Japão segue a busca por quase 130 pessoas desaparecidas após fortes chuvas

Em Tóquio

As equipes de resgate no Japão continuam nesta sexta-feira (13) com a busca de 127 pessoas após as fortes chuvas que afetaram a metade sul do país e deixaram até hoje mais de 200 mortos.

São 28 pessoas oficialmente desaparecidas e outras 99 que ainda não puderam ser localizadas, embora no momento não estejam incluídas no grupo de pessoas desaparecidas, segundo afirmou hoje, em entrevista coletiva, o ministro porta-voz do governo, Yoshihide Suga, que subiu o número de mortos para 204.

Desses, mais de 70% tinham 60 anos ou mais, segundo divulgou a imprensa local.

Cerca de 73 mil membros das Forças de Autodefesa (Exército), polícia e bombeiros participam dos trabalhos de busca, onde foram utilizados 81 helicópteros, afirmou Suga.

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, expressou sua gratidão aos 5,5 mil voluntários que atendem às 7 mil pessoas que seguiam deslocadas ontem, exatamente uma semana depois do início das chuvas, nas zonas afetadas (principalmente Hiroshima e Okayama, onde aconteceram mais da metade das mortes).

"Espera-se que mais voluntários cheguem nas zonas afetadas nos próximos três dias (segunda-feira é feriado no país), então quero pedir a eles que maximizem a segurança e as medidas para combater as altas temperaturas" previstas para este período, disse Abe.

A Agência Meteorológica de Japão (JMA) prevê que os termômetros ultrapassarão os 30 graus Celsius nos próximos dias em muitas das áreas atingidas, aumentando a preocupação em relação com possível insolação e disseminação de doenças infecciosas entre os deslocados e socorristas.

Shinzo Abe visitará hoje Ehime, outra das províncias mais atingidas, para visitar os refugiados e ser informado pelas autoridades locais sobre a situação.

Últimas notícias Ver mais notícias