Aluna é denunciada por agredir diretora de escola após levar bronca no PI

Fabiana Marchezi
Colaboração para o UOL

Uma estudante de 16 anos foi denunciada à polícia por agredir a diretora e professora da Unidade Escolar Firmina Sobreira, que fica no bairro Poty Velho, em Teresina, no Piauí, na manhã desta quarta-feira (6). Elas se desentenderam por causa do uniforme escolar.

Vídeos divulgados por outros alunos nas redes sociais mostram a aluna do 8º ano agredindo a diretora a socos, unhadas e puxões de cabelo. Nas imagens, a menina também xinga e ameaça a diretora da escola.

De acordo com a polícia, a confusão começou depois que a diretora chamou atenção da estudante porque ela estava sem o uniforme da unidade escolar. Segundo relatos de familiares à polícia, a menina sofre de transtornos psicológicos.

Segundo o capitão Antônio Carmo, comandante da Companhia Independente de Policiamento Escolar (Cipe), os policiais foram acionados por volta das 9 horas e, quando chegaram à escola, a diretora tinha marcas nos braços e no rosto. Segundo ele, a adolescente passa por tratamento psicológico.

"Quando chegamos, a briga já estava controlada e a professora tinha marcas de agressão nos braços e no rosto. Inclusive, a família da aluna e representantes da Seduc (Secretaria de Estado da Educação) já estavam no local. A estudante foi levada para casa pelos familiares. Segundo a família, ela passa por tratamento por conta de transtornos psicológicos", contou Carmo.

Ainda segundo a polícia, a diretora já registrou boletim de ocorrência por agressão no Distrito Policial do bairro. O UOL entrou em contato com a escola, mas a diretora não estava e ninguém quis comentar o caso. Os nomes das duas estão sendo preservados.

Leia mais

Ao UOL, a Secretaria de Educação do Estado informou que a diretora chamou atenção de vários alunos pelo mesmo motivo, mas ela foi a única a reagir dessa maneira. O uniforme completo inclui camiseta e calça da unidade escolar. A estudante não usava nenhum dos dois.

Em nota, o órgão lamentou o fato de a diretora ter sido agredida e ressaltou que o uso do fardamento completo é obrigatório em todas as escolas da rede estadual.

A secretaria ainda informou que repudia qualquer tipo de violência física ou psicológica, independente da motivação e confirmou que a estudante "apresentava problemas de socialização e vinha sendo acompanhada pelo Conselho Tutelar, que também foi acionado".

Uma equipe com um psicólogo e um assistente social da 4ª Gerência Regional de Educação e da Companhia de Policiamento Escolar (CIPE) esteve na unidade para prestar assistência à diretora e apurar o caso.

"O resultado da apuração será enviado ao Conselho Escolar para que seja assinada a transferência da estudante", informou o comunicado.

Últimas notícias Ver mais notícias