EUA mantém 49 crianças brasileiras em abrigos de imigrantes

SÃO PAULO, 21 JUN (ANSA) - Uma nova lista aponta que, ao menos, 49 crianças brasileiras em situação de imigração ilegal estão em abrigos para menores nos Estados Unidos, segundo Felipe Santarosa, cônsul-adjunto do Brasil em Houston. As crianças estão separadas dos pais, os quais foram enviados às prisões federais para processo criminal devido à política de tolerância zero da administração do presidente Donald Trump.   


As crianças, de 5 a 17 anos, estão espalhadas pelos EUA e o Departamento de Saúde americano, que administra os abrigos para menores, não inclui dados como nomes, idades nem a cidade em que estão localizadas as crianças na lista. O governo brasileiro tenta levantar essas informações.   


Ativistas dizem que mais de duas mil crianças estariam nesses abrigos, inclusive dentro de "jaulas" de metal, sem assistência de adultos, enquanto aguardam os processos dos pais.   


A política de Trump foi alvo de críticas internacionais nas últimas semanas e, pressionado, o republicano decidiu ontem (20) revogar a medida que separa as famílias. Com isso, todos os imigrantes ilegais deverão permanecer com seus familiares até que a tramitação dos processos chegue ao fim.   


A política de tolerância zero começou a processar criminalmente os estrangeiros que atravessassem a fronteira ilegalmente em abril, e assim, as crianças imigrantes estavam separadas de seus pais.   


O Itamaraty declarou, em nota, que o governo brasileiro, através dos consulados nos EUA, tem acompanhado os casos e tentado alertar os familiares nas prisões federais, que, na maioria das vezes, desconhece o paradeiro dos filhos. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Últimas notícias Ver mais notícias