McDonald's e Itaipava premium? Empresas populares apostam em produto chique

Thâmara Kaoru
Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação

Com consumidores cada vez mais exigentes e com a moda de comidas "gourmet", algumas empresas que oferecem produtos populares têm apostado em versões chamadas de premium, para tentar fisgar mais clientes.

A consultora do Sebrae-SP Juliana de Magalhães Berbert afirma que, quando as empresas fazem esse tipo de aposta, querem ampliar o leque de clientes. "Se antes você não ia a um restaurante porque não ofereciam algo diferente, agora há produtos que podem atendê-lo."

Ela diz ainda que a classe C passou a ter mais acesso e interesse nas versões premium. "Começou a ter essa relevância, e os consumidores perceberam que valia a pena ter pequenos prazeres. Ou seja, abrir mão de algo mais básico para ter alguma recompensa."

Para a especialista, a intensificação dos programas de culinária em emissoras de TV ajudou nessa mudança de comportamento do consumidor.

"É o 'fenômeno masterchef' (referência ao programa de culinária MasterChef, da Band). As pessoas estão em um momento em que sabem quem são os chefs e percebem que existem ingredientes diferentes. Ela sai do modo comum para querer experimentar. Estão se permitindo ter acesso a produtos diferenciados. É um presente para si próprio."

Premium e gourmet

Segundo Berbert, o conceito dos termos gourmet e premium é bem parecido, mas há diferenças. O nome premium é voltado para algo que já existe, mas que a empresa aperfeiçoa para dar mais opções aos clientes.

O gourmet, afirma a especialista, está relacionado à culinária como cultura, envolvendo produtos feitos por chefs de cozinha ou de ingredientes diferenciados, por exemplo.

Ambos os termos são usados pelas empresas para destacar alguma diferenciação do produto. Confira alguns exemplos:

Veja alguns produtos premium ou gourmet

Divulgação
Divulgação

Itaipava

Eliana Cassandre, gerente de propaganda da Itaipava, afirma que a linha premium começou em 2004. "Sua proposta não é tão rebuscada quanto àquela que a categoria de cervejas artesanais vem defendendo. Porém, a premium se destaca das demais marcas massificadas ao propor um produto pensado especialmente para consumidores mais exigentes, que buscam cervejas com sabores mais encorpados." A diferença de preço não foi informada.
Divulgação
Divulgação

Burger King

A empresa oferece os lanches da "Família Picanha" e entende que para o consumidor "um sanduíche premium precisa ter uma carne premium". O Picanha Churras, por exemplo, começou a ser vendido no final de março deste ano. O produto vem com vinagrete, farofa e maionese de alho assado. Já o Picanha Chimichurras leva fatias de bacon e o molho chimichurri, à base de ervas. Os combos dos lanches saem por R$ 28,90 e R$ 29,90, respectivamente.
Divulgação
Divulgação

Coca-Cola

A Coca-Cola lançou em março deste ano as edições limitadas do refrigerante nos sabores laranja e limão siciliano. A empresa diz que decidiu apostar em produtos premium para ampliar o portfólio e oferecer mais opções aos consumidores. Antes do Brasil, esses sabores só haviam sido comercializados no Japão e na Turquia. A lata de 310ml custa de R$ 3,49 a R$ 4,65.
Divulgação
Divulgação

McDonald's

Roberto Gnypek, vice-presidente de marketing do McDonald's Brasil, afirma que a empresa se atentou às mudanças no hábito de consumo e percebeu que havia uma carência de produtos premium com ingredientes artesanais. "O primeiro sanduíche da Linha Signature foi o ClubHouse, lançado em fevereiro de 2016. Desde então, fizemos outros três lançamentos e percebemos que a plataforma Signature agradou ao público", diz. A linha premium custa 25% mais.
Divulgação
Divulgação

Nestlé

A Nestlé lançou a linha de sorvetes Gelato em maio de 2015 com sabores italianos, como Limoncello (de limão siciliano), Pistacchio (com pedaços de pistache) e Panna Cotta (com favas de baunilha). A empresa diz que acredita no potencial do mercado brasileiro e que os consumidores estão interessados em produtos sofisticados. A diferença de preço não foi informada.
Divulgação
Divulgação

Cachaça 51

Para a Companhia Muller de Bebidas, as cachaças premium atendem consumidores mais exigentes. A empresa lançou neste ano a Reserva 51 Carvalho Americano, envelhecida três anos em barris de primeiro e único uso. A edição é limitada, vendida pela loja online e em datas específicas, por R$ 249,90. É possível pedir para ter o nome gravado na garrafa. Há ainda outras três versões premium: a Reserva 51 Rara, a Única e a Singular. O valor é R$ 140 nos mercados.
Divulgação
Divulgação

Leão

A marca de chás Leão também decidiu apostar no segmento premium com o lançamento neste mês do Leão Fuze Senses. Os produtos oferecem chás com misturas como amora, mirtilo e baunilha; mate, cereja e hibisco e maracujá, laranja e gengibre. A embalagem com 16 sachês tem preço sugerido de R$ 25.
Divulgação
Divulgação

Azeite Andorinha

A linha Criações começou a ser vendida no Natal de 2016. São azeites com assinatura de chefs como Rita Lobo, Rodrigo Oliveira e Vitor Sobral. A empresa afirma que oferece desde linhas mais básicas, para a culinária do dia a dia, até azeites mais nobres, para serem usados com pratos mais elaborados. O produto pode ser encontrado por R$ 30, em média, para a garrafa de 500 ml.
Divulgação
Divulgação

Castelo Alimentos

A Castelo Alimentos oferece a linha de molhos (ketchup, barbecue, mostarda e maionese) e vinagres balsâmicos premium. Gislaine Pavani, coordenadora de marketing da Castelo Alimentos, afirma que com a empresa começou a investir em produtos premium em 2001. Para ela, os clientes estão cada vez mais exigentes e passaram a ter conhecimento e acesso a mais opções de produtos. A diferença de preço não foi informada.
Divulgação
Divulgação

Salsaretti

A Salsaretti começou a oferecer a linha de molhos gourmet no fim de 2013 com quatro opções. Segundo a empresa, existe um movimento crescente de consumidores mais interessados em temas relacionados à alimentação e à gastronomia, principalmente após a abrangência dos programas culinários. O molho tradicional em sachê com 340 g sai por R$ 1,89. Já o molho gourmet vem em embalagem de vidro com 500 g e custa R$ 8,99.
Divulgação
Divulgação

Camil

A Camil possui a linha gourmet desde 2010 com seis tipos de arroz. "Essa linha foi pensada para o consumidor que aprecia preparações sofisticadas e variedades de arroz diferenciadas", afirma Christina Larroudé, gerente de marketing da Camil. Ela diz ainda que o mercado de grãos especiais cresceu cinco vezes mais do que o arroz comum, por isso, eles acreditam que há potencial no mercado. A diferença de preço não foi informada.
Divulgação
Divulgação

Piracanjuba

Segundo Luiz Cláudio Lorenzo, diretor comercial da Piracanjuba, o creme de leite gourmet foi lançado em maio de 2015. A empresa afirma que, quando se trata de chefs de cozinha ou amantes da culinária, a exigência é maior e, pensando nesse público, eles começaram a fabricar o produto. O preço é 30% maior do que o creme de leite regular, em média.
Divulgação
Divulgação

Bauducco

A Casa Bauducco é um empório com cafeteria criada em 2012. Eles servem, por exemplo, fatias de panetone. "A Casa Bauducco oferece aos seus clientes produtos feitos com artesania e ingredientes premium, produzidos em baixa escala e disponibilizados apenas nas lojas próprias da marca. Todos esses pontos fazem com que os produtos feitos pela Casa Bauducco se destaquem dos demais oferecidos no varejo." A empresa afirma que não é possível medir a diferença de preço.