Busca BOL

Domingo, 30 de abril de 2017

BOL Notícias

Estante GLS: Cigana lésbica seduz garota de classe média em tórrido romance

da Livraria da Folha

Divulgação
Clara abandonará sua vida para viver tórrida paixão com cigana
Clara abandonará sua vida para viver tórrida paixão com cigana


A jovem Clara não consegue se conter quando sabe que a cigana Lumia está dançando na praça da República. Corre até lá para se encantar ainda mais com os mistérios de Lumia.

Esse é o plot de "Os Caminhos de Lumia", de Lara Orlow. Com movimentos sensuais e vibrantes, Lumia enfeitiça a jovem gerente. Clara abandona sua vida, mas antes informa para a mãe o que pretende fazer.

Minha mãe passou a minha infância inteira falando que ciganos roubavam crianças e cheiravam mal, como eu poderia dizer que estava apaixonada por uma cigana, e ainda por cima platonicamente? Ela era minha mãe, na pior das hipóteses ia mandar me internar, ri sozinha com esse pensamento.

Resposta da mãe de Clara.

- Não sei se esse será o grande amor de sua vida ou apenas mais um amor. Não importa, é amor. Vá atrás dela. É difícil saber onde esses tais ciganos se escondem, mas não é impossível. Eu te amo, filha, e te quero feliz. - Depois completou com um sorriso maroto nos lábios: - Por favor, só não coloque aqueles dentes de ouro, me dão má impressão.

Siga a Livraria da Folha no Twitter
Siga a Livraria da Folha no Twitter


Clara encontra Lumia e seu destino se alinha ao da cigana.

No trecho abaixo, a cigana explica por que difere das outras com as quais convive.

*

Não ficava ouvindo as conversas das mulheres casadas às escondidas, como as outras ciganinhas casadoiras faziam, desejando descobrir como eram as intimidades entre marido e mulher. Ela era diferente, preferia terminar seus afazeres e ir ajudar o pai no conserto da caminhonete velha, que estava em eterna manutenção. Às vezes brincava com os meninos mais novos, jogando cartas e ensinando truques para ganhar apostas, ou ensinando as meninas a dançar.

Diferentemente das outras ciganas, Lumia nunca ficava imaginando sua vida de casada. Não sonhava com sua barraca própria e muito menos em servir o marido, ao contrário, chegava a ter náuseas quando sentia o odor forte de homens após um longo dia de calor e pensava que teria dificuldades a se entregar para o marido na noite de núpcias.

Ela nunca admirara a musculatura de um corpo masculino, nem jamais se imaginara beijando um deles. Era algo que simplesmente não lhe ocorria. Desde a infância até a adolescência, tinham sido poucas as vezes em que se sentira atraída por alguém, que sentira o corpo arrepiar-se com a proximidade de outro corpo ou o coração acelerar por causa de um olhar.

Enquete

Carregando enquete...
Computando seu voto...
Carregando resultado
  • 5779
  • simples
  • false
Publicidade

Emprego Certo

Procurar por emprego