Busca BOL

Domingo, 13 de outubro de 2019

BOL Notícias

Para evitar greve, Metrô de SP aceita proposta de sindicato

COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

O Metrô de São Paulo aceitou nesta terça-feira a proposta do Sindicato dos Metroviários de não reduzir em 7,21% o valor da PLR (Participação nos Lucros e Resultados). Os funcionários --que ameaçam entrar em greve na quarta (29)-- ainda precisam aprovar o acordo em uma assembleia que será realizada às 18h.

A PLR é um valor pago uma vez ao ano para os oito mil funcionários da companhia. Ela é composta de um valor fixo --que este ano é de R$ 3.062-- mais 40% do salário mensal. Se a proposta for aceita, nenhum dos metroviários receberá menos de R$ 3.900.

O Metrô planeja pagar a quantia amanhã.

Na última quinta (23), a categoria decidiu pela greve. Segundo o sindicato, o Metrô queria reduzir a PLR porque houve uma queda de 84% para 74% dos usuários que consideram o serviço excelente ou bom. O número é resultado de uma pesquisa de satisfação feita todos os anos com as pessoas que usam o metrô.

Para o presidente do sindicato, Altino de Melo Prazeres Júnior, a insatisfação diz respeito à superlotação dos trens, aumentos das tarifas e número reduzido de linhas --que não têm relação direta com o desempenho dos funcionários.

JUSTIÇA

Ontem (27) o TRT (Tribunal Regional do Trabalho) concedeu uma liminar (decisão provisória) obrigando os metroviários a manterem 100% dos serviços nos horários de pico, em caso de greve. O pedido foi feito pelo Metrô de São Paulo.

Nos demais horários, o serviço deve ser oferecido com 90% do efetivo.

Em caso de descumprimento da medida, o sindicato pode receber uma multa diária de R$ 100 mil.

Publicidade

Emprego Certo

Procurar por emprego