Com temperaturas de até 46,6ºC, onda de calor deixa 3 mortos na Espanha

  • Alvaro Barrientos/AP

    4.ago.2018 - Pessoas tentam se refrescar nas ruas de Vitoria, na Espanha

    4.ago.2018 - Pessoas tentam se refrescar nas ruas de Vitoria, na Espanha

Madri, 5 ago (EFE).- A primeira onda de calor do verão na Espanha, que provocou a morte de pelo menos de três pessoas, elevou o termômetro a temperaturas de até 46,6ºC no sul do país, na cidade do Granado, na província de Huelva.

O forte calor, que a princípio irá diminuir a partir desta segunda-feira (6), começou na última quarta-feira e os piores dias de calor, em geral, foram sexta e sábado.

A ausência de céu encoberto generalizada, o ar abafado e as altas temperaturas continuarão sendo registrados em quase toda a Espanha pelo menos até segunda-feira, dia no qual mais de 30 províncias ficarão em alerta.

No entanto, a situação melhorará e a cada dia e cada noite o calor perderá intensidade. Isso acontecerá depois de uma onda de calor de seis dias na qual ontem, sábado, foram registradas as temperaturas mais altas: as estações meteorológicas de municípios de Huelva, Badajoz, Córdoba e Sevilla marcaram temperaturas entre 44ºC e 46,6ºC.

As três últimas noites nestas regiões, assim como na maior parte do país, foram sufocantes e de insônia. Em Barcelona, no porto de Palma, em Alajar (Huelva) e em Serradilla (Cáceres), por exemplo, a mínima esteve ao redor dos 28ºC.

As máximas deste domingo, segundo os dados registrados pela Agência Estatal de Meteorologia (Aemet), foram registradas durante a manhã outra vez em Extremadura, em Mérida e em Badajoz, com quase 42ºC.

Estas altas temperaturas deixaram nos últimos dias três mortos, dois em Murcia e um em Barcelona. Também há dois homens hospitalizados, um em Murcia, que cujo quadro evolui bem, e outro em Cartagena, que está em estado grave.

As autoridades recomendam sempre nesta época do ano limitar a exposição ao sol, manter-se em locais ventilados, ingerir comidas leves e beber frequentemente água.

Além disso, não fazer exercícios físicos prolongados nas horas mais quentes do dia.

Quando faz tanto calor, o risco de incêndios também aumenta e desta vez se agravou em alguns pontos do interior e nos Pireneus pelas tempestades secas, que acontecem precisamente pelo elevado calor e pela formação de nuvens de tempestade que não estão suficientemente cheias de água para provocar chuvas, mas sim para que haja rajadas de vento forte e caíam raios.

Hoje, o mapa de incêndios da península e das ilhas Baleares segue praticamente todo em vermelho - risco extremo - e laranja - muito alto -; Palma, Hierro e Tenerife também estão em laranja.

Por isso é preciso tomar precauções nas atividades no campo e não lançar cigarros, lixo, especialmente, garrafas de vidro que fazem efeito lupa com o sol e podem provocar incêndios.

Últimas notícias Ver mais notícias