de tudo. Eu e Deus. As pessoas são muito preconceituosas. Fiz escolhas erradas na vida em busca de um futuro melhor para meu filho. Me arrependi. Mas era o que tinha na época"
Reprodução/Instagram/@rayjoymusic
Reprodução/Instagram/@rayjoymusic

6

Cantora

Raylin Joy é atriz e cantora atualmente, mas também já esteve em exercício na área da pornografia sob o nome de Skin Diamond. Ela deixou o ramo para trás após praticamente sete anos, mas faz questão de assumir as atuações como parte de sua carreira artística. Para ela, a dedicação é similar a de um atleta, porém com um viés sexual. Raylin, que ama desafios, conta que foi divertido ajustar sua carreira pornográfica a uma vida profissional artística sem sexo
Reprodução/Dlobu!
Reprodução/Dlobu!

7

Freelancer em artes cinematográficas

Christopher Zeischegg, conhecido como Danny Wylde no mundo pornô, abandonou a vida na indústria cinematográfica para adultos depois de oito anos e um salário que chegou a quatro mil dólares por semana. Ele contracenou com homens e mulheres em mais de 600 cenas e acabou desistindo da profissão após ir para a emergência de hospitais por três vezes, quando o pênis ereto não conseguia mais voltar para o estado flácido por conta de remédios ingeridos para as gravações. "Depois da terceira vez, o médico me disse que, se eu continuasse a usar remédios para manter a ereção, eu poderia causar danos irreversíveis ao meu pênis ? até mesmo impotência. Larguei o pornô no dia seguinte", revelou à revista "Forbes". Ele, que era um estudante tentando pagar as contas quando caiu de paraquedas na indústria pornô, voltou a estudar e, no início deste ano, iniciou trabalhos com uma produtora própria. "Meu trabalho diário é produção de vídeo e pós-produção. No momento, estou trabalhando como freelancer. Mais de metade dos meus clientes são da pornografia", revelou
Reprodução/TexAgs
Reprodução/TexAgs

8

Pastora e voluntária contra a pornografia

Crissy Moran deixou a carreira na indústria de filmes adultos aos 30 anos, em 2006, depois de seis anos ganhando dinheiro com as atuações picantes. A decisão foi tomada depois de a ex-atriz ter aceitado Jesus em sua vida, largando a carreira que a fazia ganhar cerca de 15 mil dólares por mês. A evangelização foi feita pelo amigo de um ex e, Crissy, que havia sido criada em um lar católico, porém sem exercer sua fé, parou de aceitar ofertas de trabalhos eróticos. Depois de um ano, ela se casou, tornou-se pastora e passou a colaborar com o ministério XXXChurch, que mantém o maior site antipornografia do mundo. Atualmente, Crissy dá seu testemunho em várias igrejas buscando converter mais pessoas
Reprodução/Blogosfera/UOL
Reprodução/Blogosfera/UOL

9

Dirigente de clube de futebol

A italiana Sara Tommasi mudou radicalmente os rumos de sua vida profissional ao largar a carreira de atriz pornô para se dedicar ao cargo de dirigente de clube de futebol no final de 2015. Ela, que, inclusive, já teve o nome envolvido em um suposto relacionamento com Ronaldinho Gaúcho, tornou-se cartola do time Marruvium com o objetivo de captar reforços para a equipe. "Agora sou uma mulher do lar e do esporte", declarou Sara Tommasi, segundo o UOL
Reprodução/YouTube/Mujeres Bellas Lista Internacional
Reprodução/YouTube/Mujeres Bellas Lista Internacional

10

Professora de creche

Na contramão dos colegas desta lista, Nina Skye bem que tentou seguir duas carreiras paralelas, uma com um viés bastante diferente ao de atriz pornô, mas desistiu. Ela, até junho deste ano, era professora de crianças na pré-escola de uma instituição cristã. Porém, apesar de "amar ensinar e amar sexo", segundo revelou ao canal "FOX", Nina foi impedida de continuar educando os jovens, quando seus empregadores descobriram uma carreira já avançada na indústria cinematográfica adulta. O dinheiro fácil, claro, foi um atrativo para a professora primária, que chegou a receber dois mil e quinhentos dólares por uma única cena pornográfica. Logo, mesmo tendo recebido suporte da escola para que abandonasse a carreira de atriz e seguisse apenas como educadora, ela optou por fazer diferente e continuar na indústria pornô em vez de ensinar crianças, ainda que sentindo falta dos jovens estudantes