"The Voice Brasil 2018": quando começa e o que muda na sétima edição

Do BOL, em São Paulo

  • Globo/Raquel Cunha

    The Voice Brasil 2018 começa no dia 17 de julho

    The Voice Brasil 2018 começa no dia 17 de julho

Mal acabou a Copa do Mundo, e a TV Globo já revelou que, no próximo dia 17 de julho, a programação terá a estreia de "The Voice Brasil". A edição de 2018 promete novidades.

Os apresentadores e jurados, porém, permanecem os mesmos do ano passado: Tiago Leifert e Mariana Rios comandam a sétima temporada da atração, que tem como técnicos os cantores Carlinhos Brown, Ivete Sangalo, Lulu Santos e Michel Teló. 

Leia mais: 

Veja, a seguir, como vai funcionar o reality show: 

Globo/Raquel Cunha
Globo/Raquel Cunha

Dois dias na semana

Ao contrário dos anos anteriores, o "The Voice Brasil" terá dois dias de apresentações: terças e quintas-feiras. O programa terá início após a novela "Segundo Sol", por volta das 22h30
Globo/Raquel Cunha
Globo/Raquel Cunha

Botão de bloqueio

É nas audições às cegas, primeira fase do programa, que cada técnico terá outros três botões em sua cadeira. A ferramenta permite que eles possam bloquear uns aos outros para que não consigam ser escolhidos pelo candidato. Segundo a TV Globo, o técnico bloqueado só saberá que foi impedido de disputar o participante caso vire sua cadeira
Globo/Raquel Cunha
Globo/Raquel Cunha

Equipes maiores

A última edição contava com 12 candidatos por time após a primeira fase de seleção. A sétima temporada de "Tha Voice Brasil" será diferente. Desta vez, os técnicos vão poder selecionar 18 participantes para seu grupo de talentos
Globo/Raquel Cunha
Globo/Raquel Cunha

Salvamento instantâneo

Mais uma novidade da sétima edição do programa é o salvamento instantâneo. Logo na fase das batalhas dos técnicos, o público vai poder salvar um participante eliminado por meio de votação no site do programa

O que dizem os técnicos

Em entrevista coletiva, apresentadores e técnicos comentaram sobre a próxima edição. "Entre nós, não existe essa disputa de quem vai ganhar. Isso é o que menos interessa. A gente quer saber como o programa pode desenvolver vozes", afirmou Brown.

Já Teló, comentou o favoritismo: "Minha alegria maior é estar no programa. As coisas, às vezes, acontecem sem a gente esperar. Não imaginava ganhar três vezes".

"Eu sofro mais com as decisões nas Batalhas porque o técnico é o que abraça e depois o que 'corta'. Isso é difícil", comentou Lulu.

Ivete falou sobre sucesso: "Não existe nada meteórico. É preciso compor, maturar, estar preparado. O sucesso não pode ser pelo olhar do outro. O sucesso de um artista depende de outras coisas", afirmou.