Mãe vai de Manaus até o litoral de São Paulo para tentar encontrar filho desaparecido

Renan Prates
Colaboração para o UOL

  • Arquivo pessoal

    Andreza Carvalho e o filho, Fábio Salomão

    Andreza Carvalho e o filho, Fábio Salomão

Andreza Carvalho, de 32 anos, não mede esforços para encontrar o filho desaparecido. Ela viajou quatro mil quilômetros de Manaus, capital do Amazonas, até Guarujá, litoral de São Paulo, para investigar o paradeiro de Fábio Salomão Carvalho Marques, de dois anos.

O menino estava sob os cuidados do pai, Fabio Gonçalves Marques, que obteve uma autorização da justiça para viajar com a criança em fevereiro, desde que retornasse a Manaus no dia 25 do mesmo mês - a data caiu em um sábado. Só que no domingo Andreza percebeu que Fabio não embarcou com o filho na passagem que estava comprada para a volta dos dois. Desde então, ela não soube mais do paradeiro de ambos.

"Esperei aflita e estava com um vazio dentro do meu peito. Quando foi no dia 26, entrei em contato com meu advogado e pedi para ele entrar em contato para saber por que meu filho ainda não havia retornado para a minha casa. Foi quando meu advogado respondeu que a advogada dele [do pai da criança] disse que ela não podia responder pelos atos do cliente dela. Meu advogado entrou em contato com o aeroporto e descobriu que ele não havia embarcado para Manaus. No dia 27, segunda de manhã cedo, fui na quinta vara em Manaus avisar que ele não havia retornado. Aí já começou o desespero. Já não tinha nenhum contato, não avisaram, não falaram nada", contou a empresária ao UOL.

Andreza explicou que demorou quase quatro meses para ir atrás do filho no Guarujá pois queria estar com todos os documentos em mãos para poder retirar a criança da posse do pai. E esse processo demorou mais do que ela esperava.

"Não existe só o meu processo. Existem milhões e milhões de processos iguais. Infelizmente tive que esperar pra vir com o documento de busca e apreensão. Imagine se eu chegasse aqui sem isso? Não ia conseguir nada. Se agora que estou com documentos, eu não sei do meu filho, imagine se tivesse vindo em fevereiro e março sem nada".

A empresária, que está hospedada em um hotel do Guarujá, chegou na cidade no dia 8 deste mês. Desde então, está em contato com oficiais de Justiça e a Polícia Civil do local na tentativa de achar o filho. Andreza conta que já conseguiu oito mandados de busca e apreensão - quatro na casa da mãe e quatro na casa do irmão de Fabio. Em uma das ocasiões, ficou perto de encontrar a criança.

"Algumas pessoas que não querem se comprometer com a Justiça nos falaram que se eu tivesse chegado quarenta minutos antes na casa da mãe dele, tinha visto meu filho entrando em um ônibus branco. Ele deixou meu filho no hall do prédio e estava falando no telefone, muito nervoso. Não demorou muito e apareceu esse ônibus branco e ele entrou. Desde então nunca chegamos tão perto".

Andreza já confeccionou camisas e espalhou cartazes nas proximidades das casas da mãe e do irmão de Fabio, na tentativa de conseguir mais informações do paradeiro de seu filho. Nesta sexta, ela recebeu duas denúncias anônimas, sem êxito nas buscas.

"São pessoas querendo ajudar. Acredito que não foi de má fé. A gente percebe que são pessoas de boa índole, mas infelizmente o endereço que informaram não procedia".

Andreza deixou os outros três filhos que possui sob os cuidados da mãe, que é funcionária pública em Manaus, e está com o marido Herbert e a irmã Andreia no Guarujá. A empresária comemorou o fato de a Justiça local ter concedido recentemente autorização para a Polícia fazer uma investigação formal sobre o caso. E segue confiante em rever o filho. "Não saio daqui sem ele".

Últimas notícias Ver mais notícias