! Rosely Sayão: A sexualidade dos filhos não se define com a presença dos pais - BOL Notícias

Brasil Online

Busca
Segunda-feira, 16 de JULHO de 2018

09/10/2007 - 19h55

Rosely Sayão: A sexualidade dos filhos não se define com a presença dos pais

Da Redação

No primeiro bloco do programa, Rosely Sayão respondeu a perguntas sobre educação dos filhos. Acompanhe.

(05:08:58) SOL pergunta para Rosely Sayão: Como lidar com a rebeldia?Tenho 36 anos, um filho de 20 e uma filha de 12 anos.

(05:13:32) Rosely Sayão: SOL, a rebeldia não é um conceito e eu adoraria dizer como tratá-la. Aos 12 anos, o filho começa a entrar na adolescência. É preciso conhecer bem seus filhos para saber como tratá-los. Pode ser com uma conversa, uma negociação. Só não pode ser com confronto.


(05:09:47) mara fala para Rosely Sayão: Como tratar um menino de 4 anos que gosta de brincar só com coisas de menina e cores rosa?

(05:15:52) Rosely Sayão: mara, há um preconceito muito grande em relação a cor rosa e incrivelmente os pais passam isso para os filhos desde muito cedo. Para uma criança de 4 anos não existe brincadeira de menino ou de menina. Existem as brincadeiras que atraem e as que não distraem. Na verdade, nada é de menino ou de menina, de homem ou mulher. Supere essa questão. Entendo que a sua dúvida diz respeito a sexualidade, mas os estudos dizem que na primeira infância ela é absolutamente diferente. Mas devo alertá-la que os seus preconceitos podem interferir na vida do menino.


(05:09:52) suzana fala para Rosely Sayão: É normal meu filho de 4 anos ter desejo ou interesse sexual, ou é muito precoce? Como devo agir com ele? Tenho 30 anos.

(05:19:52) Rosely Sayão: suzana, a sexualidade da criança é radicalmente diferente de como os adultos entendem esse assunto. Na primeira infância, tudo tem uma questão sexual: hora de colocar a roupa, experimentar uma comida, chupar chupeta. Um caráter erotizado, mas não do jeito que a gente pensa. É uma questão de prazer localizado. É natural uma criança dessa idade se masturbar, por exemplo. A gente apenas deve adequar essa atividade para um momento em que ele estiver sem a companhia das outras pessoas. E deixa curtir, porque são só cinco, seis anos da vida.


(05:15:00) Big mother fala para Rosely Sayão: Você não acha que é importante a presença do pai e da mãe no lar para que as crianças possam se identificar de acordo com seu sexo?

(05:23:58) Rosely Sayão: Big mother, os pais são as pessoas que têm o vínculo de mais intimidade amorosa com os filhos, mas não são as únicas personagens da vida dos filhos. Na ausência de um deles, existem outros homens ou mulheres que vão se relacionar com essa criança - não com tanta intimidade -, que isso permite que a criança consiga tirar um retrato do mundo adulto. Não creio que a identificação sexual tenha a ver com isso. E nem sabemos muito bem, tampouco controlamos, como se dá a identificação sexual. A sexualidade humana não tem a ver com a natureza, tem a ver com a cultura. O homem não exerce a sua sexualidade apenas para reproduzir, como os animais, ele exerce em busca de prazer. E aí vale tudo.

Enquete

Computando seu voto...
Carregando resultado

Total de votos: