Paisagens incríveis

Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://noticias.bol.uol.com.br/fotos/entretenimento/2013/12/04/paisagens-incriveis.htm
  • totalImagens: 753
  • fotoInicial: 649
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20131204174807
    • Fotografia [44948];
Fotos

24.out.2011 - Aurora boreal é vista no Arkansas, EUA, em 24 de outubro de 2011 AP/realclearwx.com, Brian Emfinger Mais

15.jul.2012- Aurora boreal ilumina o lago Elora em Minnesota, nos EUA, em 15 de julho de 2012 AP/The Star Tribune, Brian Peterson Mais

8.mar.2012 - Uma das maiores tempestade solar dos últimos anos provocou esta aurora boreal vista em Yellowknife, no Canadá, em 8 de março de 2012 AP/The Canadian Press, Bill Braden Mais

3.set.2012 - Aurora boreal aparece no céu de Whitehorse, no Canadá Reuters/Nasa Mais

18.mar.2013 - Aurora Boreal brilha no céu ao crepúsculo, entre as cidades de Are e Ostersund, na Suécia Jonathan Nackstrand/AFP Mais

14.abr.2013 - Em 14 de abril de 2013, esta aurora boreal foi registrada no Alasca, nos Estados Unidos. A emissão de massa solar causou auroras boreais nos polos do planeta Ron Gile/Divulgação Mais

2.jul.2013 - Aurora boreal é vista em Kalispell, no Estado de Montana, nos EUA, em 29 de junho de 2013 AP/Daily Inter Lake, Brenda Ahearn Mais

5.jul.2013 - Em imagem desta quinta-feira (4), divulgada pela organização Antarctic New Zealand nesta sexta (5), aurora austral brilha sobre o laboratório da base neozelandesa Scott, na Antártida. A aurora austral, assim como a boreal, fenômeno similar que ocorre no polo Norte, aparece devido à entrada de partículas atômicas na atmosfera, que são atraídas pelo campo magnético da Terra Tim Delany/Antarctica New Zealand/AP Mais

31.jul.2013 - A aurora boreal registrada por Mike Curry também concorre na categoria de melhor fotógrafo revelação Northern Lights XXIII/Mike Curry Mais

4.set.2013 - "Ver a aurora boreal de perto cria uma sensação de euforia", disse o fotógrafo. "É algo surpreendente o bastante para que as pessoas passem a noite no frio para ver" Steven Kazlowski/Barcroft Media Mais

4.set.2013 - O aumento das erupções solares devem fazer da aurora polar um evento mais frequente Steven Kazlowski/Barcroft Media Mais

4.set.2013 - álbum da BBC - Eu tenho fotografado as auroras boreais de forma intermitente, sempre que tenho uma oportunidade, nos últimos 20 anos", disse Kazlowski Steven Kazlowski/Barcroft Media Mais

4.set.2013 - álbum da BBC - O aumento das erupções solares devem fazer da aurora polar um evento mais frequente Steven Kazlowski/Barcroft Media Mais

4.set.2013 - álbum da BBC - As partículas "excitam" gases na atmosfera e depois os tornam brilhantes. As cores dependem do tipo de gás. Brilhos de cor verde ou vermelha são formados a partir do oxigênio. As cores azul e lilás são causadas pelo nitrogênio Steven Kazlowski/Barcroft Media Mais

4.set.2013 - álbum da BBC - O fenômeno é causado por partículas de gás carregadas que saem do Sol na forma de um "vento solar", interagindo com o campo magnético da Terra Steven Kazlowski/Barcroft Media Mais

4.set.2013 - álbum da BBC - "Eu acho que a aurora boreal é transcedental", disse Kazlowski. "Mesmo quando você vê, não acredita. Ela é inacreditável, até mágica" Steven Kazlowski/Barcroft Media Mais

4.set.2013 - álbum da BBC - A aurora boreal, um fenômeno natural de luz, foi retratada pelo fotógrafo americano Steven Kazlowski em regiões do Alasca conhecidas como Cleary Point e North Slope Steven Kazlowski/Barcroft Media Mais

4.set.2013 - álbum da BBC - "Ver a aurora boreal de perto cria uma sensação de euforia", disse o fotógrafo. "É algo surpreendente o bastante para que as pessoas passem a noite no frio para ver" Steven Kazlowski/Barcroft Media Mais

4.dez.2013 - Na última sexta-feira (29), os desfiladeiros do Grand Canyon estavam cheios de névoa devido a uma rara inversão de temperatura, que acontece quando o ar quente, em altitudes maiores, forma uma camada que mantém o ar frio e a poluição embaixo, mais próximos ao chão. Uma inversão térmica completa é incomum e acontece apenas a cada 10 anos, aproximadamente Reprodução/Grand Canyon National Park Mais

30.nov.2013 - Na última sexta-feira (29), os desfiladeiros do Grand Canyon estavam cheios de névoa devido a uma rara inversão de temperatura, que acontece quando o ar quente, em altitudes maiores, forma uma camada que mantém o ar frio e a poluição embaixo. Uma inversão completa é incomum e acontece apenas a cada 10 anos, aproximadamente Reprodução/Grand Canyon National Park Mais

30.nov.2013 - Na última sexta-feira (29), os desfiladeiros do Grand Canyon estavam cheios de névoa devido a uma rara inversão de temperatura, que acontece quando o ar quente, em altitudes maiores, forma uma camada que mantém o ar frio e a poluição embaixo. Uma inversão completa é incomum e acontece apenas a cada 10 anos, aproximadamente Reprodução/Grand Canyon National Park Mais

30.nov.2013 - Na última sexta-feira (29), os desfiladeiros do Grand Canyon estavam cheios de névoa devido a uma rara inversão de temperatura, que acontece quando o ar quente, em altitudes maiores, forma uma camada que mantém o ar frio e a poluição embaixo. Uma inversão completa é incomum e acontece apenas a cada 10 anos, aproximadamente Reprodução/Grand Canyon National Park Mais

30.nov.2013 - Na última sexta-feira (29), os desfiladeiros do Grand Canyon estavam cheios de névoa devido a uma rara inversão de temperatura, que acontece quando o ar quente, em altitudes maiores, forma uma camada que mantém o ar frio e a poluição embaixo. Uma inversão completa é incomum e acontece apenas a cada 10 anos, aproximadamente Reprodução/Grand Canyon National Park Mais

30.nov.2013 - Na última sexta-feira (29), os desfiladeiros do Grand Canyon estavam cheios de névoa devido a uma rara inversão de temperatura, que acontece quando o ar quente, em altitudes maiores, forma uma camada que mantém o ar frio e a poluição embaixo. Uma inversão completa é incomum e acontece apenas a cada 10 anos, aproximadamente Erin Whittaker/Reprodução/Facebook Mais

30.nov.2013 - Na última sexta-feira (29), os desfiladeiros do Grand Canyon estavam cheios de névoa devido a uma rara inversão de temperatura, que acontece quando o ar quente, em altitudes maiores, forma uma camada que mantém o ar frio e a poluição embaixo. Uma inversão completa é incomum e acontece apenas a cada 10 anos, aproximadamente Reprodução/Grand Canyon National Park Mais

4.dez.2013 - Na última sexta-feira (29), os desfiladeiros do Grand Canyon estavam cheios de névoa devido a uma rara inversão de temperatura, que acontece quando o ar quente, em altitudes maiores, forma uma camada que mantém o ar frio e a poluição embaixo, mais próximos ao chão. Uma inversão térmica completa é incomum e acontece apenas a cada 10 anos, aproximadamente Reprodução/Grand Canyon National Park Mais

4.dez.2013 - Na última sexta-feira (29), os desfiladeiros do Grand Canyon estavam cheios de névoa devido a uma rara inversão de temperatura, que acontece quando o ar quente, em altitudes maiores, forma uma camada que mantém o ar frio e a poluição embaixo, mais próximos ao chão. Uma inversão térmica completa é incomum e acontece apenas a cada 10 anos, aproximadamente Reprodução/Grand Canyon National Park Mais

4.dez.2013 - Na última sexta-feira (29), os desfiladeiros do Grand Canyon estavam cheios de névoa devido a uma rara inversão de temperatura, que acontece quando o ar quente, em altitudes maiores, forma uma camada que mantém o ar frio e a poluição embaixo, mais próximos ao chão. Uma inversão térmica completa é incomum e acontece apenas a cada 10 anos, aproximadamente Reprodução/Grand Canyon National Park Mais

4.dez.2013 - Na última sexta-feira (29), os desfiladeiros do Grand Canyon estavam cheios de névoa devido a uma rara inversão de temperatura, que acontece quando o ar quente, em altitudes maiores, forma uma camada que mantém o ar frio e a poluição embaixo, mais próximos ao chão. Uma inversão térmica completa é incomum e acontece apenas a cada 10 anos, aproximadamente Reprodução/Grand Canyon National Park Mais

4.dez.2013 - Na última sexta-feira (29), os desfiladeiros do Grand Canyon estavam cheios de névoa devido a uma rara inversão de temperatura, que acontece quando o ar quente, em altitudes maiores, forma uma camada que mantém o ar frio e a poluição embaixo, mais próximos ao chão. Uma inversão térmica completa é incomum e acontece apenas a cada 10 anos, aproximadamente Reprodução/Grand Canyon National Park Mais

4.jan.2014 - Trabalhador descansa enquanto dá os últimos retoques em uma réplica do Coliseu feita de gelo, uma das atrações do festival de esculturas no gelo e na neve de Harbin, na China. Kim Kyung-Hoon/Reuters Mais

7.jan.2014 - Gelo faz esculturas naturais no Edgewater Park, em Cleveland. A temperatura de -11ºC quebrou um recorde de 130 anos Mark Duncan/AP Mais

7.jan.2014 - Boneco de neve 'ri' do frio no jardim de uma casa em Minneapolis. A cidade teve que fechar suas escolas pelo segundo dia, depois de o governador Mark Dayton declarar estado de emergência Eric Miller/Reuters Mais

7.jan.2014 - Garret Kelenske, 49, remove neve da calçada no em Muskegon Heights, no Michigan. Os Estados Unidos sofrem com a pior onda de frio em décadas, que já matou 15 pessoas Ken Stevens/The Muskegon Chronicle/AP Mais

7.jan.2014 - Vapor emana das águas um pouco mais quentes do lago Ontario, do Humber Bay Park, em Toronto, Ontario, no Canadá, nesta terça-feira (7). O Canadá enfrenta nesta quinta-feira uma das piores ondas de frio dos últimos invernos, com temperaturas de até 41 graus abaixo de zero em cidades como Winnipeg, no centro, e 29 graus abaixo de zero em Toronto, a cidade mais populosa do país Dave Thomas/QMI Agency/Zumapress/Xinhua Mais

8.jan.2014 - O cão Aldo salta pela neve enquanto corre para o seu dono, Cyril River, que patina em um lago das ilhas em Minneapolis, nos Estados Unidos, nesta quarta-feira (8). Subiu para 21 o número de mortos por conta da onda de frio polar que atinge boa parte dos Estados Unidos. A maioria das vítimas perdeu a vida em acidentes em estradas com pistas escorregadias por conta da neve, mas algumas pessoas morreram por congelamento Eric Miller/Reuters Mais

8.jan.2014 - O frio recorde parece que finalmente dará uma trégua no Hemisfério Norte. A previsão é de que a onda polar que afetou 240 milhões de pessoas perca força durante a segunda parte da semana. Com a boa notícia desta quarta-feira (8), Cyril River aproveitou para patinar no gelo com seu cão, Aldo, em Minneapolis, EUA, antes que ele derreta Eric Miller/Reuters Mais

8.jan.2014 - Carro fica coberto de gelo em Baltimore, nos Estados Unidos Patrick Semansky/AP Mais

8.jan.2014 - Um motorista de táxi paquistanês dirige seu veiculo durante uma nevasca, a 70 quilômetros de Islamabad, nesta quarta-feira (8). A primeira neve da temporada caiu em Murree e nas áreas adjacentes Farooq Naeem/AFP Mais

8.jan.2014 - Águas das Cataratas do Niágara estão congeladas embaixo da ponte do Arco-Íris, em Ontario, no Canadá, nesta quarta-feira (8). O ar congelante e o vórtex polar que afetaram cerca de 240 milhões de pessoas nos Estados Unidos e no sul do Canadá se dissiparão na segunda metade desta semana, iniciando um longo degelo previsto para janeiro, de acordo com previsões meteorológicas. Subiu para 21 o número de mortos por conta da onda de frio polar que atinge boa parte dos Estados Unidos Aaron Harris/Reuters Mais

8.jan.2014 - O vapor que emana da respiração de Gail Davis congela ao redor do seu rosto enquanto ela se exercita em Minneapolis, nos Estados Unidos, nesta quarta-feira (8). Subiu para 21 o número de mortos por conta da onda de frio polar que atinge boa parte dos Estados Unidos. A maioria das vítimas perdeu a vida em acidentes em estradas com pistas escorregadias por conta da neve, mas algumas pessoas morreram por congelamento Eric Miller/Reuters Mais

8.jan.2014 - Homem afegão caminha por estrada coberta de neve em Herat. Com o inverno se intensificando na Ásia Central, muitos afegãos lutam para dar abrigo adequado às suas famílias Aref Karimi/AFP Mais

8.jan.2014 - Névoa congelada cobre totalmente a paisagem do parque das Cataratas do Niágara, nos EUA. O número de mortos pela pior onda de frio no país em décadas subiu para mais de 20 pessoas nesta quarta-feira (8) James Neiss/The Niagara Gazette/AP Mais

8.jan.2014 - Carro fica coberto de gelo em Baltimore, nos Estados Unidos Patrick Semansky/AP Mais

8.jan.2014 - Crianças enfrentam neve e sobem em carro para serem levadas à escola, em temperaturas abaixo de zero, em Minneapolis, nos Estados Unidos, nesta quarta-feira (8). Subiu para 21 o número de mortos por conta da onda de frio polar que atinge boa parte dos Estados Unidos. A maioria das vítimas perdeu a vida em acidentes em estradas com pistas escorregadias por conta da neve, mas algumas pessoas morreram por congelamento Eric Miller/Reuters Mais

8.jan.2014 - As águas das Cataratas do Niágara aparecem congeladas, do lado norte-americano de um dos mais conhecidos cartões postais dos Estados Unidos e Canadá. O ar congelante e o vórtex polar que afetaram cerca de 240 milhões de pessoas nos Estados Unidos e no sul do Canadá se dissiparão na segunda metade desta semana, iniciando um longo degelo previsto para janeiro, de acordo com previsões meteorológicas. ). Subiu para 21 o número de mortos por conta da onda de frio polar que atinge boa parte dos Estados Unidos Aaron Harris/Reuters Mais

9.jan.2014 - Mesmo com a elevação das temperaturas no Hemisfério Norte, a onda de frio ainda foi forte o suficiente nesta quinta-feira (9) para congelar as Cataratas do Niágara, nos Estados Unidos. O chamado vórtice polar - ciclones que se formam nos polos, na região da média e da alta troposfera - atingiu os EUA e Canadá no final da semana, afetando milhões de pessoas e quebrando recordes de temperatura negativa Rick Warne/Efe Mais

9.jan.2014 - As águas das Cataratas do Niágara, vistas da margem de Ontário, na fronteira do Canadá com os EUA, aparecem congeladas, nesta quinta-feira. O local é um dos mais conhecidos cartões postais da região. O ar congelante e o vórtex polar que afetaram cerca de 240 milhões de pessoas nos Estados Unidos e no sul do Canadá vão se dissipar na segunda metade desta semana, iniciando um longo degelo previsto para janeiro, de acordo com previsões meteorológicas Reuters Mais

9.jan.2014 - As águas das Cataratas do Niágara, vistas da margem de Ontário, na fronteira do Canadá com os EUA, aparecem congeladas, nesta quinta-feira. O local é um dos mais conhecidos cartões postais da região. O ar congelante e o vórtex polar que afetaram cerca de 240 milhões de pessoas nos Estados Unidos e no sul do Canadá vão se dissipar na segunda metade desta semana, iniciando um longo degelo previsto para janeiro, de acordo com previsões meteorológicas Reuters Mais

9.jan.2014 - Blocos de gelo flutuam no rio Hudson tendo a orla de Nova Jersey como plano de fundo, durante o pôr do sol, nesta quinta-feira (9), na cidade de Nova York Afton Almaraz/Getty Images/AFP Mais

9.jan.2014 - Crianças afegãs usam recipientes de água como trenós para deslizar por uma colina de neve com vista para Cabul, nesta quinta-feira (9) Shah Marai/AFP Mais

9.jan.2014 - O potencial doador de rim Louis Benejam (à dir.) dá seus contatos a Jim Gorbunow, em Cottage Grove, Minneapolis, nos Estados Unidos, nesta quinta-feira (9). Gobunow fez uma escultura de neve em formato de rim para chamar atenção sobre a necessidade de um doador. Pelo menos uma pessoa se ofereceu para ser testado para, caso haja compatibilidade, fazer a doação Jean Pieri/The St. Paul Pioneer Press/AP Mais

10.jan.2014 - Gelo cobre a superfície das cataratas do Niagara, no Estado norte-americano de Nova York, após a passagem do "vórtice polar" que gerou uma onda de frio através do centro-norte dos EUA Rick Warne/Efe Mais

10.jan.2014 - Mulher mexe no celular às mergens do rio Delaware, Nova Jersey, nordeste dos EUA, nesta quinta-feira (9). Blocos de gelo emperram o rio, e o aumento da quantidade de gelo gera preocupação em relação a inundações na região Carlo Allegri/Reuters Mais

A revista "National Geographic" selecionou algumas das melhores fotos que recebeu sobre o tema "Luz Dourada", expressão que se refere à luz na hora depois que o sol nasce e antes de ele se pôr. Esta foto feita por Jaromir Chalabala de uma madrugada fria em Praga. A silhueta dos cisnes no river Vltava aparece envolta em neblina misteriosa Jaromir Chalabala/National Geographic Your Shot Mais

A revista "National Geographic" selecionou algumas das melhores fotos que recebeu sobre o tema "Luz Dourada", expressão que se refere à luz na hora depois que o sol nasce e antes de ele se pôr. Esta imagem foi feita por Michael Bennett na ponte Golden Gate, em San Francisco Michael Bennett/National Geographic Your Shot Mais

"Depois de três dias de tempestades de neve no monte Baker, no Estado de Washington, eu atravessei a grossa camada de neve até chegar a esta paisagem incólume do monte Shuksan durante o nascer do sol", diz Joel Brady-Power Joel Brady-Power/National Geographic Your Shot Mais

Esta foto de uma acácia e gnus pastando sob o pôr do sol na reserva de Masai Mara no Quênia foi feita por Florentina Tilvic Florentina Tilvic/National Geographic Your Shot Mais

De acordo com Mathieu Dupuis, esta foto captura a hora "mágica" nas ruas de Montparnasse, em Paris, na França Mathieu Dupuis/National Geographic Your Shot Mais

"A pitoresca vila Oia fica na beira de uma falésia na ponta norte da ilha de Santorini, na Grécia, famosa por sua arquitetura e pôr do sol", diz o fotógrafo Raymond Choo Raymond Choo/National Geographic Your Shot Mais

A foto de Sergiy Kadulin mostra o vulcão Klyuchevskoy entrando em erupção no começo da manhã Sergiy Kadulin/National Geographic Your Shot Mais

"Este é um lugar bastante comum usado por fotógrafos para retratar o nascer do sol", diz Nan Li Toh, na Suíça. "Eu esperei até que o sol desaparecesse atrás do pico de Matterhorn e as cores começaram a ficar mais quentes, o suficiente para eu fazer esse retrato do lago Riffelsee e arredores." Nan Li Toh/National Geographic Your Shot Mais

"O pôr do sol dá origem a uma luz mágica que dura menos de cinco minutos", diz Mark Donougher, que fez esta foto no Vale dos Monumentos, no Estado americano do Utah Mark Donougher/National Geographic Your Shot Mais

Lazar Ovidiu tirou esta foto em Rodna, na Romênia Lazar Ovidiu/National Geographic Your Shot Mais

Parque Nacional dos Lagos de Plitvice (Croácia): No coração dos Balcãs, um parque de 20 mil hectares abriga algumas das mais bonitas cachoeiras do mundo. As águas que nascem nas montanhas do parque formam 16 lagos que variam entre tons de verde e azul, sendo conectados por pequenas e incríveis cascatas Thinkstock Mais

Parque Nacional dos Lagos de Plitvice (Croácia): No coração dos Balcãs, um parque de 20 mil hectares abriga algumas das mais bonitas cachoeiras do mundo. As águas que nascem nas montanhas do parque formam 16 lagos que variam entre tons de verde e azul, sendo conectados por pequenas e incríveis cascatas Thinkstock Mais

Cataratas do Niágara (divisa entre EUA e Canadá): A famosa catarata na fronteira dos EUA com o Canadá não se destaca pela altura, com pouco mais de 50 metros, mas por sua incrível vazão, chegando a 567.810 litros por segundo. Sua fama também se deve à ousadia de 15 pessoas, tendo Annie Taylor em 1901 como precursora, que desceram as cataratas em barris ou estruturas semelhantes. Annie sobreviveu, sorte diferente de outros que morreram afogados ou sofreram ferimentos graves. Quem consegue sair ileso ainda corre o risco de ser preso ou levar altas multas Thinkstock Mais

Ramona Falls (EUA): Milhares de anos foram necessários para a água esculpir uma fonte natural no lado oeste da maior montanha do Oregon, a Mount Hood. Quando os raios solares penetram por entre a densa floresta que circunda Ramona Falls, as pedras basálticas proporcionam um belo visual fosforescente à água que ricocheteia pelos 37 metros de pequenas cascatas. Subir à cachoeira, a 1.090 metros acima do nível do mar, é um popular destino para a prática de hiking nos Estados Unidos Thinkstock Mais

Ramona Falls (EUA): Milhares de anos foram necessários para a água esculpir uma fonte natural no lado oeste da maior montanha do Oregon, a Mount Hood. Quando os raios solares penetram por entre a densa floresta que circunda Ramona Falls, as pedras basálticas proporcionam um belo visual fosforescente à água que ricocheteia pelos 37 metros de pequenas cascatas. Subir à cachoeira, a 1.090 metros acima do nível do mar, é um popular destino para a prática de hiking nos Estados Unidos Thinkstock Mais

Cataratas do Iguaçu (divisa entre Brasil e Argentina): Brasil e Argentina dividem a proeza de abrigar uma das maravilhas naturais do mundo. Dezoito quilômetros antes de se juntar ao rio Paraná, o rio Iguaçu se depara com quedas de até 80 metros de altura, formando uma cratera de 2.780 metros de largura. O número de quedas varia de acordo com a vazão do rio, sendo superior a 100 na média. São 19 os principais saltos, sendo cinco no lado brasileiro Thinkstock Mais

Cataratas do Iguaçu (divisa entre Brasil e Argentina): Brasil e Argentina dividem a proeza de abrigar uma das maravilhas naturais do mundo. Dezoito quilômetros antes de se juntar ao rio Paraná, o rio Iguaçu se depara com quedas de até 80 metros de altura, formando uma cratera de 2.780 metros de largura. O número de quedas varia de acordo com a vazão do rio, sendo superior a 100 na média. São 19 os principais saltos, sendo cinco no lado brasileiro Thinkstock Mais

Parque Nacional das Cataratas do Erawan (Tailândia): Um dos principais pontos turísticos naturais da Tailândia, o Parque Nacional das Cataratas do Erawan encanta os turistas por sua grande quantidade de cachoeiras, que descem em sequência por cerca de 1.500 metros. Lagos de água azul turquesa e uma densa floresta completam o visual paradisíaco do local Thinkstock Mais

Parque Nacional das Cataratas do Erawan (Tailândia): Um dos principais pontos turísticos naturais da Tailândia, o Parque Nacional das Cataratas do Erawan encanta os turistas por sua grande quantidade de cachoeiras, que descem em sequência por cerca de 1.500 metros. Lagos de água azul turquesa e uma densa floresta completam o visual paradisíaco do local Thinkstock Mais

Cataratas de Yosemite (EUA): Com uma queda de 739 metros de altura, Yosemite é a maior da América do Norte e a sétima do mundo. Sua grandiosidade já impressiona, mas em sua base outro espetáculo natural acontece. Em noites de céu limpo, com a lua brilhando forte no céu e a cachoeira contribuindo com uma grande vazão, um arco-íris lunar se forma. Talvez por isso o povo nativo que por ali vivia, os Ahwahneechee, acreditava que o local era habitado pelo espírito de várias bruxas Thinkstock Mais

Cataratas de Yosemite (EUA): Com uma queda de 739 metros de altura, Yosemite é a maior da América do Norte e a sétima do mundo. Sua grandiosidade já impressiona, mas em sua base outro espetáculo natural acontece. Em noites de céu limpo, com a lua brilhando forte no céu e a cachoeira contribuindo com uma grande vazão, um arco-íris lunar se forma. Talvez por isso o povo nativo que por ali vivia, os Ahwahneechee, acreditava que o local era habitado pelo espírito de várias bruxas Thinkstock Mais

Cataratas do Niágara (divisa entre EUA e Canadá): A famosa catarata na fronteira dos EUA com o Canadá não se destaca pela altura, com pouco mais de 50 metros, mas por sua incrível vazão, chegando a 567.810 litros por segundo. Sua fama também se deve à ousadia de 15 pessoas, tendo Annie Taylor em 1901 como precursora, que desceram as cataratas em barris ou estruturas semelhantes. Annie sobreviveu, sorte diferente de outros que morreram afogados ou sofreram ferimentos graves. Quem consegue sair ileso ainda corre o risco de ser preso ou levar altas multas Thinkstock Mais

Grand Falls (EUA): Durante a primavera, época de cheia do Rio Little Colorado, no Arizona, uma torrente furiosa de água carrega os sedimentos do Painted Desert, culminando em uma queda de 56 metros de água completamente marrom. Por esse motivo, o local é conhecido por ?Cataratas de Chocolate? Thinkstock Mais

Grand Falls (EUA): Durante a primavera, época de cheia do Rio Little Colorado, no Arizona, uma torrente furiosa de água carrega os sedimentos do Painted Desert, culminando em uma queda de 56 metros de água completamente marrom. Por esse motivo, o local é conhecido por ?Cataratas de Chocolate? Thinkstock Mais

Victoria Falls (divisa da Zâmbia com o Zimbábue): O mundo conhece o local como Cataratas Vitória, nome dado pelo missionário e explorador escocês David Livingstone em 1855, em homenagem à rainha Vitória, mas o nome local, Mosi-ao-Tuya, ou ?fumo que troveja? representa melhor esse gigantesca queda d?água na fronteira entre a Zâmbia e o Zimbábue. O nome vem da névoa e barulho produzido pela cachoeira, com uma única queda que se estende por 1,5 km, no rio Zambeze. Em seu ponto mais alto a queda chega a 128 metros Thinkstock Mais

Victoria Falls (divisa da Zâmbia com o Zimbábue): O mundo conhece o local como Cataratas Vitória, nome dado pelo missionário e explorador escocês David Livingstone em 1855, em homenagem à rainha Vitória, mas o nome local, Mosi-ao-Tuya, ou ?fumo que troveja? representa melhor esse gigantesca queda d?água na fronteira entre a Zâmbia e o Zimbábue. O nome vem da névoa e barulho produzido pela cachoeira, com uma única queda que se estende por 1,5 km, no rio Zambeze. Em seu ponto mais alto a queda chega a 128 metros Thinkstock Mais

Alto Paraíso de Goiás (Brasil): A pequena cidade do estado de Goiás, na Chapada dos Veadeiros, foi abençoada com lindas montanhas, minas de cristal, cânions e, claro, belíssimas cachoeiras. São quase dez ao todo, cada uma com sua peculiaridade. A de Almécegas (na foto) é uma das mais bonitas, assim como as Cataratas dos Couros Bob Paulino/UOL Mais

Alto Paraíso de Goiás (Brasil): A pequena cidade do estado de Goiás, na Chapada dos Veadeiros, foi abençoada com lindas montanhas, minas de cristal, cânions e, claro, belíssimas cachoeiras. São quase dez ao todo, cada uma com sua peculiaridade. A de Almécegas (na foto) é uma das mais bonitas, assim como as Cataratas dos Couros Bob Paulino/UOL Mais

Ban Gioc (divisa da China com o Vietnã): Na fronteira entre a China e o Vietnã, o rio Quy Xuan encontra uma queda de aproximadamente 30 metros, divididos em três por rochas e árvores. O belo cenário se complementa com florestas nos arredores, e os tradicionais campos de arroz asiáticos Thinkstock Mais

Ban Gioc (divisa da China com o Vietnã): Na fronteira entre a China e o Vietnã, o rio Quy Xuan encontra uma queda de aproximadamente 30 metros, divididos em três por rochas e árvores. O belo cenário se complementa com florestas nos arredores, e os tradicionais campos de arroz asiáticos Thinkstock Mais

Angel Falls (Venezuela): No sudeste da Venezuela, o rio Churún corre tranquilo no alto da montanha Auyantepui até se deparar com uma queda de 979 metros de altura, sendo 807 de queda sem interrupção. É a maior queda d'água do mundo, e foi nomeada em alusão ao aviador americano Jimmie Angel, que primeiro sobrevoou o local. Os indígenas que já conheciam o lugar, entretanto, a batizaram de Kerepakupai-meru, em idioma pemon, que quer dizer "Queda de água até o lugar mais profundo" Thinkstock Mais

Angel Falls (Venezuela): No sudeste da Venezuela, o rio Churún corre tranquilo no alto da montanha Auyantepui até se deparar com uma queda de 979 metros de altura, sendo 807 de queda sem interrupção. É a maior queda d'água do mundo, e foi nomeada em alusão ao aviador americano Jimmie Angel, que primeiro sobrevoou o local. Os indígenas que já conheciam o lugar, entretanto, a batizaram de Kerepakupai-meru, em idioma pemon, que quer dizer "Queda de água até o lugar mais profundo" Thinkstock Mais

24.fev.2014 - A Devil's Pool é a piscina natural mais perigosa do mundo. Situada à beira de um penhasco, abriga uma queda d'água de 105 metros de altura e é a sensação de turistas destemidos que vão conhecer as Cataratas Victória, que estão entre as maiores cachoeiras do mundo, situadas entre a fronteira de Zâmbia e Zimbábue, na África. Consideradas Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco, as cataratas têm 1,5 km de extensão e alcançam mais de 100 metros de altura, o que não impede que turistas brinquem e se arrisquem a tirar fotos perto da borda que dá para o abismo da queda d'água Divulgação/Victoria Falls Mais

24.fev.2014 - A Devil's Pool é a piscina natural mais perigosa do mundo. Situada à beira de um penhasco, possui 105 metros de altura e é a sensação de turistas destemidos que vão conhecer as Cataratas Victória, que estão entre as maiores cachoeiras do mundo, situadas entre a fronteira de Zâmbia e Zimbábue, na África. Consideradas Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco, as cataratas têm 1,5 km de extensão e alcançam mais de 100 metros de altura, o que não impede que turistas brinquem e se arrisquem a tirar fotos perto da borda que dá para o abismo da queda d'água Divulgação/Victoria Falls Mais

24.fev.2014 - A Devil's Pool é a piscina natural mais perigosa do mundo. Situada à beira de um penhasco, possui 105 metros de altura e é a sensação de turistas destemidos que vão conhecer as Cataratas Victória, que estão entre as maiores cachoeiras do mundo, situadas entre a fronteira de Zâmbia e Zimbábue, na África. Consideradas Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco, as cataratas têm 1,5 km de extensão e alcançam mais de 100 metros de altura, o que não impede que turistas brinquem e se arrisquem a tirar fotos perto da borda que dá para o abismo da queda d'água Divulgação/Victoria Falls Mais

24.fev.2014 - A Devil's Pool é a piscina natural mais perigosa do mundo. Situada à beira de um penhasco, possui 105 metros de altura e é a sensação de turistas destemidos que vão conhecer as Cataratas Victória, que estão entre as maiores cachoeiras do mundo, situadas entre a fronteira de Zâmbia e Zimbábue, na África. Consideradas Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco, as cataratas têm 1,5 km de extensão e alcançam mais de 100 metros de altura, o que não impede que turistas brinquem e se arrisquem a tirar fotos perto da borda que dá para o abismo da queda d'água Divulgação/Victoria Falls Mais

24.fev.2014 - A Devil's Pool é a piscina natural mais perigosa do mundo. Situada à beira de um penhasco, possui 105 metros de altura e é a sensação de turistas destemidos que vão conhecer as Cataratas Victória, que estão entre as maiores cachoeiras do mundo, situadas entre a fronteira de Zâmbia e Zimbábue, na África. Consideradas Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco, as cataratas têm 1,5 km de extensão e alcançam mais de 100 metros de altura, o que não impede que turistas brinquem e se arrisquem a tirar fotos perto da borda que dá para o abismo da queda d'água Divulgação/Victoria Falls Mais

25.fev.2014 - Já imaginou como seria o nascer e o pôr do sol na Antártida? O cientista Eoin Macdonald-Nethercott da estação de pesquisa Concordia registrou 24 horas do horizonte do continente gelado em uma fotografia panorâmica. No verão, o sol nunca se põe, já no inverno o sol não é visto por meses. Mas a temperatura nunca é superior a 0°C, com temperaturas de -60°C no inverno. Para ver foto completa clique no link Mais. ESA/IPEV/PNRA-E. Macdonald-Nethercott Mais

28.fev.2014 - Partes da Grã-Bretanha puderam testemunhar raras aparições de aurora boreal - o espetáculo natural de luzes coloridas - nos céus do país. O fenômeno é causado por partículas com carga elétrica que vêm do Sol e entram na atmosfera da Terra. "Elas precisam de dois ou três dias para chegar aqui e, quando chegam, fazem com que os átomos de gás no céu brilhem. É simples assim", disse Mark Thompson, apresentador do programa da BBC "Stargazing Live". A foto mostra as luzes em Corbrige, Northumberland (norte da Inglaterra). John Logan Mais

As luzes também fizeram um espetáculo em Foxley, Norfolk, um vilarejo no leste da Inglaterra Chris Bell Mais

Thompson afirmou que as partículas geralmente são puxadas para o Polo Norte, mas, se houver uma boa quantidade dessas partículas, 'elas vão viajar mais longe, em direção ao Equador, e fazer com que as luzes apareçam mais ao sul'. Geralmente, em ocasiões como esta, as luzes podem ser vistas até em Gloucestershire (acima), no sudoeste da Inglaterra Ian Smith Mais

A aurora boreal - um fenômeno natural de luzes no céu - tem ocorrido em partes da Grã-Bretanha. O fenômeno, causado por partículas com carga elétrica que vêm do Sol e entram na atmosfera da Terra, criou cenas como esta no memorial de guerra de Stonehaven, em Aberdeenshire, na Escócia Brian Doyle Mais

Mark Thompson, apresentador do programa da BBC 'Stargazing Live', que analisa o céu da Grã-Bretanha, afirmou que não esperava uma aurora boreal tão espetacular como a deste ano. Acima, as luzes em Wick, também na Escócia Andrew Traill Mais

28.fev.2014 - Segundo o astrônomo, uma ejeção de massa coronal ocorreu no Sol há três ou quatro dias e todo o material viajou em direção da Terra. Thompson disse ainda que a aurora boreal 'depende do quanto o Sol está ativo'. Esta foto foi feita em Boulmer, Northumberland Ian Glendinning Mais

'É uma questão de sorte', disse Thompson. 'A última vez que vi (uma aurora boreal) tão espetacular foi, provavelmente, há 20 anos', acrescentou. As luzes foram vistas em muitos lugares na Grã-Bretanha, incluindo na região de Cumbria, norte da Inglaterra Jonathan Cooper Mais

28.fev.2014 - Segundo o astrônomo, uma ejeção de massa coronal ocorreu no Sol há três ou quatro dias e todo o material viajou em direção da Terra. Thompson disse ainda que a aurora boreal 'depende do quanto o Sol está ativo'. Esta foto foi feita em Boulmer, Northumberland Ian Glendinning Mais

'É uma questão de sorte', disse Thompson. 'A última vez que vi (uma aurora boreal) tão espetacular foi, provavelmente, há 20 anos', acrescentou. As luzes foram vistas em muitos lugares na Grã-Bretanha, incluindo na região de Cumbria, norte da Inglaterra Jonathan Cooper Mais

E, nesta época do ano, muitos britânicos aproveitam para fazer fotos da aurora boreal. Esta, acima, mostra a ilha de St Mary, Tyne e Wear, no nordeste da Inglaterra Cheney Leung Mais

Acima, a aurora boreal vista em Bow Fiddle Roch, Portknochie, Moray, na Escócia Alexander Dutoy Mais

5.mar.2014 - As cataratas do Niágara, entre o Canadá e os Estados Unidos, estão parcialmente congeladas e, com o show de luzes coloridas à noite, ficam ainda mais impressionantes Mark Blinch/Reuters Mais

5.mar.2014 - As cataratas Americanas e as cataratas Canadenses (à direita) ganham iluminação colorida à noite. O espetáculo de luzes é realizado todos os dias após o pôr do sol e costuma atrair muitos visitantes Mark Blinch/Reuters Mais

5.mar.2014 - Vermelho, azul, roxo, laranja, verde e âmbar são as cores das luzes que iluminam todas as noites as cataratas do Niágara, entre o Canadá e os Estados Unidos Mark Blinch/Reuters Mais

5.mar.2014 - Parcialmente congeladas, as cataratas Canadenses (ou cataratas Horseshoe), ganham iluminação colorida. Essa é uma das três cataratas que formam as cataratas do Niágara, na divisa entre o Canadá e os Estados Unidos Mark Blinch/Reuters Mais

5.mar.2014 - As cataratas do Niágara não resistiram às baixas temperaturas e estão parcialmente congeladas. A atração é composta por três quedas d'água: as Canadenses (ou Horseshoe), as Americanas e as cataratas Bridal Veil Mark Blinch/Reuters Mais

5.mar.2014 - Foguete da Nasa é lançado em meio a aurora sobre Venetie, no Alasca, em foto tirada no dia 3 e divulgada nesta quarta-feira. A missão irá estudar as ondas típicas da aurora no céu do Estado norte-americano, à noite Christopher Perry/Nasa/Reuters Mais

25.mar.2014 - A chegada da primavera ao hemisfério Norte é responsável por um dos mais belos registros da estação: as cerejeiras florescem e enchem a paisagem de beleza. Na imagem, flores de cerejeira são vistas em jardim em frente à torre Eiffel, em Paris, na França Ian Langsdon/Efe Mais

25.mar.2014 - Pássaro descansa em galho de cerejeira em parque de Tóquio, no Japão Yoshikazu Tsuno/AFP Mais

25.mar.2014 - Geada cobre flor de cerejeira em jardim de Pokrent, na Alemanha Jens Buettner/AFP Mais

23.fev.2014 - Visitantes observam cerejeiras em flor no parque Yuantongshan, em Kunming, na China. A cidade de Kunming é conhecida como "cidade da primavera" por conta de seu clima ameno na maior parte do ano Lin Yiguang/Xinhua Mais

17.mar.2014 - Cerejeiras em flor no parque Gucun, na cidade de Xangai, na China. A cidade terá um festival de flores em 30 de março Chen Fei/Xinhua Mais

23.mar.2014 - Cerejeiras com flores brancas enfeitam rua próxima ao templo de Jiming, em Nanjing, na China Li Xiang/Xinhua Mais

2.fev.2014 - Visitantes de parque em Nanning, na China, observam cerejeiras em flor Lu Boan/Xinhua Mais

23.mar.2014 - Cerejeiras com flores brancas enfeitam a Universidade de Nanjing, na província chinesa de Jiangsu Dong Jinlin/Xinhua Mais

2.fev.2014 - Mulher fotografa flores de cerejeira em parque em Nanning, na China Lu Boan/Xinhua Mais

5.mar.2014 - Turistas tiram fotos de cerejeiras que estão florescendo em Shizuoka, no Japão Ma Ping/Xinhua Mais

5.mar.2014 - Cerejeiras em flor são admiradas por pedestres em Shizuoka, no Japão Ma Ping/Xinhua Mais

28.Mar.2014 - Expedição de astrônomos está viajando para locais onde estão telescópios da Agência Europeia do Sul para fotografar o espaço visto da Terra. Aqui, a pequena e a grande Nuvem de Magalhães, bem acima do monte Paranal, onde está o Very Large Telescope, no Chile. As Nuvens de Magalhães são duas galáxias anãs irregulares, satélites da nossa galáxia. Ambas são visíveis a olho nu, apenas no Hemisfério Sul. Na foto, a grande Nuvem aparece no centro, e a pequena, à esquerda ESO/B. Tafreshi Mais

28.mar.2014 - Expedição de astrônomos está viajando para locais onde estão telescópios da Agência Europeia do Sul para fotografar o espaço visto da Terra. Aqui, o céu sobre a residência é repleto de estrelas distantes e iluminado pela Via Láctea Y. Beletsky/ESO Mais

28MAR.2014- Expedição de astrônomos está viajando para locais onde estão telescópios da Agência Europeia do Sul para fotografar o espaço visto da Terra. Aqui, Babak Tafreshi prepara a câmera para capturar o brilhante céu noturno do Atacama. O brilho vermelho e verde no céu é devido à aeroluminescência, que consiste na emissão da radiação eletromagnética, na atmosfera superior ESO / Y. Beletsky Mais

31.mar.2014 - Estão abertas até 30 de junho as inscrições para a 26ª edição do concurso fotográfico National Geographic Traveler. Muitos concorrentes já enviaram fotos, e a BBC reuniu algumas delas. São paisagens naturais e humanas retratadas por fotógrafos de diferentes países. Nesta imagem, o autor Sebastian Warneke diz: "Um dos meus sonhos era fotografar o céu à noite durante minha viagem de férias à Nova Zelândia. No final da viagem, tive a sorte de ver um céu claro logo após o pôr do sol. Decidi dirigir à famosa pequena igreja de Tekapo e fazer algumas fotos antes que a Lua aparecesse". Sebastian Warneke / National Geographic Traveler Photo Contest Mais

Castro concorre também com esta foto, tirada em uma remota caverna de gelo no sudoeste da Islândia Foto: Marcelo Castro / National Geographic Traveler Photo Contest Mais

31.mar.2014 - O concurso fotográfico National Geographic Traveler está realizando sua 26ª edição anual, e muitos concorrentes já enviaram suas fotos. Acima, uma delas: um chalé nas ilhas Lofoten, na Noruega, fotografado por Sausse David Sausse David / National Geographic Traveler Photo Contest Mais

31.mar.2014 - Um jovem monge lê com a ajuda de raios de luz que chegam a este templo de Mianmar, em foto de Marcelo Castro arcelo Castro / National Geographic Traveler Photo Contest Mais

31.mar.2014 - Nicholas Roemmelt registrou um montanhista refletido na água, após uma tempestade Nicholas Roemmelt / National Geographic Traveler Photo Contest Mais

31.mar.2014 - Aqui, Roemmelt fotografou a Aurora Boreal na floresta do Parque Nacional Pyhae Luosto, na Finlândia Nicholas Roemmelt / National Geographic Traveler Photo Contest Mais

31.mar.2014 - Sam Morris registrou este iceberg no Atlântico Norte. "A maré cria uma magnífica galeria de enormes esculturas de gelo nas praias vulcânicas negras da Islândia", disse o fotógrafo Sam Morris / National Geographic Traveler Photo Contest Mais

31.mar.2014 - Graham McGeorge achou que estava diante de um ninho vazio até que apareceu esta coruja, fotografada na Flórida (EUA). "Dois belos e brancos 'chifrinhos' apareceram sobre os galhos, e daí vi os dois belos olhos da coruja." Graham McGeorge / National Geographic Traveler Photo Contest Mais

31.mar.2014 - Esta foto das flores surgindo na primavera japonesa foi feita por Hideyuki Katagiri. As inscrições ao concurso National Geographic Traveler estarão abertas até 30 de junho. Hideyuki Katagiri / National Geographic Traveler Photo Contest Mais

31.mar.2014 - Flores de cereja enfeitam as ruas no centro de Vancouver, no Canadá The Canadian Press/ Darryl Dyck/ AP Mais

4.abr.2014 - As ilhas Marietas são um pedacinho de paraíso escondido no Oceano Pacífico, localizado na região de Puerto Vallarta, no México. A "Playa de Amor", também conhecida como "Playa Escondida", é um dos grandes destaques naturais do local: a praia de águas azul turquesa fica escondida dentro de uma caverna gigante com um buraco no teto. De formação vulcânica, a praia só é acessível pelo mar através de uma pequena passagem entre as rochas Divulgação/ Vallarta Adventures Mais

4.abr.2014 - As ilhas Marietas são um pedacinho de paraíso escondido no Oceano Pacífico, localizado na região de Puerto Vallarta, no México. A "Playa de Amor", também conhecida como "Playa Escondida", é um dos grandes destaques naturais do local: a praia de águas azul turquesa fica escondida dentro de uma caverna gigante com um buraco no teto. De formação vulcânica, a praia só é acessível pelo mar através de uma pequena passagem entre as rochas Divulgação/ Vallarta Adventures Mais

19.abr.2014 - O fotógrafo Vincent Brady, 25, brincou com o tempo de captura da luz de sua câmera para fazer uma série de fotos de vaga-lumes. As fotos foram feitas em dois locais, o lago de Ozarks, no estado americano do Missouri, e no Grand Ledge, em Michigan. As diferentes tonalidades, amarela, verde e vermelha, são resultados da reação química conhecida como bioluminescência, para atrair outros vaga-lumes Vincent Brady/Caters News Mais

19.abr.2014 - O fotógrafo Vincent Brady, 25, brincou com o tempo de captura da luz de sua câmera para fazer uma série de fotos de vaga-lumes. As fotos foram feitas em dois locais, o lago de Ozarks, no estado americano do Missouri, e no Grand Ledge, em Michigan. Os vaga-lumes machos usam a luz para impressionar as fêmeas. Eles piscam e, se elas gostarem, piscam de vota. Caso contrário, ficam quietinhas no escuro Vincent Brady/Caters News Mais

19.abr.2014 - O fotógrafo Vincent Brady, 25, brincou com o tempo de captura da luz de sua câmera para fazer uma série de fotos de vaga-lumes. As fotos foram feitas em dois locais, o lago de Ozarks, no estado americano do Missouri, e no Grand Ledge, em Michigan. A área tem uma grade diversidade de fauna. Só de besouros são mais de 2 mil espécies Vincent Brady/Caters News Mais

19.abr.2014 - O fotógrafo Vincent Brady, 25, brincou com o tempo de captura da luz de sua câmera para fazer uma série de fotos de vaga-lumes. As fotos foram feitas em dois locais, o lago de Ozarks, no estado americano do Missouri, e no Grand Ledge, em Michigan. As diferentes tonalidades, amarela, verde e vermelha, são resultados da reação química conhecida como bioluminescência, para atrair outros vaga-lumes Vincent Brady/Caters News Mais

19.abr.2014 - O fotógrafo Vincent Brady, 25, brincou com o tempo de captura da luz de sua câmera para fazer uma série de fotos de vaga-lumes. As fotos foram feitas em dois locais, o lago de Ozarks, no estado americano do Missouri, e no Grand Ledge, em Michigan. As imagens foram todas feitas à noite. O ambiente úmido da região é propício para os vaga-lumes Vincent Brady/Caters News Mais

19.abr.2014 - O fotógrafo Vincent Brady, 25, brincou com o tempo de captura da luz de sua câmera para fazer uma série de fotos de vaga-lumes. As fotos foram feitas em dois locais, o lago de Ozarks, no estado americano do Missouri, e no Grand Ledge, em Michigan. O resultado é uma série cheia de graça e luz Vincent Brady/Caters News Mais

25.abr.2014 - O caçador de tempestades Mike Olbinski, 39, tem fotografado fenômenos climáticos extremos no sul dos Estados Unidos. Olbinski passa grande parte de seu tempo livre fazendo os registros. As fotos incluem tempestades de raios e grandes supercélulas, supertempestades caracterizadas por uma persistente corrente de ar ascendente giratória. A maioria dos fenômenos foi capturada nos Estados de Arizona, Kansas e Texas Mike Olbinski/Barcroft Media Mais

25.abr.2014 - O caçador de tempestades Mike Olbinski, 39, tem fotografado fenômenos climáticos extremos no sul dos Estados Unidos. Olbinski passa grande parte de seu tempo livre fazendo os registros. As fotos incluem tempestades de raios e grandes supercélulas, supertempestades caracterizadas por uma persistente corrente de ar ascendente giratória. A maioria dos fenômenos foi capturada nos Estados de Arizona, Kansas e Texas Mike Olbinski/Barcroft Media Mais

25.abr.2014 - O caçador de tempestades Mike Olbinski, 39, tem fotografado fenômenos climáticos extremos no sul dos Estados Unidos. Olbinski passa grande parte de seu tempo livre fazendo os registros. As fotos incluem tempestades de raios e grandes supercélulas, supertempestades caracterizadas por uma persistente corrente de ar ascendente giratória. A maioria dos fenômenos foi capturada nos Estados de Arizona, Kansas e Texas Mike Olbinski/Barcroft Media Mais

25.abr.2014 - O caçador de tempestades Mike Olbinski, 39, tem fotografado fenômenos climáticos extremos no sul dos Estados Unidos. Olbinski passa grande parte de seu tempo livre fazendo os registros. As fotos incluem tempestades de raios e grandes supercélulas, supertempestades caracterizadas por uma persistente corrente de ar ascendente giratória. A maioria dos fenômenos foi capturada nos Estados de Arizona, Kansas e Texas Mike Olbinski/Barcroft Media Mais

25.abr.2014 - O caçador de tempestades Mike Olbinski, 39, tem fotografado fenômenos climáticos extremos no sul dos Estados Unidos. Olbinski passa grande parte de seu tempo livre fazendo os registros. As fotos incluem tempestades de raios e grandes supercélulas, supertempestades caracterizadas por uma persistente corrente de ar ascendente giratória. A maioria dos fenômenos foi capturada nos Estados de Arizona, Kansas e Texas Mike Olbinski/Barcroft Media Mais

25.abr.2014 - O caçador de tempestades Mike Olbinski, 39, tem fotografado fenômenos climáticos extremos no sul dos Estados Unidos. Olbinski passa grande parte de seu tempo livre fazendo os registros. As fotos incluem tempestades de raios e grandes supercélulas, supertempestades caracterizadas por uma persistente corrente de ar ascendente giratória. A maioria dos fenômenos foi capturada nos Estados de Arizona, Kansas e Texas Mike Olbinski/Barcroft Media Mais

25.abr.2014 - O caçador de tempestades Mike Olbinski, 39, tem fotografado fenômenos climáticos extremos no sul dos Estados Unidos. Olbinski passa grande parte de seu tempo livre fazendo os registros. As fotos incluem tempestades de raios e grandes supercélulas, supertempestades caracterizadas por uma persistente corrente de ar ascendente giratória. A maioria dos fenômenos foi capturada nos Estados de Arizona, Kansas e Texas Mike Olbinski/Barcroft Media Mais

25.abr.2014 - O caçador de tempestades Mike Olbinski, 39, tem fotografado fenômenos climáticos extremos no sul dos Estados Unidos. Olbinski passa grande parte de seu tempo livre fazendo os registros. As fotos incluem tempestades de raios e grandes supercélulas, supertempestades caracterizadas por uma persistente corrente de ar ascendente giratória. A maioria dos fenômenos foi capturada nos Estados de Arizona, Kansas e Texas Mike Olbinski/Barcroft Media Mais

25.abr.2014 - O caçador de tempestades Mike Olbinski, 39, tem fotografado fenômenos climáticos extremos no sul dos Estados Unidos. Olbinski passa grande parte de seu tempo livre fazendo os registros. As fotos incluem tempestades de raios e grandes supercélulas, supertempestades caracterizadas por uma persistente corrente de ar ascendente giratória. A maioria dos fenômenos foi capturada nos Estados de Arizona, Kansas e Texas Mike Olbinski/Barcroft Media Mais

8.jun.2014 - Localizada na Nova Zelândia, na cidade de Waitomo, a caverna chamada Glowworm Caves possui milhares de pequenas moscas com bioluminescência, o que produz uma luz esverdeada. Quando se aglomeram, os pontos de luz dão a impressão de que o teto da caverna parece um céu estrelado Divulgação/ Waitomo Mais

8.jun.2014 - As moscas produzem tal luminosidade através de uma reação química entre o muco e o veneno, que ficam pendurados pelo teto da caverna como teias e produzem o efeito de milhares de estrelas espalhadas por um céu negro Divulgação/ Waitomo Mais

8.jun.2014 - A caverna é dividida em dois níveis. Um deles é conhecido como "Catedral", que fica localizado 18 metros abaixo da entrada da Glowworm Caves. Com uma acústica perfeita, o local serve como palco para apresentações e shows de cantores locais Divulgação/ Waitomo Mais

8.jun.2014 - A caverna está aberta ao público todos os dias do ano e as visitas têm duração de aproximadamente 45 minutos. É obrigatória a presença de um guia para evitar que os turistas se percam pelas galerias da Glowworm Caves, que possuem mais de 250 metros de extensão Divulgação/ Waitomo Mais

14.jun.2014 - Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, é fotografado no exato momento em que a lua se encontrava 'atrás' do monumento, na madrugada deste sábado (14) Yasuyoshi Chiba/AFP Mais

3.jul.2014 - O Observatório Real de Greenwich, em Londres, anunciou os finalistas da edição 2014 do concurso Fotógrafo de Astronomia do Ano. Nesta foto, a formação rochosa Calçada do Gigante (do inglês Giant's Causeway), na Irlanda do Norte, é retratada sob um céu estrelado Rob Oliver Mais

3.jul.2014 - Entre os jurados estão astrônomos e personalidades do mundo da mídia. Os vencedores serão conhecidos no dia 17 de setembro. Nesta imagem, uma caverna com luzes da aurora na Islândia Ingólfur Bjargmundsson Mais

3.jul.2014 - Esta fotografia retrata a dança celestial da aurora boreal sobre um fiorde em Skjervøy, Troms, Noruega Claus Possberg Mais

3.jul.2014 - Situada a 7.500 anos-luz da Terra, na constelação Cassiopeia --em forma de W--, fica a nebulosa do Coração, uma vasta região de gás brilhante. A imagem foi feita na Hungria Ivan Eder Mais

3.jul.2014 - Em 30 de outubro, uma ejeção de massa coronal, espécie de erupção solar, atingiu a Terra, criando luzes multicoloridas vistas da Noruega. 'As árvores parecem braços de uma criatura estranha se estendendo em direção à aurora boreal', interpreta o fotógrafo Ole Christian Salomonsen Ole Christian Salomonsen Mais

3.jul.2014 - Robert Howell registrou visitantes do parque nacional de Yellowstone, nos EUA, assistindo a uma erupção do gêiser Old Faithful, durante um eclipse parcial do sol Robert Howell Mais

3.jul.2014 - Chris Cook passou semanas se preparando para fotografar o cometa PanSTARRS e alimentar o interesse de seu filho por astronomia. Na foto, pai e filho observam cometa Chris Cook Mais

3.jul.2014 - Patrick Cullis registra a chuva de meteoros Geminid, nas montanhas do Colorado, em dezembro de 2012 Patrick Cullis Mais

3.jul.2014 - Esta imagem da aurora boreal foi feita durante um voo transatlântico entre Londres e Nova York em fevereiro de 2014 Paul Williams Mais

3.jul.2014 - O argentino Sebastián Guillermaz capturou esta imagem durante um alinhamento astronômico de Júpiter. A foto foi tirada em sua casa em Los Polvorines, Buenos Aires Sebastián Guillermaz Mais

3.jul.2014 - Esta fotografia mostra a Via Láctea refletida na curva Oxbow do rio Snake, no Parque Nacional de Grand Teton, EUA David Kingham Mais

3.jul.2014 - O argentino Sebastián Guillermaz também produziu esta fotografia das luzes das estrelas sob a praia em Mar de Ajo, em Buenos Aires. O fotógrafo utilizou várias imagens para criar um efeito de passagem do tempo Sebastián Guillermaz Mais

3.jul.2014 - Por do sol e flora do cerrado africano compõem o primeiro plano desta imagem do alinhamento dos planetas Júpiter, Vênus e Mercúrio em junho de 2013 Lóránd Fényes Mais

3.jul.2014 - Esta imagem da aurora boreal sobre a praia Steinsvik, em Nordreisa, Troms, na Noruega, mostra a diminuta figura do irmão do fotógrafo Tommy Richardsen Tommy Richardsen Mais

Lago Hillier - Australia: Alguns pesquisadores dizem que são bactérias, outros dizem que são algas, mas o fato é que ninguém sabe direito o motivo desse lago localizado nas Middle Islands, na Austrália, ser cor-de-rosa. Apesar de incomum, não causa efeitos colaterais em humanos Divulgação Mais

Lago Nakuru - Quênia: O Grande Vale do Rift na parte oriental da África abriga um dos maiores, profundos e antigos lagos do mundo. Entretanto, um em especial, localizado a 140 km de Nairobi, no Quênia, chama a atenção por seus habitantes: o Nakuru Thinkstock Mais

Lago Nakuru - Quênia: As águas do Nakuru são ricas em algas, atraindo milhares de flamingos que pintam de rosa a paisagem do parque nacional. Outros pássaros, assim como babuínos, rinocerontes, javalis e outros mamíferos, também são habitantes do local Thinkstock Mais

Lago Superior - EUA e Canadá: O maior dos Grandes Lagos, localizados na fronteira entre os EUA e o Canadá, é também o maior em extensão territorial do mundo. Mas não é esse o motivo que justifica sua inclusão nessa lista. Durante o outono e inverno fortes ventos invadem os lagos, criando fortes ondas, ideais para o surfe Thinkstock Mais

Lago Superior - EUA e Canadá: O lago só não se torna o paraíso dos surfistas pois não é nada fácil surfar por lá, já que os ventos vêm acompanhados de muito frio e neve. É preciso ser muito corajoso para encarar o desafio Divulgação Mais

Spotted Lake - Canadá: Este lago na província canadense de Columbia Britânica tem alta concentração de minerais, como sulfato de magnésio, cálcio, sulfato de sódio, prata e titânio. No verão, a maior parte da água do lago evapora, assim o Sulfato de magnésio cristaliza, formando caminhos sobre o rio, e deixando o restante da água formando diversas poças Divulgação Mais

Spotted Lake - Canadá: As poças em si também são ricas em minerais, e dependendo da composição, assumem diferentes cores, seja amarelo, azul, branco ou verde. Acredita-se que a água do lago tenha propriedades medicinais, além de ser sagrada para os índios nativos da região Divulgação Mais

Lago Hillier - Australia: As imagens impressionam tamanho o contraste do rosa extravagante das águas do lago de 600 meros de largura, com o verde escuro da vegetação que ocupa o restante da ilha. A água rosa permanece sempre assim, mesmo quando posta em um recipiente Divulgação Mais

Lago Titicaca - Peru: Na fronteira entre Peru e Bolívia, o Titicaca é o lago navegável mais alto do mundo, situado a 3.821 metros acima do nível do mar. É também o segundo em extensão da América Latina, com 8.300 km². Mas são os habitantes os maiores atrativos. Algumas de suas 41 ilhas, como Taquile e Amantaní, são habitadas por povos descendentes de civilizações pré-incas. As ilhas são inteiramente tomadas pelas tradicionais terraços de agricultura, construções e templos de pedra, e a população mantém fortes traços culturais de seus antepassados, inclusive no uso da língua Quechua Flickr/ Julia Mazerova Mais

Lago Titicaca - Peru: O grande diferencial, porém, está em outras oito ilhas construídas artificialmente com a totora, uma planta aquática muito comum na região. As ilhas Uros, como são chamadas, são habitadas desde a época pré-colombiana, e, apesar de terem se tornado atrações turísticas, seu povo preserva parte de seu estilo de vida Thinkstock Mais

Mar Morto - Oriente Médio: Apesar do nome, é um lago no deserto da Judeia, na fronteira entre Israel e Cisjordânia com a Jordânia. É o ponto mais baixo da terra, 417 metros abaixo do nível do mar. Ali a evaporação é maior do que a quantidade de água que entra, deixando a concentração de sal cerca de nove vezes maior que a dos oceanos. Esse é um dos principais fatores que o torna um grande atrativo turístico Débora Costa e Silva/UOL Mais

Mar Morto - Oriente Médio: O sal torna praticamente impossível afundar em suas águas, além de criar formações brancas como a neve. Suas águas e a lama negra de seu leito tem propriedades medicinais. Esses fatos, somados, tornam o Mar Morto um dos lugares mais curiosos e encantadores do planeta Thinkstock Mais

Lago Baikal - Rússia: Localizado no sul da Sibéria, na Rússia, o lago Baikal tem uma coleção de recordes. É o maior em volume de água do mundo, o mais profundo da terra (1680 metros), e o mais antigo, formado há cerca de 20 a 25 milhões de anos atrás, além de ser o maior lago de água doce da Ásia (com 636 km de comprimento e 80 km de largura) Thinkstock Mais

Lago Baikal - Rússia: Este lago é tão grande que se todos os rios do planeta começassem a desaguar nele, levaria pelo menos um ano para encher. Armazena cerca de 20% da água doce liquida do planeta. Suas águas frias, profundas e ricas em oxigênio criam um habitat singular na Terra. Cerca de 60% de sua rica fauna é composta de espécies endêmicas Thinkstock Mais

Lago das Cinco Flores - China: Diz a lenda que uma deusa antiga deixou cair um espelho que lhe havia sido presenteada por seu amado, e cada pedaço se transformou em um dos 118 lagos da Reserva Natural do Vale Jiuzhaigou, na província de Sichuan. Pode ser só uma lenda, mas conhecendo um desses lagos em especial dá pra imaginar que sua criação teve um toque divino Thinkstock Mais

Lago das Cinco Flores - China: Um dos 118 lagos da Reserva Natural do Vale Jiuzhaigou é o Cinco Flores, que encanta por sua coloração única. Depósitos minerais, algas e outras plantas aquáticas e antigas árvores sob o leito formam um espetáculo de cores no que é considerado um dos lagos mais bonitos do mundo Thinkstock Mais

Lago Plitvice - Croácia: O Parque Nacional Lagos Plitvice é o principal destino turístico da Croácia. E não é por nada: ali a água que vem de diversos córregos e riachos é rica em cálcio, que com a ajuda de algas e musgos se depositam, formando barreiras de gipsita e, consequentemente, piscinas naturais Thinkstock Mais

Lago Plitvice - Croácia: Ao todo são 16 lagos de água cristalina, que variam entre tonalidades de azul e verde, interconectados por belas cascatas. Para completar o encanto do local, 22 mil hectares de floresta circundam os lagos, abrigando ursos, lobos e aves raras Thinkstock Mais

Lago Barryessa - EUA: É o maior lago de Napa County, na Califórnia. Formado pela represa Monticello, é responsável por fornecer água e energia elétrica, por meio de uma hidroelétrica lá instalada, para a região norte da baía de São Francisco. Até aí tudo normal, não fosse por um curioso buraco no meio do lago Divulgação Mais

Lago Barryessa - EUA: A primeira impressão é que um buraco negro está sugando a água, ou que um ralo gigante foi colocado no meio do lago. A segunda alternativa é a mais próxima da verdade. O buraco, conhecido como 'glory hole', serve para dar vazão à água da represa quando atinge os níveis mais altos. É o maior desse tipo no mundo, criando uma cena um tanto curiosa Divulgação Mais

29.jul.2014 - A Áustria tem uma belíssimo ponto turístico para quem gosta de belezas naturais e tem espírito aventureiro. As "escadas para o nada" (ou "stairway of nothingness", em inglês), localizadas na montanha de Hoher Dachstein (a 2ª mais alta dos Alpes Austríacos, com 2.995 metros de altitude) possui uma plataforma de observação construída com lâminas de vidro tanto nas laterais quanto no piso, tornando a visão dos Alpes algo único. A sensação de voar aumenta ainda mais por ela estar localizada 400 metros acima das montanhas. O local foi construído pelo Resort Dachstein Glacier Divulgação Mais

29.jul.2014 - A Áustria tem uma belíssimo ponto turístico para quem gosta de belezas naturais e tem espírito aventureiro. As "escadas para o nada" (ou "stairway of nothingness", em inglês), localizadas na montanha de Hoher Dachstein (a 2ª mais alta dos Alpes Austríacos, com 2.995 metros de altitude) possui uma plataforma de observação construída com lâminas de vidro tanto nas laterais quanto no piso, tornando a visão dos Alpes algo único. A sensação de voar aumenta ainda mais por ela estar localizada 400 metros acima das montanhas. O local foi construído pelo Resort Dachstein Glacier Divulgação Mais

29.jul.2014 - A Áustria tem uma belíssimo ponto turístico para quem gosta de belezas naturais e tem espírito aventureiro. As "escadas para o nada" (ou "stairway of nothingness", em inglês), localizadas na montanha de Hoher Dachstein (a 2ª mais alta dos Alpes Austríacos, com 2.995 metros de altitude) possui uma plataforma de observação construída com lâminas de vidro tanto nas laterais quanto no piso, tornando a visão dos Alpes algo único. A sensação de voar aumenta ainda mais por ela estar localizada 400 metros acima das montanhas. O local foi construído pelo Resort Dachstein Glacier Divulgação Mais

29.jul.2014 - A Áustria tem uma belíssimo ponto turístico para quem gosta de belezas naturais e tem espírito aventureiro. As "escadas para o nada" (ou "stairway of nothingness", em inglês), localizadas na montanha de Hoher Dachstein (a 2ª mais alta dos Alpes Austríacos, com 2.995 metros de altitude) possui uma plataforma de observação construída com lâminas de vidro tanto nas laterais quanto no piso, tornando a visão dos Alpes algo único. A sensação de voar aumenta ainda mais por ela estar localizada 400 metros acima das montanhas. O local foi construído pelo Resort Dachstein Glacier Divulgação Mais

29.jul.2014 - A Áustria tem uma belíssimo ponto turístico para quem gosta de belezas naturais e tem espírito aventureiro. As "escadas para o nada" (ou "stairway of nothingness", em inglês), localizadas na montanha de Hoher Dachstein (a 2ª mais alta dos Alpes Austríacos, com 2.995 metros de altitude) possui uma plataforma de observação construída com lâminas de vidro tanto nas laterais quanto no piso, tornando a visão dos Alpes algo único. A sensação de voar aumenta ainda mais por ela estar localizada 400 metros acima das montanhas. O local foi construído pelo Resort Dachstein Glacier Divulgação Mais

29.jul.2014 - Outro local que chama atenção dos visitantes da montanha de Hoher Dachstein é a ponte suspensa, passagem obrigatória para quem deseja chegar à plataforma de observação. O local, que possui 100 metros de comprimento, liga dois trechos das passarelas que ficam presas à encosta. Divulgação Mais

30.jul.2014 - O fotógrafo coreano O Chul Know capturou um belo espetáculo de luzes no povoado de Aurora, em Yellowknife, no Canadá. Ele persegue fotos da aurora boreal há 24 anos O Chul Kwon/Caters News Mais

30.jul.2014 - Para muitos visitantes, o espetáculo é uma experiência única na vida. A aurora boreal paira sobre as tendas nativas - teepees - do local, considerado um dos melhores lugares do mundo para ver a paisagem O Chul Kwon/Caters News Mais

30.jul.2014 - Todo ano, milhares de turistas viajam para a capital do Território Noroeste do Canadá para tentar encontrar essa visão espetacular O Chul Kwon/Caters News Mais

30.jul.2014 - A aurora boreal é resultado da energia liberada por campos magnéticos solares, que expelem grandes quantidades de partículas carregadas em alta velocidade a partir do sol. Ao longo do campo magnético da Terra, nas regiões polares, elas interagem com oxigênio e nitrogênio para produzir uma mágica dança de luzes vermelhas, verdes e roxas no céu à noite O Chul Kwon/Caters News Mais

30.jul.2014 - "O tempo é importante, mas minhas previsões costumam estar certas, então eu simplesmente programo minha câmera para o modo contínuo e começo a bater fotos", diz Kwon O Chul Kwon/Caters News Mais

"O engraçado é que as luzes estão sempre acima da Terra, 365 dias por ano, 24 horas por dia. Mas durante o dia, ou com tempo ruim, não conseguimos vê-las" O Chul Kwon/Caters News Mais

Kwon, que vive em Seul, tira fotos da atividade solar há mais de 24 anos O Chul Kwon/Caters News Mais

31.jul.2014 - Jeita, Líbano: São dois níveis de cavernas que proporcionam ao visitante experiências diferentes, mas igualmente encantadoras. Na de cima, uma visita a pé leva à maior estalactite do mundo, com 8,20m de altura, conhecida como Torre de Pisa Divulgação Mais

31.jul.2014 - Jeita, Líbano: Na caverna de baixo que o local abriga, um passeio de barco por um rio subterrâneo leva os turistas a conhecer 500 dos 6.200 metros já explorados, penetrando por um cenário mágico Divulgação Mais

31.jul.2014 - Caverna de Naica, México: Descoberta por acaso no ano 2000, por mineradores de prata na mina de Naica, no estado de Chihuahua, a caverna guarda os maiores cristais de selenita do mundo, chegando a dez metros de extensão. A visita a esse mundo de cristal não é fácil: a temperatura pode chegar a 50°C e a umidade relativa do ar, a 100%. Isso obriga os aventureiros a usar roupas e máscara especiais Divulgação Mais

31.jul.2014 - Caverna de Hang Son Doong, Vietnã: A maior caverna do mundo foi usada de esconderijo por soldados do exército americano durante a guerra do Vietnã, mas sua entrada só foi reencontrada em 2009, no Parque Nacional Phong Nha-Ke Bang, a cerca de 500 km da capital, Hanoi Divulgação Mais

31.jul.2014 - Caverna de Hang Son Doong, Vietnã: Com altura de 140m em alguns pontos, ela é tão extensa que seu fim ainda não foi atingido pelos exploradores. Existe até uma floresta escondida sob a terra Divulgação Mais

31.jul.2014 - Cenote dos Ojos, México: Esta aventura subaquática pelos 61 km de grutas e túneis de um dos dez maiores sistemas de cavernas do mundo é o local dos sonhos para mergulhadores iniciantes e experientes Divulgação Mais

31.jul.2014 - Cenote dos Ojos, México: Localizada na costa caribenha da península de Yucatán, é sinalizada para mostrar exatamente por onde o mergulhador deve ir para ficar rodeado por peixes coloridos enquanto nada em águas cristalinas Divulgação Mais

31.jul.2014 - Cacahuamilpa, México: Com água constantemente entrando em suas galerias, o sistema de cavernas de Cacahuamilpa, no estado de Guerrero, sul do México, está em permanente mudança, o que faz crescer seus noventa grandes salões subterrâneos Divulgação Mais

31.jul.2014 - Cacahuamilpa, México: Separados por grandes paredes rochosas e conectados por uma galeria central, os salões da caverna seguem na maioria inexplorados. Apenas 20 são abertos ao público. O mais seco e plano deles, apelidado de "Auditorium", já ganhou cadeiras e recebeu concertos musicais. O espaço, habitado há séculos por povos indígenas, é também conhecido por seu aspecto místico Divulgação Mais

31.jul.2014 - Cavernas de Waitomo, Nova Zelândia: Estalactites, estalagmites e um céu estrelado. A combinação inusitada desta caverna no sul de Waikato, Ilha Norte da Nova Zelândia, é possível graças aos glow worms, pequenas larvas que brilham para atrair insetos que podem servir de alimento Divulgação Mais

31.jul.2014 - Cavernas de Waitomo, Nova Zelândia: As larvas transformam o teto da caverna e parecem milhares de estrelas no apagar das luzes. Com a claridade, surgem belas formações de calcário ao longo de seus 45 km de extensão Divulgação Mais

31.jul.2014 - Caverna Ellison, EUA: Este buraco de 180m é conhecido como fenda fantástica ("Fantastic Pit"). Durante quase todo o ano, uma cachoeira escoa buraco adentro, fazendo a profundidade aumentar ainda mais. Devido a sua grandiosidade, é indicada apenas aos exploradores mais experientes. Está situada abaixo de dois outros abismos menores, nas montanhas Pigeon, no estado da Geórgia Divulgação Mais

31.jul.2014 - Caverna Majlis al Jinn, Omã: Uma área remota do Omã, no planalto Selma, a cerca de 1.600 metros de altitude, esconde a caverna com a segunda maior câmara do mundo Yousef Tuqan/Flickr Mais

31.jul.2014 - Caverna Majlis al Jinn, Omã: Tem acesso apenas com a utilização de cordas para descer os seus até 150m de profundidade e totaliza 60 quilômetros de vão livre. A maior pirâmide do Egito, Giza, caberia dentro da câmera, por exemplo Yousef Tuqan/Flickr Mais

31.jul.2014 - Cavernas de gelo Eisriesenwelt, Áustria: Cerca de 200 mil turistas sobem a mil metros de altitude, a uma temperatura média de 0°C no verão, para conhecer o maior sistema de cavernas de gelo do mundo, na Áustria, a 40 km de Salzburgo Divulgação Mais

31.jul.2014 - Cavernas de gelo Eisriesenwelt, Áustria: Ao todo, são 42km de caverna, mas apenas o primeiro quilômetro é coberto de gelo e aberto para os visitantes, que se deslumbram com colunas, torres e cascatas de gelo que mudam de forma anualmente, gentilmente esculpidas pelo vento Divulgação Mais

31.jul.2014 - Caverna de Cristal, Bermudas: Entre as mais de 150 cavernas calcárias, a mais famosa é a Caverna de Cristal. Seu nome se deve à incrível transparência das águas que preenchem suas galerias Divulgação Mais

31.jul.2014 - Caverna de Cristal, Bermudas: A água ali é tão cristalina que é possível ver o chão da caverna mesmo a uma profundidade de 17 metros. Localizada em Hamilton Parish, próximo a Castle Harbour, foi descoberta por acidente, no início do século passado, por um garoto de 12 anos que procurava sua bola de críquete Divulgação Mais

Uma tempestade elétrica é vista sobre o Mandalay Bay Resorts e sobre o hotel e cassino Luxor, em Las Vegas, no estado americano de Nevada, no dia 7 de julho Gene Blevins/Reuters Mais

Raio risca o céu durante tempestade no dia 17 de maio em Guangzhou, província de Guangdong, na China Reuters Mais

Raio ilumina o céu sobre a região central de Monterrey, no México, na noite de 29 de maio Daniel Becerril/ Reuters Mais

Relâmpago risca o céu no dia 10 de junho sobre a cidade de Algermissen, na Alemanha. Dias antes, violentas tempestades mataram pelo menos seis pessoas no oeste do país Julian Stratenschulte/DPA/AFP Mais

Raios iluminam sino de vento em uma casa na cidade de Lawrence, no estado americano do Kansas, no dia 22 de junho Orlin Wagner/AP Mais

Um raio é visto sobre a cidade de Cheyenne, no estado americano de Wyoming, no dia 24 de junho, em tempestade que chegou acompanhada de ventos e granizo Blaine McCartney, Wyoming Tribune Eagle/AP Mais

Com o edifício das Nações Unidas e Tudor City ao fundo, um raio é visto aqui sobre a área a leste do rio, durante a chegada de uma grande tempestade a Nova York, no dia 2 de julho Timothy A. Clary/AFP Mais

Raios são avistados sobre o edifício One World Trade Center, em Manhattan, durante o pôr do sol em Nova York no dia 2 de julho Lucas Jackson/Reuters Mais

Uma enorme nuvem escura anuncia a tempestade, que vem acompanhada de fortes ventos, raios e granizo no dia 7 de julho no estado americano do Denver David Zalubowski/AP Mais

Com previsão de mais chuvas e tempestades por parte do Serviço Nacional de Meteorologia, raios cortam o céu logo pela manhã no estado americano de Wyomming no dia 7 de julho Daniel Brenner, Gillette News Record/AP Mais

Raios antecipam tempestade próximo à praia Panama City, na Flórida, no dia 10 de julho Brennen Smith, The Decatur Daily/AP Mais

Raio parece atingir o Empire State Building durante uma tempestade de verão, em Nova York nos Estados Unidos, no dia 15 de julho Lucas Jackson/Reuters Mais

Raios são vistos sobre a cidade de Santana do Livramento, no Rio Grande do Sul, no dia 15 de julho Fabian Ribeiro/Raw Image/Estadão Conteúdo Mais

Um trovão ilumina o céu sobre a cidade de Godewaersvelde, no norte da França, no dia 18 de julho Philippe Huguen/AFP Mais

Raios são vistos em Tóquio no dia 20 de julho, pouco antes da tempestade atingir a região de Kanto e subúrbios da capital japonesa Kazuhiro Nogi/AFP Mais

Tempestade elétrica atinge os estados americanos do Oregon e de Washington, com raios acima das montanhas no sul de Tollgate, no dia 22 de julho Greg Lehman, Walla Walla Union-Bulletin/AP Photo Mais

Um raio atravessa os céus de Nova York, durante uma tempestade em Manhattan, no dia 23 de julho Julio Cortez/AP Mais

Raio cai próximo de arranha-céu em Tóquio, no Japão, no dia 24 de julho Issei Kato/Reuters Mais

Raio é visto no centro da cidade de Knoxville, no estado americano do Tennessee, no dia 27 de julho. As autoridades locais afirmaram que fortes tempestades destruíram 10 casas e deixaram dezenas danificadas Saul Young, The Knoxville News Sentinel/AP Mais

3.ago.2014 - Um lago que se formou no deserto da Tunísia tem atraído um grande número de banhistas. Pastores descobriram o local, no entorno da cidade de Gafsa, há três semanas. O governo de Gafsa emitiu um alerta de que o lago é perigoso e impróprio para banho porque há suspeitas de que a água é contaminada. Mesmo assim, os moradores têm ido ao local para se refrescar em uma época em que os termômetros chegam a marcar 40ºC na região. Os frequentadores criaram até uma comunidade do lago no Facebook Facebook Mais

10.ago.2014 - Morador de Sydney, na Austrália, fotografa o fenômeno da superlua, neste domingo Jason Reed/ Reuters Mais

10.ago.2014 - Lua ilumina prédios em Hong Kong, neste domingo, durante fenômeno conhecido como superlua. O termo astronômico mais correto para esse momento em que o satélite está mais próximo da Terra é que ele está em seu perigeu Vincent Yu/ AP Mais

10.ago.2014 - Superlua é vista atrás de placa na cidade de Pequim, na China, neste domingo (10). O fênomeno da superlua acontece a Lua se aproxima da órbita da Terra, fazendo com que ela pareça maior e mais brilhante do que o normal Andy Wong/AP Mais

10.ago.2014 - Lua é fotografada atrás de um touro em Puerto de Santa Maria, na Espanha, neste sábado (9). O fênomeno da superlua acontece quando o satélite se aproxima da órbita da Terra, fazendo com que pareça maior e mais brilhante do que o normal Manu Fernandez/AP Mais

10.ago.2014 - Superlua no céu de Sydney, na Austrália. O fênomeno acontece quando a Lua se aproxima da órbita da Terra, fazendo com que ela pareça maior e mais brilhante do que o normal Jason Reed/Reuters Mais

10.ago.2014 - Superlua é vista no céu do Kuait. O fenômeno ocorre quando a Lua atinge o ponto mais próximo da Terra. Yasser Al-Zayyat/AFP Mais

10.ago.2014 - Pessoas observam superlua no céu de Sounio, próximo de Athenas, na Grécia. O fenômeno é chamado de ''lua perigeu'' pelos cientistas e ocorre quando a Lua está perto do horizonte e parece maior e mais brilhante do que as outras luas cheias. Angelos Tzortzinis/AFP Mais

10.ago.2014 - Superlua no céu de Jerusalém. O fênomeno da superlua acontece quando o satélite se aproxima da órbita da Terra, fazendo com que pareça maior e mais brilhante do que o normal Abir Sultan/EFE/EPA Mais

10.ago.2014 - Superlua é vista atrás da catedral de Mdina, antiga capital de Malta, no centro da ilha. O evento astronômico ocorre quando a lua está mais próxima da Terra em sua órbita, fazendo com que pareça muito maior e mais brilhante do que habitual. Darrin Zammit Lupi/Reuters Mais

10.ago.2014 - Luz de superlua brilha mais do que a estrela da torre do Kremlin de Moscou, em Moscou, na Rússia. O fenômeno ocorre quando a Lua cheia coincide com o momento em que ela está mais próxima da Terra. Esta é a maior superlua do ano Maxim Shemetov/Reuters Mais

10.ago.2014 - Pessoas tiram fotos da superlua em Skopje, na Macedonia. O fenômeno ocorre quando a Lua cheia coincide com o momento em que ela está mais próxima da Terra. Esta é a maior superlua do ano Boris Grdanoski/AP Mais

10.ago.2014 - Superlua ilumina cartão-postal de Ouro Preto, em Minas Gerais. O fenômeno ocorre quando a Lua cheia coincide com o momento em que ela está mais próxima da Terra. Esta é a maior superlua do ano Douglas Magno/AFP Mais

10.ago.2014 - Superlua ilumina cartão-postal de Ouro Preto, em Minas Gerais. O fenômeno ocorre quando a Lua cheia coincide com o momento em que ela está mais próxima da Terra. Esta é a maior superlua do ano Douglas Magno/AFP Mais

10.ago.2014 - Superlua aparece por de trás de uma roda-gigante em Tóquio, no Japão. O fenômeno ocorre quando a Lua cheia coincide com o momento em que ela está mais próxima da Terra. Esta é a maior superlua do ano Toru Hanai/Reuters Mais

10.ago.2014 - Superlua nasce atrás da fortaleza Hwaseong, em Suwon, Coreia do Sul. O fenômeno corre quando a Lua cheia coincide com o momento em que ela está mais próxima da Terra. Esta é a maior superlua do ano Kim Hong-Ji/Reuters Mais

10.ago.2014 - Mulher faz selfie com superlua próximo a Tower Bridge, em Londres, Inglaterra. O fenômeno corre quando a Lua cheia coincide com o momento em que ela está mais próxima da Terra. Esta é a maior superlua do ano Paul Hackett/Reuters Mais

10.ago.2014 - Superlua ilumina bairro de Belo Horizonte, Minas Gerais. O fenômeno ocorre quando a Lua cheia coincide com o momento em que ela está mais próxima da Terra. Esta é a maior superlua do ano Bruno José/FuturaPress/Estadão Conteúdo Mais

10.ago.2014 - Superlua ilumina árvore em Brasília. O fenômeno ocorre quando a Lua cheia coincide com o momento em que ela está mais próxima da Terra. Esta é a maior superlua do ano Ueslei Marcelino/Reuters Mais

10.ago.2014 - A Lua cheia, mais conhecida como superlua, se destaca entre as colunas do Palácio do Planalto, em Brasília. O fenômeno ocorre quando a Lua cheia coincide com o momento em que ela está mais próxima da Terra. Esta é a maior superlua do ano AFP Mais

10.ago.2014 - Criança brinca com cachorro em Madrid, na Espanha, durante noite de superlua. O fenômeno ocorre quando a Lua cheia coincide com o momento em que ela está mais próxima da Terra. Esta é a maior superlua do ano Andres Kudacki/AP Mais

10.ago.2014 - Vista da superlua de Curitiba, no Paraná. O fenômeno ocorre quando a Lua cheia coincide com o momento em que ela está mais próxima da Terra. Esta é a maior superlua do ano Heuler Andrey/Estadão Conteúdo Mais

10.ago.2014 - Casal observa superlua no Jardim do Alah, em Salvador (BA). O fenômeno ocorre quando a Lua cheia coincide com o momento em que ela está mais próxima da Terra. Esta é a maior superlua do ano Margarida Neide/Agência A Tarde/Estadão Conteúdo Mais

O Caminho de Kumano ou Kumano Kodo é uma rede de rotas de peregrinação localizada na província de Wakayama, no sul do Japão. Milhões de peregrinos percorrem a região montanhosa todos os anos visitando os templos localizados ao longo do percurso Tanabe Cuty Kumano Tourism Bereau Mais

Considerado casa de deuses e lugar sagrado, o Caminho de Kumano fica nos bosques dos montes Kii. Tanabe Cuty Kumano Tourism Bereau Mais

De acordo com a página oficial do Kumano Kodo, durante mais de mil anos pessoas de todos os níveis sociais, incluindo imperadores aposentados e aristocratas japoneses, peregrinaram por estas montanhas Tanabe Cuty Kumano Tourism Bereau Mais

As rotas de peregrinação do Caminho Kumano foram registradas como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO em julho de 2004. Antes, em 1997, representantes de Galícia e a Prefeitura de Wakayama firmaram um acordo que fez os caminhos de Kumano e de Santiago "irmãos" Tanabe Cuty Kumano Tourism Bereau Mais

Assim como ocorre no caminho que leva a Santiago de Compostela, alguns percorrem o Kumano Kodo por lazer, outros pelo exercício e outros por inspiração espiritual. A caminhada original inclui rituais religiosos de adoração e purificação Tanabe Cuty Kumano Tourism Bereau Mais

O lugar sagrado de Kumano Sanzan é, junto com os de Yoshino-Omine e Koyasan, "uma mostra excepcional" da fusão entre a religião xintoísta -que vem da antiga tradição japonesa de culto à natureza- e o budismo que chegou ao Japão pela China e pela península da Coreia, segundo a UNESCO Tanabe Cuty Kumano Tourism Bereau Mais

O objetivo da peregrinação de Kumano é chegar a três grandes templos conhecidos como Kumano Sanzan Tanabe Cuty Kumano Tourism Bereau Mais

Os três templos são Kumano Hongu Taisha, Kumano Hayatama Taisha e Kumano Nachi Taisha Tanabe Cuty Kumano Tourism Bereau Mais

Além disso, no caminho há templos subsidiários chamados Oji que delineiam as rotas e servem de lugar de oferenda Tanabe Cuty Kumano Tourism Bereau Mais

Os peregrinos podem optar por três rotas. A primeira delas, a Nakahechi ou Rota Imperial a Kumano, começa em Tanabe, na costa oeste da península de Kii, e transcorre por ela até os templos. Esta rota foi utilizada desde o século 10 pela família imperial em sua peregrinação de Quioto Tanabe Cuty Kumano Tourism Bereau Mais

A Kohechi, ou Rota Montanhosa, atravessa a península de Kii de norte a sul e une o complexo de templos budistas de Koyasan e Kumano Sanzan, enquanto a Ohechi ou Rota Costeira vai do sul de Tanabe ao templo de Fudarakusan-ji Tanabe Cuty Kumano Tourism Bereau Mais

Por último está a rota Iseji ou Rota Leste, que percorre a costa oriental entre o templo de Ise-jingu e Kumano Sanzan Tanabe Cuty Kumano Tourism Bereau Mais

14.ago.2014 - Foi utilizando argolas com lâmpadas de LED acopladas a elas que o fotógrafo inglês Martin Kimbell criou fotografias para uma série de "tornados de luz". Os registros eram feitos com uma câmera que registrava o objeto iluminado com um efeito de longa exposição. A imagem deixou os cenários que foram clicados ainda mais bonitos Reprodução/Martin Kimbell Mais

14.ago.2014 - Foi utilizando argolas com lâmpadas de LED acopladas a elas que o fotógrafo inglês Martin Kimbell criou fotografias para uma série de "tornados de luz". Os registros eram feitos com uma câmera que registrava o objeto iluminado com um efeito de longa exposição. A imagem deixou os cenários que foram clicados ainda mais bonitos14.ago.2014 - Foi utilizando argolas com lâmpadas de LED acopladas a elas que o fotógrafo inglês Martin Kimbell criou fotografias para uma série de "tornados de luz". Os registros eram feitos com uma câmera que registrava o objeto iluminado com um efeito de longa exposição. A imagem deixou os cenários que foram clicados ainda mais bonitos Reprodução/Martin Kimbell Mais

14.ago.2014 - Foi utilizando argolas com lâmpadas de LED acopladas a elas que o fotógrafo inglês Martin Kimbell criou fotografias para uma série de "tornados de luz". Os registros eram feitos com uma câmera que registrava o objeto iluminado com um efeito de longa exposição. A imagem deixou os cenários que foram clicados ainda mais bonitos Reprodução/Martin Kimbell Mais

14.ago.2014 - Foi utilizando argolas com lâmpadas de LED acopladas a elas que o fotógrafo inglês Martin Kimbell criou fotografias para uma série de "tornados de luz". Os registros eram feitos com uma câmera que registrava o objeto iluminado com um efeito de longa exposição. A imagem deixou os cenários que foram clicados ainda mais bonitos Reprodução/Martin Kimbell Mais

14.ago.2014 - Foi utilizando argolas com lâmpadas de LED acopladas a elas que o fotógrafo inglês Martin Kimbell criou fotografias para uma série de "tornados de luz". Os registros eram feitos com uma câmera que registrava o objeto iluminado com um efeito de longa exposição. A imagem deixou os cenários que foram clicados ainda mais bonitos Reprodução/Martin Kimbell Mais

14.ago.2014 - Foi utilizando argolas com lâmpadas de LED acopladas a elas que o fotógrafo inglês Martin Kimbell criou fotografias para uma série de "tornados de luz". Os registros eram feitos com uma câmera que registrava o objeto iluminado com um efeito de longa exposição. A imagem deixou os cenários que foram clicados ainda mais bonitos Reprodução/Martin Kimbell Mais

14.ago.2014 - Foi utilizando argolas com lâmpadas de LED acopladas a elas que o fotógrafo inglês Martin Kimbell criou fotografias para uma série de "tornados de luz". Os registros eram feitos com uma câmera que registrava o objeto iluminado com um efeito de longa exposição. A imagem deixou os cenários que foram clicados ainda mais bonitos Reprodução/Martin Kimbell Mais

14.ago.2014 - Foi utilizando argolas com lâmpadas de LED acopladas a elas que o fotógrafo inglês Martin Kimbell criou fotografias para uma série de "tornados de luz". Os registros eram feitos com uma câmera que registrava o objeto iluminado com um efeito de longa exposição. A imagem deixou os cenários que foram clicados ainda mais bonitos Reprodução/Martin Kimbell Mais

14.ago.2014 - Foi utilizando argolas com lâmpadas de LED acopladas a elas que o fotógrafo inglês Martin Kimbell criou fotografias para uma série de "tornados de luz". Os registros eram feitos com uma câmera que registrava o objeto iluminado com um efeito de longa exposição. A imagem deixou os cenários que foram clicados ainda mais bonitos Reprodução/Martin Kimbell Mais

14.ago.2014 - Foi utilizando argolas com lâmpadas de LED acopladas a elas que o fotógrafo inglês Martin Kimbell criou fotografias para uma série de "tornados de luz". Os registros eram feitos com uma câmera que registrava o objeto iluminado com um efeito de longa exposição. A imagem deixou os cenários que foram clicados ainda mais bonitos Reprodução/Martin Kimbell Mais

14.ago.2014 - Foi utilizando argolas com lâmpadas de LED acopladas a elas que o fotógrafo inglês Martin Kimbell criou fotografias para uma série de "tornados de luz". Os registros eram feitos com uma câmera que registrava o objeto iluminado com um efeito de longa exposição. A imagem deixou os cenários que foram clicados ainda mais bonitos Reprodução/Martin Kimbell Mais

22.ago.2014 - Em uma viagem à Islândia, a fotógrafa Sarah Martinet teve a oportunidade de sobrevoar paisagens deslumbrantes a bordo de um avião com as janelas abertas. As imagens que ela captou estão reunidas em uma série que explora a riqueza topográfica e os recursos naturais da Islândia Sarah Martinet Mais

22.ago.2014 - Durante o passeio aéreo, Sarah capturou fotos da 'terra do fogo e do gelo' de uma visão panorâmica, mostrando a beleza natural do país a partir de uma perspectiva única Sarah Martinet Mais

22.ago.2014 - A fotógrafa Sarah Martinet conseguiu fazer imagens que agregam texturas ousadas, formas proeminentes e linhas tortuosas gravadas sobre uma paisagem dramática na Islândia Sarah Martinet Mais

22.ago.2014 - Rios se destacam entre montanhas e planícies verdes da Islândia nas fotos de Sarah Martinet Sarah Martinet Mais

22.ago.2014 - Filetes de rios da cor azul contrastam com a terra estéril em torno ao redor nessa foto de Sarah Martinet, que captou imagens da Islândia vista do alto Sarah Martinet Mais

22.ago.2014 - Semelhante a vasos sanguíneos, fissuras na terra misturam as cores marrom, verde e branco nesta foto de Sarah Martinet que integra o projeto com imagens vistas do alto da Islândia Sarah Martinet Mais

22.ago.2014 - Montanha "quebra" planície verde na Islândia em imagem da fotógrafa Sarah Martinet que integra a série que tenta capturar a beleza natural da 'terra do fogo e do gelo' Sarah Martinet Mais

22.ago.2014 - Paisagem mistura gelo, vegetação e montanhas na Islândia. A imagem, feita pela fotógrafa Sarah Martinet, integra uma série que destaca a beleza e o contraste natural da 'terra do fogo e do gelo' Sarah Martinet Mais

22.ago.2014 - Conhecida também como a 'terra do gelo', a Islândia combina paisagens como essa, com montanhas cobertas de neve, a outras em que rios cortam uma região árida ou um vale verde. A imagem faz parte da série da fotógrafa Sarah Martinet, que fez suas fotos a partir de um pequeno avião Sarah Martinet Mais

22.ago.2014 - A bordo de um pequeno avião, com as janelas abertas, a fotógrafa Sarah Martinet registrou paisagens surpreendentes da Islândia Sarah Martinet Mais

22.ago.2014 - Lagos azuis cercados por terra estéril estão entre as imagens colhidas pela fotógrafa Sarah Martinet para o projeto de captar a beleza natural da Islândia a bordo de um avião Sarah Martinet Mais

22.ago.2014 - A Islândia é conhecida por suas cachoeiras abundantes, vulcões, gêiseres e icebergs. Combinados a uma natureza que pode ser luxuriante ou árida, o país é conhecido como 'terra do fogo e do gelo'. É essa riqueza de contrastes que levou a fotógrafa Sarah Martinet a captar imagens a bordo de um avião Sarah Martinet Mais

22.ago.2014 - Cores fortes e texturas impressionantes são destaques na série da fotógrafa Sarah Martinet, que a bordo de um pequeno avião captou imagens da Islândia Sarah Martinet Mais

1.set.2014 - A cidade de Eidfjord, na Noruega, conhecida por suas cascatas de gelo, foi cenário de uma ousada e fascinante colaboração entre o fotógrafo Thomas Senf e a equipe de escaladores Mammut. A parceria resultou no registro de imagens impressionantes de uma escalada noturna, feitas com a ajuda do artista suíço David Hediger, responsável pela iluminação. Para vencer os obstáculos naturais e criar a luz dentro das cavernas, Hediger usou um sistema complexo de cordas e de mais de 500 metros de cabos. "Fazia muito tempo que pensava em como trabalhar com a luz artificial, algo que só é possível em um estúdio fotográfico ou em montanhas com muito espaço interno", disse Senf. Mammut/ Thomas Senf Mais

1.set.2014 - As impressionantes estruturas de gelo e neve chegam a 500 metros de altura. "Fotografar e filmar à noite é um grande desafio", diz Senf. "A iluminação correta é determinante". Mammut/ Thomas Senf Mais

1.set.2014 - Dani Arnold é um famoso escalador suíço que, em 2011, subiu os 3.970 metros de altura da montanha Eiger, nos Alpes Suíços, em um tempo recorde de 2 horas e 28 minutos. Mammut/ Thomas Senf Mais

1.set.2014 - "Em um certo momento, a cascata de gelo parecia uma caverna de estalactites ou uma catedral gótica", destaca Arnold. Mammut/ Thomas Senf Mais

1.set.2014 - A iluminação ficou a cargo do artista suíço David Hediger, que usou spots e um sistema complexo de cordas e de mais de 500 metros de cabos. Mammut/ Thomas Senf Mais

1.set.2014 - "A ideia de iluminar cascatas de gelo naceu em uma reunião com o pessoal da Mammut", diz o fotógrafo Thomas Senf. "Fazia muito tempo que pensava em como trabalhar com a luz artificial, algo que só é possível em um estúdio fotográfico ou em montanhas com muito espaço interno". Mammut/ Thomas Senf Mais

1.set.2014 - "Os escaladores tiveram que corrigir a posição das lâmpadas em alguns poucos centímetros", contou Senf. "Os spots paravam de funcionar antes do previsto embaixo da água". Mammut/ Thomas Senf Mais

1.set.2014 - Os numerosos cânions e fendas de Eidsfjord formam algumas das maiores e mais complicadas rotas de escalada no gelo do mundo. Mammut/ Thomas Senf Mais

1.set.2014 - Na mitologia nórdica, os Gigantes de Gelo eram enormes e praticamente indomáveis. Mammut/ Thomas Senf Mais

8.set.2014 - Um avião é fotografado ao passar pela lua voando em direção ao aeroporto internacional da Filadélfia, nos Estados Unidos, neste domingo (7). Nesta segunda-feira (8) acontece o terceiro e último fenômeno da superlua de 2014. A mudança ocorre quando a lua está perto do horizonte e parece maior e mais brilhante do que a lua cheia comum Matt Rourke/ AP Mais

08.set.2014 - Lua vista através de cartaz luminoso de neon, na província de Jiangsu, na China. Os chineses celebram o festival da lua nesta segunda-feira (8) Xu Congiun/Xinhua Mais

08.set.2014 - Pessoas caminham perto de lanternas durante a celebração do festival de outono, também conhecido como festival da lua, em Yichun, na China, nesta segunda-feira (8) Reuters Mais

8.set.2014 - Um avião é fotografado ao passar pela lua voando em direção ao aeroporto internacional da Filadélfia, nos Estados Unidos, neste domingo (7). Nesta segunda-feira (8) acontece o terceiro e último fenômeno da superlua de 2014 Matt Rourke/AP Mais

8.set.2014 - Lua cheia é fotografada entre luzes em Kuala Lumpur, na Malásia. Nesta segunda-feira (8) acontece o terceiro e último fenômeno da superlua de 2014. A mudança ocorre quando a lua está perto do horizonte e parece maior e mais brilhante do que a lua cheia comum Chong Voon Chung/Xinhua Mais

8.set.2014 - Lua cheia é fotografada entre luzes em Kuala Lumpur, na Malásia. Nesta segunda-feira (8) acontece o terceiro e último fenômeno da superlua de 2014. A mudança ocorre quando a lua está perto do horizonte e parece maior e mais brilhante do que a lua cheia comum Chong Voon Chung/Xinhua Mais

8.set.2014 - Lua cheia é fotografada em Kuala Lumpur, na Malásia. Nesta segunda-feira (8) acontece o terceiro e último fenômeno da superlua de 2014. A mudança ocorre quando a lua está perto do horizonte e parece maior e mais brilhante do que a lua cheia comum Chong Voon Chung/Xinhua Mais

8.set.2014 - Lua cheia é fotografada sobre o jardim chinês de Cingapura. Nesta segunda-feira (8) acontece o terceiro e último fenômeno da superlua de 2014. A mudança ocorre quando a lua está perto do horizonte e parece maior e mais brilhante do que a lua cheia comum Then Chih Wey/Xinhua Mais

8.set.2014 - Casal se abraça sob lua cheia em fonte de água em Hong Kong, na China.Nesta segunda-feira (8) acontece o terceiro e último fenômeno da superlua de 2014. A mudança ocorre quando a lua está perto do horizonte e parece maior e mais brilhante do que a lua cheia comum. Também hoje é celebrado na China o festival de lanternas Liau Chung-ren/Reuters Mais

8.set.2014 - Lua cheia surge sobre a Ponte do Bósforo, em Istambul (Turquia). Nesta segunda-feira (8) acontece o terceiro e último fenômeno da superlua de 2014. A mudança ocorre quando a lua está perto do horizonte e parece maior e mais brilhante do que a lua cheia comum Murad Sezer/Reuters Mais

8.set.2014 - Lua cheia brilha sobre jardim chinês em Cingapura. A população local comemora o festival do Meio-Outono nesta segunda-feira Then Chih Wey/Xinhua Mais

8.set.2014 - Lua é fotografada entre luzes de neon em Nantong, província de Jiangsu, no leste da China. Chineses em todo o mundo celebram o festival do Meio-Outono no dia 15 do oitavo mês do calendário lunar Xu Congjun/Xinhua Mais

8.set.2014 - Lua brilha sobre o céu em Changchun, capital da província de Jilin na China, durante o festival do Meio-Outono que acontece no país Zhang Nan/Xinhua Mais

8.set.2014 - Lua brilha sobre o céu em Shenyang, capital da província de Liaoning, na China, durante o festival do Meio-Outono que acontece no país Li Gang/Xinhua Mais

8.set.2014 - Lua brilha sobre o céu em Changchun, capital da província de Jilin na China, durante o festival do Meio-Outono que acontece no país Zhang Nan/Xinhua Mais

8.set.2014 - Lua brilha sobre a cidade Shenyang, capital da província de Liaoning, na China, durante o festival do Meio-Outono que acontece no país Li Gang/Xinhua Mais

8.set.2014 - Lua brilha no meio de instalação artística durante festival de lanternas em Hong Kong, na China. Chineses em todo o mundo celebram o festival do Meio-Outono no dia 15 do oitavo mês do calendário lunar. O festival começou como uma celebração da lua cheia na China antiga, e também marca a derrubada dos governantes mongóis durante a Dinastia Yuan Bobby Yip/Reuters Mais

8.set.2014 - A lua cheia surge no céu sobre os domos da Catedral Smolny em São Petesburgo, na Rússia. Esta é a última superlua que poderá ser vista este ano. O fenômeno, que os cientistas chamam de perigeu, ocorre quando a lua está em sua órbita mais próxima da Terra --o que lhe proporciona um tamanho maior e um brilho mais intenso Dmitry Lovetsky/AP Mais

8.set.2014 - Um avião de passageiros prepara-se para pousar no Aeroporto Internacional Heathrow, em Londres, tendo ao fundo a lua cheia. Essa é a última superlua que poderá ser vista este ano Toby Melville/Reuters Mais

8.set.2014 - Lua cheia fotografada ao fundo dos galhos de uma árvore ilumina o céu de Indaiatuba, a 98 km de São Paulo. Nesta segunda-feira (8) acontece o terceiro e último fenômeno da superlua de 2014. A mudança ocorre quando a lua está perto do horizonte e parece maior e mais brilhante do que a lua cheia comum Hélio Suenaga/ Futura Press/ Estadão Conteúdo Mais

2.out.2014 - O fotógrafo neo-zelandês Amos Chapple usou uma câmera acoplada a um drone para tirar fotos aéreas de alguns dos mais belos pontos turísticos da Europa. Nesta imagem, as torres da igreja inacabada de Antoni Gaudi, a Sagrada Família - uma basílica na cidade de Barcelona, na Espanha - se destacam na vista aérea do distrito Eixample Amos Chapple/Rex Features Mais

2.out.2014 - Vários turistas se banham em uma praia no Mar Negro, na Abecásia (território autônomo na Geórgia) Amos Chapple/Rex Features Mais

2.out.2014 - Nuvens circundam os pilares da Igreja do Sagrado Coração, no alto de uma colina, também em Barcelona Amos Chapple/Rex Features Mais

2.out.2014 - Aqui, o Fort Bourtange, construído em forma de estrela na cidade de Groningen, na Holanda Amos Chapple/Rex Features Mais

2.out.2014 - Este é um dos edifícios mais famosos e mais fotografados de Paris: a basílica do Sagrado Coração em Montmartre Amos Chapple/Rex Features Mais

2.out.2014 - A linha do horizonte de Istambul como um navio cargueiro navegando em direção ao Mar de Mármara Amos Chapple/Rex Features Mais

2.out.2014 - O Rio Mtkvari atravessa a capital da Geórgia, Tbilisi Amos Chapple/Rex Features Mais

2.out.2014 - No coração da Europa, Budapeste, na Hungria, é conhecida por sua arquitetura de conto de fadas e por sua personalidade e beleza. Aqui, a Estátua da Liberdade é retratada em primeiro plano Amos Chapple/Rex Features Mais

2.out.2014 - O Castelo Toompea é a sede do Parlamento da Estônia. É um pequeno edifício, feito com pedra e torres, localizado no centro histórico de Tallinn, que está na lista de Patrimônios Mundiais da Unesco Amos Chapple/Rex Features Mais

2.out.2014 - Uma barca na ponte aquática de Magdeburg cruza um rio ao noroeste de Dresden, na Alemanha Amos Chapple/Rex Features Mais

2.out.2014 - O pôr do sol no Farol da Vitória, no Golfo de Trieste, na Itália Amos Chapple/Rex Features Mais

2.out.2014 - A estátua da 'Mãe Armênia', com a espada na mão, zela sobre a capital da Armênia, Yerevan Amos Chapple/Rex Features Mais

17.out.2014 - Um astronauta da Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla inglesa) vem criando uma bela coleção online de imagens da Terra tiradas a partir do espaço. Acima, um registro de vulcões no deserto do Atacama, no Chile Alexander Gerst/ESA/Nasa Mais

17.out.2014 - O geofísico alemão Alexander Gerst está em meio a uma missão de seis meses na Estação Espacial Internacional e dedica parte de suas horas de folga a registrar nosso mundo desde uma perspectiva única. Acima, uma aurora boreal vista desde o espaço Alexander Gerst/ESA/Nasa Mais

17.out.2014 - É assim que a Europa fica à noite quando é vista a partir da Estação Espacial Internacional Alexander Gerst/ESA/Nasa Mais

17.out.2014 - "As ilhas da Gran Canaria e Tenerife são pontos de luz num mar de escuridão", escreveu Gerst Alexander Gerst/ESA/Nasa Mais

17.out.2014 - "Esta área no sul da Argentina parece um grande pântano para mim", postou o astronauta alemão Alexander Gerst/ESA/Nasa Mais

17.out.2014 - Gerst também fotografou o deserto do Saara pouco antes do pôr do sol Alexander Gerst/ESA/Nasa Mais

17.out.2014 - O astronauta ainda capturou com suas lentes a estrada entre as cidades russas de Moscou e São Petersburgo Alexander Gerst/ESA/Nasa Mais

17.out.2014 - Nem mesmo Gerst resistiu a tirar uma selfie em uma de suas caminhadas no espaço Alexander Gerst/ESA/Nasa Mais

17.out.2014 - "O olho deste furacão tem 80 km de largura. Parece bastante escuro lá dentro", escreveu Gerst Alexander Gerst/ESA/Nasa Mais

21.out.2014 - Aurora boreal ilumina o céu em cidade de Tromso, norte da Noruega Jan Morten Bjoernbakk/EFE Mais

25.out.2014 - O repórter Max Rive é um apaixonado pela natureza e por aventuras. Tanto que ele percorreu a Europa para registrar os cenários mais incríveis do continente. Nesta foto, Rive mostra os Alpes em meio à neblina do outono. Divulgação/Max Rive Mais

25.out.2014 - Nesta foto, Max Rive fez um clique noturno em Geirangerfjord, na Noruega Divulgação/Max Rive Mais

25.out.2014 - O pôr-do-sol islandês é o protagonista desta foto de Max Rive Divulgação/Max Rive Mais

24.out.2014 - Aqui, Max Rive apresenta o fim da noite em Lofoten, um arquipélogo norueguês Divulgação/Max Rive Mais

4.nov.2014 - Aurora boreal é observada sobre a cidade de Kenai, no Alasca, durante as primeiras horas da manhã M. Scott Moon/ Xinhua Mais

11.nov.2014 - O prêmio "Você Está Convidado", para fotógrafos de fora da Grã-Bretanha, foi para o alemão Sven Mueller. Ele fez este belo registro do parque nacional Peak District, no centro-norte da Inglaterra Sven Mueller/Take a View Mais

11.nov.2014 - A imagem de um córrego criado pela forte chuva nas montanhas Glencoe, na Escócia, foi a vencedora de um concurso nacional de fotos promovido pela VisitBritain - como é conhecida a agência britânica de promoção do turismo. Chamada Um Começo e Um Fim, a imagem captura um "momento fugaz de beleza", segundo seu autor, Mark Littlejohn Mark Littlejohn/Take a View Mais

11.nov.2014 - O concurso Fotógrafo de Paisagem do Ano recebeu milhares de inscrições de várias partes do país e resultou em imagens sublimes de localidades rurais e urbanas britânicas. Beleza vista e capturada pelos próprios habitantes do país. o prêmio incluía categoria para uma foto que inspirasse as pessoas a visitar o país. John Robinson foi o vencedor com esta imagem, que mostra o pôr do sol no parque nacional Yorkshire Moors John Robinson/Take a View Mais

11.nov.2014 - Outros prêmios especiais incluíam o Linhas na Paisagem, da Network Rail - empresa que opera a maior parte da infraestrutura ferroviária no país. Com esta foto da plataforma da estação de trens de London Bridge, Stephen Bright foi o vencedor Stephen Bright/Take a View Mais

11.nov.2014 - O londrino Sam Rielly, de 17 anos, venceu a categoria de Jovem Fotógrafo do Ano, com esta foto em preto e branco de sua mãe caminhando em uma paisagem em Anglesey, no País de Gales Sam Rielly/Take a View Mais

11.nov.2014 - A última luz do dia em Durdle Door, na costa da Inglaterra, foi imortalizada na foto de Jake Pike, que venceu a categoria jovem de Vista Clássica Jake Pike/Take a View Mais

11.nov.2014 - Esta foto de frutinhas vermelhas, Bowdown Berries, deu o prêmio da categoria Sua Vista a Robert Oliver Robert Oliver/Take a View Mais

11.nov.2014 - Com esta imagem do Vale da Esperança, em Derbyshire, no centro-norte da Inglaterra, Dave Fieldhouse ganhou o prêmio de melhor Vista Clássica Dave Fieldhouse/Take a View Mais

11.nov.2014 - Uma foto da Torre das Artes da universidade de Sheffield deu o prêmio de Vista Urbana para Daniel Cook Daniel Cook/Take a View Mais

11.nov.2014 - A foto Fred e Sue, feita por Jo Teasdale na cidade inglesa de Brighton, ganhou o prêmio na categoria Vivendo a Paisagem. As fotos vencedoras serão expostas na estação de trens Waterloo, em Londres, a partir do dia 1º de dezembro Jo Teasdale/Take a View Mais

Jardim do palácio de Versailles | France: A obra começou com o rei francês Luis 13, em 1632, mas foi seu sucessor, Luis 14, que levou a fundo a construção do palácio e os jardins de Versailles, para o qual se mudou com a família real. O tempo passou, e mesmo depois de outros reis Luis, da Revolução Francesa e de Napoleão, os jardins não perderam seu esplendor, apesar de terem sido bastante transformados desde sua idealização Getty Images Mais

Jardim do palácio de Versailles | France: É uma das principais atrações turísticas da França, considerado patrimônio da humanidade pela UNESCO. Cobrindo uma área de 800 hectares, o jardim real de Versailles conta com 50 fontes, muitas estátuas de bronze e mármore, e muitas árvores e áreas verdes, impecavelmente trabalhadas Getty Images Mais

Suan Nong Nooch | Pattaya (Tailândia): Criado para ser uma plantação de espécies nativas, o jardim mudou bastante seu proposito ao longo dos anos, para alegria dos visitantes. Mais de 15 mil espécies de plantes de todo o mundo estão impecavelmente plantadas e cuidadas em um jardim cênico a 15 minutos de Pattaya, na Tailândia Divulgação Mais

Jardim Yu | Xangai (China): Construído em 1577 por um membro da dinastia Ming, não é dos maiores, com apenas dois hectares. Entretanto, tamanho não quer dizer muita coisa, já que é dividido em seis diferentes áreas, criando uma experiência diferente ao visitante em cada uma. Getty Images Mais

Jardim Yu | Xangai (China): "Yu" significa, em chinês, agradável e satisfatório. Esse tradicional jardim ornamental chinês, localizado na cidade antiga de Xangai, faz jus ao nome Getty Images Mais

Jardim de Boboli | Florença (Itália): Atualmente aberto ao público, abriga uma coleção de esculturas dos séculos 16 a 18, com algumas antiguidades romanas, construções de pedra, avenidas de cascalho, fontes, e muito, muito verde. É um local de tranquilidade na turbulenta cidade de Florença Divulgação Mais

Jardim de Boboli | Florença (Itália): A família Medici, grão-duques da Toscana, comprou o Palácio Pitti em 1539, para servir de residência. Não contentes, compraram parte do monte Boboli, atrás do palácio, e lá construíram um jardim particular WLIW New York Mais

Kenrokuen | Kanazawa (Japão): São diversas lagoas, riachos, cachoeiras, pontes, casas de chá, árvores, pedras e flores. A água, que é abundante, é trazida desde um distante rio graças a um sofisticado sistema construído em 1632. De acordo com a tradição, possuí os seis elementos que compõe um jardim perfeito: espaço, reclusão, artificialidade, antiguidade, água abundante e vistas amplas. Getty Images Mais

Kenrokuen | Kanazawa (Japão): Foi necessário pouco mais de dois séculos (de 1620 a 1840) para concluir este impecável jardim à frente do castelo Kanazawa, na cidade de mesmo nome Getty Images Mais

Jardim Botânico de Christchurch | Christchurch (Nova Zelândia): É considerado um oásis de Christchurch, com 21 hectares que são uns dos principais motivos de ser conhecida como a cidade jardim. Getty Images Mais

Jardim Botânico de Christchurch | Christchurch (Nova Zelândia): Em uma curva do rio Avon, cercado pelo grandioso Hagley Park, está uma das principais atrações turísticas de Christchurch, na Nova Zelândia. O jardim botânico da cidade forma um espetacular cenário de cores e formas, combinados com intrigantes obras de arte e algumas das maiores, mais altas e antigas árvores do país. Getty Images Mais

Jardim do palácio Peterhof |São Petersburgo (Rússia): Nos arredores da fonte, um imponente jardim de mais de 100 hectares, com mais de 20 fontes. Assim como o centro de São Petersburgo, é considerado Patrimônio Mundial pela UNESCO Getty Images Mais

Jardim do palácio Peterhof |São Petersburgo (Rússia): A 30 km da antiga capital russa, São Petersburgo, o palácio de Peterhof foi construído entre 1714 e 1725, pelo czar Pedro, o grande, para ser sua casa. À frente do palácio, uma fonte conhecida como a Grande Cascata forma um canal que segue até o mar Báltico Getty Images Mais

Jardim do Monet | Giverny (França): Monet viveu lá até sua morte, em 1926. Após a Segunda Guerra, a casa ficou praticamente abandonada, até que em 1977 iniciou reconstrução do jardim. Desde 1890 está aberta ao público, atraindo cerca de 500 mil visitantes anualmente. Getty Images Mais

Jardim do Monet | Giverny (França): O grande artista impressionista francês Claude Monet gostava de pintar paisagens e foi no norte da França, em Giverny, que encontrou as melhores inspirações. Em 1883 foi morar lá com sua família e começou a criação de um jardim que serviu de cenário para algumas das suas mais famosas obras Getty Images Mais

27.nov.2014 - Localizado 350 quilômetros de Kiev, a capital da Ucrânia, o "túnel do amor" é um dos principais cartões-postais da pequena cidade de Klevan. Com cerca de 3 km de extensão, o túnel ainda é utilizado por trens de carga de uma fábrica da região. Mesmo assim, é uma ótima opção para passeios românticos de casais apaixonados, principalmente durante a primavera e o outono Getty Images Mais

27.nov.2014 - No túnel, os turistas devem ter um pouco de cuidado: o caminho é todo cortado por uma via férrea, por onde, algumas vezes ao dia, passam trens operando para uma fábrica localizada nas redondezas de Klevan Creative Commons Mais

27.nov.2014 - Getty Images Mais

27.nov.2014 - Em determinadas épocas do ano, como a primavera e o outono do Hemisfério Norte, o "túnel do amor" ganha iluminações fascinantes, ideias para passeios românticos Getty Images Mais

27.nov.2014 - Em determinadas épocas do ano, como a primavera e o outono do Hemisfério Norte, o "túnel do amor" ganha iluminações fascinantes, ideais para passeios românticos Getty Images Mais

27.nov.2014 - O "túnel do amor" tem três quilômetros de extensão Getty Images Mais

27.nov.2014 - Mesmo no inverno, quando Klevan fica tomada de neve, o cenário continua lindo Getty Images Mais

8.jan.2015 - Localizada no meio deserto de Karakum - no Turcomenistão - a cratera de Darvaz possui 70 metros de diâmetro por 20 metros de profundidade e está queimando ininterruptamente desde 1971. O local, carregado de lama fervente e chamas alaranjadas, é um campo riquíssimo em gás natural que exala forte cheiro de enxofre. O fogo de mais de 40 anos na cratera foi causado pelo homem; de acordo com o site Ecoviagem, geologistas da ex-União Soviética estavam escavando uma poço em busca de petróleo e gás natural, quando a plataforma de perfuração desabou. Eles ficaram assustados com a possibilidade de vazamento do gás e decidiram queimar a cratera, esperando que o incêndio durasse apenas alguns dias Igor Sasin/AFP Mais

8.jan.2015 - Localizada no meio deserto de Karakum - no Turcomenistão - a cratera de Darvaz possui 70 metros de diâmetro por 20 metros de profundidade e está queimando ininterruptamente desde 1971. O local, carregado de lama fervente e chamas alaranjadas, é um campo riquíssimo em gás natural que exala forte cheiro de enxofre. O fogo de mais de 40 anos na cratera foi causado pelo homem; de acordo com o site Ecoviagem, geologistas da ex-União Soviética estavam escavando uma poço em busca de petróleo e gás natural, quando a plataforma de perfuração desabou. Eles ficaram assustados com a possibilidade de vazamento do gás e decidiram queimar a cratera, esperando que o incêndio durasse apenas alguns dias Reprodução/Daily Mail Mais

8.jan.2015 - Localizada no meio deserto de Karakum - no Turcomenistão - a cratera de Darvaz possui 70 metros de diâmetro por 20 metros de profundidade e está queimando ininterruptamente desde 1971. O local, carregado de lama fervente e chamas alaranjadas, é um campo riquíssimo em gás natural que exala forte cheiro de enxofre. O fogo de mais de 40 anos na cratera foi causado pelo homem; de acordo com o site Ecoviagem, geologistas da ex-União Soviética estavam escavando uma poço em busca de petróleo e gás natural, quando a plataforma de perfuração desabou. Eles ficaram assustados com a possibilidade de vazamento do gás e decidiram queimar a cratera, esperando que o incêndio durasse apenas alguns dias Reprodução/Daily Mail Mais

8.jan.2015 - Localizada no meio deserto de Karakum - no Turcomenistão - a cratera de Darvaz possui 70 metros de diâmetro por 20 metros de profundidade e está queimando ininterruptamente desde 1971. O local, carregado de lama fervente e chamas alaranjadas, é um campo riquíssimo em gás natural que exala forte cheiro de enxofre. O fogo de mais de 40 anos na cratera foi causado pelo homem; de acordo com o site Ecoviagem, geologistas da ex-União Soviética estavam escavando uma poço em busca de petróleo e gás natural, quando a plataforma de perfuração desabou. Eles ficaram assustados com a possibilidade de vazamento do gás e decidiram queimar a cratera, esperando que o incêndio durasse apenas alguns dias Reprodução/Daily Mail Mais

8.jan.2015 - Localizada no meio deserto de Karakum - no Turcomenistão - a cratera de Darvaz possui 70 metros de diâmetro por 20 metros de profundidade e está queimando ininterruptamente desde 1971. O local, carregado de lama fervente e chamas alaranjadas, é um campo riquíssimo em gás natural que exala forte cheiro de enxofre. O fogo de mais de 40 anos na cratera foi causado pelo homem; de acordo com o site Ecoviagem, geologistas da ex-União Soviética estavam escavando uma poço em busca de petróleo e gás natural, quando a plataforma de perfuração desabou. Eles ficaram assustados com a possibilidade de vazamento do gás e decidiram queimar a cratera, esperando que o incêndio durasse apenas alguns dias Reprodução/Daily Mail Mais

28.jan.2015 - Moscou, a capital da Rússia, foi fotografada de cima, por ângulos inusitados, sob os olhos do fotógrafo neo-zelandês Amos Capple. Usando um drone equipado com câmera, ele conseguiu uma perspectiva sobre a cidade. Acima, o hotel Ukrania iluminado no entardececer Amos Capple/ Rex Features Mais

28.jan.2015 - As imagens revelam uma cidade de arquitetura inspiradora e monumentos imponentes, como esta escultura de Vera Mukhina, criada originalmente para a Feira Mundial de Paris de 1937 Amos Capple/ Rex Features Mais

28.jan.2015 - Outra impressionante escultura que se destaca no horizonte de Moscou é o Monumento aos conquistadores do Espaço, feita em 1964 Amos Capple/ Rex Features Mais

28.jan.2015 - O Kremlin é um dos edifícios que Capple mais queria fotografar. "Durante dias, vasculhei a área e finalmente consegui um ponto escondido (para fazê-lo) longe da vista da polícia", afirma Amos Capple/ Rex Features Mais

28.jan.2015 - "Esperei que um fluxo de tráfego abafasse o som feito pelo drone ao subir, mas ele foi muitolento ao descer, e acabei tendo que pegá-lo no ar e correr para escapar (dos policiais)", diz o fotógrafo Amos Capple/ Rex Features Mais

28.jan.2015 - Outros edifícios foram menos difíceis de serem fotografados, caso da Universidades Estadual de Moscou, vista na foto acima com o rio Moscou ao fundo Amos Capple/ Rex Features Mais

28.jan.2015 - A catedral de Cristo Salvador, também às margens do rio Moscou, exibe na foto suas cúpulas douradas Amos Capple/ Rex Features Mais

2.fev.2015 - O site gringo Bored Panda fez uma lista em conjunto com os internautas reunindo as ruas mais bonitas do mundo. Arborizadas e com paisagens de tirar o fôlego, as imagens mostram ruas onde qualquer pessoa gostaria de morar e são abertas à votação do público para eleger as mais belas. Na imagem, a mais bem votada, uma rua de Molyvos, na ilha de Lesbos, na Grécia; confira mais fotos a seguir Reprodução/Bored Pand Mais

2.fev.2015 - Na capital da Suécia, Estocolmo, fica esta simpática rua, que está na lista das mais bonitas do planeta Reprodução/Bored Pand Mais

2.fev.2015 - Esta arborizada rua em Valencia, na Espanha, integra o time das mais belas do mundo, segundo lista do site gringo Bored Panda Reprodução/Bored Pand Mais

2.fev.2015 - A representante sul-africana da lista é uma charmosa rua da cidade de Cullinan Reprodução/Bored Pand Mais

2.fev.2015 - O site gringo Bored Panda fez uma lista reunindo as ruas mais bonitas do mundo. Arborizadas e com paisagens de tirar o fôlego, as imagens mostram ruas onde qualquer pessoa gostaria de morar. Na imagem, uma rua de Spello, na Itália Reprodução/Bored Pand Mais

2.fev.2015 - Esta rua da região de Peloponeso, na Grécia, foi considerada uma das mais bonitas do mundo Reprodução/Bored Pand Mais

2.fev.2015 - Esta arborizada rua em Bonn, na Alemanha, integra o time das mais belas do mundo, segundo lista do site gringo Bored Panda Reprodução/Bored Pand Mais

2.fev.2015 - Esta arborizada rua em Grafton, na Austrália, integra o time das mais belas do mundo, segundo lista do site gringo Bored Panda Reprodução/Bored Pand Mais

2.fev.2015 - Esta rua de Taiwan também entrou na lista das ruas mais bonitas do mundo Reprodução/Bored Pand Mais

2.fev.2015 - O Brasil também aparece na lista das ruas mais belas do mundo. Segundo o site Bored Panda, esta rua arborizada de Porto Alegre faz parte do time Reprodução/Bored Pand Mais

2.fev.2015 - O Brasil também aparece na lista das ruas mais belas do mundo. Segundo o site Bored Panda, esta rua arborizada de Porto Alegre faz parte do time Reprodução/Bored Pand Mais

2.fev.2015 - Uma rua de Washington, capital dos Estados Unidos, é a representante do país norte-americano na lista Reprodução/Bored Pand Mais

2.fev.2015 - O site gringo Bored Panda fez uma lista reunindo as ruas mais bonitas do mundo. Arborizadas e com paisagens de tirar o fôlego, as imagens mostram ruas onde qualquer pessoa gostaria de morar. Na imagem, uma rua de Jerez, na Espanha Reprodução/Bored Pand Mais

2.fev.2015 - Esta arborizada rua em Positano, na Itália, integra o time das mais belas do mundo, segundo lista do site gringo Bored Panda Reprodução/Bored Pand Mais

2.fev.2015 - Entre as mais belas ruas do mundo está uma charmosa viela de Brisbane, na Austrália Reprodução/Bored Pand Mais

7.fev.2015 - Fogos de artifício iluminam o céu de Pasay, nas Filipinas, durante o 6º Concurso Internacional Piromusical. Disputam o título dessa edição equipes do Japão, Itália, Brasil, México, Holanda, Portugal, Suécia, Canadá, Reino Unido, Filipinas e China Dennis M/EFE Mais

7.fev.2015 - Fogos de artifício iluminam o céu de Pasay, nas Filipinas, durante o 6º Concurso Internacional Piromusical. Disputam o título dessa edição equipes do Japão, Itália, Brasil, México, Holanda, Portugal, Suécia, Canadá, Reino Unido, Filipinas e China Dennis M/EFE Mais

7.fev.2015 - Pessoas assistem a show de fogos de artifício durante o 6º Concurso Internacional Piromusical, realizado em Pasay, nas Filipinas. Ao todo, 11 países [Filipinas, Japão, Itália, Brasil, México, Holanda, Portugal, Suécia, Canadá, Reino Unido e China] disputam a competição Romeo Ranoco/Reuters Mais

7.fev.2015 - Pessoas assistem a show de fogos de artifício durante o 6º Concurso Internacional Piromusical, realizado em Pasay, nas Filipinas. Ao todo, 11 países (Filipinas, Japão, Itália, Brasil, México, Holanda, Portugal, Suécia, Canadá, Reino Unido e China) disputam a competição Romeo Ranoco/Reuters Mais

7.fev.2015 - Pessoas assistem a show de fogos de artifício durante o 6º Concurso Internacional Piromusical, realizado em Pasay, nas Filipinas. Ao todo, 11 países [Filipinas, Japão, Itália, Brasil, México, Holanda, Portugal, Suécia, Canadá, Reino Unido e China] disputam a competição Romeo Ranoco/Reuters Mais

7.fev.2015 - Pessoas assistem a show de fogos de artifício durante o 6º Concurso Internacional Piromusical, realizado em Pasay, nas Filipinas. Ao todo, 11 países [Filipinas, Japão, Itália, Brasil, México, Holanda, Portugal, Suécia, Canadá, Reino Unido e China] disputam a competição Romeo Ranoco/Reuters Mais

7.fev.2015 - Fogos de artifício iluminam o céu de Pasay, nas Filipinas, durante o 6º Concurso Internacional Piromusical. Disputam o título dessa edição equipes do Japão, Itália, Brasil, México, Holanda, Portugal, Suécia, Canadá, Reino Unido, Filipinas e China Dennis M/EFE Mais

7.fev.2015 - Fogos de artifícios iluminam o céu de Pasay, nas Filipinas, durante o 6º Concurso Internacional Piromusical. Disputam o título dessa edição equipes do Japão, Itália, Brasil, México, Holanda, Portugal, Suécia, Canadá, Reino Unido, Filipinas e China Dennis M/EFE Mais

7.fev.2015 - Fogos de artifício iluminam o céu de Pasay, nas Filipinas, durante o 6º Concurso Internacional Piromusical. Disputam o título dessa edição equipes do Japão, Itália, Brasil, México, Holanda, Portugal, Suécia, Canadá, Reino Unido, Filipinas e China Dennis M/EFE Mais

7.fev.2015 - Fogos de artifício iluminam o céu de Pasay, nas Filipinas, durante o 6º Concurso Internacional Piromusical. Disputam o título dessa edição equipes do Japão, Itália, Brasil, México, Holanda, Portugal, Suécia, Canadá, Reino Unido, Filipinas e China Dennis M/EFE Mais

7.fev.2015 - Fogos de artifício iluminam o céu de Pasay, nas Filipinas, durante o 6º Concurso Internacional Piromusical. Disputam o título dessa edição equipes do Japão, Itália, Brasil, México, Holanda, Portugal, Suécia, Canadá, Reino Unido, Filipinas e China Dennis M/EFE Mais

7.fev.2015 - Fogos de artifício iluminam o céu de Pasay, nas Filipinas, durante o 6º Concurso Internacional Piromusical. Disputam o título dessa edição equipes do Japão, Itália, Brasil, México, Holanda, Portugal, Suécia, Canadá, Reino Unido, Filipinas e China Dennis M/EFE Mais

7.fev.2015 - Fogos de artifício iluminam o céu de Pasay, nas Filipinas, durante o 6º Concurso Internacional Piromusical. Disputam o título dessa edição equipes do Japão, Itália, Brasil, México, Holanda, Portugal, Suécia, Canadá, Reino Unido, Filipinas e China Dennis M/EFE Mais

7.fev.2015 - Fogos de artifício iluminam o céu de Pasay, nas Filipinas, durante o 6º Concurso Internacional Piromusical. Disputam o título dessa edição equipes do Japão, Itália, Brasil, México, Holanda, Portugal, Suécia, Canadá, Reino Unido, Filipinas e China Dennis M/EFE Mais

7.fev.2015 - Fogos de artifício iluminam o céu de Pasay, nas Filipinas, durante o 6º Concurso Internacional Piromusical. Disputam o título dessa edição equipes do Japão, Itália, Brasil, México, Holanda, Portugal, Suécia, Canadá, Reino Unido, Filipinas e China Dennis M/EFE Mais

7.fev.2015 - Fogos de artifício iluminam o céu de Pasay, nas Filipinas, durante o 6º Concurso Internacional Piromusical. Disputam o título dessa edição equipes do Japão, Itália, Brasil, México, Holanda, Portugal, Suécia, Canadá, Reino Unido, Filipinas e China Dennis M/EFE Mais

7.fev.2015 - Fogos de artifício iluminam o céu de Pasay, nas Filipinas, durante o 6º Concurso Internacional Piromusical. Disputam o título dessa edição equipes do Japão, Itália, Brasil, México, Holanda, Portugal, Suécia, Canadá, Reino Unido, Filipinas e China Bullit Marquez/AP Mais

7.fev.2015 - Fogos de artifício iluminam o céu de Pasay, nas Filipinas, durante o 6º Concurso Internacional Piromusical. Disputam o título dessa edição equipes do Japão, Itália, Brasil, México, Holanda, Portugal, Suécia, Canadá, Reino Unido, Filipinas e China Bullit Marquez/AP Mais

7.fev.2015 - Fogos de artifício iluminam o céu de Pasay, nas Filipinas, durante o 6º Concurso Internacional Piromusical. Disputam o título dessa edição equipes do Japão, Itália, Brasil, México, Holanda, Portugal, Suécia, Canadá, Reino Unido, Filipinas e China Bullit Marquez/AP Mais

7.fev.2015 - Fogos de artifício iluminam o céu de Pasay, nas Filipinas, durante o 6º Concurso Internacional Piromusical. Disputam o título dessa edição equipes do Japão, Itália, Brasil, México, Holanda, Portugal, Suécia, Canadá, Reino Unido, Filipinas e China Bullit Marquez/AP Mais

7.fev.2015 - Fogos de artifício iluminam o céu de Pasay, nas Filipinas, durante o 6º Concurso Internacional Piromusical. Disputam o título dessa edição equipes do Japão, Itália, Brasil, México, Holanda, Portugal, Suécia, Canadá, Reino Unido, Filipinas e China Bullit Marquez/AP Mais

7.fev.2015 - Fogos de artifício iluminam o céu de Pasay, nas Filipinas, durante o 6º Concurso Internacional Piromusical. Disputam o título dessa edição equipes do Japão, Itália, Brasil, México, Holanda, Portugal, Suécia, Canadá, Reino Unido, Filipinas e China Bullit Marquez/AP Mais

7.fev.2015 - Fogos de artifício iluminam o céu de Pasay, nas Filipinas, durante o 6º Concurso Internacional Piromusical. Disputam o título dessa edição equipes do Japão, Itália, Brasil, México, Holanda, Portugal, Suécia, Canadá, Reino Unido, Filipinas e China Bullit Marquez/AP Mais

7.fev.2015 - Pessoas assistem a show de fogos de artifício durante o 6º Concurso Internacional Piromusical, realizado em Pasay, nas Filipinas. Ao todo, 11 países (Filipinas, Japão, Itália, Brasil, México, Holanda, Portugal, Suécia, Canadá, Reino Unido e China) disputam a competição Rouelle Umali/Xinhua Mais

7.fev.2015 - Pessoas assistem a show de fogos de artifício durante o 6º Concurso Internacional Piromusical, realizado em Pasay, nas Filipinas. Ao todo, 11 países (Filipinas, Japão, Itália, Brasil, México, Holanda, Portugal, Suécia, Canadá, Reino Unido e China) disputam a competição Rouelle Umali/Xinhua Mais

7.fev.2015 - Pessoas assistem a show de fogos de artifício durante o 6º Concurso Internacional Piromusical, realizado em Pasay, nas Filipinas. Ao todo, 11 países (Filipinas, Japão, Itália, Brasil, México, Holanda, Portugal, Suécia, Canadá, Reino Unido e China) disputam a competição Rouelle Umali/Xinhua Mais

7.fev.2015 - Pessoas assistem a show de fogos de artifício durante o 6º Concurso Internacional Piromusical, realizado em Pasay, nas Filipinas. Ao todo, 11 países (Filipinas, Japão, Itália, Brasil, México, Holanda, Portugal, Suécia, Canadá, Reino Unido e China) disputam a competição Rouelle Umali/Xinhua Mais