Casos de racismo no Brasil ou fora do país

Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://noticias.bol.uol.com.br/fotos/imagens-do-dia/2015/04/28/casos-de-racismo-no-brasil-ou-com-brasileiros-fora-do-pais.htm
  • totalImagens: 77
  • fotoInicial: 1
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20150428164451
    • Racismo [9439]; Preconceito [29474]; crime [13287];
Fotos

11.jan.2014 - O site de compras Mercado Livre enviou dados do usuário que postou anúncio de venda de mulheres, homens ou crianças negras por um R$ 1, após solicitação da Ouvidoria Nacional da Igualdade Racial, vinculada à Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir). A postagem listava como aptidões da "mercadoria" funções como carpinteiro, pedreiro, cozinheiro, segurança de boate, vassoureiro, gari e faxineiro. O anúncio foi retirado após denúncias de outros usuários e protestos em redes sociais acusando o site de permitir a publicação deste tipo de conteúdo. O autor do falso anúncio, um adolescente de 16 anos, é morador do Rio de Janeiro. Ele chegou a ser preso. Reprodução Mais

18.jan.2014 - O Shopping JK Iguatemi, na zona oeste de São Paulo, fechou as portas para impedir a entrada de cerca de 200 manifestantes. Militantes de movimentos de defesa dos direitos dos negros e estudantes ficaram três horas em frente ao shopping de luxo , e um grupo foi à polícia denunciar o centro de compras. O ato chamado de "Rolê contra o racismo" foi organizado por grupos negros, como o movimento estudantil UNEafro e o Círculo Palmarino. O objetivo era protestar contra o "racismo" praticado pelos shoppings de São Paulo ao selecionar quem teria acesso aos estabelecimentos durante os encontros de jovens conhecidos como "rolezinhos". Moacyr Lopes Junior/Folhapress Mais

10.fev.2014 - O ator Vinícius Romão de Souza foi preso no Viaduto de Todos os Santos, no bairro do Méier, zona norte do Rio de Janeiro, acusado de ter roubado a bolsa de uma pedestre. "Ele foi confundido pela vítima, já que é negro e usa cabelo black power. Ele foi preso sem direito de defesa", afirmou o também ator Vinícius Melich. Vinícius ficou detido por 16 dias na Casa de Detenção Patrícia Acioli, em São Gonçalo Reprodução/Facebook Mais

13.fev.2015 - Alvo da manifestação racista de torcedores peruanos durante o jogo do Cruzeiro com o Real Garcilaso, em Huancayo, o volante Tinga revelou que seu filho "chorou muito" ao assistir à partida pela televisão. O volante celeste, que reagiu com serenidade à imitação de sons de macaco feita por torcedores do Real Garcilaso quando tocava na bola, revelou que o pior momento foi quando descobriu que a situação havia afetado sua família, especialmente seu filho. Segundo ele, após a partida estava "muito tranquilo" e quando chegou ao hotel ligou imediatamente para a esposa. Washington Alves/Vipcomm Mais

6.mar.2014 - Márcio Chagas da Silva, árbitro do jogo entre Esportivo e Veranópolis, pela 12ª rodada do Gauchão, afirma ter sido alvo de atos racistas no estádio Montanha dos Vinhedos, em Bento Gonçalves. Além de ouvir gritos ofensivos durante os 90 minutos, ele teve o carro depredado. Duas bananas ainda foram colocadas sobre o veículo. "Desde a entrada em campo eu ouvi manifestações racistas, foi algo constante. E não aconteceu nada de polêmico no jogo, foi uma atitude direta contra a minha pessoa", disse ao UOL Esporte Márcio Chagas. Divulgação Mais

7.mar.2014 - Enquanto concedia entrevista no campo, depois da vitória do Santos por 5 a 2 sobre o Mogi Mirim, o volante Arouca foi xingado de "macaco" por três torcedores, segundo relato dos repórteres de rádio. O jogador santista ficou desconcertado e não conseguiu concluir a resposta sobre a sua grande atuação na partida em Mogi Mirim. Ele foi o autor do quarto gol do seu time. Divulgação/Site oficial do Santos Mais

11.mar.2014 - O Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) do Rio Grande do Sul aceitou denúncia da promotoria e irá julgar o Pelotas pelos atos racistas de um torcedor contra o goleiro Lúcio, do São Paulo de Rio Grande. A denúncia da promotoria foi baseada na súmula do árbitro do jogo, Márcio Chagas, que relatou as ofensas. A partida válida pela 10ª rodada do Campeonato Gaúcho ocorreu no estádio Boca do Lobo, em Pelotas, no dia 22 de fevereiro. Pedro Antunes/Divulgação assessoria imprensa Pelotas Mais

30.mar.2014 - O zagueiro Paulão acusou um torcedor gremista de atos racistas na saída de campo da Arena após o Gre-Nal deste domingo, vencido pelo Internacional por 2 a 1. O defensor deixava o gramado e ouviu gritos de macaco das cadeiras do estádio. Prontamente ele 'encarou' o torcedor e aplaudiu ironicamente. "Tá fugindo, moleque? Vem cá fazer o que você estava fazendo", gritava Paulão ao torcedor que ficava na última fila de cadeiras. O responsável pelo ato prontamente deixou o local sem ser identificado no primeiro momento. Washington Alves/Vipcomm Mais

4.abr.2014 - A estudante Tais Evandra de Carvalho Telles dos Santos, de 26 anos, registrou um boletim de ocorrência por injúria após ter sido vítima de racismo. Ao entrar no banheiro feminino da Unesp (Universidade Estadual Paulista), em Presidente Prudente (SP), onde estuda, encontrou a mensagem: "Thais Telles, preta, safada, macaca". Reprodução/Facebook Mais

8.abr.2014 - Quatro policiais militares do Batalhão de Operações Especiais (Baep) de Campinas (a 93 km de São Paulo) são acusados de agressão e racismo contra o técnico administrativo Luis Felipe Moreno Ribeiro, 28, que trabalha na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Deficiente auditivo, Luis Felipe não conseguiu conversar com a reportagem do UOL, porque seu aparelho de surdez foi quebrado durante a abordagem policial, mas segundo o pai adotivo da vítima, Otacílio Machado Ribeiro, o incidente aconteceu na noite de domingo (6), quando o carro de Luis Felipe, uma caminhonete S-250, quebrou no Jardim do Trevo. Ele viajava para São Paulo com um amigo, que não foi agredido. Reprodução/Correio Popular/Elcio Alves/ AAN Mais

10.abr.2014 - O volante Marino, do São Bernardo, disse ter sido vítima de racismo na partida desta quinta-feira contra o Paraná pela Copa do Brasil. De acordo com Luiz Fernando Ferreira, presidente do clube, o jogador chorou após o ocorrido. O lance aconteceu quando Marino deixava o gramado após ser expulso do duelo de volta pela Copa do Brasil. "Dois torcedores do Paraná chegaram próximo do alambrado, perto da área de imprensa, e chamaram o atleta de macaco. Foi uma situação muito triste e constrangedora, o atleta chegou ao vestiário chorando", disse Ferreira ao UOL Esporte. Reprodução/Twitter/Rádio Esporte Banda B Mais

13.abr.2014 - O apresentador do SBT de Maringá, Lourival Santos, foi detido por racismo na final do Campeonato Paranaense, em Maringá, entre o clube local e o Londrina. Santos teria ofendido o lateral direito do Londrina, Maicon Silva, ao chamá-lo de macaco. A ofensa foi ouvida pela jornalista Monique Vilela, da Rádio Banda B, que foi autora da denúncia. O xingamento teria ocorrido após o gol do Londrina, que abriu o placar no estádio Willie Davids. Lourival Santos foi levado para a delegacia para prestar depoimento, juntamente com a jornalista que testemunhou e denunciou o fato. Reprodução/Youtube Mais

14.abr.2014 - Irritados com a atual fase do time, alguns torcedores do Barcelona decidiram receber os jogadores com protestos na noite do último sábado. Conforme os atletas iam descendo dos ônibus, alguns poucos fãs os xingavam com gritos como "sem vergonha", "filhos da p..." e os acusaram de só pensar na Copa do Mundo. Neymar foi alvo de racismo quando o grupo imitou sons de macacos. AP Photo/Daniel Tejedor Mais

27.abr.2014 - O lateral brasileiro Daniel Alves foi um dos mais importantes personagens da vitória de virada do Barcelona (3 a 2) sobre o Villarreal neste domingo. O time catalão perdia por 2 a 0 até metade do segundo tempo, quando Alves iniciou a virada. Primeiro, ele chutou cruzado, a bola desviou no zagueiro Gabriel Paulista e entrou: 2 a 1. Depois, ele cruzou pelo alto e outro zagueiro do Villarreal cabeceou contra a própria meta: 2 a 2. Durante a partida, o lateral também respondeu com bom humor uma provocação racista da torcida. Uma banana foi arremessada no campo quando ele ia cobrar um escanteio. O lateral catou a banana do chão, a descascou e a comeu antes de fazer a cobrança. Reprodução/Vine Mais

30.abr.2014 - A estudante da USP Mônica Gonçalves, 28, diz que foi impedida de entrar na Faculdade de Medicina da universidade por ser negra. A universidade afirma que abriu uma sindicância interna para apurar o episódio. Mônica, aluna do primeiro ano de saúde pública, diz que iria encontrar amigos em uma sala do centro acadêmico da Faculdade de Medicina Adriano Vizoni/Folhapress Mais

7.mai.2014 - O estudante de história Pedro Victor Araújo dos Santos sofreu ameaças de morte dentro da Urca (Universidade Regional do Cariri), localizada no Crato, a 507 km de Fortaleza. "Anêmico desgraçado. Morre seu negro", dizia a frase escrita dentro do banheiro da universidade estadual e encontrada por ele. O estudante, que tem anemia falciforme, teve convulsões e foi socorrido por colegas de sala após ler a ameaça. Reprodução/Pretas Simoa Mais

28.ago.2014 - Quando M. D. M. R., uma jovem negra de 20 anos, colocou uma foto sua com o namorado no Facebook, ela não imaginava do que seria vítima. Ela foi atacada em uma enxurrada de comentários com ofensas racistas. Em um primeiro momento, a vítima, que pediu para ser identificada apenas pelas iniciais de seu nome, mas autorizou o uso da imagem, disse ter ficado triste com a situação. Com o apoio da família e do namorado, resolveu procurar a polícia e denunciar o caso. Ela diz também ter recebido muitas mensagens de conforto. Reprodução/Facebook Mais

29.ago.2014 - A torcedora do Grêmio Patrícia Moreira deixou o anonimato ao ser flagrada pelas câmeras do canal fechado "ESPN" chamando de "macaco" o goleiro Aranha, do Santos, em partida disputada em Porto Alegre na última quinta-feira (28). Após as primeiras repercussões, ela foi afastada do trabalho por causa da atitude. Patrícia prestava serviços ao Centro Odontológico da Brigada Militar. Não tinha vínculo empregatício com a corporação, mas era contratada por uma empresa que prestava serviço. Por causa da conduta inadequada durante período de folga, ela foi afastada do emprego e substituída em suas funções. ESPN Mais

1.set.2014 - Um vídeo que circulou na internet mostrou a ação da Polícia Militar de São José dos Campos (SP) contra o educador social Claudinei Corrêa, 45, e os estudantes Jefferson Corrêa, 20, e Fabiano Augusto, 18 - todos negros. Os jovens, respectivamente filho e genro de Claudinei, foram surpreendidos por PMs na sexta-feira (29) ao saírem de uma loja de calçados no centro da cidade. "Perdeu! Cadê a arma, neguinho?", essa foi a abordagem, de acordo com um dos jovens em entrevista à TV Band local. Band Mais

4.set.2014 - Auditor do caso que excluiu o Grêmio da Copa do Brasil, Ricardo Graiche é investigado pelo STJD por supostas mensagens de cunho racista nas redes sociais. No Facebook, Graiche teria postado fotos, em 2012, em que tratava negros de forma preconceituosa. As imagens se alastraram na internet, havendo questionamento de uma pessoa racista analisar caso de racismo no futebol. Graiche apagou a conta após a repercussão do caso. Ele foi um dos cinco auditores que participou da sessão no STJD que aplicou punição ao Grêmio em razão de atos racistas cometidos pela torcida em direção ao goleiro Aranha, do Santos, em partida vencida pelos santistas por 2 a 0, em Porto Alegre. Além da exclusão do Grêmio da competição, o clube recebeu multa de R$ 54 mil. Reprodução Mais

8.set.2014 - Uma dona de casa em Tanabi (477 km a noroeste de São Paulo) que chamou uma balconista de "negra fedida", "biscate" e "puta"" foi condenada a pagar indenização de R$ 1,5 mil por injúria racial à vítima. A decisão, publicada no final de agosto, é do desembargador do TJ (Tribunal de Justiça) de São Paulo Milton Paulo de Carvalho Filho, da 4ª Câmara de Direito Privado, e muda o entendimento da primeira instância, que havia negado o pedido. Cabe recurso, mas ambas as partes afirmaram que não irão recorrer. Shutterstock Mais

10.set.2014 - A Seppir (Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial) da Presidência da República abriu um procedimento administrativo para investigar o seriado "Sexo e as Negas". Críticas ao nome e ao conteúdo da série também tem sido constantes na internet. A trama, escrita por Miguel Falabella, trata de quatro amigas - todas negras - que moram no subúrbio do Rio. Anderson Borde/Agnews Mais

14.set.2014 - Após ser apresentado pelo Querétaro, clube no México, Ronaldinho Gaúcho Dias foi alvo de racismo. Ele foi chamado de macaco por um político local no Facebook. "Sou tolerante, mas detesto futebol, e o fenômeno idiota que produz. Detesto mais ainda porque as pessoas inundam as ruas e nos atrasam para chegar em casa. E isso tudo para ver um 'macaco'. Brasileiro mas 'macaco' sim. É um circo ridículo", escreveu Carlos Treviño, político em Querétaro. Xinhua/Luis Monroy/MEXSPORT Mais

16.set.2014 - A estudante Sonia Regina Abreu, de 27 anos, procurou a ajuda de um professor da Universidade Federal do Pará de Altamira para denunciar ofensas de cunho racial. Por meio de um perfil falso, o suspeito deixou um recado para Sonia no Facebook dizendo que em Altamira "não há lugar para negros sujos" e dispara: "Fica no teu canto, neguinha suja, você e todas as aberrações de cor desta cidade". Além disso, a jovem foi ameaçada. "Neguinha como você a gente estupra e depois queima para não poluir o solo. Lugar de negro é na senzala ou a sete palmos", dizia um trecho da mensagem. Reprodução/Facebook Mais

1.out.2014 - A Procuradoria da Justiça Desportiva denunciou nesta quarta-feira o jogador Antônio Carlos, do Avaí, por injúria racial. O zagueiro chamou o atacante Francis, do Boa Esporte, de macaco durante a vitória do time catarinense por 2 a 0, sábado, na Ressacada, pela 26ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Na imagem, boletim de ocorrência feito pelo jogador. Reprodução/site oficial do Boa Esporte Mais

4.out.2014 - O atacante Wellington, do Concordia Chiajna, denunciou que foi vítima de várias ofensas racistas de torcedores visitantes do Rapid Bucareste durante o Campeonato romeno. Wellington acusou os fãs do Rapid de jogarem uma banana nele, e as imagens claramente mostraram muitos torcedores fazendo gestos de macaco e soltando xingamentos racistas contra o atacante brasileiro durante um tenso empate sem gols, mas com dez cartões amarelos. "É incrível o que aconteceu...minha mulher e meu filho estavam nas arquibancadas", disse Wellington à mídia local, neste sábado. "Eu queria sair do campo, eu não sou um macaco". Reprodução Mais

14.out.2014 - Um estudante de ciências sociais da USP (Universidade de São Paulo) afirma ter sido vítima de agressão física e de racismo na madrugada de sábado, 11, durante uma festa do Centro Acadêmico XI de Agosto, da Faculdade de Direito da USP, no Largo São Francisco, centro da capital. A entidade estudantil negou a versão do rapaz. João Henrique Custódio, de 30 anos, afirma que apanhou de três seguranças quando entrava na festa Cervejada do Peru com mais quatro amigos. Segundo ele, o grupo estava em um apartamento no centro quando viu que havia uma festa perto do local. "Quando chegamos na festa havia barras de metal na rua, como as de eventos da prefeitura, e ninguém na porta para orientar, então entramos". Reprodução/saopaulo.sp.gov.br Mais

17.out.2014 - Um grupo de estudantes se reuniu em frente à Universidade Uninove, no campus da Barra Funda, em São Paulo (SP), para protestar contra racismo na instituição. Na quarta-feira (15), uma mensagem racista foi encontrada em um dos banheiros da faculdade. "Lugar de negro macaco é na senzala, não na faculdade", dizia o texto, fotografado por alunos. Com alto-falante e cartazes, os manifestantes chamaram a atenção ao gritarem, em coro, "racistas não passarão". Reprodução/Facebook Mais

6.nov.2014 - A Ufes (Universidade Federal do Espírito Santo) decidiu afastar por 30 dias um professor suspeito de fazer declarações racistas durante uma aula na segunda-feira (3). Além do comentário em sala, Manoel Luiz Malaguti Barcellos Pancinha deu entrevistas reafirmando que prefere ser atendido por um médico branco em vez de um negro Reprodução de TV Mais

8.nov.2014 - A estudante do curso de Produção Cultural pela Universidade Federal da Bahia (Ufba), Ana Paula Bispo, de 30 anos, registrou uma queixa na 16ª Delegacia Territorial (DT), localizada na Pituba, acusando a loja Riachuelo do Shopping Iguatemi de racismo. De acordo com Ana Paula, ela se dirigiu ao shopping para efetuar um pagamento na loja, quando foi surpreendida por um funcionário que afirmava que ela havia roubado um objeto. "Ele me perguntou se eu estava assustada. Antes que eu respondesse qualquer coisa, pois estava atônita, ele foi ordenando que retirasse o brinco da bolsa", relatou a estudante em sua página do Facebook. Após o registro na loja, Ana Paula foi até a administração do shopping para informar o acontecimento e, em seguida, prestou a queixa na 16ª DT Reprodução/Facebook Mais

11.nov.2014 - A "morena gostosa", a "loirinha bunduda" e a "preta imunda". É assim que um hino da bateria da faculdade de medicina da USP Ribeirão Preto (a 313 km de São Paulo), chamada Batesão, se refere às mulheres. O caso foi denunciado pelo Coletivo Negro do campus da universidade e será discutido na Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo). Em nota divulgada em uma rede social da Batesão, o grupo diz que as músicas são "históricas" e foram criadas há muito tempo, quando "racismo e preconceitos eram comportamentos corriqueiros". As letras teriam sido mantidas por um "descuido". A bateria ainda se desculpa e diz que a música não é mais cantada na faculdade Reprodução/fmrp.usp.br Mais

20.nov.2014 - No Facebook, o perfil de Johnnie Walker publicou uma fotografia de um homem negro. Sobre a imagem, foi escrita a palavra "branco", além do famoso slogan da bebida: "Keeping walking". Na parte de baixo, a seguinte frase: "E você, ainda deixa usarem sua origem como obstáculo para o seu progresso? Racismo. Até quando? #vocefazofuturo". Grande parte das mensagens reclamou que, com a frase, Johnnie Walker culpa os negros pelo racismo que sofrem. Em nota à Folha, a empresa declarou: No sábado (22) à tarde, após a publicação da reportagem, a empresa enviou uma nota à Folha: "A marca promove em sua campanha a reflexão sobre a importância das atitudes pessoais como forma de mudar o próprio futuro, abordando diversos temas como eleições, carreira, casamento gay, consumo responsável, crise hídrica, entre outros. Johnnie Walker sente que o post acima tenha sido interpretado de maneira ofensiva e reforça sua posição de respeito a todas as raças". Reprodução/Facebook/JohnnieWalkerBrasil Mais

28.nov.2014 - A jornalista Joyce Ribeiro, que trabalha no SBT, sofreu uma série de ofensas em um site da internet e fez uma denúncia de racismo na Delegacia Geral de Polícia de São Paulo. Divulgação Mais

1.dez.2014 - O árbitro russo Alexei Matyunin, acusado de racismo pelo atacante brasileiro Hulk, do Zenit São Petersburgo, negou ter feito insultos discriminatórios contra o jogador e afirmou que estuda processá-lo. Segundo o atleta, o juiz disse durante uma partida do campeonato local realizada no sábado (29) que não gostava dele e nem de "preto". "Não posso comentar uma coisa que é pura invenção. Acusar alguém de racismo é algo muito sério, uma ofensa criminal, e para fazer certas afirmações é preciso ter provas. Nós dois sabemos bem o que aconteceu, ou seja, nada. Todos os outros jogadores em campo podem testemunhar", declarou Matyunin ao jornal Sport Express Maxim Zmeyev/Reuters Mais

2.dez.2014 - Moradores de Adamantina, cidade do interior de São Paulo, se mobilizaram e fizeram um abaixo assinado para que o padre Wilson Ramos não seja transferido e continue rezando as missas na Igreja Matriz de Santo Antônio. Mais de 6 mil assinaturas foram coletadas. Arquivo pessoal Mais

3.jan.2015 - De acordo com a reportagem da Folha de S.Paulo, a aposentada Valdicéia França, 63, mãe de Mirian França de Mello, 31, presa sob suspeita de envolvimento no assassinato da turista italiana Gaia Molinari, no Ceará, não consegue falar com a filha desde a prisão. "Tentei falar com ela por telefone, mas dizem que não podem passar a ligação ou recados. Os policiais viram uma neguinha, pobre, turista e ficou fácil colocar a culpa nela", declarou Valdicéia, que mora na Baixada Fluminense, em entrevista à publicação. Ricardo Borges/Folhapress Mais

28.jan.2015 - Capitã da seleção brasileira de vôlei feminino, Fabiana foi alvo de insultos racistas na partida do Sesi-SP contra o Minas pela Superliga. Em entrevista ao UOL Esporte, a meio-de-rede ressaltou que não tem raiva de quem a ofendeu. "Não tenho ódio nem raiva, tenho pena e dó desta pessoa. Imagina o que vai passar para os outros e para o filho. Sentimento de dó é o pior que posso ter em relação a ela", disse. Mineira, Fabiana disse que a situação a incomodou ainda mais por ser no entorno de sua família. As ofensas partiram próximas de sua família e a atleta só foi avisada depois do duelo. Fábio Aleixo / UOL Mais

1.fev.2015 - Gols nos minutos finais do segundo tempo complicaram muito a situação do Brasil no Sul-Americano sub-20 realizado no Uruguai. O time de Alexandre Gallo foi derrotado por 2 a 0 pela Argentina, no clássico sul-americano, viu o arquirrival assumir a liderança da fase final e, assim, caiu para a quarta colocação. Mas a noite não foi só de futebol: teve também racismo. Câmeras de transmissão do Sportv flagraram torcedores no Estádio Parque Central, em Montevidéu, proferindo insultos racistas contra jogadores brasileiros, que conseguiram ouvi-los. Na imagem, Maxi Rolon comemora gol da Argentina contra o Brasil. REUTERS/Jorge Adorno Mais

14.fev.2015 - O brasileiro Andre DeOliveira, 56, ganhou, assim como seis colegas seus, uma indenização de US$ 2 milhões por discriminação racial na empresa Matheson Trucking, onde trabalha desde 2006. De acordo com a ação, os funcionários negros eram humilhados e separados dos brancos na companhia, que presta serviços para os Correios. Oliveira, que vive no Colorado (EUA) há 21 anos, diz que ainda não sabe o que fará com o dinheiro Arquivo pessoal Mais

20.fev.2015 - O ator Marcello Melo Jr. se envolveu em uma polêmica nas redes sociais. Campeão da "Dança dos Famosos 2014", ele publicou uma foto em seu Instagram retratando uma mulher negra com a frase: "Cuida bem dela. Ela gosta que você repare no cabelo dela". Alguns seguidores não gostaram da publicação e o acusaram de racismo. Marcello retrucou e uma discussão foi iniciada. Ele deletou a imagem colocando um vídeo com pedido de desculpas. Reprodução/Instragam/Marcelomelojr Mais

25.fev.2015 - A eliminação de Angélica, do "BBB15", colocou o racismo em debate, mas Bial fugiu do tema. "No Facebook, Twitter, Instagram, ela foi chamada de macaca, preta e teve a mãe xingada", disse Erick Castro, irmão da participante. Angélica saiu do reality com 69% dos votos. Diferentemente do que normalmente faz ao receber o eliminado, o apresentador Pedro Bial entrevistou primeiro a mãe dela, Carmem Ramos. Bial quis saber de Carmem porque ela parecia tão feliz com a saída da filha: "Por que a senhora está agradecendo tanto?". "Porque o que minha filha estava passando aqui e a gente passando lá fora. Estava pedindo a Deus, aos meus orixás, ao meu pai Ogum, minha mãe Oxum, porque a gente estava sofrendo demais aqui fora com o racismo". Foi a deixa para o apresentador interromper a conversa imediatamente. Reprodução/TV Globo Mais

26.fev.2015 - O jogo entre Roma e Feyenoord foi marcado novamente por cenas lamentáveis, dessa vez com atos de racismo por parte da torcida holandesa. Ainda no primeiro tempo, bananas gigantes foram jogadas em direção ao atacante Gervinho, que acabou decidindo o jogo e a classificação da Roma às oitavas de final da Liga Europa. O time italiano venceu o Feyenoord por 2 a 1 na Holanda, enquanto havia empatado o primeiro jogo em 1 a 1 na Itália. Aos 36 minutos da etapa inicial, bananas infláveis foram jogadas no campo na direção do atacante. O jogo seguiu, mas voltou a ter uma confusão no segundo tempo. Reprodução Mais

15.mar.2015 - O atacante Hulk fez o gol do empate do Zenit por 1 a 1 com o Torpedo Moscou, na capital russa, em bela cobrança de falta. No entanto, o resultado acabou ficando em segundo plano, pois o brasileiro foi vítima de racismo por parte dos torcedores rivais. A torcida do Torpedo imitou sons de macaco nas arquibancadas, mas o camisa 7 não deixou barato: primeiro, levou a mão à orelha como se quisesse ouvir; depois, mandou beijos em direção aos fãs do time adversário AFP PHOTO / JOHN MACDOUGALL Mais

24.mar.2015 - Uma médica gaúcha que integra o programa Mais Médicos acusa a secretária de Saúde de uma cidade paranaense de fazer comentários racistas por causa de seu penteado dreadlock. Em uma reunião sobre o início do trabalho em Santa Helena (a 619 km de Curitiba), Thatiane Santos da Silva, 30, que é negra, ouviu da secretária municipal, Terezinha Madalena Bottega, que seu cabelo exala um cheiro forte, que os pacientes estão acostumados a outro "padrão" de médicos e que ela poderia sofrer preconceito. Thatiane estudou medicina em Cuba e se formou em 2012. Ela fez o Revalida para obter registro no CRM (Conselho Regional de Medicina). A secretária de Saúde confirmou o teor da conversa com a médica, mas negou que tenha havido racismo Reprodução/Facebook Mais

31.mar.2015 - Era um final de semana rotineiro de passeio com o filho em São Paulo. Jonathan Duran, um norte-americano branco de 42 anos, editor no mercado financeiro, tomava um sorvete com seu filho negro, de 8 anos, no último sábado (29), em frente à loja de roupas de luxo Animale, localizada nos Jardins, bairro paulistano de classe média-alta, sem imaginar a situação de tensão racial que viveria naquela tarde. Subitamente, uma vendedora saiu à calçada e disse, de forma ríspida: "Ele não pode vender coisas aqui". Atônito, Duran apenas respondeu: "Ele é meu filho", causando imediato constrangimento à vendedora, que prontamente entrou na loja. Reprodução/Facebook Mais

1.abr.2015 - O jogo entre Corinthians e Danubio começou com uma confusão e tanto no Itaquerão. Por volta dos 20 minutos do primeiro tempo, depois de uma falta, Elias bateu boca com Gonzalez e saiu reclamando de racismo por parte do lateral do time uruguaio. Na confusão generalizada que se formou, sobrou até para o maqueiro do estádio, que levou um empurrão de um membro da comissão técnica visitante. Eduardo Anizelli/Folhapress Mais

6.abr.2015 - Após denúncias de alunos, a PUC (Pontifícia Universidade Católica) de Campinas investiga supostos atos de racismo praticados em uma página do Facebook contra estudantes do curso de direito. De acordo com a denúncia, no dia 27 de março, o perfil Direito PUC-Campinas foi inundado por comentários e fotos racistas depois que um aluno negro teria defendido uma colega que reclamava da divisão de gêneros nas aulas de futebol. O post que resultou nos supostos atos preconceituosos recebeu centenas de comentários, mas foi apagado em razão da grande polêmica. Reprodução Facebook Mais

15.abr.2015 - Geórgia Kitsos, moradora de Ipanema, zona sul do Rio de Janeiro, afirma que seu filho foi vítima de racismo por parte de um funcionário da rede de fast food Burger King, no último sábado (11). Mãe de um menino negro, Geórgia escreveu um texto para o site Gelédes relatando o caso de preconceito racial, que foi confirmado pela assessoria do Burger King. Segundo ela, enquanto pagava o lanche no caixa, a criança se dirigiu à máquina de refrigerantes da loja. O segurança teria dito para ele: "Está fazendo o quê?". Acuado, o garoto se aproximou da mãe. Nesse momento, o segurança questionou se o menino estava acompanhado de Geórgia. Reprodução/Geledés Mais

13.mai.2015 - Uma jornalista brasiliense foi vítima de racismo e difamação em um post publicado no Facebook nesta segunda-feira (11). "Vende-se um bebê! R$ 50. Como não achei Cytotec - remédio abortivo -, eu e minha mulher resolvemos vender a criança", diz a mensagem divulgada em um grupo de compra e venda de produtos em Salvador (BA). Para ilustrar a notícia, o autor identificado como "Laio Santiago" - que apagou o perfil no mesmo dia - utilizou a foto de Raíssa Gomes, 25, quando estava grávida de nove meses. A jornalista denunciou o caso à 2ª Delegacia de Polícia (Asa Norte) no final da tarde de segunda. A Polícia Civil do Distrito Federal informou que só irá se manifestar após o término das investigações. Reprodução Mais

15.mai.2015 - Um vídeo postado por Arthur Nory em sua conta no aplicativo Snapchat mostra ele e demais membros da seleção brasileira de ginástica artística fazendo piadas de cunho racista com Angelo Assumpção, único negro na equipe nacional. O vídeo foi gravado em Portugal durante uma refeição e postado na noite de quinta-feira. As imagens foram obtidas e divulgadas pelo jornal O Globo. "Seu celular quebrou: a tela quando funciona é branca... quando ele estraga é de que cor? (risos)", pergunta Nory. Depois da repercussão negativa dos vídeo, Nory publicou nesta sexta-feira em seu perfil no Instagram um vídeo de desculpas. Ricardo Bufolin/CBG Mais

27.mai.2015 - Um vídeo compartilhado nesta segunda-feira (25) nas redes sociais mostra o momento em que um cliente se descontrola e agride um atendente de uma filial do McDonald's na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio de Janeiro, na madrugada do último domingo (24). Os dois trocam acusações e o cliente chama o atendente de macaco. Não é possível precisar como a confusão começou. O atende usa uma vassoura para afastar o cliente da janela. Até o fim da tarde desta quarta (27), o vídeo já havia sido compartilhado mais de 3.000 vezes. Reprodução/Facebook Mais

14.jun.2015 - O ator-mirim Kaik Pereira, contratado recentemente pela Record, comentou no "Domingo Show" os insultos racistas que recebeu de um seguidor no Instagram. No texto, o internauta ofende Kaik de "macaco preto e safado". "Tive um choque [no momento em que leu a mensagem]. Eu fiquei bastante chateado. Se eu não quero que aconteça comigo, não quero que aconteça com ninguém. Só espero que a justiça seja feita", declarou o pequeno Kaik na entrevista. A família decidiu levar o caso até as autoridades. Reprodução/TV Record Mais

3.jul.2015 - Os comentários ofensivos dirigidos contra a jornalista Maria Julia Coutinho, publicados na página do "Jornal Nacional" no Facebook, têm causado indignação entre famosos. William Bonner, o âncora do "Jornal Nacional", usou o seu Instagram para divulgar elogios de telespectadores feitos à Maju, com mensagens de aprovação ao trabalho da jornalista. "Tá, Maria Julia Coutinho, o tio aprendeu que a gente deve dizer que o tempo 'é firme', quando não tem chuva, nem chuvica, nem chuvona. Mas, no 'JN', o tempo é sempre bom, com você", escreveu Bonner em mensagem para a jornalista. Reprodução/Instagram Mais

3.jul.2015 - Após os comentários ofensivos dirigidos contra a jornalista Maria Julia Coutinho no Facebook, o "Jornal Nacional" divulgou em sua página na rede social um vídeo em que William Bonner e Renata Vasconcellos, ao lado de toda a equipe do jornalístico, manda uma mensagem de apoio para Maria Julia: "Somos todos Maju" Reprodução/Twitter Mais

6.jul.2015 - Um show do funkeiro Nego do Borel acabou em briga na noite do último domingo (5), devido a ofensas racistas sofridas pelo músico. Em um vídeo (veja clicando no MAIS) gravado por um dos clientes da casa noturna 021, localizada na Barra da Tijuca, no Rio, o funkeiro aparece discutindo com uma pessoa da plateia durante o show, desce do palco e parte para a briga com o homem. "O homem chamou ele de preto, sujo, macaco e ficou tacando gelo nele durante o show", relatou a assessoria de Nego do Borel. "Ele não aguentou e desceu do palco, chegando às vias de fato". O funkeiro pediu desculpas aos fãs pelo ocorrido. "Estou muito chateado, não aguento intolerância racial", comentou por meio de sua assessoria. De acordo com matéria da Folha de S.Paulo, a boate 021 informou que o homem estava bêbado e já tinha sido abordado por seguranças. Montagem BOL/Reprodução /Instagram Mais

22.jul.2015 - Imagens de um vídeo que mostram o policial que deteve a jovem afro-americana Sandra Bland, encontrada morta no último dia 13 de julho em uma prisão do Texas, revelam que o profissional a ameaçou com uma pistola elétrica durante uma abordagem de trânsito. O policial havia dito que Sandra o chutou, mas pelo vídeo nada foi comprovado. Bland foi detida e encontrada enforcada em sua cela da prisão. Apesar de se tratar oficialmente de um suicídio, tese que é refutada pela família da mulher, as autoridades locais reconheceram que a morte de Bland está sendo investigada como um homicídio. Reprodução/Facebook Mais

28.ago.2015 - O palestrante Carl Hart, professor associado de psicologia e psiquiatria da Universidade de Columbia, teve sua entrada barrada pela segurança do hotel cinco estrelas Tivoli Mofarrej, onde acontecia o Seminário Internacional do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais. A informação é do portal Opera Mundi. A organização do evento teve que se mobilizar para autorizar a entrada do professor. Já na palestra, ao começar sua fala, Carl questionou as mais de mil pessoas que estavam no auditório: "Olhem para o lado, vejam quantos negros estão aqui. Vocês deviam ter vergonha". Não havia nenhum negro na plateia, segundo o Opera Mundi. Carl é negro e veio a São Paulo palestrar sobre a guerra às drogas e como ela é usada para marginalizar e excluir parte da população. Antes de concluir três doutorados, ele foi usuário de crack e decidiu tornar-se especialista nos efeitos da droga para entender como ela afetou sua comunidade Reprodução/OperaMundi/Simon Fraser University/Flickr CC Mais

27.set.2015 - O atacante brasileiro Hulk voltou a ter problemas de racismo em um jogo do Zenit no Campeonato Russo. Desta vez, ele foi alvo de ofensas no jogo contra o Spartak Moscou, que terminou empatando por 2 a 2. "Infelizmente, ainda é a mesma situação esse racismo das arquibancadas. Eu não vou responder, já falamos sobre isso. Então, eu seguirei enviando beijos para a arquibancada e responderei em campo. Essas coisas não são para discutir", falou. Epsilon/Getty Images Mais

4.out.2015 - Integrante da banda Fly, sucesso entre o público adolescente, o músico Caíque Gama (ao centro) está sendo acusado de racismo na web. A polêmica começou após a repercussão de uma entrevista sua à revista Atrevida, sobre hábitos de beleza e comportamentos femininos. Caíque foi considerado racista ao dizer que tranças "são uma salvação para quem tem cabelo ruim". "Nojo de vocês. Era fã, mas peguei nojo na hora. Injúria racial e discriminação são inafiançáveis", escreveu uma internauta na página do trio no Facebook. "Ruim mesmo é ter que aturar esse seu preconceito. Aliás, meu 'cabelo ruim' deve ser melhor do que seu caráter", disparou outra fã. No Twitter, o músico tentou se defender dizendo que deu a declaração em "tom de brincadeira" e que as pessoas apenas "procuram motivo para arrumar confusão e discórdia" Ju Fumero/UOL Mais

20.out.2015 - Uma jovem universitária negra, grávida de três meses, foi vítima de racismo após entrar no grupo "Graduação da Depressão", no Facebook. Carla Gomes, de 21 anos, comentou uma postagem que tinha conteúdo discriminatório que a indignou e recebeu dezenas de ofensas. As informações são do site Extra. Segundo a publicação, na página, a maioria dos comentários era relacionada à cor e ao corpo de Carla. A jovem chegou a desabafar na internet e outras pessoas vieram defendê-la, mas também foram ofendidas pelos integrantes do grupo. "Gorda", "fedorenta" e "macaca" foram alguns dos comentários. Carla registrou um boletim de ocorrência pela internet. O caso deve ser investigado. Reprodução/Facebook Mais

1.nov.2015 - Após sofrer uma série de insultos racistas em sua página no Facebook, a atriz Taís Araújo prometeu levar o caso à Polícia Federal. "Absolutamente tudo está registrado e será enviado à polícia. Não se cale, mostre que você não tem vergonha de ser o que é e continue incomodando os covardes", disse a global em um desabafo na rede social. Mãe da atriz, dona Mercedes diz que apoia a decisão da filha. "Não quero falar muito sobre isso porque é um assunto muito triste, mas o que está feito está feito. Apoio a decisão da Taís", afirmou em contato com o UOL. Nos ataques a Taís, cometidos por uma série de perfis falsos, constavam comentários como "Entrou na Globo pelas cotas", "Pode ser mais clara?", "Escuridão" e "Com esse cabelo dá para lavar a Globo inteira". . Montagem BOL Mais

2.nov.2015 - Horas depois de a atriz Taís Araújo ser vítima de racismo, foi a vez do jogador de Michel Bastos, jogador do São Paulo, sofrer com insultos na web. Em seu Instagram, o próprio atleta publicou uma imagem (à direita) em que uma seguidora o chama de "macaco", em comentário feito em outra foto postada por Michel. "Tenho que ficar quieto ainda???", questionou o jogador na legenda da imagem. Rapidamente, fãs do atleta o defenderam, e alguns chegaram a ir no perfil da agressora para repudiar a ação. Em nota oficial, Michel Bastos disse que vai à Justiça. "Espero que a minha atitude encoraje outras pessoas que sofrem com esse mal a sempre denunciar. Eu jamais irei me calar". Montagem BOL Mais

20.nov.2015 - Entregador Leonardo Valentim mostra bananas oferecidas a ele e seus colegas pelo gerente do restaurante Garota da Tijuca, no Rio de Janeiro, em pleno Dia da Consciência Negra. Ascendino Correia Leal abordou os três entregadores de bebidas, todos negros, ofereceu bananas e comentou: "Em homenagem ao dia de hoje, uma banana para cada um, pois vocês são da mesma raça" Leonardo Valentim Silva Pereira/Arquivo pessoal Mais

30.nov.2015 - Cris Vianna foi vítima de ataques racistas em sua página do Facebook no domingo (29), que segundo ela, foram imediatamente registrados e encaminhados à Justiça. Indignada, Cris escreveu um desabafo nas suas redes sociais, nesta segunda-feira, e lembrou casos recentes que aconteceram este ano com a jornalista Maria Júlia Coutinho e há um mês como a atriz Taís Araújo, que foi "covardemente atacada" por racistas escondidos sob o pretenso anonimato da internet. "Não posso me calar. Se meu trabalho me permite alguma expressividade, usarei minha voz por muitos que sofrem esse tipo de ataque racista diariamente e voltam para casa calados, cansados de não serem ouvidos, para chorar sozinhos. Como todos vocês, tenho orgulho da minha pele, do meu cabelo, da minha origem e de tudo o que sou. Do que somos. E não estamos sozinhos. Temos do nosso lado a lei ? racismo é crime inafiançável - e milhares de brasileiros que também acreditam num país mais justo e civilizado, gente que entende que respeitar as diferenças é mais que um dever e que está disposta a denunciar e lutar contra todo tipo de preconceito", desabafou. Reprodução/Instagram/Cris Vianna Mais

22.dez.2015 - Um torcedor do Real Madrid fez um post racista atacando o jogador Neymar, do Barcelona, no Twitter nesta terça-feira (22). Na postagem, o torcedor identificado como Yihi (@yihiRM) comparou o jogador brasileiro com um macaco. O internauta usou a imagem de James Rodríguez, jogador colombiano do Real Madrid, com um macaco no colo. Na legenda, o racista disse: "Gosto muito dessa foto de James com Neymar". Em poucos segundos, a foto teve grande repercussão e milhares de torcedores do Barcelona e brasileiros reprimiram o agressor virtual, que acabou deletando a foto de seu perfil. Em seguida, o rapaz se desculpou. "Nunca havia recebidos tantos insultos na minha vida. Peço perdão, só queria fazer uma brincadeira", escreveu. Mais tarde, o rapaz deletou sua conta na rede social Reprodução / Twitter Mais

10.fev.2016 - Val Marchiori quebrou o silêncio e pediu desculpas após comentário racista que fez contra a cantora Ludmilla na Sapucaí. A socialite afirmou que o cabelo da cantora estava parecendo um 'bombril' durante transmissão do Carnaval do Rio de Janeiro pela RedeTV! "Vocês podem ter certeza que a última coisa que eu gostaria era ter magoado alguém. Eu adoro a Ludmilla!", disse a socialite por meio de seu blog pessoal Zulmair Rocha/UOL//Folhapress Mais

16.mar.2016 - Tiago Zanfolin Santos da Silva, de 26 anos, um dos suspeitos de participar de ataques racistas contra a atriz Taís Araújo, foi preso em Brumado (BA). As informações são do jornal A Tarde. Segundo a reportagem, foram apreendidos com o homem um notebook, uma CPU e um celular. Tiago, de acordo com a polícia de Brumado, trabalha em uma empresa de informática e foi preso em casa. O delegado Leonardo Rabelo, coordenador da Coorpin/ Brumado, afirmou que o acusado é integrante de um grupo criminoso que age na internet. Divulgação | Polícia Civil Mais

31.mar.2016 - O ator Érico Brás e a mulher dele, Kênia Dias, foram expulsos de um voo da empresa Avianca que decolaria do Aeroporto Internacional de Salvador, informou o jornal A Tarde. Em entrevista a publicação, o ator disse que foi classificado pelo comandante como "uma ameaça à segurança da aeronave". "Um comissário tinha autorizado que ela colocasse uma bolsa embaixo [da poltrona], mas o comandante veio e disse que não podia. Como estava tudo cheio, ela pediu para ele arranjar um local para colocar. Ele, então, pegou e enfiou (bolsa) com grosseria no bagageiro", relatou. Érico contou ainda que questionou o tratamento do comandante e o chamou de mal educado. "Ele que me agrediu. Me senti extremamente impotente", disse Érico, classificando o caso como uma atitude "peculiar de quem é racista". Reprodução/TV Globo Mais

23.mai.2016 - Ludmilla esteve na Delegacia de Repressão aos Crimes de Internet (DRCI) do Rio de Janeiro para prestar queixa contra um internauta que a atacou no Instagram com comentários racistas. A cantora publicou cópias das agressões verbais na rede social e desabafou pedindo ajuda. "Alguma autoridade pode me ajudar a identificar esse homem? Não é a primeira vez que ele faz isso, já até bloqueei ele, mas ele continua falando essas coisas em outros instas por aí. Que ódio, só quero a justiça mais nada. Nessa eu vou até o fim", escreveu. Francisco Silva / Ag.News Mais

24.mai.2016 - A Polícia Civil do Rio de Janeiro já identificou e ouviu o autor de ataques racistas feitos à cantora Ludmilla. De acordo com a assessoria de imprensa da instituição, o homem foi ouvido na sede da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática e confessou o crime. O delegado responsável pelo caso, Alessandro Thiers, vai indiciar o autor pelo crime de injúria preconceituosa com a causa aumentada, em razão do crime ter sido cometido na internet, e encaminhar o inquérito policial à Justiça. O criminoso tem 31 anos, mora no Rio e já respondeu a uma acusação por tentativa de homicídio. Marcos Moraes/Brazil Photo Press/Folhapress Mais

30.mai.2016 - Uma mulher de 58 anos foi presa no sábado (28), no Rio, acusada de injúria racial, após ofender o gerente de um supermercado. Segundo a vítima e testemunhas, Maria Francisca Alves de Souza, de 58 anos, se irritou quando o funcionário se recusou a buscar uma mercadoria para ela enquanto a mulher aguardava com o cachorro e disse ao gerente frases como "Volta para a senzala" e "quilombo". Um vídeo publicado pelo G1 mostra a discussão na porta do supermercado, enquanto o homem chama a polícia. Maria Francisca se defendeu dizendo que "senzala" e "quilombo" são, na visão dela, exaltações à raça negra. Ela foi presa em flagrante no sábado (28), mas teve a liberdade provisória concedida um dia depois. Reprodução/Vídeo G1 Mais

4.jul.2016 - A cantora Negra Li foi a mais nova vítima de racismo na internet. O site oficial da rapper foi invadido e direcionado a uma página com a foto de um macaco seguida de mensagens racistas. A página chegou a ser tirada do ar e por volta das 18h já estava normalizada. Lucas Limas/UOL Mais

4.jul.2016 - Uma música de fundo também foi incluída para satirizar a ação, que não parou por aí. As ofensas se estenderam à descrição do site no Google. Basta digitar a palavra "Negra Li" no buscador para se deparar com a seguinte mensagem: "Negra Li você foi hackeada sua macaca (...)". Reprodução Mais

4.jul.2016 - De acordo com a própria mensagem, a autoria do ato teria sido do usuário "Rbx Hacker", que fez questão de compartilhar a sua conta no Twitter. Reprodução Mais

18.jul.2016 - A atriz Leslie Jones, estrela da nova versão de "Caça-fantasmas", publicou em sua conta no Twitter vários dos insultos racistas que vem recebendo. Os comentários revelados incluem xingamentos, imagens pornográficas e, principalmente, comparações com macacos. "Fui chamada de símio, mandaram fotos de suas bundas, até recebi uma foto minha com sêmen na minha cara. Ainda estou tentando entender o que significa ser humano. Estou fora", postou Leslie. Reprodução/Instagram Mais

26.jul.2016 - A cantora Preta Gil vem sendo alvo de ataques racistas na internet. Hoje, ela usou o Facebook e o Instagram para protestar contra as atitudes de alguns internautas, que se reúnem e fazem comentários pejorativos nas redes sociais da filha de Gilberto Gil. No Instagram, Preta fez um rápido desabafo: "Até quando veremos esse crime ser cometido impunemente na internet?". Em menos de 3 horas, a foto havia sido curtida por mais de 5 mil pessoas. Nos comentários, a cantora recebeu inúmeras mensagens de apoio. "Preta, você é linda minha querida!! Isso só pode ser coisa de pessoas mal amadas", disse uma fã. Reprodução/Instagram Mais

21.set.2016 - O cantor Marcelo Silva, conhecido como Dughettu, sofreu um ataque racista no último domingo (18). Ao comparecer a uma clínica veterinária em São Cristóvão, no Rio, onde levou seu cachorro de 19 anos e em estado terminal para ser sacrificado, o rapper se surpreendeu ao sair do local, onde ficou por cerca de 30 minutos, ao ver seu carro coberto por cascas de banana. "Racismo sem rosto. Entre bananas e 111 tiros, a saga continua. Fui vítima de um ataque racista", publicou Dughettu em suas redes sociais, com fotos do ocorrido. O rapper contou que fez um B.O. na polícia civil, que está investigando as câmeras de segurança da região para tentar identificar quem praticou o crime. Montagem BOL / Reprodução/Facebook Mais