Projeto sobre construção da identidade muda comunidade de SP

Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://noticias.bol.uol.com.br/fotos/entretenimento/2017/06/05/projeto-sobre-construcao-da-identidade-muda-comunidade-de-sp.htm
  • totalImagens: 30
  • fotoInicial: 1
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20170605170303
    • Educação [16614]; Professores [29902]; BOL [50782]; Especiais BOL [77978]; Dia do Professor no BOL [78685];
    • São Paulo [5106];
Fotos

12.mai.2017 - A comunidade do Morro Doce, em Vila Palmares, na cidade de São Paulo, é uma região periférica com muitos problemas sociais, mas também com motivos de sobra para se orgulhar. Um deles é o projeto Construção da Identidade, da EMEF (Escola Municipal do Ensino Fundamental) Marili Dias, que ficou entre os dez melhores no prêmio Educador Nota 10 de 2016 e modificou a forma como os alunos viam a escola e o seu bairro Evelson de Freitas/BOL Mais

Na imagem, parte dos alunos da escola e professores envolvidos no projeto mostram que os trabalhos em comunidade mudaram não apenas a forma como eles começaram a ver seu bairro, mas criaram fortes vínculos entre eles Evelson de Freitas/BOL Mais

Olhando para o futuro, alunos e professores sabem que nem sempre estarão juntos, mas lembrarão de terem feito parte da vida um do outro durante todo o processo de construção da identidade Evelson de Freitas/BOL Mais

O professor Fábio Augusto Machado, de 35 anos, é um dos principais responsáveis pelo aprimoramento e implantação do projeto que, desde 2015, tem mudado vidas na comunidade do Morro Doce, em São Paulo. Na época professor de geografia, ele se aproximou dos alunos para buscar entender as demandas e necessidades dos estudantes Evelson de Freitas/BOL Mais

Hoje na EMEF Recanto dos Humildes, comunidade tão carente quanto a do Morro Doce, ele busca, como coordenador de ensino, implantar novos projetos para diminuir os problemas da escola e dar voz aos alunos Evelson de Freitas/BOL Mais

Apaixonado pelo que faz, o professor Fábio Augusto Machado buscou, durante o projeto "A construção da identidade", expandir a autonomia do aluno, através da criação de saraus sociais, rodas de discussões e documentários em vídeo Evelson de Freitas/BOL Mais

"Nós começamos a trabalhar com o aluno a ideia de respeito, a ideia da alteridade, do outro, trabalhar as necessidades do outro, compreender as demandas do outro. E aí nós começamos a trabalhar a questão da autoestima", diz Fábio ao BOL Evelson de Freitas/BOL Mais

"A ideia é oferecer outras possibilidades. Identificar a potência, não só o problema. Não é negar o problema, 'glamurizar' a pobreza. Mas, no meio de uma situação de luta, de combate, você pode tirar alguns saberes dali", afirmou Fábio ao defender o potencial dos estudantes Evelson de Freitas/BOL Mais

Imagem mostra a comunidade do Morro Doce, em Vila Palmares. A EMEF Marili Dias fica no alto desta região e, segundo o professor Fábio, foi criada com o objetivo de suprimir uma demanda da região e receber os estudantes de outras escolas que não davam conta do número de crianças Evelson de Freitas/BOL Mais

Imagem mostra a comunidade do Morro Doce, em Vila Palmares, onde fica localizada a EMEF Marili Dias Evelson de Freitas/BOL Mais

O trabalho ministrado pelo professor Fábio Augusto Machado teve a ajuda de duas professoras. Uma delas é a Daniela Gissoni, de 42 anos. Ela também leciona geografia e foi responsável pelas rodas de discussão e edição de documentários em conjunto com os alunos Evelson de Freitas/BOL Mais

Para Daniela Gissoni, que atua há 22 anos como professora, o que a motiva em seu trabalho são os alunos. "Para você ser professora, o que tem que te motivar são as pessoas com que você trabalha. As pessoas com quem você constrói conhecimento. São os nossos educandos", afirma ao BOL Evelson de Freitas/BOL Mais

Outra integrante do projeto "A construção da identidade" é a professora Ariana Ferreira, de 33 anos. Há dez como professora de português, ela foi responsável pelos saraus sociais e por ajudar no processo de criação das poesias de protesto dos seus alunos Evelson de Freitas/BOL Mais

Nos muros da EMEF Marili Dias é possível ver que a questão da identidade está impressa por meio de grafites que os próprios estudantes pintaram Evelson de Freitas/BOL Mais

Nos muros da EMEF Marili Dias é possível ver que a questão da identidade está impressa por meio de grafites que os próprios estudantes pintaram Evelson de Freitas/BOL Mais

O BOL acompanhou uma roda de discussões entre os alunos da EMEF Marili Dias, com a participação do professor Fábio Augusto Machado. O educador saiu da escola em que trabalhava como professor para assumir o cargo de coordenador na EMEF Recanto dos Humildes em março deste ano Evelson de Freitas/BOL Mais

Professr Fábio Augusto Machado acompanha novas alunas que começaram a participar dos projetos deste ano na EMEF Marilli Dias. A instituição tem 21 projetos em atividade atualmente Evelson de Freitas/BOL Mais

Enquanto uma das alunas recita o verso de um poema sobre sua rua, Fábio aparece orgulhoso prestando atenção Evelson de Freitas/BOL Mais

Tayne, aluna do 9º ano da EMEF Marili Dias, conta com felicidade sobre as mudanças que o projeto "A construção da identidade" surtiu em sua vida Evelson de Freitas/BOL Mais

Tayne, aluna do 9º ano da EMEF Marili Dias, se emociona ao comentar relação com os professores que participaram do projeto Evelson de Freitas/BOL Mais

Evelyn, do 8º ano, diz empenhada que mudou sua visão sobre a escola após participar do projeto "A construção da identidade" Evelson de Freitas/BOL Mais

Eduardo, do 9º ano, se diverte com a roda de discussões realizada com alunos e professores da EMEF Marili Dias Evelson de Freitas/BOL Mais

Patrícia, do 9º ano, explica que ficou mais feliz após participar das ações em conjunto com professores e alunos Evelson de Freitas/BOL Mais

Beatriz, do 9º ano, fica emocionada ao ver os colegas comentando sobre as aulas, o crescimento do grupo e da amizada após o projeto Evelson de Freitas/BOL Mais

Professoras Adriana (esq.) e Daniela (dir.) riem durante roda de conversa com alunos Evelson de Freitas/BOL Mais

Mayara, do 9º ano, foi uma das que mais se emocionou ao relatar mudanças em sua vida após o projeto Evelson de Freitas/BOL Mais

Professora Daniela Gissoni presta atenção em aluna ao falar sobre o aprendizado e a melhora que observou após sofrer bullying na escola Evelson de Freitas/BOL Mais

Rafaela, do 7º ano, leu poema sobre sua rua durante roda de conversa Evelson de Freitas/BOL Mais

Imagem mostra outros projetos e aulas da EMEF Marili Dias Evelson de Freitas/BOL Mais

O projeto "A construção da identidade" fez com que alunos se aproximassem e ficassem mais unidos Evelson de Freitas/BOL Mais

Comente no Facebook