Cinza é o novo branco: 20 ideias criativas de como usar a cor na decoração

Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://noticias.bol.uol.com.br/fotos/entretenimento/2018/12/02/cinza-e-o-novo-branco-20-ideias-criativas-de-como-usar-a-cor-na-decoracao.htm
  • totalImagens: 20
  • fotoInicial: 1
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20181202040000
    • Casa e decoração - Universa [75232]; Universa [73845]; Inspira - Universa [78754];
Fotos

A cor, resultado da combinação preto com branco, é a mais nova aposta de arquitetos e designers de interiores para a decoração. Neutro, permite ser combinado com outros elementos coloridos, mas tem a vantagem de agregar personalidade ao ambiente e não evidenciar marcas na parede com facilidade. Projeto: Anna Parisi Arquitetura + Design Alessandro Guimarães/ Divulgação Mais

É possível destacar o cinza nas paredes, mas também em outras superfícies, como teto e piso. Aqui, neste living, a pintura confere efeito de cimento queimado às paredes, enquanto o piso é composto por granito cinza lixado. Para conferir descontração ao ambiente, as cores vivas aparecem bem pontuais. Projeto: BC Arquitetos Denilson Machado/ Divulgação Mais

Não pense que por ser neutro o cinza é destinado apenas para compor ambientes claros. No projeto ao lado, do quarto de casal, a cor é mais puxada para o preto e confere uma atmosfera elegante e mais sombria. O objetivo é deixar o espaço mais acolhedor e ressaltar as obras de arte e o mobiliário do morador. Projeto: David Bastos e equipe DB Arquitetos Filippo Barberghi/ Divulgação Mais

Proposta similar ao do quarto, a sala ficou clássica e sofisticada em tom cinza chumbo. Para suavizar a cor e obter um ambiente menos frio, vale trocar alguns objetos de decoração, como cortinas e tapete, por outros de cor mais leve ou quente. Quem tem medo de ousar pode testar escurecer apenas uma parede. Projeto: David Bastos e equipe DB Arquitetos Filippo Barberghi/ Divulgação Mais

O cinza também é uma cor sem gênero. Amigos, como os que moram no apartamento ao lado, resolveram dar uma chance para o tom, mas queriam uma proposta mais masculina. Para deixar o apê mais sério, a solução encontrada foi somar toques de cor preta ao conceito industrial, que se materializou por meio do piso em porcelanato cimentício e paredes com textura de concreto. Projeto: Doob Arquitetura Mariana Orsi/ Divulgação Mais

Dá para equilibrar o cinza também com outros materiais. Neste quarto de um jovem, a cor aparece em forma de cimento queimado da parede da janela até o teto, e divide espaço com um revestimento de madeira clarinho aplicado na parte inferior, ao redor da cama. Projeto: Eliana Castellari Arquitetura Divulgação Mais

Além de se destacar entre as tintas, o cinza ainda tem aparecido em peso nos papéis de parede. À esquerda, o grande destaque do quarto é seu centro, que se reinventou com a aplicação de um modelo com linhas e arabescos. Por ser discreto, o revestimento combinou com espelhos laterais e um quadro sobre a cama. Já as paredes receberam demãos de tinta e ganharam aspecto liso. Projeto: Estúdio Campetti Marcelo Stammer/ Divulgação Mais

Não é uma regra inquebrável a de que cores fechadas escurecem o ambiente. O que torna um cômodo escuro e com aparência sufocante é a falta de luz. Prova de que dá certo é este projeto, cuja parede de fundo recebeu um tom cinza quase preto e que serviu de base para destacar elementos da decoração e ajuda a delimitar bem a metragem. Projeto: Estúdio Pedro Bazani Marco Antônio/ Divulgação Mais

Por ser uma cor neutra, o cinza se adequa a todo tipo de perfil e também pode ser usado em quartos de hóspedes. Neste dormitório, a parte superior da parede da cabeceira recebeu efeito de cimento queimado e a inferior um painel de madeira, que, assim como o armário vazado, servem para ?aquecer? o cômodo. Projeto Greisse Panazzolo Arquitetura Denise Wichmann/ Divulgação Mais

Se o objetivo for explorar o cinza além do plano de fundo também dá. Neste living, a moradora impregnou o tom nas paredes, mas também nas cortinas, nos estofados, móveis e tapete. Para não deixar tudo muito apagado, ela apostou em texturas, formas geométricas, mas também em peças coloridas e fáceis de trocar. Projeto Greisse Panazzolo Arquitetura Denise Wichmann/ Divulgação Mais

Para não errar no tom de cinza, lembre-se que os mais amarronzados aquecem o ambiente, enquanto os mais azulados esfriam. Na sala ao lado, como há grande presença de cinza e uma parede inteira azul escura foi preciso ?esquentar?. A solução foi abusar do colorido e da marcenaria para deixar o espaço mais leve, sem perder o charme rústico e industrial. Projeto Icono Projetos e Interiores Luís Gomes/ Divulgação Mais

Quem disse que quarto de bebê não pode ser cinza? Investir nessa cor tem sido a aposta de casais que preferem não saber ou esperar o sexo do bebê para montar seu cantinho. Além disso, manter a cor cinza é muito mais prático e ecônomico, pois à medida que a criança cresce os pais só têm o trabalho de trocar os móveis. Projeto Juliana Marroni Arquitetura de Interiores Marcia Rocha/ Divulgação Mais

Existem inúmeros motivos para se apaixonar pela cor cinza. Fora os muitos já mostrados está também o de reforçar uma identidade urbana. Para quem é jovem, a cor pode ainda representar a paixão pelo esporte e pela rotina agitada. Se você é cheio de energia, um quarto cinza pede pontos de cor. Tente com amarelo, laranja e pink. Projeto Juliana Marroni Arquitetura de Interiores Mariana Orsi/ Divulgação Mais

Pedras também são recursos que conferem um acabamento cinza fora do convencional. No canto esquerdo desta sala, pedras portuguesas foram aplicadas como um mural e complementam a decoração. Além delas, outras boas sugestões são granito, mármore, miracema, basaltina e quartzo. Projeto Karina Korn Arquitetura Eduardo Pozella/ Divulgação Mais

Um mix de duplas de cores que funcionam bem com cinza: azul e amarelo, roxo e amarelo e rosa goiaba com laranja. No projeto ao lado, a base neutra é cinza, mas as grandes vedetes do espaço são o móvel aparador-banco em laca azul e o enorme quadro amarelo vibrante. No piso, para harmonizar e ampliar o espaço, a escolha foi o porcelanato com padrão de cimento queimado. Projeto Loft87 Arquitetura Mariana Orsi/ Divulgação Mais

Cinza com branco e tons amadeirados formam o trio da elegância, conforto e serenidade. Enquanto a cor branca remete à sensação de paz, o cinza sugere requinte ao ambiente (ainda mais se for escuro e glacial) e o marrom um toque acolhedor. Projeto do escritório Spaço Interior Kadu Lopes/ Divulgação Mais

A combinação cinza com azul transmite frescor e ainda confere jovialidade ao ambiente. Além disso, de acordo com o Feng Shui, é uma cor relacionada com o equilíbrio, por resultar da mistura do preto com o branco, ou seja, cores opostas. Já a madeira e as plantas trazem a energia da natureza para dentro do lar. Projeto Natália Salla Arquitetura e Interiores Mariana Orsi/ Divulgação Mais

Para que paredes inteiras de uma única cor vibrante não passem a incomodar ou roubar a atenção de outros elementos, a dica é atenuá-las. O branco sozinho pode não funcionar, pois, dependendo da cor oponente, reforça ainda mais sua presença. Porém, se for somado ao cinza, que também chama a atenção, mas é uma cor fria, o ambiente fica harmonizado. Projeto Pietro Terlizzi Arquitetura Guilherme Pucci/ Divulgação Mais

Apesar de salas e quartos serem os ambientes que mais se reinventam com o cinza, cozinha, varanda gourmet e área da churrasqueira também se beneficiam com ela. Neste projeto, o cinza ajudou a reforçar ainda mais a funcionalidade e a beleza das peças e acabamentos em inox. Projeto Piloni Arquitetura Thales Nogueira/ Divulgação Mais

A ideia foi montar um ambiente de atmosfera sóbria, mas divertida. A madeira do painel, da bancada e das cadeiras injeta calor instantâneo ao espaço clean. Já os armários espelhados, a geladeira envelopada e a coifa metalizada refletem as tendências do momento. Completam o visual luminárias com design industrial e ladrilhos no frontão da pia. Projeto Lays Medeiros e Lea Kaufmann, do Studio LK Henrique Ribeiro/ Divulgação Mais

Comente no Facebook