Kombi 60 anos: conheça história e curiosidades da carismática van

Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://noticias.bol.uol.com.br/fotos/entretenimento/2017/09/01/kombi-60-anos-conheca-historia-e-curiosidades-da-carismatica-van.htm
  • totalImagens: 24
  • fotoInicial: 1
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20170901040000
    • Carros [13014]; Cultura do carro [77141];
Fotos

A Kombi foi idealizada pelo importador holandês Ben Pon, que imaginou um veículo leve de carga usando o conjunto mecânico do Fusca. O primeiro esboço do carro foi desenhado em sua caderneta de anotações em abril de 1947. Seu lançamento mundial ocorreu no Salão de Frankfurt de 1951. Reprodução/The Truth About Cars Mais

Kombi é um dos primeiros veículos com carroceria monobloco e estilo round square (o tal "quadrado redondo", tão em voga atualmente). Surgida como projeto Type 2 (o Fusca era o Type 1), foi chamada de Transporter, com versões Kastenwagen (furgão) e Microbus (com bancos). Reprodução/Pinterest Mais

Agora vem a grande revelação: o nome Kombi é nada mais do que um apelido "abrasileirado", surgido da redução da expressão alemã (respire fundo...) Kombinationsfahrzeug (ou simplesmente "veículo combinado"). Apelido, aliás, é o que não falta para ela: Velha Senhora (Brasil), Vee Dub e Hippie Van (EUA) e Pão de Forma (Portugal) são alguns deles. Divulgação Mais

No Brasil, ela começou a ser montada em CKD e vendida pela Brasmotor em 1953, usando peças importadas da Alemanha. Wikimedia Mais

Primeiras unidades genuinamente brasileiras foram produzidas a partir de 2 de setembro de 1957 na fábrica da Volkswagen de São Bernardo do Campo (SP), com 50% de nacionalização. Van usava motor traseiro a ar de 1.192 cm³ e 30 cavalos. Divulgação Mais

Assim era a linha de montagem da Kombi em São Bernardo do Campo (SP), em maio de 1958 Reprodução/Wikipedia Mais

Quase 50 anos depois, assim estava a mesma linha da Kombi em SBC no ano de 2007. Hoje a fábrica está totalmente modernizada e passará a comportar a produção da sexta geração do Polo. Divulgação Mais

Kombi é conhecida por seus dotes extremamente valentes no fora-de-estrada. Também pudera: veja como eram os testes de durabilidade feitos pela Volkswagen com a minivan nos anos 50... Divulgação Mais

No restante do mundo a Kombi ainda existe como "Transporter" e está em sua sexta geração, com faróis de LED, aquecimento de bancos e opção de motores a diesel e até do Golf (pois é). Cada geração é chamada, respectivamente, de T1 (à esquerda na foto), T2, T3, T4, T5 e T6 (à direita). Somente os modelos T1 (Corujinha) e T2 (Clipper) foram fabricados no Brasil. Divulgação Mais

Primeira geração, apelidada no Brasil de "corujinha" (devido aos traços dianteiros esse vincos em forma de V, semelhantes ao bico de uma coruja), foi fabricada pela Volkswagen no Brasil de 57 até 76. Reprodução/classiccult Mais

Já reparou que os carros de 2017 estão reincorporando a tendência "pintura saia e blusa"? Pois a Kombi já ditava essa moda nos anos 50 com suas simpáticas pinturas bicolores Reprodução Mais

Em 76 veio a chamada segunda geração, conhecida como "clipper". Ela usava motor 1.6 4-cilindros de 58 cv, ainda refrigerado a ar, e seguiu em linha até 2000. Também foi nessa década que o utilitário ganhou equipamentos como cinto de segurança e extintor de incêndio. Divulgação Mais

Kombi é "pau para toda obra", e como tal não poderia deixar de oferecer diferentes tipos de carroceria: furgão de passageiro ou carga, picape cabine simples ou dupla, motor a gasolina ou a diesel... Divulgação Mais

Esta é série especial Carat, lançada em 96 e que trazia itens de "luxo" à Kombi. A partir dos anos 1990 o Brasil começou a implantar normas de emissão de poluentes e a Volkswagen teve de se mexer: em 98 surgiu a Kombi com injeção eletrônica multiponto. Adeus, carburador. Divulgação Mais

Em 2006, nova revolução (para desespero dos fãs mais tradicionais). A Kombi trocou o motor 1.6 a ar por um 1.4 flex refrigerado a água, o que resultou na introdução de um radiador na grade dianteira (um pouco diferente da grade que já havia sido usada na Kombi a diesel nos anos 80). Painel de instrumentos com novos mostradores era similar ao do Fox. Divulgação Mais

Em 2011, a fábrica de SBC comemorou a marca de 1.560.000 de exemplares da Kombi produzidos. Celebração foi um tanto "agridoce", porque lá já se sabia que, com a aprovação de uma nova lei que tornaria obrigatório o uso de airbags e freios ABS, a minivan pararia de ser produzida em 2013. Divulgação Mais

Em 2013 a Volkswagen se despediu da Kombi com a série Last Edition, limitada inicialmente a 600 unidades de R$ 85 mil. Edição polemizou quando marca decidiu estendê-la a 1.200 exemplares. Volkswagen Kombi Last Edition Mais

Se a última unidade produzida (chassi número EP022526) era comum, com pintura branca, os funcionários fizeram questão de personalizar uma unidade anterior para marcar o momento do adeus Reprodução Mais

Unidades da Kombi Last Edition foram enviadas para a matriz da Volkswagen, na Alemanha, e estão ora no museu de Hannover, ora na Autostadt, em Wolfsburg. Há ainda exportação crescente de exemplares brasileiros, sobretudo para a Europa Reprodução/Autos Segredos Mais

Legado da Kombi transcendeu setor automotivo e foi parar na música. Canção "Down Under", lançada em 81 pela banda australiana Men At Work,1981, faz uma homenagem ao carro "Travelling in a fried-out Kombi / On a hippie trail, head full of zombie" ("Viajando em uma Kombi capenga / Numa trilha hippie, cabeça cheia de maconha"). Reprodução/Tiger Strypes Mais

Kombi também é estrela de cinema: em 2006, uma unidade amarela da geração "clipper" foi protagonista do filme "Pequena Miss Sunshine", de Jonathan Dayton e Valerie Faris Reprodução/HelloGiggles Mais

Roupa Nova numa Kombi? Pois é, esse é um dos muitos exemplares de colecionador que estão virando clássicos de referência no Brasil -- é uma 1970 e pertence ao carioca Rodrigo Láo Reprodução Mais

A cada mês, cerca de 50 Kombi "corujinha" são exportadas do Brasil para colecionadores da Europa, que chegam a pagar mais de R$ 90 mil por um modelo restaurado Reprodução/Pincomex Mais

Esta é a ID Buzz Concept, protótipo de nova Kombi no mundo (que convive com geração T6 e pode usar este novo modelo como uma T7, enquanto o Brasil parou na T2): autônoma, 100% elétrica, conectada e ainda assim fiel à origem Brendan McDermid/Reuters Mais

Comente no Facebook