Brasil Online

Busca
Domingo, 23 de FEVEREIRO de 2020

28/03/2009 - 08h34

CET multa cicloativistas quase um ano depois de manifestação na Paulista

Pedro Nephi/UOL
Protesto que reuniu ciclistas nus e vestidos aconteceu em junho de 2008
Protesto que reuniu ciclistas nus e vestidos aconteceu em junho de 2008
 Reveja a passeata de pelados
 Protesto de 2009 foi mais 'comportado'
Quase um ano após integrar um protesto de ciclistas nus em São Paulo, o analista de sistemas André Pasqualini, 34, recebeu da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) uma multa no valor de R$ 1.289,25 por gerar "interferências no tráfego viário" na ocasião.

O grupo, que reuniu cerca de 20 cicloativistas sem roupa e outros vestidos, se concentrou especialmente na avenida Paulista, no dia 14 de junho do ano passado.

"Os organizadores da Pedalada Pelada não protocolaram na CET nenhuma solicitação para que o passeio ciclístico fosse realizado. Dessa forma, o evento foi considerado irregular, ou seja, sem prévia autorização da autoridade de trânsito, e, por isso, foi multado conforme prevê a lei", diz, em nota, a assessoria de imprensa da companhia.

Reprodução
Boleto no valor de R$ 1.289,25 é cobrado pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET)
Boleto no valor de R$ 1.289,25 é cobrado pela Companhia de Engenharia de Tráfego
 Veja a imagem ampliada
Pasqualini afirma que não pagará a multa. "[Os outros manifestantes] estão pensando em pagar em calcinhas e cuecas para a CET. Essa multa é absurda", diz ele, que, na ocasião, chegou a ser detido pela polícia pouco depois de se despir de um tapa-sexo.

A proposta do evento, batizado de World Naked Bike Ride (algo como "passeio mundial de ciclistas nus"), é protestar contra a "opressão" que as bicicletas sofrem no trânsito das grandes cidades.

Neste ano, o evento foi antecipado para 14 de março. Pasqualini estava lá novamente, mas diz que não recebeu notificação a respeito.

"Eu não sou organizador do evento. Sou um dos divulgadores (...), mas não criei essa data", diz ele. "A multa só mostra como, para a CET, os carros são a prioridade no trânsito. (...) Se carros saem de um estádio e provocam congestionamento, não são multados", afirma.

A companhia diz que o valor da multa abrange os custos do "serviço prestado" pelo órgão para dar fluência ao trânsito no dia da manifestação, acrescidos de 50%, de acordo com o que determina a lei municipal. Não oferece, contudo, mais detalhes sobre a escolha de Pasqualini para pagar a multa.

Enquete

Computando seu voto...
Carregando resultado

Total de votos: