Após morte de delegado, polícia faz operação e prende mais de 40 pessoas no Jacarezinho

Paula Bianchi
Do UOL, no Rio

  • Guito Moreto/Agência O Globo

    Dezenas de pessoas foram detidas para averiguação durante a ação

    Dezenas de pessoas foram detidas para averiguação durante a ação

Ao menos 40 pessoas foram detidas e levadas até a Cidade da Polícia, na zona norte do Rio de Janeiro, após o assassinato do delegado Fábio Monteiro, encontrado morto dentro do porta-mala de um carro na região nesta sexta-feira (12).

A polícia busca suspeitos de assassinar o delegado, morto a tiros. Equipes de todas as delegacias da cidade participaram do cerco à favela.

Fábio Monteiro estava chegando à Cidade da Polícia, complexo policial próximo à favela do Jacarezinho, quando foi reconhecido por criminosos e sequestrado.

O corpo do delegado foi encontrado por pedestres no porta-malas de um carro na avenida Dom Helder Câmara, próximo à favela do Arará.

Pouco antes das 16h, após o corpo ser encontrado, houve um tiroteio na região em que Monteiro foi sequestrado. Passageiros que tentavam embarcar na estação de trem Jacarezinho se jogaram no chão para se refugiar.

A Supervia informou que as viagens entre as estações Central e Jacarezinho, no ramal Belford Roxo, foram suspensas entre 16h e 19h por questão de segurança.

O delegado trabalhava na Central de Garantias da Cidade da Polícia e ingressou na corporação em 2013. Além de agente, ele também era professor de Direito Penal e Processo Penal em um curso preparatório para ingresso na Polícia Civil.

De acordo com as primeiras informações, o delegado estava acompanhado de uma mulher ainda não identificada quando foi abordado pelos criminosos. No momento, ela presta depoimento.

Monteiro teria chegado a trocar tiros com os criminosos antes de ser morto.

O Disque Denúncia oferece R$ 5 mil reais de recompensa por informações que possam levar à prisão dos responsáveis pela morte. 

No fim do ano, o delegado lamentou no Instagram a atual situação da segurança pública no Estado. "Foi um ano difícil, principalmente na área de segurança pública: salários atrasados e morte de colegas (alguns amigos) mas chegamos até aqui e sobrevivemos!", escreveu.

RJ já tem 6 policiais mortos em 2018

Nesta quinta-feira (11), o cabo Edson Magalhães Ribeiro Júnior, 38, foi assassinado em Cosmos, na zona oeste do Rio; antes dele, outros quatro PMs foram mortos desde o começo do ano.

As mortes dos agentes da PM e do delegado Monteiro somam-se estatística de policiais assassinados no Estado. Em 2017, 134 PMs foram mortos entre janeiro e dezembro --um a menos que em 2016--, e outros quatro policiais civis assassinados em serviço.

Últimas notícias Ver mais notícias