Major Olímpio, sobre Previdência: 'Não passa. Eu mesmo voto contra'

Leonencio Nossa e Julia Lindner
Brasilia

O deputado e senador eleito por São Paulo Major Olímpio (PSL) rejeitou a intenção cogitada por pessoas próximas ao presidente eleito Jair Bolsonaro de votar a proposta de reforma da Previdência enviada pelo presidente Michel Temer ao Congresso Nacional.

Em entrevista nesta terça-feira (30), na Câmara, Olímpio afirmou que o projeto do Palácio do Planalto tem vários pontos que já foram questionados pelo Legislativo. Diante disso, avaliou que, se houver novo esforço para aprovar o texto, haverá uma derrota do governo.

"A reforma é necessária, mas os parâmetros da proposta da PEC 287 estão equivocados. Na prática, se a 287 for colocada (em discussão), não passa. Eu mesmo voto contra", disse o senador eleito e aliado de Bolsonaro.

"Pelo pouco que conheço da Câmara, se essa proposta for apresentada, ela não passará, pois suprime alguns direitos e não inclui categorias, como agentes e guardas municipais", disse. "Uma coisa é a necessidade da reforma, outra é a questão política."

Major Olímpio disse, ainda, que é preciso também entender a situação do Congresso já que "metade" dos parlamentares não foi reeleita. Ele afirmou que há muita dificuldade em se votar propostas da área economia neste ano devido ao pouco tempo para a tramitação. Mesmo assim, o parlamentar disse que bancada vai aguardar as diretrizes do presidente Bolsonaro e do "professor Paulo Guedes", que irá conduzir o processo.

Últimas notícias Ver mais notícias