Casa Cor SP: 4 cozinhas integradas e futuristas que você vai querer ter

Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://noticias.bol.uol.com.br/fotos/entretenimento/2016/06/17/4-cozinhas-integradas-e-futuristas-da-casa-cor-sp-que-voce-vai-querer-ter.htm
  • totalImagens: 12
  • fotoInicial: 2
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20160617070000
    • Casa e Decoração [75232]; UOL Mulher [73845]; Decoração [18997]; Casa Cor [30171];
Fotos

A Cozinha Gourmet, assinada por Guilherme Torres para a Casa Cor SP 2016, é tecnológica e apresenta uma geladeira que usa a indução eletromagnética para o resfriamento dos alimentos e só estará no mercado em 2026. O refrigerador é equipado com o novo sistema "refresh-frozen", que aplica a cada compartimento o frio necessário ao produto armazenado. [Por Thalita Peres, do UOL, em São Paulo] Katia Kuwabara/UOL Mais

Guilherme Torres assina a Cozinha Gourmet na Casa Cor SP e utiliza a tecnologia da indução no ambiente: o processo é aplicado, por exemplo, à geladeira (ao fundo). O equipamento cria um campo eletromagnético ao redor de cada compartimento para a manutenção exata da temperatura. Assim, cada produto armazenado é refrigerado, congelado ou refrescado de maneira independente Katia Kuwabara/UOL Mais

A bancada de Corian é um dos destaques do espaço Cozinha Gourmet, de Guilherme Torres, na edição paulistana da Casa Cor em 2016. O móvel - que pode ser totalmente fechado - funciona como armário, pia, escorredor e máquina de lavar, esta escondida em um compartimento Katia Kuwabara/UOL Mais

Na Cozinha Gourmet, criada pelo arquiteto Guilherme Torres para a Casa Cor SP 2016, o sistema de lavagem da pia e a lava-louças ficam embutidos na bancada de Corian. A máquina é a vapor: leva apenas 5 muitos para que a louça fique limpa e o gasto de água é mínimo, 50 ml (uma lavadora convencional consome, em média, 8 l). A pia pode ser fechada e a torneira é retrátil Katia Kuwabara/UOL Mais

No tampo da bancada de Corian, exposta na Cozinha Gourmet, do arquiteto Guilherme Torres, há um ponto para carregar o celular: basta posicionar o aparelho, que é alimentado por indução. O espaço está na edição paulistana da Casa Cor SP, que fica em cartaz até 10 de junho de 2016, no Jockey Club Katia Kuwabara/UOL Mais

Paola Linhares é a responsável pelo Loft do Campo, na edição 2016 da Casa Cor SP. A imensa bancada em estilo campestre tem gavetas verdes com aspecto antigo, mas é equipada com utensílios modernos como a coifa compacta, a geladeira Smeg, o cooktop e as torneiras da Deca, que, por serem maleáveis, podem ser manipuladas e 'levadas' de um lado para outro Katia Kuwabara/UOL Mais

A mesa disposta no meio do loft é dividida em dois: a primeira parte serve para as refeições e conta com um sofá de espaldar alto no lugar de duas cadeiras. A segunda parte é usada como escrivaninha. No Loft do Campo, assinado por Paola Ribeiro para a Casa Cor SP, o piso é de madeira de demolição Katia Kuwabara/UOL Mais

A Cozinha Essencial, espaço criado por Marília Pellegrini para a edição paulistana Casa Cor em 2016, conta com armários inteligentes com abertura automática através do simples toque ou por controle remoto. Com acabamento em madeira clara, os móveis não possuem puxadores Katia Kuwabara/UOL Mais

O armário que abre e fecha automaticamente, na Cozinha Essencial criada por Marília Pellegrini e exibida na Casa Cor SP 2016, funciona por meio do sistema Servo-Drive, da Blum. A ferragem alemã é movida à eletricidade e auxilia o movimento das portas, deixando-o leve e suave. Quando a energia é cortada, porém, o equipamento não deixa de funcionar Katia Kuwabara/UOL Mais

A bancada em MDF, do espaço assinado por Marília Pellegrini, conta com cooktop da Gorenje, desenhado pelo designer Ora-Ïto, que pode ser "escondido" e está instalado em sobre a superfície ultra-compacta Dekton. A Cozinha Essencial pode ser vista na edição 2016 da Casa Cor SP Katia Kuwabara/UOL Mais

A cozinha dentro do ambiente assinado por Marina Linhares, na edição paulistana da Casa Cor 2016, é iluminada por uma série de pendentes esféricos. Para as refeições, o balcão é amplo e acomoda cinco banquetas altas. A linguagem dos móveis tem um "quê" industrial Katia Kuwabara/UOL Mais

A bancada do espaço criado pela arquiteta Marina Linhares, na edição paulistana da Casa Cor 2016, é feita de cerâmica com marcenaria em pinus autoclavado. Os tampos em Balsatina têm acabamento levigado, onde a pedra é aplainada e semipolida. Os eletros foram embutidos, o misturador de mesa (à dir.) tem design de Jader Almeida e a hidráulica emprega sistema de reúso de água Katia Kuwabara/UOL Mais

Comente no Facebook