Busca BOL

Terça-feira, 16 de outubro de 2018

BOL Notícias

Aos 20, Globosat luta para se manter na crista da onda

KEILA JIMENEZ
COLUNISTA DA FOLHA

A Globosat completa hoje 20 anos, 17 deles sob o comando de Alberto Pecegueiro, 53, um executivo apaixonado por surfe, que aprendeu a fazer TV paga... fazendo.

E olha que tombos em fundo de coral não faltaram.

Mesmo com remadas largas -afinal, a Globosat é um braço das Organizações Globo-, Pecegueiro e sua turma levaram vários caldos. De 2001 a 2004, mal conseguiam tirar a cabeça da água em uma crise que quase afogou o setor, endividado em dólar.

O tubo que esperavam veio em 2006, com o crescimento de sua base de assinantes.

Apesar do mar "crowdeado" (lotado), a Globosat tenta dropar na frente a onda da TV paga no país. Dos seus 34 canais, o Multishow é o líder em assinantes: 9,5 milhões num mercado de 11 milhões.

Dos 20 canais mais vistos na TV paga, 10 são da Globosat. O Sportv é o líder no horário nobre e rendeu filhotes: o Sportv 2, o 3 e o canal de esportes radicais, o OFF. Rabeando a onda dos outros, a Globosat vai lançar em 2012 o Gloob, seu canal infantil.

Paula Giolito/Folhapress
O executivo Alberto Pecegueiro, diretor-geral da Globosat
O executivo Alberto Pecegueiro, diretor-geral da Globosat


No ano passado, perdeu a melhor onda para surfistas de fora. Depois de muito remar, o Sportv não conseguiu comprar o Pan de Guadalajara (que começou no dia 14) da Record, dona dos direitos de transmissão. "Eles pagaram US$ 7 milhões, pediram US$ 11 milhões e eu desisti", diz Pecegueiro, que quer agora o Pan de 2015.

Honorilton Gonçalves, vice-presidente da Record, tem outra versão. Afirma que a Globosat implorou pelo Pan e que a rede não quis vender.

Mas há tubarões experientes na mesma bateria. A Fox Sports ameaça chegar ao Brasil em 2012, tirando eventos como Libertadores da América do Sportv. "Se a Fox Sports vier, serei obrigado a levar o Sportv para a América Latina e causar problemas para eles", considera Pecegueiro.

"Não vai ser fácil estacionar o ônibus deles na vaga de Fusca da TV paga brasileira. A concorrência é grande."

INIMIGA

Entre os inimigos declarados está a HBO, que perdeu recentemente para a Globosat o conteúdo Disney.

"Tenho relação cordial com todos, mas a HBO é exceção, são bandidos. Fazem coisas que não posso nem contar." A HBO, que diz que foi uma opção dela abrir mão do conteúdo Disney no Brasil, não quis comentar as declarações de Pecegueiro.

Mas o que ele teme é a arrebentação adiante: o poder conferido pelo PL 116 à Ancine (Agência Nacional do Cinema), a quem caberá a regulamentação de conteúdos na TV paga. O projeto estabelece, entre outras coisas, a criação de cotas de conteúdo nacional nos canais pagos.

"Há um povo na Ancine que tende a conduzir as coisas contra nós. Podem forçar a mão nos incentivos e na disputa da titularidade das produções independentes", afirma Pecegueiro.

Procurada pela Folha, a agência não se manifestou.

"Nada é tão ruim que não possa piorar", diz ele. Não, a Globosat não quer deixar ninguém invadir a sua praia.

Enquete

Carregando enquete...
Computando seu voto...
Carregando resultado
  • 5779
  • simples
  • false
Publicidade

Emprego Certo

Procurar por emprego