! Juan Luis Guerra arrasa no Grammy, que premia Caetano e Neschling - BOL Notícias

Brasil Online

Busca
Quarta-feira, 22 de NOVEMBRO de 2017

09/11/2007 - 02h27

Juan Luis Guerra arrasa no Grammy, que premia Caetano e Neschling

Zayra Mo Las Vegas (EUA), 8 nov (EFE).- O dominicano Juan Luis Guerra arrasou na oitava edição do Grammy Latino, conquistando os cinco prêmios para os quais estava indicado e ainda sendo eleito a Pessoa do Ano por sua dedicação a tarefas humanitárias.

Cateano Veloso, além do prêmio de melhor canção brasileira ("Não me arrependo"), conquistou um prêmio também nas categorias disputadas pelos artistas de outros países. Ele ganhou a estatueta de melhor álbum de cantor-compositor, com "Cê".

Outro brasileiro premiado na disputa internacional foi o maestro John Neschling. A sua gravação de "Beethoven abertura consagração da casa sinfonia nº 6" foi escolhida como melhor álbum de música clássica, num empate com "La canción romántica española", da cantora Montserrat Caballé.

Gloria Estefan apresentou Juan Luis Guerra como a Pessoa do Ano pela ajuda aos mais necessitados da República Dominicana. Ele dedicou o prêmio ao seu país, arrasado pela tempestade "Noel" no mês passado. O fenômeno causou a morte de 150 pessoas na ilha de Hispaniola.

"Nos últimos dias, passamos por momentos muito difíceis. Mas somos um povo forte e valente e, sobretudo, uma terra cheia de paz, glória e amor", afirmou.

O artista dominicano levou os prêmios de gravação do ano, melhor álbum de merengue, melhor canção tropical, álbum do ano e canção do ano, graças a "La llave de mi coración".

"Agradeço ao Senhor, meu salvador, e a todos os que tornaram possível este sonho", disse o artista, ao receber o Grammy de gravação do ano.

Também saíram com dois prêmios cada um os porto-riquenhos Calle 13 e Ricky Martin.

O grupo Calle 13 obteve os troféus de melhor álbum de música urbana, por "Residente o Visitante", e melhor canção urbana, por "Pal Norte" com Orishas.

As referências ao apoio à imigração nos Estados Unidos marcaram a cerimônia, especialmente nos discursos do Calle 13 e de Ricky Martin.

"Cada nação depende do coração de sua gente, um país que não se vende ninguém poderá comprar. Esta é uma mensagem para os Estados Unidos, todos somos latinos e ninguém vai pôr um muro no meio", disse René Pérez, mais conhecido como Residente.

Ricky Martin, premiado pelo melhor vídeo musical versão longa e pelo melhor álbum vocal pop masculino, ambos com "MTV Unplugged", não ficou atrás. O cantor destacou a necessidade "da união dos povos" e afirmou que, embora seja bom aprender inglês, "é preciso continuar falando espanhol".

O porto-riquenho, ao lado do Blue Man Group, abriu a festa de maneira espetacular, com uma mistura de ritmos. Ele cantou "Lola, Lola" e outros sucessos no palco do Hotel Mandalay, em Las Vegas, para iniciar a cerimônia.

A italiana Laura Pausini lembrou, ao receber seu Grammy de melhor álbum vocal pop feminino por "Yo canto", o seu compatriota Luciano Pavarotti, que morreu este ano.

Enquete

Computando seu voto...
Carregando resultado

Total de votos: