Busca BOL

Quarta-feira, 13 de novembro de 2019

BOL Notícias

Fabricante quer vender vuvuzelas no Brasil em 2014

Quinn Rooney/Getty Images

Vuvuzelas também podem dar suas cornetadas na Copa do Mundo do Brasil em 2014

Mauricio Stycer
Em Johanesburgo (África do Sul)

Neil van Schalkwyk, sócio da principal fabricante de vuvuzelas, planeja negociar seu produto na Copa de 2014. Ele contou ao “The Star”, um dos maiores jornais da África do Sul, que está “conversando com pessoas no Brasil” com objetivo de expandir seus negócios.

O empresário não adianta detalhes do projeto, mas informa alguns números impressionantes gerados pela corneta barulhenta. Vendida no comércio por 20 rands (cerca de R$ 5), a vuvuzela vai gerar cerca de R$ 4 milhões em vendas durante a Copa do Mundo. Desde outubro de 2009, Van Schalkwyk afirma ter exportado 1,5 milhão de cornetas para a Europa.

A indústria Masincedane, que empregava 20 funcionários em 2009, está agora com 70. O empresário informa que modificou levemente o bocal da corneta, de forma a diminuir em 20 decibéis o ruído que ela emite e planeja, com este novo produto, expandir as vendas para uso além dos estádios.

Van Schalkwyk teve o estalo para produzir vuvuzelas na década de 90, ao ver um torcedor fazendo barulho no estádio. Em 2002, já estava comercializando de 500 a 1.000 por mês. Em 2004, no momento em que a África do Sul foi anunciada como país-sede da Copa de 2010, um ministro da área econômica comemorou a notícia tocando uma vuvuzela. E, em 2009, na Copa das Confederações, a corneta se tornou, finalmente, uma atração internacional.

De olho em todas as oportunidades de negócio geradas pela vuvuzela, Van Schalkwyk planejava também fabricar um protetor auricular, mas não conseguiu produzir o objeto a tempo de comercializá-lo na Copa.

Apoio da Fifa

O coro contra a vuvuzela foi engrossado no domingo por Cristiano Ronaldo. O craque da seleção de Portugal reclamou que é difícil de se concentrar em campo por causa do barulho. “Muitos jogadores não gostam dela, mas vão ser obrigados a se acostumar”.

Apesar da pressão contra o uso da vuvuzela nos estádios da Copa, a Fifa até o momento tem se manifestado a favor da corneta, sob o argumento que é parte de uma tradição africana. Além disso, é bom lembrar, as lojas que comercializam produtos oficiais da Copa 2010, com selo da Fifa, vendem uma vuvuzela “oficial”.

Vídeos de Esporte

Carregando vídeos

Publicidade

Emprego Certo

Procurar por emprego