Em entrevista por carta, Lula diz que Moro fez política em vez de justiça

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução

    14.nov.2018 - Lula depõe em processo da Operação Lava Jato

    14.nov.2018 - Lula depõe em processo da Operação Lava Jato

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) voltou a criticar o ex-juiz e futuro ministro da Justiça Sergio Moro em uma entrevista por carta à emissora britânica BBC, que divulgou trechos da conversa nesta quinta-feira (6) (leia a matéria original da emissora em inglês). Segundo Lula, Moro "fez política, e não justiça" quando o condenou à prisão no caso do tríplex, da Operação Lava Jato.

"Ele fez política, e não justiça, e agora se beneficia disso", escreveu o ex-presidente.

Esta é a primeira entrevista concedida por Lula desde que foi preso, em abril deste ano. Diversos veículos de imprensa, entre eles o UOL, pediram autorização judicial para entrevistá-lo, sem sucesso. Em outubro, o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal) proibiu a realização de uma entrevista da Folha de S. Paulo com o ex-presidente. O plenário do Supremo ainda analisará o tema.

Lula respondeu a perguntas enviadas pela BBC para um documentário que será lançado em janeiro. Nas cartas à emissora, o ex-presidente diz que o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) só foi eleito para a Presidência porque não concorreu com ele. Bolsonaro venceu o substituto de Lula, Fernando Haddad (PT), no segundo turno.

Esta semana, Moro disse que Lula faz parte do seu passado. Dias depois de ter sido escolhido como ministro, o ex-juiz declarou à imprensa que sua nomeação não teve relação com a condenação do ex-presidente

"Ele foi condenado e preso porque ele cometeu um crime, e não por causa das eleições", afirmou Moro. "Eu não posso pautar a minha vida com base em uma fantasia, em um álibi falso de perseguição política."

Lula cumpre pena de 12 anos e um mês após ter sido condenado em segunda instância por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex. Sua defesa afirma que não há provas dos crimes imputados a ele.

Últimas notícias Ver mais notícias