25 produtos que a gente "importava" do Paraguai nos anos 80 e 90

Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://noticias.bol.uol.com.br/fotos/bol-listas/2015/08/26/25-produtos-que-a-gente-importava-do-paraguai-nos-anos-80-e-90.htm
  • totalImagens: 25
  • fotoInicial: 1
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20150826160000
    • BOL Listas [76492];
Fotos

1. O sonho de todo adolescente brasileiro nos anos 80 era ter um tênis importado. O "chinesinho" era o que tinha para o momento, trazido pelos sacoleiros que viajavam para o Paraguai Reprodução/Omaquinista Mais

2. Quem tinha um pouco mais de cruzeiros podia ostentar a versão Forward, que era chamado de "faruait", ou coisa parecida Reprodução/Preciolandia Mais

3. E levar os cadernos para a escola numa bolsa Tiger era o must Reprodução/Brecholuxo Mais

4. A gente desconfiava que os jeans Pierre Cardin e Fiorucci eram fabricados no Brasil e vendidos no Paraguai, mas mesmo assim eram objetos do desejo Reprodução/Bodelaire/Etsy Mais

5. Os perfumes Azzaro "lexítimos" eram venda garantida na chegada dos ônibus bate-e-volta Reprodução/Creativeimports Mais

6. E os chaveiros eletrônicos com sons diferentes em cada botão? Eram um inferno! Reprodução/Mercado Livre Mais

7. Tinha também o chaveiro que respondia com um "bip" quando alguém assobiava Reprodução/YouTube Mais

8. O estojo automático ganhou o nome de "estojo do Paraguai" Reprodução/Eaijohn Mais

9. Todo o mundo que ia à cidade de Puerto Presidente Stroessner, atual Ciudad Del Este, trazia bolinhas de chiclete Reprodução/Smartvending Mais

10. A batata em lata era um clássico da "importação informal" Reprodução/Therichest Mais

11. Já os mais velhos preferiam o uísque Cavalinho Branco. E se olhassem o fundo da garrafa, veriam os dizeres "hecho en Escocia" Reprodução/Thewhiskyexchange Mais

12. Muita gente viajava para comprar peças de computador, já que a reserva de mercado nacional deixava tudo caríssimo por aqui Reprodução/Wikimedia Mais

13. Ou até computadores inteiros. Os XTs, 286 e 386 paraguaios iniciaram muita gente na informática Reprodução/YouTube Mais

14. O monitor era vendido separadamente. De preferência, um Goldstar (atual LG) SVGA de 14 polegadas COLORIDO! Reprodução/Photobucket Mais

15. E nos princípios da internet, não podia faltar uma placa fax-modem de 14.4 Kbps Reprodução/Ebay Mais

16. Naquele tempo, os computadores vinham sem caixas acústicas. Quem quisesse ouvir música, precisava encomendar um kit multimídia, composto por placa de som, leitor de CD e microfone Reprodução/PC-collection Mais

17. Para dar de presente, nada mais elegante e moderno que uma agenda eletrônica com capacidade para 100 números de telefone Reprodução/modakulvar Mais

18. Os relógios digitais eram um sucesso. Se tivessem calculadora ou joguinho, eram o máximo Reprodução/Timerecs Mais

19. Mais baratos, os multijogos brick eram o que havia de distração para a fila do banco Reprodução/GooglePlus Mais

20. O sonho das famílias era um aparelho de vídeo-cassete, mas era muito caro, e havia histórias de gente que encomendava e recebia uma caixa cheia de pedras. Quem não queria se arriscar, entrava em consórcios informais, que sorteavam um aparelho por mês. La garantia soy yo! Reprodução/VCRPlayers Mais

21. Depois de conseguir um aparelho de vídeo, o sonho seguinte era uma filmadora VHS, monstrengo que era carregado para todas as festinhas da família Reprodução/Instructables Mais

22. Era muito chique mandar trazer um telefone sem fio do exterior Reprodução/Etsy Mais

23. A TV portátil com rádio AM/FM integrado era trazida embaixo do banco do ônibus Reprodução/OLX Mais

24. Para passar pela alfândega, os "importadores" dividiam a carga com colegas. Mas só um rádio Roadstar de gaveta já ultrapassava a cota permitida Reprodução/Mercado Livre Mais

25. Depois das compras, era hora de passear pelas Cataratas do Iguaçu ostentando os óculos de sol dobráveis presos à cintura Reprodução/Markedsiks Mais

Comente no Facebook