Estudo desenvolve vacina que minimiza risco de câncer comum entre mulheres

Colaboração para o UOL

  • Reprodução/Huffington Post

    Vacina Gardasil 9 foi ministrada a estudantes do ensino secundário da Austrália

    Vacina Gardasil 9 foi ministrada a estudantes do ensino secundário da Austrália

Um estudo feito em Melbourne, na Austrália, desenvolveu uma vacina que pode minimizar a incidência do câncer do colo do útero. O trabalho liderado pelo Royal Women's Hospital e pelo Victorian Cytology Service analisou cerca de 900 amostras de câncer de colo do útero - um dos tipos de câncer mais comuns entre as mulheres no mundo.

Segundo dados do Inca (Instituto Nacional do Câncer) de 2016, o câncer do colo do útero é o quarto tipo de câncer mais comum entre as mulheres no Brasil.

O estudo australiano mostrou que a vacina Gardasil 9, que foi dada a estudantes em seu primeiro ano do ensino secundário do país, protegeu 77% das jovens contra a doença.

O resultado foi publicado no International Journal of Cancer. A pesquisadora principal do estudo disse que realizar a pesquisa foi muito emocionante. "Isto é verdadeiramente revolucionário", declarou a professora associada Julia Brotherton para a emissora "ABC".

O Comitê Consultivo de Benefícios Farmacêuticos da Austrália [PBAC] está analisando se a nova vacina poderá ser usada no país. Uma decisão será adotada no final deste mês.

"Tenho muita esperança de que esta vacina fique disponível para os jovens no primeiro ano do ensino médio. Espero que seja no próximo ano", disse Julia Brotherton.

Outro benefício da nova vacina é que requer menos injeções - a atual vacina exige três doses. Julia explicou que, se o tratamento for realizado antes dos 14 anos, a nova vacina exige apenas duas doses.

Últimas notícias Ver mais notícias