Veja as consequências do aquecimento global

Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://noticias.bol.uol.com.br/fotos/imagens-do-dia/2013/06/17/veja-as-consequencias-do-aquecimento-global.htm
  • totalImagens: 31
  • fotoInicial: 17
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20130617115721
    • Notícias [35976]; Mudanças climáticas [11383]; Aquecimento global [9148];
Fotos

2003: Enfermeira ajuda paciente a tomar um copo d'água na emergência de um hospital em Bordeaux, na França. As fortes ondas de calor levaram à morte cerca de 20 mil pessoas na Europa, além de provocar perdas de mais de US$ 10 bilhões no setor agrícola do continente Patrick Bernard/AFP Mais

2005: Moradores aguardam resgate em cima do telhado de casa em Nova Orleans, nos Estados Unidos, após passagem do furacão Katrina David J. Phillip/AP Mais

2008: Casa desaba em rio de Kingston, na Jamaica, após a passagem da tempestade tropical Gustav. O fenômeno se transformou em furacão e devastou a área com ventos de 120 quilômetros por hora Collin Reid/AP Mais

2008: Vista aérea de região em Mianmar destruída pelo ciclone Nargis, que deixou 77.738 mortos e 55.917 desaparecidos em maio UN Photo/Evan Schneider/Reuters Mais

2008: Mulheres de Uganda carregam sacos de comida doados em uma das áreas mais secas e menos desenvolvidas do leste da África. Esta também é uma das áreas mais afetadas pelo aquecimento global e sofre com a falta de alimentos AFP/Walter Astrada Mais

2010: Moradores de São Luiz do Paraitinga, no interior de São Paulo, limpam as ruas centrais da cidade histórica após chuvas devastarem no começo do ano Joel Silva/Folha Imagem Mais

2010: Bombeiro anda em área queimada próxima a Voronezh, cidade a 500 quilômetros de Moscou, na Rússia. A onda de calor proliferou os focos de incêndio nas florestas do interior do país, matando ao menos 55 pessoas e queimando cerca de 2,6 milhões de hectares de mata Mikhail Metzel/AP Mais

2010: Geleiras derretidas no rio Amarelo, localizado na província Qinghai, na China Frederic J. Brown/AFP Mais

2010 e 2011 - Por dois anos seguidos, a população do Paquistão sofreu com as enchentes. As chuvas destruíram cerca de 73% dos cultivos e 67% do estoque de comida entre agosto e setembro de 2011,segundo o governo Rizwan Tabassum/AFP Mais

2011: Pessoas arrastam latões para pegar água em Wajir, província do Quênia. Países do Leste da África, incluindo o Quênia e a Etiópia, foram atingidos por anos de seca severa. A ONU (Organização das Nações Unidas) diz que regiões do Sul da Somália estão sofrendo a pior fome em 20 anos, com 3,7 milhões de famintos Jakob Dall/Danish Red Cross/Reuters Mais

2011: Criança da tribo Mundari brinca em meio ao gado próximo a Terekeka, no sul do Sudão. O país sofreu com a falta de pastos naquele ano Goran Tomasevic/Reuters Mais

2011: Homem olha assustado para estrada em Rodanthe, na Carolina do Norte (EUA), que foi destruída pelos ventos do furacão Irene Chuck Liddy, The News & Observer/AP Mais

2011: Pai e filha que vieram da Somália esperam sentados em um campo de refugiados na fronteira com o Quênia. A dura seca na África aumentou o número de refugiados no Quênia Tony Karumba/AFP Mais

2011: O glaciar Jorge Montt, localizado no Campo do Gelo Sul da Patagônia retrocedeu um quilômetro em um ano "devido ao aquecimento global e às condições oceanográficas", afirmou uma investigação realizada pelo Centro de Estudos Científicos do Chile Fundación Imagen de Chile/Efe Mais

2011: Quase 1 milhão de moradores de 96 municípios de Santa Catarina passaram por alguma dificuldade causada pelas enchentes no Estado, segundo a Defesa Civil. Acima, bairro da cidade de Itajaí fica alagado após cheia do rio Itajaí-Açu Antonio Carlos Mafalda/Mafalda Press Mais

2011: Corpos ficam amontoados em lajes de casas destruídas pelas enchentes na região serrana do Rio de Janeiro. Fortes chuvas na região deixaram mais de 600 mortos em janeiro de 2011 Ana Carolina Fernandes/Folhapress Mais

2011: Pinguins migram do Cabo da Boa Esperança, na África do Sul, devido às mudanças climáticas Schalk van Zuydam/AP Mais

As pequenas ilhas do Pacífico, como Tuvalu (foto), podem desaparecer do mapa com o aumento do nível dos mares Alastair Grant/AP Mais

2011: Monge budista limpa entrada de templo em Don Muang, distrito de Bangcoc, na Tailândia. Mais de 5,4 milhões de pessoas foram afetadas pela enchente, uma das piores nos últimos 50 anos do país Nicolas Aafouri/AFP Mais

2011: Criança chora enquanto é pesada em base dos Médicos Sem Fronteiras na cidade de Dadaab, no Quênia. ONU calcula que 925 milhões de pessoas estão famintas no mundo, especialmente as populações africanas Schalk van Zuydam/AP Mais

2011: Terreno em San Isidro de Cienega, no Estado de Nuevo Leon, mostra as marcas da pior seca no México em sete décadas Reuters Mais

2011: Policial caminha em lago que ficou seco em San Angelo, no Texas Tony Gutierrez/AP Mais

2012: Pastagem seca e carcaças de animais tornaram-se paisagem no município de Conde, no litoral norte da Bahia. A região Nordeste brasileira enfrenta a pior seca nos últimos 50 anos, segundo a Organização Meteorológica Mundial. A onda de calor fez as temperaturas médias ficarem entre 1ºC e 2°C acima do normal no ano passado, afetando 1.100 municípios na região Joa Souza/Ag. A Tarde/Futura Press Mais

2012: O gelo no Ártico encolheu drasticamente nos últimos anos e chegou a menor superfície desde 1979, com 3,41 milhões de quilômetros quadrados em 16 de setembro de 2012 NOAA/AP Mais

2012: Vista aérea mostra devastação causada pela supertempestade Sandy em área residencial do Queens, bairro de Nova York, na costa leste dos Estados Unidos, em outubro de 2012. Apesar da forte tempestade não ter ligação direta com o aquecimento global, pesquisadores afirmam as inundações e os estragos têm ligação direta com o fenômeno. Por causa da elevação do nível do mar, enchentes como a do Sandy são duas vezes mais prováveis em comparação com 1950. As catástrofes naturais e as provocadas pelo homem custaram US$ 186 bilhões ao mundo em 2012 (cerca de R$ 376,5 bilhões), o terceiro maior prejuízo da história, segundo estudo da Swiss Re. A passagem do furacão Sandy foi a que mais causou prejuízo Mario Tama/Getty Images/AFP Mais

2013: Segundo climatologistas da Universidade de Reading, da Inglaterra, o aquecimento global interfere nos ventos atmosféricos a 10 quilômetros de altitude e torna os voos mais instáveis e menos confortáveis, assim como pode aumentar o risco de lesões para passageiros e tripulação. Esta é o primeiro grande estudo feito para medir o impacto das mudanças climáticas nas viagens aéreas Camila Machado/AFP Mais

2013: O planeta teve o quinto junho mais quente já registrado na série história, segundo dados da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos, a NOAA. A temperatura média global de junho ficou em 16,14 graus Celsius, empatado com a de junho de 2006, o que representa 0,64ºC acima da média do século 20. Apenas A Ásia Central, a Índia e a Europa Ocidental contrariaram a tendência de aquecimento (manchas vermelhas) e enfrentaram temperaturas mais frias do que o normal (manchas azuis) NOAA Climate.gov team Mais

2013: O aquecimento global está afetando o sabor e a textura das maçãs, mostram dados reunidos entre 1970 e 2010 em dois pomares do Japão que produzem as variedades Fuji e Tsugaru, as mais populares do mundo. A análise do Instituto Nacional de Ciência das Árvores Frutíferas, em Fujimoto, mostrou uma redução na acidez, na firmeza e no pingo de mel (uma doença que faz com que áreas encharcadas de água surjam na polpa da fruta), mas também observou um aumento na concentração de açúcar, o que fez a maçã ficar mais doce com o passar do tempo Olga Maltseva/AFP Mais

Relatório do IPCC diz que planeta já esquentou cerca de 0,8°C desde o começo do século 20. As temperaturas têm aumentado mais lentamente nos últimos 15 anos apesar do aumento nas emissões de gases do efeito estufa, mas há uma retomada da tendência de aquecimento que provavelmente vai causar ainda mais ondas de calor, secas, enchentes e elevação do nível do mar. A previsão é de aumento de quase 5ºC até 2100 Celso Pupo/Estadão Conteúdo Mais

Em 2007, em seu relatório, o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC, na sigla em inglês) avaliou que a alta média dos oceanos poderia alcançar entre 18 e 59 centímetros em 2100. Em sua nova análise, a organização científica revisa estes números para cima, referindo-se a uma alta das águas que pode superar os 80 cm no fim do século Matt Eich/The New York Times Mais

9.out.2013 - A concentração de oxigênio dos oceanos deve cair entre 1% e 7% antes do fim do século, aponta relatório do Programa Internacional sobre o Estado dos Oceanos feito em parceria com a União Internacional para a Conservação da Natureza Mohammed Salem/Reuters Mais

Comente no Facebook