'Casas-caixão': milhares de pessoas vivem em moradias inadequadas em Hong Kong

Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://noticias.bol.uol.com.br/fotos/imagens-do-dia/2017/05/11/casas-caixao-milhares-de-pessoas-vivem-em-moradias-inadequadas-em-hong-kong.htm
  • totalImagens: 18
  • fotoInicial: 1
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20170511202547
Fotos

11.mai.2017 - É precária a situação de parte da população de Hong Kong. Cerca de 200 mil dos 7,3 milhões de habitantes moram em 'unidades subdivididas', segundo o governo. De tão pequenas, essas moradias são conhecidas como "casas-caixão". Em uma série fotográfica, a agência AP mostrou como é a vida de quem vive nesta situação, considerada pela ONU (Organização das Nações Unidas) como um "um insulto à condição humana." Na imagem acima, Cheung Chi-fong, de 80 anos, dorme em sua pequena "casa-caixão", onde falta espaço para esticar as pernas AP Photo/Kin Cheung Mais

11.mai.2017 - Com o aumento desenfreado dos preços imobiliários, parte da população de Hong Kong é obrigada a viver em moradias minúsculas, que não comportam uma família. Na imagem acima, moradores descansam em suas 'casas-caixão', como são conhecidas as casas subdivididas AP Photo/Kin Cheung Mais

11.mai.2017 - Na imagem, Wong Tat-ming em sua casa-caixão, ao lado de um banheiro sujo. Sabe quanto Wong paga para morar neste espaço que mede 91x182 cm? 310 dólares (quase 1000 reais) por mês! AP Photo/Kin Cheung Mais

11.mai.2017 - Na imagem, um morador ajeita as coisas em seu pequeno cubículo AP Photo/Kin Cheung Mais

11.mai.2017 - Na imagem, um banheiro que é compartilhado por mais de 6 pessoas que vivem em uma das casas-caixão em Hong Kong AP Photo/Kin Cheung Mais

11.mai.2017 - Simon Wong, desempregado, vê televisão dentro do seu pequeno quarto AP Photo/Kin Cheung Mais

11.mai.2017 - Li Suet-wen paga 580 dólares por mês em aluguel, quase metade do que ganha trabalhando em uma confeitaria, para morar com os filhos num quarto de 11 metros quadrados, mobiliado com um beliche, um sofá pequeno, uma geladeira, uma máquina de lavar e uma pequena mesa em um edifício velho e sem elevador AP Photo/Kin Cheung Mais

11.mai.2017 - As crianças de Li Suet-wen vivem num quarto de 11 metros quadrados. O espaço é mobiliado com um beliche, um sofá pequeno, uma geladeira, uma máquina de lavar e uma pequena mesa em um edifício velho e sem elevador AP Photo/Kin Cheung Mais

11.mai.2017 - Na imagem, morador janta no interior de sua casa-caixão, como são conhecidas as minúsculas moradias em Hong Kong AP Photo/Kin Cheung Mais

11.mai.2017 - Na imagem, Tse Chu, um garçom aposentado, dorme em seu cubículo. Em uma série fotográfica, a agência AP registrou as condições precárias em que vive parte da população de Hong Kong AP Photo/Kin Cheung Mais

11.mai.2017 - Na imagem, Wong Tat-ming, 63, sentado em sua "casa-caixão", em Hong Kong. Pela moradia, ele paga 317 dólares por mês AP Photo/Kin Cheung Mais

11.mai.2017 - Yeung descansa em sua pequena "casa-caixão" em Hong Kong AP Photo/Kin Cheung Mais

11.mai.2017 - Na imagem, um menino de cinco anos brinca ao lado de sua casa construída com chapas de metal e papelão em um telhado. Em uma série fotográfica, a agência AP registrou as condições precárias em que vive parte da população de Hong Kong AP Photo/Kin Cheung Mais

11.mai.2017 - Na imagem, um barraco ilegal construído na laje de um edifício, em Hong Kong Ap Photo/Kin Cheung Mais

11.mai.2017 - Na imagem, um homem do lado de fora de sua casa, construída numa laje, perto de um conjunto habitacional AP Photo/Kin Cheung Mais

11.mai.2017 - Na imagem, um homem caminha na frente de um edifício residencial e comercial, em que se localizam casas-caixão em Hong Kong AP Photo/Kin Cheung Mais

11.mai.2017 - Na imagem ao fundo, o edifício residencial e comercial, em que se localizam casas-caixão em Hong Kong AP Photo/Kin Cheung Mais

11.mai.2017 - Na imagem ao fundo, o edifício residencial e comercial, em que se localizam casas-caixão em Hong Kong AP Photo/Kin Cheung Mais

Comente no Facebook