Sexo, dinheiro e polêmicas: 10 curiosidades sobre a boneca Barbie

do BOL

  • Divulgação

Nesta sexta-feira (9), Barbie completa 59 anos com um corpinho de boneca! A quase sessentona - e quase sempre loira - tornou-se um dos brinquedos mais populares do mundo e, a cada ano, surpreende com suas mais diversas facetas. Conheça um pouco da história da personagem, que está cercada por polêmicas familiares, preferências sexuais extravagantes e muito dinheiro!

Reprodução/UOL
Reprodução/UOL

1

Uma adulta para crianças

Ruth Handler, esposa de Elliot Handler, um dos fundadores da empresa Mattel, sempre observava a filha brincar com suas bonecas, que até então eram sempre produzidas como representações de crianças. Porém, a menina insistia em personificá-las como adultas e acabou dando para a mãe a ideia de criar uma boneca adulta para crianças
Reprodução/UOL
Reprodução/UOL

2

Inspirada em boneca alemã

Durante uma viagem à Europa, Ruth se deparou com a boneca Bild Lilli, que foi inspirada em um personagem de quadrinhos pornográficos e produzida com proporções bastante apelativas e eróticas para agradar ao público adulto. O artigo vendido em tabacarias inspirou Ruth, que já desejava criar uma boneca adulta. Ao voltar para os EUA, com alguns modelos de Lilli na mala, a esposa de Elliot pediu a ajuda do designer Jack Ryan para concretizar sua ideia. De acordo com Jerry Oppenheimer, autor do livro "Toy monster: the big, bad world of Mattel" (sem tradução para o português), o profissional era viciado em sexo, participava de swing, sentia necessidade por bonificações sexuais, comandava orgias em sua mansão e desenhou as medidas da boneca conforme seus próprios gostos pessoais. De acordo com uma pesquisa da Universidade de Helsinque, caso fosse de carne e osso, a Barbie original mediria 1,68m, teria 50 cm de cintura, 69 cm de busto e 73 cm de quadril, tão magra que deixaria de menstruar normalmente. Leia mais
Divulgação
Divulgação

3

Apelido de Barbara

Na hora de batizar a criação, Ruth não teve dúvidas! Barbie era o apelido de Barbara Millicent Roberts, filha da criadora do brinquedo. A boneca foi apresentada e teve seu lançamento oficial na Feira Anual de Brinquedos de Nova York em 9 de março de 1959, data que foi oficializada como seu aniversário. Quem diria que Barbie é do signo de peixes, não é mesmo? Inicialmente, ela era feita em versões loira e morena, mas com o tempo, os fios dourados foram adotados como seu visual oficial
Reprodução/Barbie Bazaar
Reprodução/Barbie Bazaar

4

Garota de família

Para não causar ciúme na família e deter os comentários de que a boneca seria um símbolo sexual, Ruth desenvolveu outros brinquedos que faziam parte da vida de Barbie. Os outros dois filhos da mulher, Ken e Skipper, tornaram-se inspiração para a criação do namorado e da irmã caçula da personagem em 1961 e 1964, respectivamente. Além disso, Midge, sua primeira amiga, surgiu em 1963 e ao longo dos anos, Barbie recebeu diversas outras amigas e também teve a família ampliada
Divulgação Mattel
Divulgação Mattel

5

Ken da vida real era gay

Se na ficção Ken era namorado de Barbie, na vida real eles eram irmãos. No livro "Toy monster: the big, bad world of Mattel" (sem tradução para o português), lançado em 2009, o autor Jerry Oppenheimer conta que para o filho de Ruth e Elliot Handler, dar nome ao famoso brinquedo acabou tornando-se uma maldição. [Ele] "cresceu humilhado e envergonhado por ter um corpo diferente do boneco que leva seu nome", descreve o escritor. Ainda segundo Oppenheimer, apesar de ter constituído família com uma mulher, com quem teve três filhos, o Ken da vida real era gay enrustido. "Para todos que o conheciam, Ken Handler foi um pai maravilhoso e devotado marido. Mas há outro lado dele. Em 1990 ele descobriu que tinha AIDS. Seus familiares ficaram surpresos", diz o autor sobre o irmão de Barbie, que morreu em 1994
Divulgação
Divulgação

6

De olho na moda

Tanto Barbie quanto Ken fizeram questão de seguir as tendências de moda. Eles mudaram de roupas e cortes de cabelo inúmeras vezes para se adequarem à sociedade a sua volta. Por falar em cabelo, foi em 1992 que surgiu a Barbie Totally Hair, com longos fios dourados que chegavam às canelas, que tornou-se a mais vendida de todos os tempos
Divulgação
Divulgação

7

Modelos para colecionadores

O brinquedo para crianças tornou-se também uma febre entre adultos. Em 1980, surgiram as primeiras edições limitadas da boneca, que tornaram-se febre entre colecionadores. Barbie pode ser encontrada, algumas vezes com bastante dificuldade, em versões de época, patriotas, com roupas típicas de diversas países pelo mundo, com peças de alta-costura desenvolvidas especialmente por estilistas famosos e encarnando personalidades famosas, como a princesa Diana. Aliás, o filho dela, príncipe William e a nora Kate Middleton também ganharam uma versão colecionável para celebrar seu casamento
Divulgação
Divulgação

8

Versões empoderadas

No passado, Barbie contribuía negativamente para a imposição dos padrões de beleza, fazendo com que muitas jovens sofressem com anorexia para tentar imitar o corpo da boneca. Ela chegou a ter uma edição, em 1963, que vinha acompanhada de um livro intitulado "Como Emagrecer", cuja única dica era "não coma!" e de outra que tinha como acessório uma balança com peso fixado em 50 quilos. Mas a situação foi mudando e, em 1997, ela ganhou um cintura mais larga. A primeira Barbie negra surgiu em 1980. Hoje em dia, no entanto, é possível encontrar a boneca em versões com novas etnias, diferentes tipos de corpo, cor de cabelo e olhos, além de a empresa responsável pela produção ter lançado, este ano, uma nova linha com três mulheres inspiradoras que ganharam versões Barbie: a pioneira da aviação americana Amelia Earhart; a cientista Katherine Johnson, uma das experts responsáveis pelo projeto que levaria o homem à Lua; e a pintora mexicana Frida Kahlo. Vale lembrar que desde o início, a Barbie teve as mais diversas profissões, de astronauta a presidente. Leia mais
Arquivo pessoal
Arquivo pessoal

9

Obsessão da vida real

De tempos em tempos, surge na mídia alguma Barbie ou algum Ken da vida real, que obcecados pelo visual dos bonecos, recorrem a inúmeras cirurgias estéticas para alcançar o padrão que acreditam ser ideal por conta dos personagens. Seja na Ucrânia, na Rússia ou até no Brasil, essas pessoas não poupam esforços ou dinheiro para se dedicarem ao visual do personagem. No início de 2017, Rodrigo Alves, o Ken Humano brasileiro, contou, em entrevista a um programa inglês, como fugiu um pouco dessa história. Apesar do apelido, ele não tinha pretensão de se tornar parecido com o namorado da Barbie. Porém cerca de 50 cirurgias plásticas depois, ele acabou conhecido mundialmente pelo visual semelhante ao do bonecoLeia mais
Reprodução
Reprodução

10

Personagem lucrativa

Os primeiros exemplares de Barbie foram vendidos por três dólares. Porém, o sucesso foi tremendo e a boneca acabou sendo valorizada, ganhando novas roupas e versões, vendo a família aumentar, sendo protagonista de filmes e representando uma gama enorme de outros produtos, enquanto, é claro, fazia com que a Mattel crescesse vertiginosamente. Foi graças à boneca, que a empresa responsável por seu lançamento entrou para a lista das 500 maiores dos EUA. A procura pela personagem foi tanta, que a fábrica demorou três anos para atender à demanda dos compradores. Em 2011, segundo a Superinteressante, eram vendidas 172.800 Barbies por dia no mundo, o equivalente a duas por segundo. Nos últimos anos, no entanto, a boneca vem se reinventando para não perder relevância no mercado. De acordo com o Extra, as vendas da personagem caíram 16% em 2014, enquanto as da Mattel tiveram queda de 6%. No terceiro trimestre de 2015, a retração foi de 14%