Sem concorrência, consórcio com Furnas vence leilão de usina em SP

Do UOL, em São Paulo

Um consórcio entre a Furnas, subsidiária da Eletrobras (ELET6), e o fundo de investimentos Constantinopla apresentou a única proposta e venceu o leilão da hidrelétrica de Três Irmãos, que fica no rio Tietê (SP). O fundo de investimentos tem participação de 50,1% no consórcio e a Furnas, o restante. 

O leilão foi realizado nesta sexta-feira (28), na Bovespa, em São Paulo. A concessão da usina é válida pelos próximos 30 anos. 

A Furnas não apresentou desconto no leilão, mas como foi a única concorrente, deve administrar a hidrelétrica pelo Custo de Gestão dos Ativos de Geração (GAG) máximo de R$ 31,623 milhões, estabelecido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

A hidrelétrica tem capacidade instalada de 807,5 megawatts (MW) e sua primeira unidade geradora entrou em operação em 1993.

Sete empresas tinham demonstrado interesse em realizar visita técnica na usina e eram, em teoria, as potenciais interessadas: AES Tietê (GETI4), Copel (CPLE6), Duke Energy International - Geração Paranapanema, Campos Novos Energia, Enerpeixe e Emae (Empresa Metropolitana de Águas e Energia).

Cesp não aceitou 'novas regras' de concessão

Essa foi a primeira licitação de concessão entre as que não foram renovadas dentro das novas regras divulgadas pelo governo em 2012.

A concessão de Três Irmãos venceu em novembro de 2011 e o governo federal incluiu a usina nas regras para renovação das concessões do setor elétrico com redução da receita, em 2012.

Porém, a atual operadora, a Cesp (CESP6), geradora de energia controlada pelo governo do Estado de São Paulo, não quis renovar a concessão dentro desses novos critérios, e chegou a tentar impedir a realização do leilão.

Cesp será indenizada em R$ 1,7 bilhão

O Ministério de Minas e Energia publicou nesta sexta a portaria que determina a indenização a ser dada à Cesp (CESP6) em R$ 1,717 bilhão, segundo o Diário Oficial, pelo fim da concessão da hidrelétrica de Três Irmãos.

Segundo a portaria, a indenização será paga em parcelas mensais no prazo de sete anos, que serão atualizadas pela taxa básica de juros (Selic) relativa ao mês anterior ao do pagamento.

A geradora de energia controlada pelo governo de São Paulo já afirmou anteriormente que discordava do valor, e que entendia ter direito a R$ 3,5 bilhões.

No início desta semana, a Cesp informou que teve prejuízo líquido de R$ 990,5 milhões no quarto trimestre de 2013. Segundo a empresa, o resultado foi afetado por uma reserva de R$ 1,81 bilhão, referente à diferença entre a indenização que a companhia calcula que tem a receber por investimentos não amortizados na hidrelétrica Três Irmãos e o valor que o governo federal disse que irá pagar.

(Com Reuters)

Últimas notícias Ver mais notícias