Votação rápida em plenário ajudaria Temer, dizem especialistas

São Paulo

  • Eraldo Peres/AP

O agendamento da votação da análise de admissibilidade da denúncia por corrupção passiva contra o presidente Michel Temer para o dia 2 de agosto no plenário da Câmara atrapalham a estratégia de defesa, para Murillo de Aragão e Antônio Augusto de Queiroz, da Arko Advice e do Diap (Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar).

Embora o parecer a ser levado aos deputados seja pela rejeição da denúncia, seria melhor para o presidente liquidar a discussão sobre a acusação o quanto antes.

"É evidente até certa altura que seria melhor para o presidente Michel Temer que a votação fosse rápida", diz Aragão.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Entenda a denúncia contra Temer

Últimas notícias Ver mais notícias