Busca BOL

Segunda-feira, 23 de julho de 2018

BOL Notícias

Audrey Tautou diz que não se incomoda de ser chamada de Amélie

ANA PAULA SOUSA
DE SÃO PAULO

Depois de Catherine Deneuve, a atriz Audrey Tautou foi a mais requisitada da delegação francesa que desembarcou no Brasil para promover o Festival Varilux de Cinema, aberto ontem em São Paulo.

O evento, que acontece em 22 cidades do país, exibirá 10 longas-metragens franceses. Entre eles, está "Uma Doce Mentira", protagonizado por Tautou.

Antes de partir para o Rio de Janeiro, a atriz conversou com a reportagem da Folha no hotel Tivoli, na região dos Jardins, em São Paulo.

Miúda e gentil, Tautou, de 34 anos, disse ter plena consciência de aqui no Brasil --como de resto em quase todos os países-- muita gente não sabe seu nome verdadeiro, sabe apenas que ela é a "Amélie Poulin".

Leia, a seguir, trechos da conversa.

Francisco Cepeda/AgNews
A atriz francesa Audrey Tautou na abertura do Festival Varilux de Cinema Francês, no Reserva Cultural, em SP
A atriz francesa Audrey Tautou na abertura do Festival Varilux de Cinema Francês, no Reserva Cultural, em SP


*

Folha Te incomoda o fato de, uma década depois de "O Fabuloso Destino de Amélie Poulin", você ainda ser, para muita gente, a Amélie?
*Audrey Tautou * Não, isso me parece normal porque se trata de um personagem muito forte, marcante. As pessoas têm uma afeição particular pelo filme [um dos maiores sucessos que o cinema francês já conheceu no exterior]. Esse papel acabou se transformando em algo único na minha carreira.

Há alguma característica da personagem que você acha que repita em outros papeis seus?
Em todos os personagens há, necessariamente, alguma coisa de mim porque eu tenho o mesmo rosto e as mesmas expressões. Minha natureza transparece nos personagens que interpreto, mas não mais em Amélie que em outros.

Você já participou de um filme hollywoodiano ["O Código da Vinci"], mas parece dar preferência, geralmente, às comédias românticas, como "Bem me Quer, Mal me Quer" ou "Bonecas Russas". O que te faz dizer sim ou não para um projeto?
Eu, por sorte, tenho a possibilidade de fazer escolhas e, em geral, opto por personagens que me permitam fazer algo que eu ainda não fiz ou por um diretor que pode me proporcionar um outro modo de trabalhar.
Mas não tenho nenhum desejo específico, nenhuma estratégia. Eu não digo: "Agora quero fazer um personagem assim". Faço o que atiça minha curiosidade. Acho que participo de filmes que eu gostaria de ver no cinema também.

Em "Uma Doce Mentira" sua personagem é tão travada que chega a ser chamada de "frígida" pela mãe...
É isso que me dá prazer. É o fato dela se apresentar como alguém autoritário, muito seguro de si, mas que, no fundo, é cheia de fragilidades, de imperfeições. Ela pode ser mesquinha, irritante, mas, ao mesmo tempo, é cheia de boas intenções. A única coisa é que ela age sem necessariamente pensar nas consequências dos seus atos. Foi um personagem que me fez rir.

O filme ["Uma Doce Mentira"] foi bem na França?
Ficamos um pouco decepcionados porque o filme foi lançado na semana em que houve uma violenta tempestade de neve [no final de 2010]. Esse é pior pesadelo que um diretor pode ter para o lançamento de seu filme. E aconteceu. Não tivemos a possibilidade de mostrar o filme num contexto normal. Mas a crítica e as pessoas que viram tiveram ótima acolhida.

E por que você decidiu vir ao Brasil para promover o filme?
Eu jamais vim ao Brasil e tinha muito interesse em conhecer o país. É um país que nos dá vontade conhecer.

Os franceses, sobretudo...
Sim, nós temos o sentimento de que as pessoas aqui são simpáticas, de que têm uma certa alegria de viver. É um país cheio de movimento, de novidades.

Viajar para fazer a promoção de um filme é algo que te dá prazer ou que te entedia?
Essa é uma parte repetitiva do trabalho, e fisicamente cansativa. Além disso, não é necessariamente sempre interessante falar de você mesmo.
Mas eu tanto acompanhar os filmes tanto quanto posso. Acho isso importante, sobretudo, quando é para divulgar um filme francês.
É uma pequena janela do cinema que podemos abrir ao público estrangeiro.

Enquete

Carregando enquete...
Computando seu voto...
Carregando resultado
  • 5779
  • simples
  • false
Publicidade

Emprego Certo

Procurar por emprego