Defesa diz que foto de Lula com Léo Pinheiro em sítio "prova nada"

Do UOL, em São Paulo

  • Polícia Federal/Reprodução

Advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmaram nesta quarta-feira (17) que a foto em que o petista aparece no sítio em Atibaia (SP) ao lado de Léo Pinheiro, sócio da OAS, "nada prova".

A imagem foi anexada ao processo em que o ex-presidente é acusado de receber propina da empreiteira OAS por meio da reserva e reforma de um tríplex no edifício Solaris, no Guarujá (litoral de São Paulo), em 2009, e também pelo armazenamento de bens do ex-presidente.

Segundo a defesa de Lula, há um "caráter despropositado da admissão da juntada dessa foto ao processo e as ilações que estão sendo feitas com base nessa imagem". 

A foto, publicada nesta quarta (17) pelo jornal "O Globo", consta em relatório da Polícia Federal do dia 23 de março, também anexado. 

Os advogados criticam a inclusão da fotografia, alegando que ela não tem relação com os três contratos feitos pela OAS com a Petrobras que, segundo a denúncia, teriam levado à contrapartida da reserva do tríplex para Lula.

"A foto de Léo Pinheiro em um sítio em Atibaia que Lula e seus familiares frequentaram em nada altera essa situação. O que essa foto pode mostrar? Que Lula é proprietário do triplex no Guarujá? Que os três contratos citados na denúncia geraram vantagens indevidas para Lula? É evidente que não", alega a defesa em nota.

Argumenta ainda que a foto "mostra apenas que Leo Pinheiro esteve em um sítio que pertence a Fernando Bittar". Os advogados também minimizam a presença de Paulo Gordilho, arquiteto da OAS, na foto. No depoimento, segundo a defesa, Gordilho disse que esteve no sítio para um churrasco, organizado por Fernando Bittar.

No documento da PF, o delegado Márcio Adriano Anselmo conclui que há elementos que apontam para "o pagamento de benfeitorias nos imóveis investigados" no valor de R$ 1,2 milhão pelas empreiteiras OAS, Odebrecht e por José Carlos Bumlai, amigo de Lula.

São citadas, como provas das reformas feitas no sítio, trocas de mensagens de Gordilho sobre as obras. O ex-funcionário também é réu no processo da Lava Jato e disse ao juiz Sérgio Moro que chegou a ir a São Bernardo do Campo, onde o ex-presidente mora, para mostrar o projeto da cozinha do sítio ao ex-presidente e sua Mulher, Marisa Letícia. Esses projetos, como a planta da cozinha e imagens do cômodo decorado, também foram anexados ao processo pelo Ministério Público Federal.

Gordilho ainda afirmou a Moro que o tríplex em Guarujá (SP) estava reservado para o ex-presidente. A defesa de Lula nega que o apartamento pertença a ele e diz que o ex-presidente não cometeu irregularidades.

À Polícia Federal, no ano passado, Lula afirmou que não sabia quem era Paulo Gordilho. No depoimento a Moro em 10 de maio, depois que as fotos no sítio foram juntadas ao relatório, ele se retificou: "Eu vi no depoimento dele [Pinheiro], ele dizendo que foi lá em casa e depois eu vi o dr. Paulo, que eu não sabia que era Paulo Gordilho, só sabia que era Paulo, que diz que foi lá em casa".

Últimas notícias Ver mais notícias