Estudantes de medicina postam foto com gesto obsceno e geram revolta nas redes sociais

Demétrio Vecchioli
Colaboração para o UOL

  • Reprodução

    Foto de médicos gerou revolta nas redes sociais

    Foto de médicos gerou revolta nas redes sociais

Uma imagem de estudantes do último ano de medicina de uma universidade do Espírito Santo vem causando revolta nas redes sociais. Na foto, compartilhada por um deles no domingo, sete futuros médicos aparecem de jaleco branco, calças arriadas, e fazendo com as mãos um gesto que remete a uma genitália feminina. A postagem, que tinha como legenda "pintos nervosos" foi apagada pelos estudantes, mas, copiada, vem causando revolta.

Nesta segunda-feira, os coordenadores do curso de medicina da Universidade Vila Velha (UVV) se reuniram com os estudantes para ouvir as explicações. Em seguida, foi instaurada uma comissão de sindicância "para apuração dos fatos e responsabilização daqueles que tenham transgredido as normas e códigos de ética" da universidade, que afirmou que "repudia qualquer tipo de ofensa a uma profissão tão importante e fundamental como a medicina".

A universidade tem sido pressionada nas redes sociais para punir os alunos, que têm programação acadêmica de se formarem no final do ano. "Divulguem os nomes dos formandos que postaram aquela foto infame com as calças abaixadas. Nós mulheres queremos passar longe", escreveu uma internauta. "Futuros médicos sem ética? Isso que a medicina da UVV oferece?", questiona outra.

Mais cedo, o Conselho Regional de Medicina do Espírito Santo se reuniu com a UVV e confirmou a veracidade da postagem. De acordo com o CRM-ES, ficou definido que a universidade se reuniria com os alunos, acompanhada de conselheiros, "para que o CRM-ES esclareça sobre a seriedade do caso e o flagrante desrespeito à ética profissional". Por eles não serem médicos – e, logo, não serem associados ao conselho – o mesmo não pode abrir sindicância e um consequente processo ético profissional, cuja punição varia de advertência à cassação do registro de médico.

Em nota, o CRM-ES disse que tem adotado ações administrativas, por meio de palestras, para orientar médicos e estudantes sobre a ética profissional. "Durante o ano, conselheiros vão às faculdades para alertar sobre a importância da boa postura profissional e, inclusive, realizam julgamentos simulados para mostrar aos recém-formados e futuros médicos a importância da boa prática médica e as ações do Conselho de Medicina", completa o comunicado. A reportagem não conseguiu contatar os alunos.

Últimas notícias Ver mais notícias