Google Street View mostra como é a estação espacial ISS por dentro

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução

    Google Street View libera imagens em 360º da Estação Espacial Internacional

    Google Street View libera imagens em 360º da Estação Espacial Internacional

Que tal fazer um tour pelo espaço? Para embarcar nessa viagem não é preciso de roupa especial, tampouco de foguete. Com um simples clique, a partir desta quinta-feira (20), você poderá explorar a Estação Espacial Internacional (ISS) pelo Google Street View. 

São imagens que permitem a visualização em 360º (basta mover o mouse para direita, esquerda, para cima e para baixo) de uma estrutura composta por 15 módulos que flutua a mais de 400 km acima da Terra.

A viagem começa pela área da Cúpula, local destinado para a observação de operações realizadas fora da ISS, mas também inclui as salas de pesquisa, o local de armazenamento dos trajes espaciais, entre outros.

No passeio, você também se depara com notas que oferecem informações adicionais sobre cada um dos módulos e ainda fatos divertidos sobre como os tripulantes conseguem se manter em forma na gravidade zero, que tipo de comida comem e onde fazem as experiências científicas.

Pena que esse conteúdo é restrito àqueles que conhecem o inglês. 

Reprodução
Passeio inclui notas com curiosidades sobre a vida dos tripulantes da estação espacial
 

As imagens foram captadas por Thomas Pesquet, astronauta da Agência Espacial Europeia, que passou seis meses a bordo da estação como engenheiro de voo. Ele retornou à Terra em junho de 2017.  Por conta das restrições do espaço, não foi possível usar os métodos usuais de captação do Google. 

Como Pesquet explica, a ISS funciona como base para a exploração espacial -- possíveis futuras missões na Lua, em Marte e asteróides -- e viabiliza uma perspectiva única da própria Terra.

"Podemos coletar dados sobre os oceanos, a atmosfera e a superfície terrestre. Podemos fazer experimentos e estudos que não seríamos capazes de fazer da Terra, como monitorar como o corpo humano reage à microgravidade, resolver os mistérios do sistema imunológico, estudar ciclones, para alertar populações e governos quando uma tempestade está se aproximando, ou monitorar o lixo marinho -- uma quantidade cada vez maior de resíduos encontrados em nossos oceanos." 

Reprodução
Vista da Joint Airlock (Quest), área que armazena os trajes espaciais

 

Últimas notícias Ver mais notícias